segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Cinco coisas que você talvez não saiba sobre o Serviço Secreto

Pessoas andam perto de carro em rua em frente do Capitólio dos EUA (© AP Images)
Agentes do Serviço Secreto escoltam veículo do presidente Trump durante desfile no dia da posse (© AP Images)


Quando você vê o presidente americano, é provável que também veja o Serviço Secreto dos EUA em seu papel de maior destaque: a postos para proteger o comandante em chefe. Mas essa presença visível é apenas um aspecto da agência que também protege o vice-presidente e sua família, ex-presidentes e chefes de Estado em visita.
Uma das agências federais de aplicação da lei mais antigas, o Serviço Secreto também é encarregado de investigar crimes contra a infraestrutura financeira dos Estados Unidos, inclusive crimes cibernéticos. Ele tem cerca de 6.500 funcionários, incluindo agentes especiais, oficiais e pessoal de apoio, com escritórios locais em todos os estados e no exterior.
Alguns fatos interessantes:

O Serviço Secreto originalmente não protegia o presidente

Homem de pé na escadaria do Memorial Lincoln (© Evelyn Hockstein/Getty Images)
(© Evelyn Hockstein/Getty Images)
O Serviço Secreto foi fundado em 1865 como parte do Departamento do Tesouro com o objetivo de combater a falsificação de dinheiro disseminada depois da Guerra Civil. Até um terço do dinheiro em circulação naquela época era falsificado, causando um efeito devastador na economia do país.
“Ironicamente, o presidente Lincoln sancionou a lei que criou o Serviço Secreto pouco antes de ser assassinado”, disse Mickey Nelson, ex-diretor adjunto do Serviço Secreto, hoje no grupo de consultoria Command Consulting Group. “Na época não tinha nada a ver com proteção de presidentes.”
Dinheiro falso enfileirado em fogão (Depto. de Segurança Interna)
Notas falsificadas apreendidas na “Operação Pôr do Sol” no Peru, em novembro de 2016 (Depto. de Segurança Interna)

Combate à falsificação ainda representa grande parte do trabalho do Serviço Secreto

A agência continua a investigar a falsificação da moeda americana tanto interna quanto externamente. Em novembro de 2016 a agência apreendeu US$ 30 milhões em dinheiro falsificado* no Peru — a maior apreensão de sua história.

Proteção presidencial em tempo integral começou em 1901

O Serviço Secreto forneceu proteção não oficial em tempo parcial ao presidente Grover Cleveland nos últimos anos do século 19. Depois do assassinato do presidente William McKinley em 1901 — o terceiro presidente assassinado em 36 anos — o Congresso solicitou proteção em tempo integral do Serviço Secreto para os presidentes. O primeiro destacamento de segurança da Casa Branca tinha apenas dois homens.
Homens colocam Ronald Reagan em carro (© AP Images)
Agentes do Serviço Secreto se movimentam depois de tentativa de assassinato do presidente Ronald Reagan em Washington em março de 1981 (© AP Images)

A maior parte do trabalho de proteção é feito antes

Uma a duas semanas antes de qualquer evento presidencial fora de Washington, equipes avançadas do Serviço Secreto estão em campo desenvolvendo rotas primárias, secundárias e emergenciais para a comitiva, pesquisando hospitais e elaborando planos de segurança para cada lugar que o presidente visitar.
“O planejamento antecipado é o princípio essencial do Serviço Secreto e o motivo de ser tão eficaz”, disse Nelson. As pessoas sempre veem os agentes ao redor do presidente, mas “o que não veem são os muitos dias e horas de trabalho árduo antes da chegada do presidente”, disse. Por exemplo, o planejamento em tempo integral para a posse presidencial de 2017 teve início 18 meses antes.

Qual o grande segredo?

A origem do nome da agência não tem nada a ver com as intrigas modernas, mas com seu propósito original de combate aos falsificadores. “Era um monte de agentes secretos na época”, explicou Nelson. “Eram secretos, daí o nome ‘Serviço Secreto’.”
* site em inglês

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.