terça-feira, 21 de março de 2017

DISSONÂNCIA NAS ANÁLISES DO PROFESSOR CALTON CADEADO


Não é nosso hábito discutir pessoas, muito menos trazer à ribalta gafes que seres pensantes como nós cometem. Mas, quando há pessoas com uma capacidade de reflexão invejável a fazerem-se de loucos para confundir a opinião pública, o papo é outro. Este mini texto de opinião surgiu a partir do debate de tonalidades lançado no último domingo (19 -03) no mural do professor Chacate Thinker, que questionava a forma como Calton dirigia a sua crítica ao professor João Mosca, tendo o acusado de proferir uma ORAÇÃO DE SAPIÊNCIA COM PROBLEMAS SEMÂNTICOS E DESPROVIDO DE CONTEÚDO, na Universidade a Politécnica. 
Quando o assunto é Calton, é preciso recordar que não há um estudante atento que não sabe quem é este analista que dominou as análises da política doméstica ou internacional. Carinhosamente tratado por professor Calton, esta figura é exemplo dos poucos académicos moçambicanos que respeitam os parâmetros científicos na análise dos fenómenos políticos. 
 Em contrapartida, as analises deste académico confundem o público, sobretudo aos seus estudantes. 
EIS AS RAZÕES:
PRIMEIRO: Existem duas personalidades encarnadas numa única pessoa, nomeadamente: Um Calton professor, que ensina, com uma pujança científica e pedagógica invejáveis, a discutir e analisar os fenómenos sócio-políticos. Este mostra aos seus pupilos que uma análise nunca deve tomar partidos, muito menos abrir espaço para conotações danosas como: lambe bota, frentista, rentista etc. 
Alias, o Professor Calton mostra, em plenas aulas, que os moçambicanos são governados por gentes sem noção da política governamental. Este perfil pedagógico lembra-nos do pensamento socrático do século IV, quando o filósofo (Sócrates) apelava aos discípulos uma educação baseada na concepção aristocrática da areté, isto é, da virtude ou da excelência intelectual e moral, acessível somente aos que possuíam sangue divino. Portanto, com este método do ensino acreditamos que Calton forma estudantes com uma visão crítica necessária para a produção científica aceitável.
SEGUNDO: Paralelamente ao primeiro, existe um outro Calton amigo da imprensa estatal: Este é tido nos órgãos de comunicação social “Partidários” como um Deus que corrige todos os erros cometidos pela elite governamental. Esta figura faz o esforço de usar artimanhas científicas e não cientificas para defender um mal desnecessário e visível a olho nù. Devemos reconhecer que, sim senhor, esta figura consegue trabalhar um discurso parcial de modo a torna-lo imparcial para os menos esclarecidos. Portanto, pensamos que é possível associar a ele a um escorpião. Alias, a critica desnecessária que fez ao professor Mosca pelo facto de ter beliscado o governo do dia através do seu partido mexeu com o espírito do professor Calton enqauanto um ser dominado pela segunda personalidade que descrevemos acima. 
Trecho da oração de sapiência do professor Mosca: 
“Hoje, em Moçambique, não sei se existem universidades, públicas ou privadas, que não sejam alinhadas com o sistema político dominante. Há reitores não-membros da Frelimo? Quantos não-membros da Frelimo ocupam postos de directores de faculdade e de departamentos nas universidades públicas? Quantos proprietários/donos/sócios de universidades sabem o que é uma universidade e impõem aos reitores lógicas capitalistas como se fosse uma empresa de produção de um qualquer bem ou serviço? Sugiro-vos para que vejam patrão por patrão de universidade e concluam sobre o seu percurso académico, profissional, político e ético. Quantos docentes nas universidades públicas assumem posicionamentos críticos fundamentados? Realizam-se reuniões partidárias dentro das universidade com a presença de dirigentes universitários. E existem células do partido, neste caso da Frelimo. Sobretudo nas universidades públicas, os docentes são pressionados a serem membros da Frelimo. Isto é um abuso do poder, autoritarismo e espírito de todo poderoso. Isto é falta de vergonha misturada com despotismo”.(…).
RESPOSTA DO PRFESSOR CALTON CADEADO
Essa aula de sapiência, só tem nome. Vamos por partes. Primeiro, o texto tem problemas de escrita, por exemplo, de pontuação. Mas, esse problema é menor, pois poderia ter passado por um revisor. Segundo, o texto tem problemas graves de conteúdo. O conteúdo constitui uma descarga de ataques indirectos contra o governo/contra a FRELIMO e, em alguns casos, contra pessoas. Em vez de discutir ideias, pensamentos, o texto focaliza na destilação de raiva, de frustração. O texto é pobre em evidências, em exemplos, inclusive para sustentar a sua raiva. Eu não consigo encontrar nenhum valor acadêmico nesse texto que foi construído para ser uma aula de sapiência. Eu estou a pensar quantas pessoas vão procurar essa aula para citar nos seus trabalhos de pesquisa, amanhã! Hoje a tecnologia proporciona a facilidade de ver exemplos online. Podemos fazer um exercício comparativo com texto e com vídeos e vamos ver grandes aulas de sapiência, sobretudo quando são feitas por académicos/cientistas. 
Portanto, para mim, esse texto está muito longe de ser uma aula de sapiência. Esse texto estaria muito bem enquadrado num muro de lamentações e numa reunião política!

DISSONÂNCIA:
A dissonância cognitva é uma das áreas que tem sido aprofundada na psicologia e na comunicação. Alias, Leon Festinger define dissonância cognitiva como um estado mental causado pela inconsistência entre a acção e o pensamento. O psicólogo alemão Dieter Frey acrescenta ainda que a exposição selectiva é despertada pela forma como encaramos a informação dissonante como uma ameaça. Portanto, a quantidade de dissonância é também directamente proporcional ao esforço que o indivíduo investe no seu comportamento. As atitudes seguem o comportamento devido aos esforço a que nos submetemos numa determinada acção. Quando o professor Calton abandona os parâmetros científicos para criticar a sapiência do Cátedra João Mosca, usando o populismo, está no gozo da dissonância cognitiva.
Por outro lado, entendemos que este ensina uma coisa na sala de aulas e no terreno, neste caso, nas redes sociais e comunicação social, faz o contrário. Para nós, um académico deve estar comprometido com a verdade científica e não partidária. Pois, a ciência não se compadece com as ideologias. 
PS: Há muitos académicos que hoje encontram-se na mesma situação que o professor Calton. Não estamos a por em causa as escolhas profissionais de qualquer que seja mas sim a forma como estes posicionam-se em meios públicos. Portanto, a jornada não termina por aqui, iremos usar essas plataformas acessíveis a todas para denunciar qualquer irregularidade cognitiva.
Mostrar mais reações
Comentários
Edmu Joao Panguene Quen é que não sabe que os reitores das universidades públicas e privadas são menbros da frelimo??estamos cansados de academicos tais como o professor Calton Cadeado que gostam de vilependiar a ideia de grandes pensandores como o Professor João mosca,Nuno Castelo Branco e outros.
GostoResponder41 hEditado
Rose De Carpio Sousa Subscrevo a sua opiniao mano.
GostoResponder12 h
Mercio Cuambe Grande verdade. Parabéns...
GostoResponder22 h
Rose De Carpio Sousa Sem duvidas
GostoResponder2 h
Zeca Becane Felisberto Sibia Demoraste, mas percebeste. Ele nao e unico. Eu ate afasto de mim toda informacao por ele produzido por medo de me contaminar
GostoResponder32 h
Rose De Carpio Sousa Hheheheheheheh... Essa me matou. kkkkkk
GostoResponder12 h
Affonso Guerreiro Moçambicanos... Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
GostoResponder2 h
Aziza Throne Professor kkkkk
GostoResponder2 h
Rose De Carpio Sousa Dizem que e" professor.
GostoResponder2 h
Rose De Carpio Sousa Grande verdade Euclides Flavioo e Carlos Macuacua. Calton como academico, evaporou já faz um bom tempo, para nao dizer que deixou de existir. É triste assistir a forma como este dito académico tem defendido as ideias nos dias que correm. Para mim, o problema não é ele ser da Frelimo, Renamo ou Pimo, mas sim a forma como ele se dirige aos seus co-colegas nomeadamente: Castelo Branco, Joao Mosca e no passado já dirigiu-se mal diante de Cistac. Penso que faltavam pessoas com mínima coragem para dizer isto. Alias, Egidio Vaz no ano passado dirigiu-lhe uma carta a questionar essas dissonâncias dele. E” bom quando jovens que provavelmente tenham passado das mãos dele insugem-se contra ele para entender que não e” um prof eterno e muito menos exemplar. Parabens pelas verdades trazidas aqui rapazes.
GostoResponder52 h
Edmu Joao Panguene O problema deste individuo é que ele gosta de adular,bajular,escovar k ate acabo pensando que ele não é academico mas sim um puxa saco da frel
GostoResponder11 hEditado
Rose De Carpio Sousa Ate pode fazer o que bem entender da vida dele. Mas nao venha nos confundir aqui nas redes sociais nem nos midias convencionais. A mim me errita o nivel de bajuxao dele. Bajular ate ensultar? Isso e" terrivel pha.
GostoResponder11 h
Edmu Joao Panguene Ele não sabe que evuluimos muito no anbito de conhecimento ja não caímos na ladainha barata dele
GostoResponder1 h
Carmelo Pontes Sério ? Não é uma novidade bom.post
GostoResponder21 h
Constantino Joao Calton Cadeado é um comerciante de discursos/pronunciamentos. Ele não vende para qualquer um, vende para quem Poder político e económico. Ele já identificou o comprador dos seus discursos/pronunciamentos, a Frelimo. 
Calton Cadeado é um grande intelectual, só que peca por não ser íntegro e por vender o seu saber a um grupinho de gente que defende seus interesses particulares e, não os do povo que fingem servir.
GostoResponder1 h
Euclides Flavio Constantino Joao, queres me dizer que Calton Cadeado e" um sufista moderno? Ele vende conhecimento como se dum product se tratasse?
GostoResponder1 h
Constantino Joao É verdade. O pior é que mesmo sabendo que o produto que vende aos chefoes só serve para eles e não para o povo, quer que os demais aprovem, concordem e passem a consumi - lo. 
Eu não caiu nas lábias dele.
GostoResponder21 h
Atumane Muenhe Muenhe Se fosse o meu professor da faculdade aquele individuo desapareceria em aulas!

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.