quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Wikipedia e Google unem-se para desintoxicar a Internet de insultos

Wikipedia e Google unem-se para desintoxicar a Internet de insultos

Investigadores da Wikipédia e do Google querem criar um programa informático com inteligência artificial para moderar os comentários de grandes comunidades na Internet com a mesma subtileza que um ser humano.
Os investigadores querem criar um algoritmo com a mesma precisão de um ser humano
Foto
Os investigadores querem criar um algoritmo com a mesma precisão de um ser humano NUNO FERREIRA SANTOS
A Wikipédia e a Alphabet, a empresa-mãe do Google, uniram-se na missão de desintoxicar a Internet de comentários ofensivos. O objectivo é criar um programa informático, dotado de inteligência artificial, que consiga moderar grandes comunidades na Internet com a mesma subtileza e precisão que um ser humano.
“As pessoas falam cada vez mais através da Internet, logo os debates sobre temas importantes e difíceis estão também a acontecer online. Mas, em vez de discursos produtivos, a maioria das discussões online estão consumidos por ondas de comentários tóxicos e insultuosos,” justifica um dos investigadores do projecto, Nithum Thain, em declarações ao PÚBLICO. Thain faz parte da equipa do Google Jigsaw, uma empresa subsidiária da Alphabet que se encarrega de resolver problemas globais através de soluções tecnológicas. Segundo o investigador, a crescente toxicidade na Internet está por detrás do encerramento de fóruns, como aconteceu recentemente com os comentários no IMDb, uma base de dados de filmes e séries: "Queremos perceber o fenómeno e construir ferramentas que permitam inverter a situação". O IMDb justificou a medida com o facto de as pessoas usarem as redes sociais para comentar, e não os sistemas de cada site.
A primeira parte do projecto de investigação, chamado DeTox, foi divulgada nesta terça-feira: trata-se de uma lista de 13.500 comentários ofensivos, obtida através da análise manual de 115 mil mensagens publicadas nas páginas de discussão da Wikipédia, onde os editores do site devem discutir como melhorar os artigos e páginas publicados. Os dados estão a ser utilizados para treinar um programa informático a perceber no que consiste uma ofensa escrita na Internet. “Através da informação recolhida via crowdsourcing [através de voluntários], conseguimos desenvolver um algoritmo que consegue analisar cada novo comentário à medida que este entra nas páginas de conversa da Wikipedia para ver se este se trata de um ataque pessoal a outro utilizador,” explica Thain.
“Embaraçosamente pouco inteligente” e “pobre, miserável e solitário” são alguns dos exemplos na lista tornada pública que poderiam ser ignorados por um programa de moderação de comentários em uso actualmente. Segundo os investigadores, esses programas nem sempre conseguem distinguir as subtilezas que tornam um comentário ofensivo se este não incluir palavrões.
Apostar na criação de um processo automatizado que seja mais requintado é mais economicamente viável do que contratar grandes equipas de moderadores humanos. “Técnicas manuais para identificar linguagem abusiva tipicamente incluem anotar e analisar milhares de comentários, contudo grandes plataformas de discussão na Internet têm ordens de magnitude muito superiores,” explica a equipa da Wikipedia no relatório de apresentação do projecto.
Só na versão em inglês da Wikipédia, existem 63 milhões de páginas dedicadas ao debate da edição da enciclopédia livre. Os investigadores dizem que o algoritmo informático que criaram consegue fazer um trabalho minucioso equivalente ao de três moderadores humanos.
“Estamos muito interessados em estender a tecnologia que estamos a desenvolver a outras línguas, e estamos a procurar formas de reunir bases de dados adequadas para poder treinar o programa informático a operar noutros idiomas,” diz Thain.
Contudo, há também algum cepticismo sobre o projecto. De acordo com Ellery Wulczyn, uma das investigadoras da Fundação Wikimedia (a organização não-lucrativa por detrás da Wikipédia), os utilizadores na Internet podem reagir aos novos programas de moderação mais desenvolvidos ao editar a forma como utilizam linguagem abusiva e ofensiva de modo a evitar a detecção. 
Os resultados da investigação do projecto DeTox serão apresentados na 26ª conferência World Wide Web, que tem lugar em Perth, na Austrália entre os dias 3 e 7 de Abril.
Texto editado por João Pedro Pereira

Vítimas muçulmanas na maioria dos ataques esquecidos por Trump

Na lista de atentados partilhada pela Casa Branca foram esquecidas dezenas de ataques terroristas em países de maioria muçulmana e cujas vítimas eram cidadãos não-ocidentais.
A conselheira da Casa Branca Kellyanne Conway inventou um ataque terrorista no Kentucky, Trump alegou que os media não noticiam os atentados
Foto
A conselheira da Casa Branca Kellyanne Conway inventou um ataque terrorista no Kentucky, Trump alegou que os media não noticiam os atentados KEVIN LAMARQUE/REUTERS
No início desta semana, o Presidente dos Estados Unidos acusou a imprensa de ignorar os ataques terroristas, depois de a sua conselheira para a comunicação, Kellyanne Conway, ter inventado um ataque terrorista no Kentucky. Para sustentar essa acusação, a Casa Branca emitiu uma lista que inclui 78 ataques, entre Setembro de 2014 e Dezembro de 2016 (maioritariamente concretizados ou inspirados pelo Daesh) e que “não tiveram a atenção que mereciam”.
Numa primeira análise dos 78 ataques referenciados, uma pesquisa online pelas principais publicações norte-americanas é possível perceber que foram raros os casos em que não houve referência aos atentados.
Por outro lado, a lista partilhada pela Casa Branca centra-se nos ataques que atingiram vítimas ocidentais deixando excluídos, no mínimo, mais de quatro dezenas de atentados.
Dos 78 ataques listados entre Setembro de 2014 e Dezembro de 2016, 36 ocorreram entre Janeiro e Dezembro do último ano. Nesse período, houve pelo menos mais 42 ataques terroristas que não integram a lista da Casa Branca e que correspondem, dominantemente, a países de maioria muçulmana.
Contas feitas, na lista elaborada pelo PÚBLICO com base nos artigos publicados online entre Janeiro e Dezembro de 2016, existem mais ataques a países de maioria muçulmana do que a países ocidentais – e todos eles foram, igualmente, noticiados pela imprensa. 
À semelhança do que fizemos para a lista publicada pela Casa Branca, para além dos artigos do PÚBLICO (cujo link está acessível na localização do atentado), repetimos o exercício para alguns dos meios de comunicação norte-americanos de maior referência e com maior visibilidade: Washington Post, New York Times, Wall Street Journal, Fox ou CNN.
Outubro, 2015. Alvo: Pelo menos 95 mortos e 246 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Novembro, 2015. Alvo: 43 mortos e 239 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Janeiro, 2016. Alvo: Dois mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Janeiro, 2016
Notícias no Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Janeiro, 2016. Alvo: Pelo menos 27 mortos e cerca de 30 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Janeiro, 2016. Alvo: Pelo menos 30 mortos num campo universitário
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Fevereiro, 2016. Alvo: Pelo menos 20 mortos e nove feridos
Notícias no New York Times, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Fevereiro, 2016. Alvo: Cerca de uma dezena de mortos
Notícias no New York Times e Fox.
Fevereiro, 2016. Alvo: 28 mortos e 61 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
13 de Março, 2016. Alvo: 37 mortos
Março, 2016. Alvo: 32 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Fox e CNN.
Março, 2016. Alvo: Pelo menos 70 mortos e mais de 300 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Abril, 2016. Alvo: Apenas os dois atacantes morreram
Notícia no New York Times
Abril, 2016. Alvo: Pelo menos 64 mortos e 347 feridos 
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Maio, 2016. Alvo: Pelo menos três mortos e 14 feridos
Notícia The Guardian
Maio, 2016. Alvo: Um morto e três feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Maio, 2016. Alvo: 25 mortos e 60 feridos
Junho, 2016. Alvo; 11 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Junho, 2016. Alvo: Três mortos e mais de 50 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Junho, 2016. Alvo: Quatro mortos, seis feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Junho, 2016. Alvo: 43 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Junho, 2016. Alvo: 15 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: 20 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: Quatro mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: 290 mortos
Notícias no New York Times, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: 35 mortos e mais de 50 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post e Wall Street Journal.
Julho, 2016. Alvo: Nove mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: Um morto
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Julho, 2016. Alvo: 13 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal e CNN.
Agosto, 2016. Alvo: 51 mortos e 73 feridos
Notícia no New York Times
Agosto, 2016. Alvo: 70 mortos
Agosto, 2013. Alvo: 11 mortos
Notícias Wall Street Journal, Fox e CNN.
Setembro, 2016. Alvo: 12 mortos e 30 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Setembro, 2016. Alvo: 24 mortos e 91 feridos
Notícias no New York Times, Wall Street Journal e CNN.
Novembro, 2016. Alvo: 52 mortos
Notícias no New York Times e Wall Street Journal.
Novembro, 2016. Alvo: Oito mortos
Notícia na CNN.
Novembro, 2016. Alvo: 27 mortos
Notícias no New York Times, Wall Street Journal e CNN.
Dezembro, 2016. Alvo: 29 mortos e 166 feridos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Dezembro, 2016. Alvo: 25 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Dezembro, 2016. Alvo: 49 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal e CNN.
Dezembro, 2016. Alvo: 29 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal, Fox e CNN.
Dezembro, 2016. Alvo: 39 mortos
Notícias no New York Times, Washington Post, Wall Street Journal e Fox.
NOTA: Das contas do PÚBLICO foram excluídos os ataques em território sírio, tais como o que aconteceram em Fevereiro, Março ou Abril, uma vez que o país vive em guerra.

PRESIDENTE TRUMP

EUA. Tribunal mantém suspensão do decreto anti-imigração

8
O Tribunal de Recurso de São Francisco decidiu manter a suspensão do decreto anti-imigração de Donald Trump. O presidente já reagiu.
O Tribunal de Recurso de São Francisco decidiu, esta quinta-feira, manter a suspensão do decreto anti-imigração de Donald Trump. Os refugiados e os muçulmanos vão continuar a poder entrar na América.
“Por um lado, o público tem um poderoso interesse pela segurança nacional e pela habilidade do presidente eleito para promulgar políticas. E por outro, também está interessado na livre circulação, em evitar a separação de famílias, e na liberdade contra a discriminação. Não precisamos de caraterizar mais definitivamente o interesse público do que isto… O recurso é negado” escreveram os juízes, segundo a CNN.
O presidente dos Estados Unidos já reagiu à decisão, ameaçando: “Vemos-nos em tribunal, a segurança da nossa nação está em causa“.
Os três juízes responsáveis pela avaliação do recurso do presidente dos Estados Unidos foram adiando a decisão mostrando-se céticos em relação ao travel ban e questionando a Casa Branca acerca das medidas restritivas à imigração.
Donald Trump mostrou-se descontente e afirmou que era tudo “uma vergonha” e que o tribunal está politizado. “Seria ótimo para o nosso sistema de justiça se eles fossem capazes de ler a declaração e fazer o que está certo. Isto tem a ver com a segurança do nosso país”, frisou o presidente dos Estados Unidos.
O juiz escolhido por Trump para o Supremo Tribunal, Neil Gorsuch, classificou os sucessivos ataques do presidente ao poder judicial americano “desmoralizadores” e “abomináveis”.
A medida de Trump, adotada a 27 de janeiro, determinou a suspensão durante 120 dias do programa de acolhimento de refugiados e travou durante outros 90 dias a entrada e a emissão de vistos para cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irão e Iémen).



Maria Joao Varela
Boas notícias! A separação de poderes é essencial em qualquer democracia e parece estar de boa saúde nos EUA.
Gosto · Responder · 98 · 7 h
Ocultar 22 respostas


Xana Oliveira Sim, boas notícias mesmo. O que os Estados Unidos estavam a precisar era de mais muçulmanos. <3 Quanto mais gente convertida ao Islão no Ocidente, melhor. Aliás, todo o Ocidente precisa urgentemente de mais influência islâmica. Temos muitas coisas positivas a aprender com essas culturas. A começar pelas mulheres que deixarão de se vestir como galdérias.
Gosto · Responder · 11 · 7 h · Editado


Hugo Marecos Ora nem mais. Só falta dizer que se deve ter um ou mais em cada casa... nao percebo mesmo, ou não vem o que se passa ou são burros que dói. Fdx...
Gosto · Responder · 1 · 7 h · Editado


Maria Joao Varela Xana Oliveira , com respeito aos direitos das mulheres estamos bem servidas com Trump. Oh, yes!
Gosto · Responder · 12 · 7 h


Xana Oliveira Maria Joao Varela Não, ainda não. Só vamos estar quando estivermos de hijab na cabeça, ou até mesmo de niqab. Burka não que isso é já é muito extremo! Além de que nenhuma mulher gosta de se vestir como um ninja. Isso é coisa para os homens.
Gosto · Responder · 1 · 7 h · Editado


Maria Joao Varela Xana Oliveira , radicalismos são radicalismos cristãos ou muçulmanos. Vá lá trabalhar para Trump e vista-se " como as mulheres se devem vestir". Isso já lhe agrada?
Gosto · Responder · 11 · 7 h


Katya Marques não bebas mais água sanitária, ó xaninha 😞
Gosto · Responder · 5 · 7 h


Xana Oliveira Deixem-se de falsos moralismos e relativismos culturais. O Islão não se compara ao Cristianismo. O Islão é de longe a melhor religião para as mulheres e minorias. Se não concordam, é porque são xenófobas e ignorantes. As sociedades só têm a ganhar com mais Islão. !الله أكبر
Gosto · Responder · 4 · 6 h · Editado


Hélder Morais Xana Oliveira tu és o perfeito exemplo de que beleza não é sinônimo de inteligência
Gosto · Responder · 5 · 6 h


Mariana Duarte Que engraçado, Xana! Não pude deixar de reparar nas suas semelhanças com uma senhora chamada Fabiola Lara, dona deste site: http://www.casagirl.co/.../here-lies-a-selfie-of-me-bc... Será que a malandra da Fabiola lhe andou a roubar as selfies, ou será que a Xana quer esconder a sua identidade, quiçá para não parecer uma "galdéria", à falta de niqab? :)
Gosto · Responder · 9 · 6 h


Xana Oliveira Mariana Duarte Cala-te e rende-te ao Islão, sua infiel, tapa esse cabelo!
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Xana Oliveira Hélder Morais Em vez de me insultares, que tal debateres e dizeres exactamente onde discordas? Pode ser que sejas tu o mais inteligente.
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Jorge Joca Ah Ah foste apanhada/o
Gosto · Responder · 4 · 6 h


Augusto Silva Hélder Morais....sua cara nos dá a certeza de que quem se parece com um idiota o é de verdade.
Gosto · Responder · 6 h


Célia Miranda Têm o direito de entrar os únicos Americanos verdadeiros são os Índios ou outros são descendentes dos invasores Europeus que depois levaram escravos Africanos,embrulha esta Trump 😂😂😂😂
Gosto · Responder · 7 · 6 h


Xana Oliveira Célia Miranda Não, os americanos são todos os que nasceram nos Estados Unidos e têm nacionalidade americana, sejam brancos, negros, índios. No entanto, não foram os índios que criaram o país Estados Unidos tal como hoje o conhecemos. Foram os colonizadores de origem europeia que conquistaram e unificaram o território que hoje é este país. A história do homem sempre foi feita de conquistas. Se os únicos verdadeiros americanos são os índios, então os únicos verdadeiros portugueses são os descendentes directos dos povos que já viviam no território que hoje em dia é Portugal antes das invasões celtas, romanas, suevas, visigodas, mouras, etc.
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


André Rodrigues Xana Oliveira o Islão é tão bom para as mulheres como o cristianismo foi durante a maior parte da sua história. Isto em nada se prende com a religião mas sim com os estados, em concreto, que impõem uma série de medidas aos seus povos. A emancipação das mulheres foi algo que se iniciou na última década do século XIX e ao longo de todo o século XX nas sociedades "cristãs". Portugal, até à democracia, padecia de graves problemas de respeito pelas mulheres e minorias, e no entanto era fervorosamente católico
Gosto · Responder · 7 · 6 h


Mario Valeira Xana Oliveira estive em quase 10 paises arabes...
Não me lembro de ver pessoas ameaçadoras ou radicais...
Pelo contrário, eram acolhedores e simpáticos!
Talvez esteja concentrada nos poucos que só fazem estragos.
Da mesma forma que nem todos os brancos são imperialistas colonizadores...
Ultrapasse essas ideias racistas e pré-concebidas!
Gosto · Responder · 13 · 6 h


António Oliveira Xana Oliveira o Islão é uma religião péssima para as minorias, mas vamos ver quem o Trump escolheu para procurador geral da república. Jeff session, um ideólogo racista, sexista, homofóbico. Quem diria hein? E nem sequer é muçulmano, mas sim cristão. Se não acredita, aqui está os factos e não os factos alternativos. http://www.ontheissues.org/Senate/Jeff_Sessions.htm
Gosto · Responder · 7 · 5 h · Editado


Célia Miranda Xana Oliveira ainda ninguém conseguiu explicar quem vivia em Portugal antes das invasões dos Mouros,Muçulmanos, Romanos,Visigodos,Árabes etc?????????
Gosto · Responder · 5 h · Editado


André Diogo Dias Azoia Mas vocês ainda estão dar conversa à Xana ?
Gosto · Responder · 4 · 5 h


Leonel J Santos 👏🏻👍🏻
Gosto · Responder · 5 h


Hélder Morais Xana Oliveira basicamente em tudo o que tu dizes. Os teus comentários são de puro ódio e descriminação. Para não falar de generalização. Falas de algo que está pra além da tua compreensão. Logo, não sou eu que sou o Ignorante aqui.
Gosto · Responder · 1 · 4 h


Escreve uma resposta...




Luis Van Zeller Palha quando ele descobrir que em Portugal existe uma discoteca de GAYS chamada TRUMPS. ...vai ser a lll grande guerra....:-)
Gosto · Responder · 65 · 7 h


Antonio Santos Vai vir por cá sempre que puder.....lol
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Sandra Oliveira Sabes lá quem é o fundador para ter esse nome 😝
Gosto · Responder · 4 · 7 h


Pedro Martins Ri-me. Existem Golden Showers? :D
Gosto · Responder · 4 · 7 h


Antonia Pereira
Gosto · Responder · 7 h


Carlos Rodrigues Quando ele souber o significado de uma palavra portuguesa que se assemelha ao seu apelido, pode ser que venha a mudar de nome.😂😂😂😂.
Gosto · Responder · 5 · 7 h


Xana Oliveira Carlos Rodrigues Trumps é uma palavra portuguesa?
Gosto · Responder · 6 h


Cristina Pombinho nao me parece que o pessoal daqui conhece essa disco ,so a ti te e familiar ,porque sera?mas olha leva la o socrates ,o trump e mais de gajas ,e passas a vida a falar dessa merda,deves ser o cliente numero um,ou ganhas umas enrabadelas por a divulgacao
Gosto · Responder · 6 h


Marco Rafael Disse semelhante Xana. É só ler
Gosto · Responder · 1 · 6 h


José Semedo Xana Oliveira é trampa. Não entendes uma boa piada?
Gosto · Responder · 1 · 3 h


Luis Van Zeller Palha Há gente sem sentido de humor. ..partem logo a vomitar a merda que tem na ponta dos dedos. .:-)
Gosto · Responder · 7 min


Escreve uma resposta...




Jose Cardoso Nao sou a favor do que o Trump fez , nao se lembro pois mas no ano em que o Presidente Jorge W Bush tomou posse foi quando se deu os atentados, isso e um um receio que eles tem por ter avido uma nova tomada de posse de um presidente.
Gosto · Responder · 6 h
1 resposta


Joaquim Souto É assim mesmo venham refugiados para a América, europa e que tragam já Burkas, à gente a pedir. Para essa corja há dinheiro, já para escolas a cair de podres, doentes nos corredores dos hospitais, idosos a morrer de pneumonias e que trabalharam toda a vida, tem agora uma esmola como pensão, não há dinheiro!!! Bando de safadolas.
Pobre miséria
Gosto · Responder · 3 · 6 h


João Deveza Eu só gostava de saber porque é que caem em cima do ocidentais por não quererem aceitar refugiados e nos países árabes vizinhos, o assunto ser tabu.
Gosto · Responder · 4 · 6 h


São Bernardo Papagaios da propaganda da extrema-direita que arrotam postas de pescada sem noção nenhuma da realidade. Os países do Médio Oriente são os que mais acolhem refugiados sírios. Quase três milhões na Turquia, 1,5 milhões no Líbano, 1,3 milhões na Jordânia, meio milhão na Arábia Saudita e por aí fora. https://en.wikipedia.org/.../Refugees_of_the_Syrian_Civil...



Refugees of the Syrian Civil War - Wikipedia
EN.WIKIPEDIA.ORG
Gosto · Responder · 10 · 6 h


João Deveza https://www.publico.pt/.../crise-dos-refugiados-a...

Somos todos papagaios. E todos de extrema direita. E todos arrotamos postas de pescada.



Crise dos refugiados: a hipocrisia dos países árabes-islâmicos ricos
PUBLICO.PT|DE JOSÉ PEDRO TEIXEIRA FERNANDES
Gosto · Responder · 1 · 6 h


São Bernardo Ah, então afinal o problema não está em "todos" os vizinhos da Síria, porque afinal se viu que até aceitam milhões de refugiados. O problema está apenas no porquê de "os estados ricos do golfo" não os aceitarem aos milhões. Dito por outras palavras, porque é que especificamente a "Arábia Saudita" e os "Emirados" não os aceitam aos milhões, que é do que o artigo do público e da BBC falam. Desmontou-se aqui velha falácia da generalização...
Gosto · Responder · 3 · 5 h · Editado


João Deveza Que falácia? Onde é que falei em "todos"?
Gosto · Responder · 5 h


Vítor Saraiva Este João é, literalmente, o Hitler
Gosto · Responder · 5 h


Filipe Silva Mas os países muçulmanos, que têm MILHÕES de refugiados não contam nesse teu pseudo-raciocínio?
Ou apeteceu-te ignorar o facto que os países do golfo são governados por javalis de extrema direita, como tu?
Gosto · Responder · 3 · 5 h


João Miguel Pelica João Deveza informe-se antes de debitar disparates!
Gosto · Responder · 1 h


Escreve uma resposta...




José M Villa Lobos Muito bem Maria João Varela. Sou de opinião que a democracia americana irá prevalecer sobre Trump ou um outro qualquer mais ou menos ditatorial.
Gosto · Responder · 2 · 4 h · Editado


João Miguel Pelica Poupas pensava que ia governar a América como o Putin governa a Rússia, e soma derrotas, após derrotas. Pensava que ainda estava em campanha eleitoral e que a sua tarefa era só assinar decretos e Twittar umas provocações! Esta a aprender como funciona o estado de direito, que a vitória eleitoral (curtinha por sinal) não é uma ditadura da maioria e que há mais poderes do que o seu! Os trumpistas em estado de choque vão engolir as certezas de que este, ao contrário dos outros era um presidente que cumpria as promessas, e se forem honestos vão entender porque razão Obama não conseguiu cumprir muitas das suas promessas!
Gosto · Responder · 1 · 1 h


Mago Barros Separação de poder.. É assim que funciona.
Gosto · Responder · 19 · 7 h


Guilherme Lucas Até aqui a legalidade esta a funcionar. Recorrendo para o Supremo vai ser um gigantesco teste para a maioria dos juízes republicanos conseguirem ser isentos nesta questão.
Gosto · Responder · 7 · 7 h


Filipe Silva Penso que neste momento até há um empate, mas não tenho a certeza.
O nomeado ainda não está empossado.

Mas mesmo que estivesse, ele já deu a entender que antes de ser conservador, é um juiz.
Gosto · Responder · 5 h


João Miguel Pelica Filipe Silva o supremo tem maioria republicana, agora que foi nomeado o juiz em falta, mas tal não significa que todos os juízes republicanos votem alinhados com a administração. Boa parte da resistência a Trump vem do sector republicano que se sente desconfortável com as arbitrariedades deste presidente.
Gosto · Responder · 1 h


Escreve uma resposta...




Victor Avila A questão substantiva da constitucionalidade só vai ser abordada no Supremo. Por agora,é mantida a suspensão da medida até à decisão do Supremo!
Gosto · Responder · 5 · 7 h · Editado


Luís Mendonça Ainda bem que, agora, ninguém vem com a treta da "república de juízes".
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Andreia Santos afinal... o presidente nem sempre esta acima da lei... é bom k ele chegue a esta conclusao rapido...
Gosto · Responder · 8 · 7 h


Mónica Neto Sem mais nem porquês. . A justiça tarda mas não falha !!!
Trump .. Deal with it !
Gosto · Responder · 3 · 7 h
1 resposta


Cristina Pombinho esta noticia esta bastante alterada ,se fosse permitido a entrada e imigrantes a america nao tinha ilegais,podem vir como turistas
Gosto · Responder · 6 h


Leonel J Santos Xana Oliveira todo o mundo te condena com a sua opinião, mas quando bombas começar a explodir, por todos os cantos, depois quero ver, a quem vão criticar 👍🏻😉👏🏻👏🏻👏🏻 stay tuned
Gosto · Responder · 4 h


Nuno Santos O Trump era um bom candidato do psd/cds à camara de Lisboa ... kkkk
Gosto · Responder · 6 h


Bruno Ratola Nem o presidente dos EUA 🇺🇸 consegue fazer justiça nessa situação.
Gosto · Responder · 13 min


Filipe Silva Ups!!!

É uma pena que seja a justiça a ter de servir de travão.
Muito mal o Senado e o Congresso!
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Hélder Morais Liberdade 1
Fachos 0
Gosto · Responder · 4 · 6 h


Amelia Fortunato Nem é bom nem mau, é a justiça a funcionar, tal como deve ser!
Gosto · Responder · 16 · 7 h


Joaquim Vieira Ribeiro Só não vai poder permitir a entrada de imigrantes na sua Tower Trump Tower
Gosto · Responder · 7 h


Franco Horàcio São boas notícias. Um juiz desconhecido e não eleito no fim do mundo,consegue parar uma determinação do presidente eleito dos USA, por milhões de votos.
Gosto · Responder · 7 h


Filipe Silva Talvez assim consigas aprender o que é uma democracia, ó javali.
Não são eleições, é a separação de poderes e o primado da lei.
Gosto · Responder · 3 · 5 h


Franco Horàcio O Filipe Silva, licenciado e doutorado em grunhos e javalis, escreve os seus comentários em frente ao espelho.
Gosto · Responder · 5 h


Filipe Silva Franco Horàcio, claro.
Até sou eu que não sei o que é uma democracia e a confundo com eleições!
lol
Gosto · Responder · 5 h


Franco Horàcio O Filipe Silva ex Filipe Alexandre Silva, é de um saber profundo e abrangente sobre um vastíssimo leque de assuntos. Apesar de confessar, ironicamente é certo, que não sabe o que é uma democracia e que até a confunde com eleições. Aceita-se sem ironia e vá melhorando a educação.
Gosto · Responder · 5 h


São Bernardo Em que país é que os juízes são "eleitos"? E o que é exatamente um juiz "conhecido"? Agora as decisões judiciais só são válidas se o juiz tiver um programa na televisão? Parabéns pelo comentário mais parvo da noite.
Gosto · Responder · 1 · 4 h


Célia Miranda Só não travava o Trump se ele mandasse uns drones carregados de prendas explosivas a casa do juiz ahahah
Gosto · Responder · 4 h


Franco Horàcio São Bernardo, com o frio que está, espero que tenha ajudado muitos sem abrigo, com uns goles de conhaque. Com o faro apurado que deve ter, gostava que me apontasse a parte onde digo que há países com juízes eleitos. O termo desconhecido é utilizado por comparação com Trump. Enquanto biliões de pessoas sabem que foi ele o Presidente eleito dos EUA, ninguém sabe quem é o juiz, excepto a família e pouco mais. Para mim continua um completo desconhecido. A antiga forma da separação de poderes, está desde alguns anos, a resvalar para, todo o poder aos juízes, fórmula politicamente correcta, que é ferozmente defendida pela esquerda, nos paises com governantes de direita,como os EUA, a Espanha de Garcon, a Hungria, a Inglaterra e a Polonia, para citar alguns. Espero que este comentário seja ainda mais parvo que o anterior.
Gosto · Responder · 4 h


Filipe Silva Horácio do acento ao contrário, mas eu não sou ex-nada. Eu coloco o nome, sempre verdadeiro, e a foto que me apetece.

Eu sei o que é um estado democrático.
Mas tu parece que faltas-te a essas aulas. Mas também pode ser a universidade da vida que não ensinou essa matéria.

A democracia não é uma ditadura de uma maioria, mesmo esta sendo uma minoria.
Uma democracia vai muito além de eleições livres.
Uma democracia contempla a divisão de poderes, em alguns pilares. E é, e só pode ser, o primado da lei e da constituição.

Quem decide são os tribunais, onde os juízes, os têm o papel preponderante.
E atacá-los, só mostra a falta de cultura democrática deste presidente e dos seus apoiantes.

Outro dos pilares da democracia é um que grunhos ignorantes como tu odeiam, a comunicação social.

Silenciando este ou negando-lhe a sua veracidade e idoneidade, é meio caminho andado para o a deterioração ou mesmo o fim da democracia.
Gosto · Responder · 3 h


Franco Horàcio Filipe Silva, ou ex Filipe Alexandre Silva, esperemos que o verdadeiro Filipe Alexandre Silva, que também contestava sistematicamente os meus comentários, com a mesma linguagem insultuosa e pesporrente do Filipe Silva, mas com outra foto no perfil, apareça rápidamente para se esclarecer a situação. No seu último comentário, ia tudo bem até ao "grunhos".
Gosto · Responder · 3 h


Escreve uma resposta...




João Pandela A notícia é boa. Trump confunde negócio com política. Outros fracassos estão por acontecer.
Gosto · Responder · 19 min


João Leite Duque Melhor, melhor era agora um ataque terrorista... na volta ainda culpavam o Trump e as suas políticas.
Gosto · Responder · 6 h


Paula Fracinete Vixe, o homem deve está bufando pelas ventas!...rsrsrss Um rei sem trono! 😂
Gosto · Responder · 7 h


Maria Correia Ai Ai .... Aí é k vai ser.
K trampa de Homem.... Ignorante.. Arrogante e,, Ditador..!! A América tá de PARABÉNS. Ehehehehe.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Ruben Folha E eu a pensar que ele era ditador e que não seguia a lei...
Gosto · Responder · 2 · 7 h


Manuel Teixeira Não faz sentido. E não é a justiça a funcionar, mas a hipocrisia.
Gosto · Responder · 2 · 7 h


Filipe Silva lol
É a justiça a funcionar em pleno.
Gosto · Responder · 4 · 7 h


Manuel Teixeira É porque, definitivamente, não conhece o sistema americano.
Gosto · Responder · 7 h


Filipe Silva Evidentemente!!!
Porque só conheceria se o recurso tivesse aprovado!
lol
Gosto · Responder · 5 h


Manuel Teixeira O Trump (ou qualquer outro presidente) tem competências próprias e esta é uma delas. Claro que passa sempre pelo crivo da constitucionalidade, é esse o papel da justiça. Mas o papel da justiça não é o de GOVERNAR. Situações idênticas como esta ação do Trump aconteceram com Obama e com Clinton e Bush. Com estes nunca se levantaram problemas como com Trump.
Gosto · Responder · 4 h


Filipe Silva Por terem sido bastante diferentes, aliás eu iria mais longe e diria totalmente diferentes, é que esta questão não se colocou.
Além disso, as declarações do Trump são evidentes, distinção por credo.
Disse-o mais que uma vez, de maneiras diferentes, ma...Ver mais
Gosto · Responder · 3 h


Manuel Teixeira Como referi com Obama, Clinton ou Bush aconteceram situações mais que idênticas, em alguns casos com força muito maior. Especificamente quanto ao caso de proibir a entrada, isso aconteceu com todos eles, no caso do Obama ainda com mais veemência. Quanto á ideia da religião esse não é o ponto chave da questão, proibiram-se cidadãos de determinados países, não de determinada religião. A titulo de exemplo o maior país dessa religião em termos de população (Indonésia) não foi incluído no boicote. Quanto aos juízes devem-se excluir dessa subjectividade e a sua função maior NÃO É escrutinar a ação executiva mas o de ADMINISTRAR A JUSTIÇA na sociedade, cujas leis não são feitas por eles mas pelo poder legislativo e obrigatoriamente ratificadas pelo senado (no caso americano). A SEGURANÇA do estado é da responsabilidade do PRESIDENTE e do seu GOVERNO. Apenas o SCOTUS (Supreme Court of the United States) tem poderes para discutir ações deste género e mesmo assim algumas questões são apenas da competência do senado. Quanto ao restante, imbecil é o Filipe Silva ao tecer comentários desse tipo. Aproveite e vá ler a constituição americana antes de mandar bitaites
Gosto · Responder · 2 h · Editado


Escreve uma resposta...




Maria Clara Gama Prazeres Boa. Leva e embrulha trampa
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Xana Oliveira Exacto, venha o Médio Oriente em peso para os EUA <3Temos de acabar de uma vez por todas com a cultura ocidental supremacista e intolerante das sociedades europeias e norte-americanas.
Gosto · Responder · 1 · 7 h · Editado


Maria Clara Gama Prazeres Já nao há vontade de ir para os USA. Os habitantes do medio oriente adoravam ficar sossegados nas suas casas.enfim se nao entende nao vale a pena!!
Gosto · Responder · 6 h · Editado


Xana Oliveira Maria Clara Gama Prazeres Ó mulheri, não se preocupe. Os Estados Unidos agora é que vão ficar melhores com paletes de muçulmanos. Não se vê o exemplo da França, Alemanha, Reino Unido e Suécia? Um primor. <3
Gosto · Responder · 6 h · Editado


Maria Clara Gama Prazeres Tá ver que bom!!!!vai ser muito variado. Bye!!
Gosto · Responder · 6 h


Maria Clara Gama Prazeres Ó mulher controle-se .ninguem quer entradas aos magotes mas as trumpianas proibiçoes sao ridiculas. E hipocritas. Os da arábia saudita por ex nao o afligem??? A maioria o que queriam era regressar aos USA onde já residiam . Tome um xanax. Resulta ajuda os histericos.!!!!
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Escreve uma resposta...




Margarida Salgado O Sr. presidente vai ter uma birra !
Gosto · Responder · 4 h


Victória Moreira ELE QUER IMPLEMENTAR A DITADURA NOS ESTADOS UNIDOS.
Gosto · Responder · 27 min


JPedro Pinto Este gajo faz-me lembrar o Bruno de carvalho...
Gosto · Responder · 7 h


Mauro Epifánio Poder judicial è poder judicial. Já foste trampa 😂😂😂😂
Gosto · Responder · 7 h


Liquinhas Bastos Senhor contente senhor feliz "e agora diga á gente como vai o seu País ...
Gosto · Responder · 1 · 50 min


Rui Dias
Gosto · Responder · 5 h


Carlos Simões Toma lá loiro besta!!!
Gosto · Responder · 7 h


Juan Almeida Ainda vai ser um português que vai entalar-te, cabeça de estrume.
Gosto · Responder · 6 h


Antonio Santos Boa.....
Gosto · Responder · 7 h


Helena Louro E ele achava o quê!!!😀😀😀
Gosto · Responder · 5 h


Ana Sousa 😎😂😂
Gosto · Responder · 7 h


Nuno Couto Pumbas!temos pena!😂😂😂😂😂
Gosto · Responder · 6 h


José Alves O lixo tem porta aberta para entrar, como aqui.
Gosto · Responder · 4 h


Tânia Gomes Chupa!!
Gosto · Responder · 7 h


Miguel Sousa Miguelpsi Hahahahah....Nabo.
Gosto · Responder · 6 h


Lola Gaspar Boas notícias.
Gosto · Responder · 7 h

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.