quinta-feira, 16 de março de 2017

Jornalistas da TIM que estavam detidos já foram soltos

 
Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora
Jornalistas da TIM detidos na primeira esquadra por exigirem seus salários (#canalmoz)
Maputo (Canalmoz) - Os trabalhadores da Televisão Independente de Moçambique (TIM), entre eles jornalistas que há nove meses não recebem os seus salários estão agora detidos na primeira esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) na cidade de Maputo. São eles: Anilda Manjate, Reinaldo Júlio, Mussagy Ranchande, Mugare Gabriel e Cristôvão Fanheiro.
Há mais de oito meses que a direcção da empresa vem prometendo pagar os salários, mas quando chega o dia combinado há sempre uma nova estória. Esta manhã quando os trabalhadores abordaram um dos gestores da empresa, Alfredo Júnior, este mandou chamar a polícia e acabaram todos recolhidos para primeira esquadra onde estão desde às treze horas.
Os gestores da TIM foram colocados numa operação feita por Celso Correia proprietário da televisão, que estrategicamente se afastou da estação que estava a afundar em dívidas e com custos de imagem. Não havendo solução nos salários os trabalhadores deixaram de dialogar com os tais gestores e passaram a dialogar directamente com Celso Correia, que havia prometido pagar os salários no dia 06 de Março. Só que até hoje Celso Correia não pagou e no lugar de dinheiro os trabalhadores foram recolhidos pela polícia. Na primeira esquadra, Paulo Chimene, porta-voz dos trabalhadores disse ao "CanalMoz" que tudo não passa de uma tentativa de intimidar os trabalhadores para desistirem de exigir os seus direitos. Mas prometem luta até ao fim. (Redacção)

GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Mozambique Nampula Nacala
Mozambique Nampula Nacala Estão a beber do seu próprio veneno, pois tempo de antena durante a campanha eleitoral, davam 90min para frelimo e seu candidato, 5min para a renamo e seu candidato e 1min para MDM e o resto dos partidos...
Gosto · Responder · 11 · 15 h
Luiz Pereira
Luiz Pereira 9 meses sem salário e todos dias a mulher a perguntar "marido" ja tens dinheiro?!!!! sinto muito por esses funcionários... e onde esta o mitrab?
Gosto · Responder · 9 · 15 h
James Alberto James Alberto
James Alberto James Alberto mas este canal de TV porque que não se fecha mesmo?? Sabe oque é 8 meses sem salário para um pai de família??? Vida não tá fácil!!!! E por cima meteram na sela!!! 😭😭😭 triste para a esposa e os filhos!!!
Gosto · Responder · 1 · 14 h
José Puchar Puchar
José Puchar Puchar Aonde está a dignidade humana? Numa urbe, como uma pessoa pode sobreviver sem o seu mísero salário? E acima de tudo, o proprietário é um governante, e a ética onde fica, para este governante?
Gosto · Responder · 9 h · Editado
Amad Ravia
Amad Ravia O assunto do salário é sério, os donos dessa TV devem pagar salário a qualquer custo a esses funcionários. 
Mas aqui sobre a prisão de jornalistas algo não está bem explicado, não é normal que numa simples cobrança de salário seja acionado a polícia e preso os jornalistas. Alguma coisa aconteceu que obrigou a polícia a prender eles, se é que isso tenha acontecido.
Gosto · Responder · 1 · 10 h · Editado
Fausto Quinhas
Fausto Quinhas Nem dinheiro temmm... Ainda vao prender... Yaaaa por de traz dessa empresa tem um barrao... Pk se fosse monhe ou chines...estariam presos
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Anastancio Campos Dinis Dinis
Anastancio Campos Dinis Dinis Fazer o quê uma vez o país é dele? Exijir o que é teu da direito a cadeia. Onde vamos meu senhores pra onde? Deus poe a conciencia na cabeça desses homem.
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Arnaldo Soares Mendes
Arnaldo Soares Mendes Salário é sagrado, trabalhadores da TIM, continuem exigindo o vosso salário
Gosto · Responder · 1 · 2 h
Nelon Jorge Mabjeca
Nelon Jorge Mabjeca A nossa polícia também aceitou fazer isso então os agentes devem serem recolhidos assim esses sairem PK tem razão total e completa
Orlando Langa
Orlando Langa Eu acredito com trump! Quando diz que a África precisa de ser recolonizado porque os dirigentes não sabe tratar o seu povo
Gosto · Responder · 1 · 12 h
Joao Joaquim Joao
Joao Joaquim Joao Pobreza do pais de tseke, e a falencia da divida guebuziana. Aumento o dolar e desvalirizou o metial comi cobsequencia reduziu a meada naciinal, que os empresarios nao conseguem pagar os salarios.
Gosto · Responder · 15 h
Mazambane Said
Mazambane Said Mas o chefe Celso ganhou a pouco 54 milhoes de meticais do INSS, nao pode pagar mesmo? Nossas esposas assim que estao presas, quem vai cuidar dos meninos essa noite nas nossas casa?
Gosto · Responder · 14 h
Dinho Da Rocha
Dinho Da Rocha Cadeia por motivos de coprar divida? Nunca ouvi ai tem coisa esses trabalhadores vieram munidos de uke para merecerem tudo isto?
Gosto · Responder · 15 h
Isaias Miguel Mpanguiua
Isaias Miguel Mpanguiua Estória né? Mas essa estória como mesmo? O feitiço virou contra o feiticeiro...
Gosto · Responder · 15 h
Antonio Carlos
Antonio Carlos Os trabalhadores têm de compreender que o país está em crise. Muita calma
Gosto · Responder · 13 h
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni Estes País está entregue em mãos de bandidos. Um dos gestores é candidato a Federação de Boxe, que trapalhada.
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Silva Paulino
Silva Paulino Se é verdade Mozambique nao sabe resolvere os problemas só estao copiar nos paises socialistas andar o primire as pessoas. Nós nao somos os Türkei.
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Amel Assane Armando
Amel Assane Armando Me parece que todos fomos amaldiçoados e fizemos coisas sem pensar em Deus. Afinal onde vamos com essas coisas?
Gosto · Responder · 11 h
Nelson Badaga Badaga
Nelson Badaga Badaga Esta atitude dos gestores só revela a incapacidade para resolver os problemas na base do dialogo.
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Genito Alexandre Cossa
Genito Alexandre Cossa O pais virou mercado negro....exigindo seus direitos são postos na esquadra.....triste...pais do padza.
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Custódio Kustafx Nhachigule
Custódio Kustafx Nhachigule Tpm também ameaçam paralisar os servicos
Gosto · Responder · 1 · 14 h · Editado
Bost Mangane
Bost Mangane bem vindos ao mundo da mafia.
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Marques Soares
Marques Soares Triste essa história.
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Nuno Az
Nuno Az História*
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Enginheiro Barrote
Enginheiro Barrote Coisas que sò acontecem em Moçambique.
Celso Raul Carlos TwoCr
Gosto · Responder · 15 h
Joaquim Elias Elias Dramusse
Joaquim Elias Elias Dramusse Xta mal naõ pod exigir direito del pork ele faz part do partido do poder
Gosto · Responder · 1 · 14 h
Soares Alafo
Soares Alafo Isso e q s chama mocambique na realidad
Gosto · Responder · 14 h
Isac Ramos
Isac Ramos É no mínimo revoltante grrrrrrriiii
Gosto · Responder · 12 h
Sergio Jamal
Sergio Jamal Chocante ok
Gosto · Responder · 14 h
Jaime Paulino
Jaime Paulino Assim vai indo o meu pais
Gosto · Responder · 14 h
Lucrencia Joao Joao
Lucrencia Joao Joao Coisas de vergonha.
Gosto · Responder · 13 h
Miguel Assani Assani
Miguel Assani Assani Dialogo e seriedade
Gosto · Responder · 13 h
Albino Maluzane Malate
Albino Maluzane Malate K tamanha vergonha e maldade.
Gosto · Responder · 14 h
Victor Primeiro
Victor Primeiro Lamentável
Gosto · Responder · 14 h
Sayusse Sayusse
Sayusse Sayusse Que vergonha
Gosto · Responder · 2 h
Joao Zacarias
Joao Zacarias lamentável
Gosto · Responder · 2 h
Lourenço Matsinhe
Lourenço Matsinhe Muito triste,so e possivel em mocambique mesmo.
Gosto · Responder · 13 h
Isac Manhique
Isac Manhique Ese ministro devia ter vergonha na cara
Gosto · Responder · 1 h
O Tal Matchay Machai
O Tal Matchay Machai História ,assim que é
Gosto · Responder · 13 h
Isaias Nyamunda
Isaias Nyamunda no lugar de dinheiro os trabalhadores foram recolhidos pela polícia. Na primeira esquadra,
Gosto · Responder · 13 h
Trueman Valent Junior
Trueman Valent Junior ISSO É normal mas so ém (MOÇAMBIQUE)
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Linette Olofsson
Gosto · Responder · 14 h
Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora*
Jornalistas da TIM que estavam detidos já foram soltos
Maputo (CanalMoz) - Os jornalistas da TIM que estavam detidos na primeira esquadra desde as 13 horas desta quarta-feira, por exigirem os seus salários atrasados há nove meses, acabam de ser soltos. Paulo Chimene, porta-voz dos trabalhadores acaba de confirmar a informação ao Canalmoz. Mais detalhes na versão em PDF do diário CanalMoz, amanhã. (Redacção)

GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Henriques Do Rosario Dirau
Henriques Do Rosario Dirau irmao Daner,despedir algum pessoal eu acho que não é consessual,coerente,sou de opinião que primasem pela contenção de custos,hosteridades e nao dispedir o pessoal queres que disfrutem da nova lei do trabalho tipo um ano um salario
Vasco Henrique
Vasco Henrique Roubo armado à luz do dia, testemunhado pela Polícia que, para saber detalhes, prende os roubados e não os ladrões.
Gosto · Responder · 3 · 11 h
Amad Ravia
Amad Ravia O assunto do salário é sério, os donos dessa TV devem pagar salário a qualquer custo a esses funcionários. 
Mas aqui sobre a prisão de jornalistas algo não está bem explicado, não é normal que numa simples cobrança de salário seja acionado a polícia e preso os jornalistas. Alguma coisa aconteceu que obrigou a polícia a prender eles, se é que isso tenha acontecido.
Gosto · Responder · 1 · 9 h
Albertino Corrente
Albertino Corrente As midias tinha k ser exemplos pra o povo, isso é vergonhoso.so podia ser aki no país dos camaradas de Nachingueia,
Aristoteles Zacarias Buramuge
Aristoteles Zacarias Buramuge uma greve com simblate repleto de alegria ate parece brincadeira levem a coisa serio parece uma festa
Gosto · Responder · 1 h
Amel Assane Armando
Amel Assane Armando A grande tristeza são as crianças inocentes. Apesar de estarem na cella já há alívio pela liberdade
Gosto · Responder · 11 h
Daner Despachanteaduaneiro
Daner Despachanteaduaneiro Crises acontecem, o mais importante é encontrar um meio termo para que tudo termine bem. Acredito que a empresa ja nao produzia o suficiente para suprir os custos fixos, assim sendo sou de opinião que encontre novos parceiros e restruture profunamente a empresa mesmo que para tal tenha de despedir algum pessoal mas antes deve pagar todos meses em atraso e pode ser parcialmente dependendo da disponibilidade.
Gosto · Responder · 5 h
Mazambane Said
Mazambane Said Nao ha liberdade de expressao em moz
Gosto · Responder · 2 · 13 h
Anastancio Campos Dinis Dinis
Anastancio Campos Dinis Dinis Esses país tem dono. Queres ser dono de moz? É so ter uma empresa e ser da frel. E acabou.
Gosto · Responder · 1 · 4 h
Issufo Chona
Issufo Chona Onde anda mitrab?
Gosto · Responder · 13 h
Samuel Albano Albano
Samuel Albano Albano Mano mitrab está,no gabinete pessoa que trabalhou exigir sua remuneração é crime em Moz?
Gosto · Responder · 13 h
Issufo Chona
Issufo Chona No gabinete comer mola...
Gosto · Responder · 12 h
Isac Ramos
Gosto · Responder · 12 h
Elton Dagraca
Elton Dagraca Ja nao ha outra alternativa??

Marcelo Mosse
16 h · 
Bom...tem o ângulo do jornalismo e dos seus princípios básicos...hoje rasgados levianamente...não, não é grotescamente...o contraditório que se lixe...como no jornalixo das redes socias...mas no caso do Celso Correia, o Canal tem no como alvo privilegiado de seu escrutínio, só que a obsessão tende a derrotar o rigor...
Depois há tambem a hipótese contra ataque dos atingidos pela Tronco...e igualmente a marcha espinhosa até o Congresso da Frelimo. A luta pelo poder é ferrenha nestas gerações de causas dúbias e Celso anda na berlinda. Contexto suficiente para o jornalismo estar de olhos bem abertos. Sobre as Inter Autos bastava um estagiário consultar a base de dados da Pandora Box....mas a obsessão manda...se soubessem quem é que está por detrás da Inter Auto da Ford, teriam melhor "cacha" e...capa.

GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Féling Capela
Féling Capela Estou farto dos nossos MERCENÁRIOS na nossa comunição social !!! Estão destruir o pouco que nos resta como país!!!
Gosto · Responder · 3 · 16 h · Editado
Féling Capela
Féling Capela Egido, vai carregar o celular. risos...
Gosto · Responder · 1 · 16 h
Spirou Maltese
Spirou Maltese Yuu kkkk
Gosto · Responder · 15 h
Jasmin Rodrigues
Jasmin Rodrigues A pressa foi tanta em querer esclarecer.....kkkk
Gosto · Responder · 13 h
Leandro Paul
Leandro Paul Nesta reportagem houve, de facto, muita precipitação para que a capa fosse aquela. Aliás acredito que a capa e o conteúdo já estivessem prontos, quando a INSS foi contactado, faltando uma hora e meia para o fecho da edição (às 10.30h para o fecho às 12.00h). Neste tempo recorde, a resposta foi dada e como esta contrariava o conteúdo da notícia já preparada, preferiram ignorá-la, sob pretexto de ser fora de prazo (estamos falar de um minuto de atraso... após a hora combinada). Resultado: está a agora o INSS a publicar nas redes sociais, no facebook, em jornais diários e semanários a verdade dos factos. Era escusado este exercício precipitado de escamotear a verdade. Quem fica a perder é a credibilidade do Canal de Moçambique em particular e a Imprensa moçambicana no geral.
Gosto · Responder · 12 · 16 h
Lenon Arnaldo
Lenon Arnaldo Perde credibilidade quem o tem - o que não é caso do Canal de Moçambique.
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Spirou Maltese
Spirou Maltese Kkkkkkk Ilustre não é a morte duma andorinha que vai "matar o inverno"
Gosto · Responder · 3 · 15 h
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Primavera
Gosto · Responder · 12 h
Jose Eduardo
Jose Eduardo Matar o inverno com aspas prova que o autor nao está dispistado. Humor mesmo em casos destes precisa-se.
Gosto · Responder · 9 h
Luís Loforte
Luís Loforte Antes de publicar a notícia, o que custava ao "Canal" dirigir-se à INSITEC para que esta pudesse exercer o consagrado direito ao contraditório? E isto deixa-me triste porque, tanto quanto eu saiba, o editor do semanário é de uma boa escola do nosso jornalismo. Ou agora é o vale tudo para abater quem quer que apareça pela frente?
Gosto · Responder · 7 · 16 h · Editado
Júlio Mutisse
Júlio Mutisse O Hermes dá uma boa base de dados sobre as empresas e seus donos. Sendo uma LIMITADA então é mais fácil
Gosto · Responder · 4 h
Luís Loforte
Luís Loforte É exactamente isso, Leandro Paul: perdem os jornalistas, mas ganham os que, verdadeiramente, delapidam o erário público!
Gosto · Responder · 4 · 16 h · Editado
Leandro Paul
Leandro Paul Comunicado do INSS: 
O semanário “Canal de Moçambique” publicou na sua edição de 15 de Março de 2017 (nº868), na capa e nas páginas 2 e 4, uma extensa reportagem a respeito da aquisição de 21 viaturas, por parte do INSS (Instituto Nacional de Segurança
 Social), sobre a qual importa dar a conhecer a verdadeira versão dos factos:
1. Em Setembro de 2016, em conformidade com o Plano e Orçamento do INSS, esta instituição decidiu adquirir viaturas 4x4 para alocar aos Serviços de Cobrança de Dívida ao nível das províncias, para além de viaturas ligeiras para os diversos níveis de direcção para afectação nos termos do Decreto n.º 17/2014, de 6 de Maio.
2. Nesta sequência, o INSS procedeu ao “procurement” junto aos fornecedores, entre os quais os representantes da Toyota e Ford, com existência legal no País e que fossem capazes de garantir a manutenção e assistência técnica ao nível das províncias para onde as viaturas seriam alocadas.
3. A Toyota, no dia 2 de Outubro de 2016, informou ao INSS que não tinha disponível as viaturas solicitadas e que não tinham nenhuma previsão da sua entrega.
4. Nesta conformidade, e por via do concurso nº 048/INSS/2016, foi adjudicado, por ajuste directo, e com fundamento na alínea a) do Art. 94, do Decreto 5/2016, de 8 de Março (Regulamento de Contratação de Empreitada de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação de Serviços ao Estado) ao fornecedor representante da Ford, a “Inter Auto”.
5. Para o INSS, a “Inter Auto” apresentou todos os documentos de qualificação jurídica e técnica para participar em concursos públicos, para fornecimento de bens e prestação de serviços ao Estado, nada se tendo constatado que obstasse à adjudicação a esta empresa.
6. O anúncio desta adjudicação foi divulgado, no jornal “Notícias” no dia 7 de Dezembro de 2016, não tendo havido qualquer reclamação nos prazos legais.
7. O visto do Tribunal Administrativo foi aposto no dia 29 de Dezembro de 2016, e o respectivo processo teve o número 2016/4682/Contrato.
8. O valor da adjudicação foi pago igualmente ao fornecedor depois do visto do Tribunal Administrativo.
9. Nesta conformidade, o processo observou todas as formalidades de “procurement”.
10. Assim sendo, não constitui verdade o teor da reportagem do “Canal de Moçambique”, devido ao facto de este semanário ter omitido informações importantes desta aquisição, pelo que o INSS se vê na obrigação de esclarecer a verdade dos factos ao público e, em especial, aos Contribuintes e Beneficiários do Sistema de Segurança Social.
Gosto · Responder · 5 · 15 h
Rafael Ricardo Dias Machalela
Rafael Ricardo Dias Machalela Foram apenas atrás da Ford e Toyota? E o Mazda? Mitsubishi? Isuzu? VW (AMAROK)?
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Leandro Paul
Leandro Paul Caro Rafael Ricardo Dias Machalela leia bem o comunicado (ponto 2).
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Jorge Matine
Jorge Matine Este comunicado tem muitos furos.
Leandro Paul
Leandro Paul O que dizer furos?
Jorge Matine
Jorge Matine Tem muita inconsistência.
Leandro Paul
Leandro Paul Obrigado Jorge Matine. Podes dar uma proposta sobre como farias tu o comunicado, para haver consistência?
Gomes Foloma
Gomes Foloma Achei interessante o comunicado de imprensa, por favor Leandro Paul podes postar as evidencias (copia do anuncio no jornal noticias...) para silenciar os que ainda tem duvida da verdade?
Leandro Paul
Leandro Paul Concerteza Gomes Foloma:

A verdade dos factos sobre a aquisição de viaturas pelo INSS


O semanário “Canal de Moçambique” publicou na sua edição de 15 de Março de 2017 (nº868), na capa e nas páginas 2 e 4, uma extensa reportagem a respeito da aquisição de 21 viaturas, por parte do INSS (Instituto Nacional de Segurança Social), sobre a qual importa dar a conhecer a verdadeira versão dos factos:
1. Em Setembro de 2016, em conformidade com o Plano e Orçamento do INSS, esta instituição decidiu adquirir viaturas 4x4 para alocar aos Serviços de Cobrança de Dívida ao nível das províncias, para além de viaturas ligeiras para os diversos níveis de direcção para afectação nos termos do Decreto n.º 17/2014, de 6 de Maio.
2. Nesta sequência, o INSS procedeu ao “procurement” junto aos fornecedores, entre os quais os representantes da Toyota e Ford, com existência legal no País e que fossem capazes de garantir a manutenção e assistência técnica ao nível das províncias para onde as viaturas seriam alocadas.
3. A Toyota, no dia 2 de Outubro de 2016, informou ao INSS que não tinha disponível as viaturas solicitadas e que não tinham nenhuma previsão da sua entrega.
4. Nesta conformidade, e por via do concurso nº 048/INSS/2016, foi adjudicado, por ajuste directo, e com fundamento na alínea a) do Art. 94, do Decreto 5/2016, de 8 de Março (Regulamento de Contratação de Empreitada de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação de Serviços ao Estado) ao fornecedor representante da Ford, a “Inter Auto”.
5. Para o INSS, a “Inter Auto” apresentou todos os documentos de qualificação jurídica e técnica para participar em concursos públicos, para fornecimento de bens e prestação de serviços ao Estado, nada se tendo constatado que obstasse à adjudicação a esta empresa.
6. O anúncio desta adjudicação foi divulgado, no jornal “Notícias” no dia 7 de Dezembro de 2016, não tendo havido qualquer reclamação nos prazos legais.
7. O visto do Tribunal Administrativo foi aposto no dia 29 de Dezembro de 2016, e o respectivo processo teve o número 2016/4682/Contrato.
8. O valor da adjudicação foi pago igualmente ao fornecedor depois do visto do Tribunal Administrativo.
9. Nesta conformidade, o processo observou todas as formalidades de “procurement”.
10. Assim sendo, não constitui verdade o teor da reportagem do “Canal de Moçambique”, devido ao facto de este semanário ter omitido informações importantes desta aquisição, pelo que o INSS se vê na obrigação de esclarecer a verdade dos factos ao público e, em especial, aos Contribuintes e Beneficiários do Sistema de Segurança Social.
Jorge Matine
Jorge Matine Leandro Paul isso não vou fazer, gente que ganhou dinheiro dando assessoria juridica e comunicacional, não sou eu que vou fazer isso para interesse privado e não publico.
Gosto · Responder · 1 · 26 min · Editado
Leandro Paul
Leandro Paul Concordo. Eu no teu lugar também não faria. Então estamos falados sobre este assunto.
Gosto · Responder · 1 · 17 min
Gomes Foloma
Gomes Foloma Leandro Paul aconselhe as pessoas para lerem o jornal noticias de hoje, pagina 8, tem esclarecimentos e provas do que defendes
Leandro Paul
Leandro Paul O que está no Noticias, O País e noutros jornais é esse comunicado que está aí acima.
Gomes Foloma
Gomes Foloma Pelomenos tem copias das provas dos factos
Gosto · Responder · 8 min
Leandro Paul
Leandro Paul É verdade. No jornal Noticias e no País estão lá as cópias dos Visto do Tribunal Administrativo e do anúncio publicado no Noticias nessa altura à qual ninguém contestou nos prazos legais. Por isso, não faz sentido se afirmar que não se procedeu às formalidades do "procurement".
Gosto · Responder · 5 min
Gomes Foloma
Gosto · Responder · 1 · 4 min
Jose Cossa
Jose Cossa Tazaver ne! ainda bem
Gosto · Responder · 1 · 15 h
Adelino Branquinho
Adelino Branquinho O que leio e vejo, fico a pensar, se nao existira uma forma oculta de fazer jornalismo. Sim! porque passa-se alguma coisa com alguem, ou alguma instituicao, os mideas, sabem que existe um resquicio, mas nao sabem as suas proveniencias, e dai, pumba! por isso, penso: Nao sera uma tecnica de fazer alguem tornar publico, a origem do fumo? ou seja; da verdade dos factos ao publico.
Gosto · Responder · 3 · 15 h
Luís Loforte
Luís Loforte Ao menos que seja um fumo que nos leve à fonte do ...fogo!
Gosto · Responder · 14 h
Lenon Arnaldo
Lenon Arnaldo Canalha de Moçambique. Não entendo qual é a relação entre Canalha de Moçambique, CIP e Jornal a Verdade. Porquê:

A falsa notícia (furo jornalístico) foi lançado nas redes sociais por um colaborador do CIP 6 feira, prometendo mais desenvolvimento breve
mente. Por sinal, foi na edição de hoje do Canalha de Moçambique. Coincidência nem

Não é primeira vez que vejo esse triângulo a funcionar "bem". Quem está ao serviço de quem?
Gosto · Responder · 1 · 15 h · Editado
Sergio Baloi Sergio
Sergio Baloi Sergio Quem este colaboradore do cip?
Gosto · Responder · 13 h
Rafael Ricardo Dias Machalela
Rafael Ricardo Dias Machalela Qual é o interesse nisso? São instituições privadas que funcionam sem nenhum prejuízo ao público.
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Lenon Arnaldo
Lenon Arnaldo Bwakwakwakwakwa
Gosto · Responder · 1 h
Lenon Arnaldo
Lenon Arnaldo Com que então trocam correspondências até as "confidências"
Gosto · Responder · 1 h
Rafael Ricardo Dias Machalela
Rafael Ricardo Dias Machalela Lenon, isso é de interesse teu? Jura?
Gosto · Responder · 1 h
Sergio Baloi Sergio
Gosto · Responder · 1 h
Abdul Gafar Meque
Abdul Gafar Meque Já vi, nem sabia dessa de 54milhoes
Gosto · Responder · 1 · 12 h
Macandja Felix
Macandja Felix Interessante!!!
Gosto · Responder · 4 h
Shafee Sidat
Shafee Sidat Realmente ainda é o kuxakanema de um filme que se estreia em setembro, documentário esse cheio de encomendas jornalísticas e textos de WhatsApp , atentando contra a imagem e reputação de pessoas.
Pior ainda é que os produtores desses documentários não tem rosto, são pessoas covardes... se esquecem que Deus existe e fará justiça.
Gosto · Responder · 4 · 2 h · Editado
Chande Puna
Chande Puna E no final ninguem quer falar sobre a delapidacao do erario publico
Gosto · Responder · 3 · 2 h
Rafael Ricardo Dias Machalela
Rafael Ricardo Dias Machalela O mais importante.
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Chande Puna
Chande Puna Exactamente

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.