domingo, 5 de fevereiro de 2017

Existe uma única maneira de pacificar o país: tirar Moro de cena. Por Paulo Nogueira

O ESSENCIAL
Gilmar articula indicações ao TSE, que vai julgar chapa Dilma-Temer
EUA revalidam milhares de vistos após decisão judicial
Andrade Gutierrez também tinha departamento de propina, diz delação
Diretor do Sírio admite que vazamento foi “afronta à dignidade humana”
Participantes do BBB gritam ‘fora Temer’ e ‘volta Dilma’ em pleno ar
Doria: “Todo pichador é bandido”
Timing é tudo: Lula é intimado a depor sobre delação de Delcídio na Lava Jato
Luana Piovani afirma que Lula fez ‘draminha’ após morte de Marisa
Publicitário Fabio Fernandes, que teve conta da Petrobras, chama Lula de “pulha” e achincalha velório
Karnal: “Quando não tiver uma palavra de conforto para quem perdeu a mãe ou a esposa, cale a boca”



Existe uma única maneira de pacificar o país: tirar Moro de cena. Por Paulo Nogueira


Postado em 18 Oct 2016
por : Paulo Nogueira



Fora

Existe uma única maneira de pacificar o país: tirar Moro de cena.

Moro se transformou no maior foco de divisão do país. Ele simboliza o que há de mais nefasto no Brasil: a justiça parcial. Para usar a grande expressão do cientista e colunista da Folha Rogério Cézar de Cerqueira Leite, não é apenas uma justiça parcial. É absolutamente parcial.

Você pode dizer que já tínhamos — aliás, temos — um exemplar desse tipo de juiz: Gilmar Mendes. Acontece que Gilmar não tem uma fração do poder de Moro. Pertence a um colegiado no qual é uma entre onze vozes.

Moro abusou. Em algum momento se perdeu, e deixou de sequer fingir imparcialidade. Virou uma coisa trágica e cômica. Não à toa, uma sessão de delação feita pelo grupo humorístico Porta dos Fundos viralizou.

O espírito da delação era este. Contra Aécio? Não interessa. Contra Temer? Não interessa. Contra qualquer figura que não seja do PT? Não interessa.

Conta Lula: interessa. Muito.

Moro não poderia jamais ter deixado claro que tinha um lado: o da plutocracia, o dos ricos.

Hoje, ele é o homem mais detestado por quem não seja conservador. Mais que Temer. Mais que Cunha.

Mais que todo mundo.

Ele desagrega, ele desune — coisas péssimas para um país que tem que recuperar seu sentido de unidade e, assim, forjar um consenso para a construção do futuro.

Um país rachado em dois é meio país.

Qualquer projeto de pacificação passa por uma cláusula pétrea: a saída de Moro.

O DCM vai contar a história do dono do avião que caiu com Teori — e conta com você -> Acesse aqui
Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube


Sobre o AutorO jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.




De outros sites
Cerca de 40% dos senadores que escolherão substituto de Teori têm pendências judiciais
5 jeitos de ficar fluente em qualquer idioma sem ir a um curso Babbel
Ações do Itaú: Analistas apontam tendências de curto, médio e longo prazo Toro Radar
A estranha censura da FNAC ao livro sobre os black blocs que Jô detonou sem ler. Por Kiko Nogueira
10. Internauta sugere ‘punhetaço’ em protesto contra fechamento da Playboy
Empreiteira comprou vaca superfaturada de família do ministro do Esporte
“Com a Lava Jato, os jornalistas passaram à bajulação direta”: Paulo Moreira Leite fala ao DCM do novo…
Rosa Weber arquiva pedido de explicações de Dilma sobre golpe
Recomendado por


Conheça as regras do debate


Disqus seems to be taking longer than usual. Reload?











Luana Piovani afirma que Lula fez ‘draminha’ após morte de Marisa

Publicitário Fabio Fernandes, que teve conta da Petrobras, chama Lula de “pulha” e achincalha velório

Karnal: “Quando não tiver uma palavra de conforto para quem perdeu a mãe ou a esposa, cale a boca”

Gilmar articula indicações ao TSE, que vai julgar chapa Dilma-Temer

EUA revalidam milhares de vistos após decisão judicial

Andrade Gutierrez também tinha departamento de propina, diz delação

Diretor do Sírio admite que vazamento foi “afronta à dignidade humana”

Participantes do BBB gritam ‘fora Temer’ e ‘volta Dilma’ em pleno ar

Doria: “Todo pichador é bandido”

Timing é tudo: Lula é intimado a depor sobre delação de Delcídio na Lava Jato













Na web
Boato do dia: Veja vai usar vazamento de Marcelo Odebrecht contra Lula. Por Fernando Brito
Ex-militante de grupo pró impeachment fala ao DCM das ameaças de morte que está recebendo. Por Mauro Donato
Será que já esquecemos que Temer foi citado QUARENTA E TRÊS vezes numa única delação? Por Paulo Nogueira
Ameaças a Teori e a seu filho são mais do que aparentam, diz Janio de Freitas
Recomendado por






Sobre o Diário
Expediente
DCM é um parceiro do Último Segundo


Anuncie
Midia Kit


Panorama Mundial Internet
Fale Conosco



Advertisement
Advertisement

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.