quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Partido do Progresso do Povo de Moçambique (PPPM)


Padimbe Kamati: em defesa da Repüblica Federal de Moçambique

Partido do Progresso do Povo de Moçambique (PPPM)

A sua existência foi anunciada em Lisboa, em 1991, por Padimbe Mohosa Kamati Andrea, Natural de Mueda, Kamati afirmou que o seu partido era anterior a Frelimo e que o fundara quando tinha 17 anos, em 1959. As consultas feitas mostram que em 1964 existia um partido PPPM (Partido dos Problemas do Povo de Moçambique), não ficando claro se seria o mesmo a que Kamati aludia. Ele esteve na Tanzânia, mais tarde, na Etiópia. Regressou a Moçambique e, daqui seguiu para a Rodésia tendo-se juntado ao primeiro núcleo que deu origem a RENAMO, por ele anunciada em 28 de Julho de 1977.

Foi Vice de André Matsangaisa, cargo que ocupou por duas semanas antes de seguir para o Ghana, onde tentou criar uma empresa de Import&Export e daqui para Portugal. Justificando os motivos da nova rebelião armada, Kamati afirmara ao Jornal Diabo que "Nós, dissidentes da Frelimo, brancos, negros e mestiços, cientes do legítimo papel de futuros libertadores que representamos junto do povo moçambicano, chegamos a estar um mês, embrenhados no mato, auscultando a vontade e o apoio das tribos, vivendo com elas o dia-a-dia. A curto prazo, principalmente quanto tivermos concretizado o auxílio de potencias estrangeiras, dividiremos o território em dois. Na mesma entrevista afirmava que Samora iria saber o que é guerra civil, no fim daquele ano. Nos manuais de campanha para as eleições de 1994, ele aparece com título de Sociólogo.

Afirmara ter estudado na Etiópia e nos EUA. Em Portugal criou uma empresa pessoal, a Kamati – Actividade Imobiliária, Lda. Dizia ter mais de 20.000 membros e apoiantes (confirmados nas eleições em que teve 24.208 votos). Na sede do Partido, em Maputo, dava-se aulas de Inglês e de informática para os membros do partido e havia suspeitas de estar a usar a instalação como escola particular. O seu revés veio quando um de seus membros, Miguel Mabote, saiu do PPPM para formar o Partido Trabalhista (PT).

A filosofia política do Kamati era o federalismo, com base na divisão de províncias existentes em estados autónomos. Segundo ele, um governo PPPM daria prioridade ao desenvolvimento de agricultura, através de oferta de ferramentas, bombas de água e abertura de poços para os agricultores. Dizia que, caso ganhasse, iria promover os empréstimos bancários, construção de habitação de baixo custo e reabilitar e ampliar os hospitais e as escolas existentes. Em termos de política monetária, queria fazer escudo português convertível com Metical. Em termos da terra, propunha mudar a lei para que a terra só fosse dada por chefes tradicionais. Para controlar a corrupção, seria criado um tribunal especial. Kamati dizia que o federalismo tinha mais apoio no Sul do que no norte, onde havia muitos egos que, certamente, dificultariam a opção federalista.

Comentários



Padimbe Kamati: em defesa da Repüblica Federal de Moçambique A sua existência foi anunciada em Lisboa, em 1991, por Padimbe Mohosa K...
REPENSAND.BLOGSPOT.COM

Gosto · Responder · 4 · 20 h

Fernando Jorge Francisco Cumbana dele só me lembro do prostíbulo que construiu
Gosto · Responder · 5 · 20 h


Eusébio A. P. Gwembe Aonde, la no Maputo ou na terra natal?

Fernando Jorge Francisco Cumbana foi cà nos arredores de maputo.se a memoria nao atraiçoa terà sido na zona verde
Gosto · Responder · 2 · 20 h

Eusébio A. P. Gwembe Fernando, o homem era um bom empreendedor. Aproveıtou de todas as oportunıdades para fazer algum X
Gosto · Responder · 3 · 20 h

Fernando Jorge Francisco Cumbana pois è...tambem foi conhecido como empresario bem endividado
Gosto · Responder · 4 · 20 h



Cremildo Maculuve Foi no Patrice Lumumba, creio
Gosto · Responder · 1 · 19 h

Mussá Roots Kkkkkkkkk

Lyndo A. Mondlane É um negocio tao legítimo como outros, desde q se paguem impostos é se canalizem as correspondentes contribuicoes sociais..kikiki
Gosto · Responder · 3 · 17 h

Mussá Roots Sim, Lyndo A. Mondlane...não fosse o "dono do negócio" candidato a presidente da República...
Gosto · Responder · 3 · 17 h

Lyndo A. Mondlane Kkkkkkkk... É pa...

Mussá Roots Kkkkkkk...a experiência na gestão de um prostíbulo, era capaz de ser útil na da República, que se pretendía federal...kkkkkkk...
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Lyndo A. Mondlane Por exemplo..kiki.. Ha q desvestir as roupas morais..kikik
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Eusébio A. P. Gwembe E caso ganhasse, nao imagino a elite que iria frequentar o referido prostibulo. Possivelmente teria mıss ımportadas
Gosto · Responder · 3 · 16 h

Lyndo A. Mondlane kakakak..ele sabia que nem de loteria ganhava.. o unico ano que vivi em mz, companhei todos aqueles comicos convertidos em politicos...
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Lyndo A. Mondlane recordo quando o Arouca (ou jaque) nao recordo muito bem acusou a frelimo de enviar-lhe mosquitos para provocarem-lhe malaria e diminuir as opçoes... emfim
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Eusébio A. P. Gwembe Lyndo A. Mondlane todos estavam atras do dınheıro da ONU, das casas e das sedes partıdarıas. Foram os bons momentos para muıtos. Dınheıro facıl
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Lyndo A. Mondlane Eusébio A. P. Gwembe, sim e veja-se acabei eu votando, e as opçoes estavam claras............ o machel se tivesse tido um programa, e tivesse-se feito mais conhecer, pintava melhor..o resto eram uas comicos como dizes a caça de dinheiro facil.. mas tempos belos aqueles, dificeis, mas ilusionantes...depois fui, e desconectei de mz, uns bons anos

Eusébio A. P. Gwembe Lyndo A. Mondlane e que o marechal tınha um exercıto de analfabetos, como poderıa desenhar programa? E os ıntelectuaıs que o querıam ajudar foram tıdos como traıdores e oportunıstas, por ısso afastados.
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Lyndo A. Mondlane machel me referia ao sobrinho, o candidato.....do marechal a historia é outra..pelo menos sobre o papel tinha boas intençoes..kiki
Gosto · Responder · 3 · 16 h

Eusébio A. P. Gwembe Lyndo A. Mondlane esta bom. compreendi. Aonde anda o homem? Era independente ne?
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Lyndo A. Mondlane sim, nao tenho nem ideia, mas era um dos mais sensatos, junto a chissanos (o louco dlakama), maximo dias... o resto uma banda de oportunistas e comicos...
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Schauque Spirou Bwakakakakakakakakakak
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Eusébio A. P. Gwembe Um dos erros é que muitos deles limitaram-se a fazer shows nas grandes vilas e cidades. Mas foi a melhor epoca da nossa democracia. Pelo menos teve uma partıcıpacao interessante, mesmo sem facebook, apenas com a Radıo Moçambique em Onda Medıa.

Lyndo A. Mondlane o machel, recorria casa por casa em carro e comboio, naquele tempo eu nao sabia nada de programas, pelo que nao pude saber as suas intençoes.. mas como dizes, foi ilusionante...foi a unica vez que votei...

Escreve uma resposta...




Américo Matavele Eu recordo-me do seu "português" um pouco ou muito "inglezado", eh eh eh eh eh eh... Irritava-se por um dá cá essa palha.
Gosto · Responder · 8 · 20 h

Francisco Wache Wache Hahahahahahhah, neste pais ha de tudo, poxa!
Gosto · Responder · 1 · 19 h

Rafael Omar Dizia "Frelimo são cãos. Ladrãos. Eu não tem medo Frelimo". Kkkkk...
Gosto · Responder · 6 · 19 h

Candido Junior ... e é nisso que alguns dos nossos conceituados historiadores perdem tempo precisoso a trabalhar... isto acaba desvirtuando todo um esforço para trilhar os caminhos da verdade porque torna os ignorantes mais ignorantes e os estudiosos não acrescentam nada nos seus conhecimentos.

Escreve uma resposta...


Raul Novinte Lembro me de ter ouvido do tal Kamati durante aqueles tempos. Alguns pontos da sua ideologia federalista parece fazer sentido agora para o nosso país. Será que ele tinha razão?....
Gosto · Responder · 3 · 19 h

Eusébio A. P. Gwembe Se tinha razao ou nao, certo é que o partido dele foi aceite com estas ideias, Raul Novinte. Estranhamente foi uma ideia combatida pela Renamo que hoje a tenta defender. Um ilustre da formacao tera afirmado que estes que trazıam estas ideias era oportunistas porque "fomos nos quem durante 15 anos lutou.
Gosto · Responder · 9 · 19 h

Raul Novinte Acredito que nem a Frelimo ou Renamo entendiam muito bem a complexidade da governabilidade de Moçambique, em termos da sua administração, Eusébio A. P. Gwembe. Entretanto o que temos que fazer hoje é capitalizarmos os nossos erros e tornarmos numa oportunidade. Pois se a Frelimo ou Renamo recusou-se daquilo ou isto agora não interessa. O que interessa é olharmos onde erramos. corrigirmos e seguirmos em frente......

Eusébio A. P. Gwembe Raul Novinte de acordo, por isso temos uma dadeira de relevo em Poliıtıca: Hıstorıa das Ideıas Polıtıcas. Nem todos os que ıdealızam algo sao necessarıamente os melhores na sua ımplementacao.
Gosto · Responder · 4 · 19 h
Escreve uma resposta...


Nelo Cuna Interessante.

Arao Elias Mauaie Aprendendo mais com os posts do Eusébio A. P. Gwembe... obrigado
Gosto · Responder · 1 · 17 h

Rodrigo Carlos Guedes Conheci o Dr. Kamati em 1976, em Portugal, infelizmente nessa altura encontrava-se doente, foi convidado para encabeçar a chefia da Renamo no mesmo ano, esteve comigo na antiga Rhodésia. Mais uma informação, talvez quem sabe, para um dia se poder contar a realidade da História de Moçambique após, e a partir do ano 1976. Com todo o respeito, que tenho pelos meus conterrâneos Moçambicanos, aqui vai o meu grito de guerra: A LUTA CONTINUA. Tenho em meu poder documentação que prova o que acabei de informar. Até breve
Gosto · Responder · 3 · 17 h

Elton Bila Interessante...

Bruno de Mello Kamati Fundation "Prostibulo "😂😂😂😂

Rodrigo Carlos Guedes Um dos documentos está impresso no livro que editei e que foi muito badalado, pelas forças da reacção, não esquecendo a opinião, do sr. Sérgio Vieira no Jornal O Domingo, escrevendo sobre minha pessoa. A luta continua
Gosto · Responder · 6 · 17 h

Matin Sabin Como é que Matsanga é preferido a Kamati, ja que fora convidado a liderar a Renamo?

Rodrigo Carlos Guedes Nessa altura o comandante André não se encontrava no acampamento do Udzi na Rhodésia, vem mais tarde. Espero que esta informação o venha a satisfazer.

Rodrigo Carlos Guedes Na formação da Resistência Nacional Moçambicana, necessitava-se de um líder e foi nessa altura que alguém falou no Dr. Kamati, o comandante André não se encontra no acampamento, onde se iniciou a formação militar dos resistentes.
Escreve uma resposta...


Juma Aiuba A história da RENAMO é muito mais confusa e intrigante do que a da FRELIMO.

Eusébio A. P. Gwembe Nao é a questao, Juma Aiuba. Esta dispersa e pode ser que venha a ser reunida, quem sabe. Ela tem varios protagonistas :)
Gosto · Responder · 5 · 16 h

Juma Aiuba Na verdade, a história da RENAMO nunca foi estudada e divulgada seriamente. É preciso trazer a história despida de propagandas.
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Edson Gimo Luis Até que o leão aprenda a escrever, toda a história gloficará o caçador. Provérbio Africano.

Escreve uma resposta...




Wilson Profirio Nicaquela Assim vamos analisando com memórias singulares e colectivas, no fim do debate tudo como antes. He.he.he.

Eusébio A. P. Gwembe Nunca se regressa ao antes, Wilson Profirio Nicaquela. Mesmo aqueles que estao com sıntoma de resıstencıa acabam fıcando modıfıcados. Uma mını revolucao ınterna começa com a duvıda. Cıencıa nao e acto de fe
Gosto · Responder · 1 · 16 h

Wilson Profirio Nicaquela De facto. Mas há que evocares aquele seu comentário no Post do prof E. Macamo para ir removendo "arrestas" e chamar sempre essa duvida metódica à nos que apenas usamos seu espaço para manifestar a nossa emoção ou indignação eterna e preconceituosa. Espero não ter exagerado.
Escreve uma resposta...


Rodrigo Carlos Guedes Concordo consigo, pelos vistos há para aí muito menino que julga que sabe de tudo. Isto nada tem a haver com memórias singulares ou colectivas, tem haver com a realidade que muita gente não entende e não quer saber. Não irei entrar em debate, respeito todas as opiniões. Fiquem bem, até mais
Gosto · Responder · 8 · 16 h


Gosto · Responder · 1 · 16 h
Escreve uma resposta...


Eusébio A. P. Gwembe Obrigado pelo seu contributo, Rodrigo.
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Francisco Wache Wache Uma contribuiçao bem forte esta de Rodrigo Carlos Guedes que fortifica a hipotese de que nao foi matsanga o fundador dos resiatentes

Costa Manhiça Historia interessante

Ali Alberto Vahaly Moçambique corre se o risco de outra guerra pela defesa de história. Há muita coisa fascinante ainda para contar.

Joao Cabrita As declarações de Kamati, de que "regressou a Moçambique e, daqui seguiu para a Rodésia tendo-se juntado ao primeiro núcleo que deu origem a RENAMO, por ele anunciada em 28 de Julho de 1977", e que "Foi Vice de André Matsangaisa" merecem um reparo, Eusébio A. P. Gwembe. Kamati esteve na Rodésia, mas ido de Portugal; nunca se reuniu com Matsangaíce e o cargo de vice (presidente ou comandante) nunca existiu; e a Renamo já existia desde Novembro de 1976.

Eusébio A. P. Gwembe Compreendido, Joao Cabrita. Ficou esclarecido por Rodrigo. Afinal, Kamati fora apontado para ocupar o lugar que veio a ser ocupado por Andre.
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Joao Cabrita Eusébio A. P. Gwembe, o que é que ficou esclarecido ?

Eusébio A. P. Gwembe Joao Cabrita que saiu de Tuga para Rodesia e nao o contrario

Joao Cabrita Eusébio A. P. Gwembe, e as outras questões ? É preciso cautela e não tomar a sério as declarações de um suposto 'Dr'. (conheço quem lhe passou canudo... e o local também) Não se podem ignorar datas que contrariam as atoardas de Kamati.
Gosto · Responder · 3 · 12 h

Eusébio A. P. Gwembe O resto que colocas compreendı, ınclusıve ja sabıa sobre o suposto Drto Joao Cabrita, nao quis atacar o homem, apenas trazer suas ıdeıas sobre a descentralızacao. Senao me exıgem para exıbır as fontes... preferı deıxar essas aı

Escreve uma resposta...




Milton Machel Lyndo A. Mondlane e Eusébio A. P. Gwembe , o Machel de que falam é meu pai, Mário Machel

Lyndo A. Mondlane Ah sim????? Como esta ele???

Eusébio A. P. Gwembe Milton Machel, nunca me passou pela cabeça que fosse filho do candıdato, mas o assocıava a vitima da vıolencia. Se os Machel fossem como os Gwembe seria facil concluır que faz parte do cla. E que para nos, esteja onde estıver basta ser Gwembe e nao Gwambe (os renegados) ja podemos descansar. Feliz voce que teve um rebento de hıstorıa em casa, oxala que seja como Francisco Campira, que segue os passos do paı... abraço
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Lyndo A. Mondlane Más renegado ppr adelino ou historicamente????

Lyndo A. Mondlane Hummmmm...isso pensé, so q como Eusébio A. P. Gwembe sempre fala em código morse, nao entendia si se refería ao renegado politico ou aos renegados históricos... Ha q leer 2 vezes ou mais ao Eusébio..kikiki

Eusébio A. P. Gwembe Hıstorıcamente, aquando da mıgracao que conduzıu o meu cla a conquıstar um terrıtorıo que hoje e um dıstrıto na Zambıa, Gwembe District, Lyndo A. Mondlane. Um dıa heı de contar
Gosto · Responder · 3 · 12 h

Lyndo A. Mondlane Escreva amigo...
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Escreve uma resposta...




Milton Machel Lyndo A. Mondlane depois de muitos desafios, projetos e reveses mantém-se firme em suas ideias mas abandonou os sonhos políticos. Tem escrito obras ainda não publicadas sobre relações internacionais, diplomacia, democracia e lideranças. Tem uma pequena empresa de consultoria na sua área de formação: Técnicas e práticas de comércio internacional, inglês técnico para comércio e coisas do género. Chegou a tentar criar um Partido PSD (Social Democrata) e o Máximo Dias tentou convencê-lo a juntar-se ao Monamo/PMSD já que pregariam o mesmo "evangelho ideológico": A social democracia.
Gosto · Responder · 2 · 12 h

Lyndo A. Mondlane Se tivesse tido assessoria em marketing político, é num país diferente a mz, teria ido muito longe, era um dos mais serios daqueles 11... Felicita lhe...
Gosto · Responder · 2 · 12 h

Escreve uma resposta...




Milton Machel Eusébio A. P. Gwembe, leia a MINHA CARTA PÓS-ELEITORAL A FRELIMO

Milton Machel Do Máximo Dias ainda me lembro daquela do Candidato Didático
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Lyndo A. Mondlane So q todos estavam contra 2 monstros, frelimo e renamo q nem necessitavam campanha...

Eusébio A. P. Gwembe Mas fizeram a campanha. Lembro-me de Chıssano numa blalaıka em Lıfıdzı e do Djaka de oculos em Domwe. Machel e Sibindy mesmo sem terem ido tiveram votos consideraveis. No fınal da votacao era so: eu voteı naquele fılho de machel, eu voteı naquela mulher.... outros tempos, Lyndo A. Mondlane
Gosto · Responder · 2 · 11 h

Lyndo A. Mondlane Na minha aldeia veio a rensmo, sem nemhuma hipótesis claro com a ideia de q uma Cruz na foto de dlakhama é na renamo era a forma de castigar esta pelos seus actos macabros..kikikiki...alguns cairam

Escreve uma resposta...





Milton Machel Mas, Egidio Canuma Kamati Mahose Andrea é diverso de Nkamate

Imtiaz Vala Muita parra e pouca uva!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook