sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Líder da Fretilin apresenta candidatura a Presidente da República timorense

TIMOR-LESTE


O presidente da Fretilin, Francisco Guterres (Lu-Olo), apresentou oficialmente a sua candidatura a Presidente da República de Timor-Leste, afirmando o seu compromisso com a unidade social.
Alkatiri prometeu uma campanha para "reforçar a unidade nacional e a estabilidade do país"
Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre
O presidente da Fretilin, Francisco Guterres (Lu-Olo), apresentou esta sexta-feira, oficialmente, a sua candidatura a Presidente da República de Timor-Leste, afirmando o seu compromisso com o consenso, unidade nacional e a cooperação institucional no Estado timorense.
“Com sentido de missão e com honra apresento formalmente a minha candidatura. Com uma única missão, o compromisso de servir o povo, de servir Timor-Leste”, disse perante centenas de dirigentes e militantes da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), convidados e elementos do corpo diplomático.
Recordando alguns dos nomes históricos do partido, Lu-Olo defendeu a necessidade do consenso e unidade nacional, considerando que o Presidente está “equidistante” dos órgãos de soberania mas deve trabalhar pela “interdependência e a cooperação” entre todos.
O anúncio oficial da campanha ficou marcado pela declaração formal de apoio da liderança do maior partido timorense (em representação parlamentar), o CNRT, representado no encontro desta sexta-feira pelo seu presidente e líder histórico, Xanana Gusmão.
Entre os presentes contavam-se ainda vários embaixadores acreditados em Díli – incluindo os de Portugal, Brasil, União Europeia, Cuba, Indonésia e China – bem como responsáveis de várias instituições e entidades timorenses.
Lu-Olo – que se apresenta a candidato presidencial pela terceira vez – é tido como favorito de entre os oito timorenses que registaram a sua candidatura junto do Tribunal de Recurso, especialmente devido ao apoio dos dois maiores partidos. Juntos, a Fretilin e o CNRT obtiveram nas eleições legislativas de 2012 quase 67% dos votos.
Referindo-se aos vários desafios que Timor-Leste enfrenta, Lu-Olo sublinhou em particular áreas como a educação e a saúde, apontando ainda às “fragilidades” do sistema de justiça e à necessidade do “reforço das capacidades” dos magistrados.
Defender os veteranos da luta, garantir e fortalecer as parcerias externas de Timor-Leste, com a região e com a CPLP, garantir e promover o fortalecimento das forças de segurança e promover a igualdade de género e o apoio á juventude fazem ainda parte dos seus objetivos.
Mari Alkatiri, secretário-geral da Fretilin, apresentou formalmente Lu-Olo, num encontro que decorreu na sede da campanha, na zona de Comoro (parte ocidental da capital timorense).
“Venho apresentar o candidato de todo o povo a Presidente da República 2017-2022. Francisco Guterres Lu-Olo. Será um Presidente que marcará a história, principalmente por causa do consenso nacional que o levará a ser Presidente”, afirmou Mari Alkatiri.
“Hoje estamos todos aqui a dizer que já chegou o tempo de eleger alguém que tem um grande sentido de Estado para poder levar este país adiante. Uma pessoa que esteve 24 anos nas montanhas, foi presidente da Assembleia Constituinte e do Parlamento”, disse Alkatiri.
Recordando os nomes históricos da luta da Fretilin pela independência de Timor-Leste, Alkatiri disse que falava “em nome da geração de 74-75” e dos que “gritaram vida ou morte independência” para saudar “quem será o presidente de todos”.
Um homem que “aprendeu desde a base, desde assistente político a presidente do Parlamento” e que fez parte da “raiz” da luta timorense.
“Se hoje temos a independência é graças a esta raiz. Pode haver vários ramos, mas a raiz é só uma”, disse.
Alkatiri prometeu uma campanha para “reforçar a unidade nacional e a estabilidade do país” promovendo o consenso nacional em torno a Lu-Olo que, afirmou “será eleito na primeira volta”.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook