sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Rosa Grilo agrediu guarda prisional que lhe apreendeu uma carta

Triatleta.

401
9
A viúva tem enviado várias cartas a meios de comunicação, a partir de Tires onde está em prisão preventiva por suspeitas de ter matado o marido. Uma já fez com que a medida de coação fosse agravada.
Rosa Grilo foi detida no dia 29 de setembro, por suspeitas de ser a co-autora do homicídio do triatleta Luís Grilo
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Rosa Grilo terá agredido uma guarda prisional do Estabelecimento Prisional de Tires, onde se encontra em prisão preventiva por suspeitas de ser a co-autora do homicídio do marido, o triatleta Luís Grilo. De acordo com o Correio da Manhã, a viúva ter-se-á recusado a entregar uma carta que escrevia e pretendia enviar a um órgão de comunicação social. Depois de ver a carta apreendida, a suspeita terá partido para a violência. Rosa Grilo está agora proibida de ter papel e caneta na sua posse.
Desde que foi presa, a 29 de setembro, a viúva tem enviado várias cartas a meios de comunicação, a antigos inspetores da Polícia Judiciária e, mais recentemente, ao amante António Joaquim, também ele em prisão preventiva por suspeitas de ser o co-autor do crime. A carta, de acordo com o mesmo jornal, serviria para acertar com o amante a versão sobre a morte do triatleta.
Esse documento foi, no entanto, intercetado pelos guardas prisionais que a terão encaminhado para o Ministério Público. A carta, que está agora a ser analisada, levou a procuradora a pedir à juíza que acrescentasse uma medida de coação a Rosa Grilo. A juíza deferiu o pedido e a viúva, além de estar presa preventivamente, está também proibida de contactar com António Joaquim.
Nas cartas que tem enviado, a viúva tem reforçado a sua versão dos factos e aquela que contou em tribunal: Luís Grilo terá morrido às mãos de três homens — dois angolanos e um “branco” — que lhe invadiram a casa em busca de diamantes. Segundo a sua tese — que não convenceu nem a PJ nem a juíza de instrução Andreira Valadas –, Rosa teria assistido ao homicídio do marido e sido coagida a simular o seu desaparecimento.
Rosa Grilo e António Joaquim foram detidos no dia 29 de setembro, por suspeitas de serem os autores do homicídio de Luís Grilo. De acordo com a investigação da PJ, o triatleta terá sido morto a 15 de julho. No dia seguinte, a mulher deu conta do desaparecimento às autoridades, alegando que a vítima tinha saído para fazer um treino de bicicleta e não tinha regressado a casa. O corpo acabou por ser encontrado já no final de agosto, com sinais de grande violência, a mais de 100 quilómetros da aldeia onde o casal vivia.Joao Rio
Incomoda-me que um preso, ainda por cima preventivamente, possa perder o direito a escrever cartas.
Eu MesmoJoao Rio
4 h
a viúva ter-se-á recusado a entregar uma carta que escrevia e pretendia enviar a um órgão de comunicação social. 

Tem de ter mais atenção a ler, todos os presos podem escrever cartas, mas o conteúdo tem de ver observado pelas entidades prisionais antes de ser enviado, é uma regra geral.

... Ler mais
José DiasEu Mesmo
3 h
A que acresce a possibilidade prevista na Lei de as medidas de coação incluírem a proibição de contacto com determinadas pessoas seja por que forma for.

Incluindo a epistolar ... 
Audio VacJoao Rio
32 m
Pois eu acho que a proibição só faz sentido, precisamente, quando estão em preventiva.

Por razões óbvias.
Audio Vac
4 h
Mais uma vítima de violência doméstica, está-se a ver...

Estou a falar do marido.
Eu Mesmo
4 h
Estava só a lutar contra a sociedade patriarcal.
Eduardo
5 h
Mas que grande c a b r a...

E ainda falam em violencia machista...

A esta, bem que merecia levar um enxerto de porrada e ficar com a cara toda amassada.


... Ler mais
José DiasEduardo
3 h
Presumo que não tenha tido a menor noção da incongruência do seu comentário ….