sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

HISTÓRICIDADE, MEMÓRIA E HEROICIDADE:



Euclides Flavio com Homer Wolf e 32 outras pessoas.



HISTÓRICIDADE, MEMÓRIA E HEROICIDADE:
Como é que a história oficial constrói os nossos Heróis?

Hoje é feriado em Moçambique. Comemora-se o dia dos Heróis Moçambicanos. O que procede, faz nos tomar a consciência sobre a aliança entre a Historia, e Memoria no processo simbólico da construção do heroísmo a nível nacional.
O Presente artigo de opinião tem como objectivo reflectir sobre a função da memória histórica na construção da heroicidade. Este texto não visa pôr em causa a construção da história de Moçambique como tal, mas sim devanear sobre a forma (método) como a história de heroísmo foi sendo construída. Proponho-me aqui extrair as consequências mais interessantes deste deslocamento de ponto de vista no que diz respeito à relação entre a Historia Memória e Heroicidade.
Para teóricos como Maurice Halbawchs, há uma nítida distinção entre memória colectiva e memória histórica: pois enquanto existe, segundo ele, uma História, existem muitas memórias partilhadas. E enquanto a História representa fatos distantes, a memória age sobre o que foi vivido. Portanto, é neste vazio que se abre espaço para a HISTÓRIA OFICIAL, que é a historiografia produzida visando a defesa dos interesses tanto de um governante quanto de uma autoridade religiosa, de uma corporação urbana etc. Logo, esse tipo de historiografia é um instrumento que visa divulgar uma imagem positiva daqueles nela interessado do mesmo modo, ela também pode ser escrita para contradizer uma narrativa previamente formada. Provavelmente seja por isso que os heróis nacionais são os “heróis do governo dia”. Ora vejamos nesse dia exaltamos os feitos de Eduardo Mondlane, Samora Machel, Marcelino dos Santos, Josina Machel, Joaquim Chissano, Armando Guebuza e hoje do Presidente Nhusi entre outros. As pergunta básicas que podemos fazer são estas, será que a Frelimo é o único partido que produz e reproduz Heróis? Será que essas “figuras” acima, tem capital social suficiente para serem considerados Heróis nacionais? Quais são os critérios priorizados na nossa pátria para se ser Herói e ser reconhecido na historia oficial e Historiografia nacional? Porque partidarizamos a heroicidade em Moçambique? Porque é que os nomes da oposição e Sociedade Civil não aparecem nos anais da historicidade?
Seja qual for a pergunta, considerar o lugar da história oficial na história da própria historiografia passa pelas respostas que cada um de nós dará as perguntas acima.
Nestes termos, pode-se dizer que a História a Memória e a Heroicidade, estão dentro das POLITICAS PUBLICAS DO ESQUECIMENTO, portanto, nega-se a construção historiográfica para libertar o homem. Mas a memória não é apenas individual. Na verdade, a forma de maior interesse para o historiador, psicólogo, sociólogo antropólogo etc, é a memória colectiva, composta pelas lembranças vividas pelo indivíduo ou que Ihe foram repassadas, mas que não Ihe pertencem somente, e são entendidas como propriedade de uma comunidade, um grupo. Nestes termos, respeitando a memoria colectiva como um todo teríamos como actores da nossa historia diferentes figuras no mosaico da heroicidade e não apenas um grupo de elite politica. Outros “Herois” como Urias Simango, Paulo Gumane, padre Mateus Gwengere, Joana Simeão, Celina Simango, Júlio Razão, Felipe Magaia, Alice Mabota etc, nunca teremos na nossa Historiografia oficial.
Mas se a tratarmos de um modo não linear mas circular, a memória pode aparecer duas vezes ao longo da nossa análise: antes de mais, como matriz da história, se nos colocarmos no ponto de vista da escrita da história, depois como canal da reapropriação do passado histórico tal como nos é narrado pelos relatos históricos. Mas esta modificação do ponto de vista não implica que abandonemos a descrição fenomenológica da memória em si, seja qual for a sua ligação com a história. Não poderíamos falar seriamente da reapropriação do passado histórico efectuado pela memória, se não tivéssemos, considerado previamente, os enigmas que incomodam o processo da memória enquanto tal.
Gostaria de dizer algumas palavras a propósito da história como epistemologia. Não podemos economizar esta etapa na medida em que a recessão da história, como modo de apropriação do passado pela memória, constitui o contraponto de toda a operação historiográfica. É na possibilidade e pretensão de reduzir a memória a um simples objecto da história entre outros fenómenos culturais que se diferenciam muito claramente as duas abordagens. Uma parte importante da batalha dos historiadores para o estabelecimento da verdade, nasce da confrontação dos testemunhos, principalmente dos testemunhos escritos; são levantadas questões: porque foram preservados? Por quem? Para benefício de quem? Essa situação de conflito não pode limitar-se ao campo da história como ciência, reaparece ao nível dos nossos conflitos entre contemporâneos, ao nível das questões fortes, às vezes formuladas colectivamente, em prol de uma tradição memorial contra outras memórias tradicionais. O dever de memória é, muitas vezes, uma reivindicação, de uma história criminosa, feita pelas vítimas; a sua derradeira justificação é esse apelo à justiça que devemos às vítimas. A historia da construção da nossa heroicidade por exemplo, tem essas características. É aí que a incompreensão entre os advogados da memória e os adeptos do saber histórico atinge o seu auge, na medida em que a heterogeneidade das intenções é exacerbada: por um lado, o campo demasiado breve da memória face ao vasto horizonte do conhecimento histórico; por outro, a persistência das feridas feitas pela história; por um lado, o uso da comparação em história, por outro, a afirmação de unicidade dos sofrimentos suportados por uma comunidade particular ou por todo um povo.

Euclides Flavio, Historiador e Jornalista.


Comentários


Rogerio Antonio Um artigo bastante interessante que traz o outro lado da nossa história, particularmente a questão que tem ver com a heroicidade selectiva. O seu ponto de vista, meu caro amigo, penso que está muito bem colocado. A heroicidade selectiva é também uma questão que me inquieta, tendo em conta que temos diversas figuras da oposição ou a partidárias que os seus feitos são inquestionáveis.
Gosto · Responder · 3 · 8 h · Editado


Melody Obc "Mataram os opositores políticos (desde a luta de libertação). Ainda o fazem, dos que estão ainda vivos e no poder, de uma ou de outra forma. Alguns dos heróis que celebramos hoje (quando escrevemos ou dizemos "feliz 3 de fevereiro" ou "feliz dia dos heróis moçambicanos") matam pessoas até hoje, com políticas públicas incompetentes. Muita gente ainda morre por desvio de aplicação de fundos e recursos. Muitos dos que estão na cripta dos heróis mataram ou mandaram matar seres humanos. Alguns dos que, ainda vivos, provavelmente lá entrarão... idem. Mataram ou mandaram matar (com armas ou com corrupção, só para citar dois exemplos), vários homens, mulheres e crianças. Milhares deles. Em quê é que são diferentes do Zofimo?!" Edgar Barroso.
Trouxe esse comentário aqui porque me identifico por completo com o o ilustre Barroso disse. E o assunto abordado no teu artigo ilustre Euclides, merece esse tipo de comentário, nem mais. A selectividade da heroicidade em que se baseia? Será que só o partido produziu e produz heróis? Serão mesmo todos heróis? Que tipo?
A maquilhagem histórica é uma bomba relógio na cabeça das crianças e jovens, uma autêntica fraude.
Gosto · Responder · 3 · 8 h


Dioclécio Ricardo David Creio que o comentário de Edgar Barroso não está de todo correcto. Épocas de revolução, o Direito é suspenso. A revolução produz outras leis. Matar passa a ser permitido. É uma questão de legítima defesa dos mais altos interesses não só pessoais como nacionais! É completamente descabido e insultuoso comparar uma pessoa que possivelmente cometeu um homicídio com pessoas que agiram em defesa da pátria ou do Direito vigente na época pós revolução.
Um outro aspecto que merece reparo é a forçada equiparação da Frelimo "Frente" e Frelimo "partido". São duas coisas completamente diferentes. Mais ainda, o único movimento que esteve na vanguarda para a libertação deste país foi a Frelimo. Aliás, os opositores do dia foram membros do movimento libertário.



Dioclécio Ricardo David Euclides, se calhar por ignorância, lido o artigo ainda não consigo responder à sua questão chave: como é que a história oficial constrói nossos heróis? Clamando pela inclusão de outros, quais critérios usas para tanto?


Armindo Sequeira Mangumbule Houve uma alienação da heroicidade por parte do governo vigente. A história oficial permite—nos observar a reprodução de heróis nacionais numa primicia partidária.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Dioclécio Ricardo David Armindo, e assim não devia ser, nem? Então quais deveriam ser os critérios?
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié Quaisquer critérios são sempre controversos, Dioclécio. Mas é importante olharmos para outras esferras sociais e não monopolizarmos a heroicidade.
Gosto · Responder · 3 · 7 h


Abinelto Bié O que acontece é que os heróis proclamados nacionais aqui, são apenas de uma ala.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Dioclécio Ricardo David Abinelto, essa ala é dos que permaneceram no movimento libertário que entretanto transformou-se num partido.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié Sim, mas e os outros? Será que desde à independência ainda não houve alguém com estatuto de herói e que não tenha cunhos com o partido que outrora foi movimento libertário, como referes?
Gosto · Responder · 7 h


Dioclécio Ricardo David Entretanto fica a minha vênia pela excelente abordagem. Estás de parabéns caro amigo Euclides! Abraços
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Dioclécio Ricardo David Abinelto, se me respondesses à sua questão não mais faria a anterior! E então? "Será que desde à independência ainda não houve alguém com estatuto de herói e que não tenha cunhos com o partido que outrora foi movimento libertário, como referes?"
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Euclides Flavio Caro Dioclécio, penso nao e" passivel reduzirmos a heroicidade a um grupo, coicidentemente de uma ala partidaria. E" como se feitos simbolicos do Pais limitasem-se a questoes ideologicas. Uma pergunta retorica para si mano, sera que nao e" possivel pensar a Heroicidade noutros prismas? Nao podemos ter herois na oposicao e Sociedade Civil?
Gosto · Responder · 2 · 7 h · Editado


Abinelto Bié Certamente há, Dioclécio Ricardo David, eis a minha resposta Mas por que não são proclamados? Eis a questão! Atenção, com estatuto de herói nacional.
Mas conforme disse, a heroicidade é sempre controversa.
Gosto · Responder · 2 · 7 h


Dioclécio Ricardo David Abinelto, se existem quais são e que critérios usaste para proclama-los? O nosso país está numa letargia desde os feitos da independência. Só a Lurdes Mutola ousou fazer mais por este país! Sinceramente não vejo mais outra pessoa.
Gosto · Responder · 2 · 7 h · Editado


Dioclécio Ricardo David Euclides, o nosso país está numa letargia desde os feitos da independência. Senão a Lurdes, não mais vejo outras pessoas passíveis de elevação heróica!
Gosto · Responder · 2 · 7 h · Editado


Armindo Sequeira Mangumbule Eu penso que o único critério válido È o reconhecimento das acções de cada indivíduo dentro do seu contexto. Por exemplo, "Dlhakama È tipo como pai da democracia." Se olharmos dentro do seu contexto político parece ser válida a idéia de ele ser herói. Talvez herói para alguns.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié A própria Lurdes Mutola, por que não é proclamada heroina? Futebolistas como Joaquim João, etc.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié Embora se diga que só se dá o estatuto de herói a alguém que está morto, mas com feito positivos quando vivo.
Gosto · Responder · 1 · 7 h · Editado


Dioclécio Ricardo David Armindo, antes da guerra dos 16 anos, Moçambique era democrático. Quem disse que Dlhakama introduziu democracia?
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié Exactamente. O socialismo também era democrático. As consultas populares, etc. Era a tal democracia do leste europeu.
Gosto · Responder · 2 · 7 h


Dioclécio Ricardo David Abinelto, JJ??? Faz favor...Não tem pergaminhos dos Conde, Dário, Tico e Dominguez...não elevou a nossa bandeira o mais alto. Esse decerto não é herói!
Gosto · Responder · 2 · 7 h


Abinelto Bié Hahahaha Daí que digo,este assunto não reúne consenso.
Gosto · Responder · 1 · 6 h · Editado


Armindo Sequeira Mangumbule Acho que falta há da idéia de consciencialização da heroicidade. Eu desafio Euclides Flavio, a produzir um artigo que aborda profundamente a consciencialização de heroicidade. Procurando desmitificar e desconstruir as falácias da heroicidade selectiva.
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Dioclécio Ricardo David Abinelto, pois!
Gosto · Responder · 6 h


Abinelto Bié Ya, não é nada consensual.
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Euclides Flavio Armindo Sequeira Mangumbule, penso o desafio nao e" so meu mano, e" nosso. Hhehehehehehe.
Gosto · Responder · 6 h · Editado


Armindo Sequeira Mangumbule Caro Dioclecio Ricardo David, antes da guerra dos 16 anos a idéia que têm que todo mundo devia pensar Frelimo. Contudo, se existia democracia dentro do sistema social na base de consulta isso não se pode chamar democracia. Democracia È pensar diferimento. Eu usei o exemplo de Dhlakama para desconstruir a idéia de heroicidade seletiva, assim como podia usar o exemplo dos nossos atletas.
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Dioclécio Ricardo David Armindo, o socialismo pode ser democrático. Claro que os padrões democráticos que vivemos hoje são diferentes dos vividos naqueles tempo como também são diferentes do que foram fixados na segunda República.
Gosto · Responder · 6 h


Sergio Serpa Salvador Vamos concentrar-nos no artigo do Euclides. Paremos com discussões ideológicas. Não há dúvidas da partidarização dos heróis em Moçambique. Isso é facto. Agora, a questão é: como construirmos os heróis fora desse esquema dogmático? Como criar heróis de "consenso"? Os moldes da construção da actual "heroicidade" não ajudam a construir a unidade nacional que tanto cantamos.


Kelliz Elisa Mite Penso que é dos melhores artigos que ja consume na vida. Temos falado muito sobre Heroismo. Mas nunca ninguem tinha problematizado a este nivel. Memoria, Historia e cosntrucao da heroicidade e" um tema complexoo. parabens pelo artigo bem consgo na minha opinião. Avante Euclides Flavio.
Gosto · Responder · 1 · 7 h


Abinelto Bié "Quais são os critérios priorizados na nossa pátria para se ser Herói e ser reconhecido na historia oficial e Historiografia nacional? Por que partidarizamos a heroicidade em Moçambique? Porque é que os nomes da oposição e Sociedade Civil não aparecem nos anais da historicidade? (...)"

A heroicidade selectiva é, sem dúvidas, o modus operandi dos que dirigem o nosso Estado, a partidarização da heroicidade espelha a monopolização do poder politico e a alienação do poder social.

Eis as questões!

Excelente artigo, grande Euclides Flavio. Este tem que nao estar no jornal, sem dúvidas.
Gosto · Responder · 1 · 7 h · Editado


Rafael Ricardo Dias Machalela Euclides, acha que nos tempos modernos há heróis? Iremos declarar heróis ou todo o processo de recrutamento de heróis deu-se por terminado no ano 1975? Abraços
Gosto · Responder · 2 h


Homer Wolf Atão não há heróis hoje em dia?
Gosto · Responder · 1 h


Rafael Ricardo Dias Machalela É isso mesmo que eu quero saber.
Gosto · Responder · 1 h


Homer Wolf E os famosos HD são o quê então?... eh eh eh

Gosto · Responder · 1 h


Rafael Ricardo Dias Machalela Tsc. Hehehehehe. São Heróis lá fora. Aqui são erróis por questionar muito.


Homer Wolf Eu gostaria de conseguir perceber algumas passagens - que parecem cruciais. Uma delas é esta:

« É aí que a incompreensão entre os advogados da memória e os adeptos do saber histórico atinge o seu auge, na medida em que a heterogeneidade das intenções é exacerbada: por um lado, o campo demasiado breve da memória face ao vasto horizonte do conhecimento histórico; por outro, a persistência das feridas feitas pela história; por um lado, o uso da comparação em história, por outro, a afirmação de unicidade dos sofrimentos suportados por uma comunidade particular ou por todo um povo.»...
Gosto · Responder · 1 h


Dércio Tsandzana Para mim o cume da publicação está aqui:
‘’As pergunta básicas que podemos fazer são estas, será que a Frelimo é o único partido que produz e reproduz Heróis? Será que essas “figuras” acima, tem capital social suficiente para serem considerados Heróis nacionais? Quais são os critérios priorizados na nossa pátria para se ser Herói e ser reconhecido na historia oficial e Historiografia nacional? Porque partidarizamos a heroicidade em Moçambique? Porque é que os nomes da oposição e Sociedade Civil não aparecem nos anais da historicidade?’’, se respondermos isso voltarei a comentar.
Gosto · Responder · 2 · 1 h


Homer Wolf BINGO!... Para mim mais do que o "cume", isso é que é efectivamente o post...
Gosto · Responder · 2 · 1 h


Carlos Da Fonseca O post tinha que ser só isso, apenas isso.
Gosto · Responder · 2 · 1 h


Homer Wolf Ntsém
Gosto · Responder · 1 · 1 h


Homer Wolf Ao contrário dos chapeiros, este devia ser multado por "alongamento de rotas"...
Gosto · Responder · 2 · 1 h


Emidio Beula Homer Wolf Definitivamente, você não está bem de cabeça. O autor do texto bem alertou-nos, na véspera, que o texto não seria curto não... Duas páginas.
Gosto · Responder · 1 · 42 min


Homer Wolf eh eh eh... havia me esquecido. Escapou à multa...


Juma Ali Ali EU CHORO PELO DR ED MONDLANE POR NAO TER LHE DADO A OPORTUNIDADE DE DESFRUTAR OS SEUS ESTUDO VITIMA DE INVEJA E GANANCIA PELO PODER O LAMENTAVEL AINDA QUE SEMPRE QUE SURGE UM COMPATRIOTA COM UMA CERTA LINHAGEM EH COMBATIDO ATE MORTO. TRISTE!!! OLHA ACREDITEM A BOMBA K ASSASSINOU O ED MONDLANE CHEGOU ATE ELE ATRAVES DOS COMPANHEIROS MAIS PROXIMOS A IDEIA PODE SER DOS COLNIALISTAS MAS O COLONIALISTA NAO PODIA CHEGAR PERTO DE DR MONDLAN.

ACREDITEM A BOMBA K ASSASSINOU O ED MONDLANE CHEGOU ATE ELE ATRAVES DOS COMPANHEIROS MAIS PROXIMOS A IDEIA PODE SER DOS COLNIALISTAS MAS O COLONIALISTA NAO PODIA CHEGAR PERTO DE DR MONDLAN
Apaguei o post. Fiquei com menos amigos. A verdade é selectiva. Feliz dia dos heróis moçambicanos.
Gosto
Comentários
Danilo da Silva
Danilo da Silva Amigos não têm de concordar com tudo o que a gente faz ou diz... 
foi um momento infeliz, mas a vida continua.
Watson Postmortem
Watson Postmortem Você Edgar Barroso
Bruno Mabilana
Bruno Mabilana o post podia ser visto de varias perspectivas mas, infelizmente as pessoas fixaram-se em apenas uma. Enfim
Gosto · 6 · 3/2 às 12:53
Cremildo Bahule
Cremildo Bahule Podes partilhar o que disseste, por favor. Inbox.
Jose Cossa
Jose Cossa Positivo! viva a humanidade. ainda eh possivel.
Sura Rebelo
Sura Rebelo Temos tantos herois.....
Gosto · 2 · 3/2 às 12:53
Milagres Zacarias Cupula
Milagres Zacarias Cupula Agora entendo Donald Trump
Gosto · 3 · 3/2 às 12:54
Izard Edson
Izard Edson Neste mundo nem tudo o que pensamos ou idealizámos podemos exteriorizar ou seremos crucificados. A vida continua...
Gosto · 7 · 3/2 às 12:55
Carlos De Sousa Tivir
Carlos De Sousa Tivir A crise diminue o senso de humor das pessoas.
Gosto · 5 · 3/2 às 12:58
Emmanuel Rassul
Emmanuel Rassul Realness 
Edgar Barroso
Edgar Barroso A maior parte dos nossos heróis mataram ou ainda matam pessoas. Não é incrível?
Carlos De Sousa Tivir
Carlos De Sousa Tivir Errata: Zofimaram* no lugar de mataram
Gosto · 4 · 3/2 às 13:03
Fernando Costa
Fernando Costa nossos de quem? cada um de nós tem os seus.. tu és um dos meus até um dia matares alguém injustamente. .
Gosto · 4 · 3/2 às 13:05
Mario Nhantumbo
Mario Nhantumbo Fernando Costa somos obrigados a venerar os mesmos "heróis" desde a pré-primária até à Universidade. Experimente ver um pouco dos manuais de Ciência Política usados na UEM, terás certeza do que digo. É verdade que cada um de nós tem os seus heróis, mas é também verdade que não conhecemos a verdade toda a ponto de escolher acertadamente os nossos próprios heróis!
Gosto · 3 · 3/2 às 13:41
Fernando Costa
Fernando Costa Não somos obrigados não. ... Eu penso por mim..
Gosto · 2 · 3/2 às 14:03
Mario Nhantumbo
Mario Nhantumbo Agora, com a idade e o background que tens! Também tenho minhas opiniões, sem negar que já tenha sido guiado.
Gosto · 1 · 3/2 às 14:05 · Editado
Rob Sau
Rob Sau O post tava bom nigga!
Gosto · 3 · 3/2 às 13:02
Emmanuel Rassul
Emmanuel Rassul
Traduzido do Inglês
Esse assunto é mais forte (entre feministas) hoje em dia como sistema 2 princesas foram vítimas de suas próprias escolhas.Ver Original
Gosto · 1 · 3/2 às 13:06 · Editado
Sandra Neves
Sandra Neves Feliz dia ficam sempre lendas quem luta pela pátria 😉
Gosto · 1 · 3/2 às 13:06
Edgar Barroso
Edgar Barroso Mataram os opositores políticos (desde a luta de libertação). Ainda o fazem, dos que estão ainda vivos e no poder, de uma ou de outra forma. Alguns dos heróis que celebramos hoje (quando escrevemos ou dizemos "feliz 3 de fevereiro" ou "feliz dia dos heróis moçambicanos") matam pessoas até hoje, com políticas públicas incompetentes. Muita gente ainda morre por desvio de aplicação de fundos e recursos. Muitos dos que estão na cripta dos heróis mataram ou mandaram matar seres humanos. Alguns dos que, ainda vivos, provavelmente lá entrarão... idem. Mataram ou mandaram matar (com armas ou com corrupção, só para citar dois exemplos), vários homens, mulheres e crianças. Milhares deles. Em quê é que são diferentes do Zofimo?!
Homer Wolf
Homer Wolf eh eh eh... afinal a lógica era essa. Confesso que náo havia percebido
Gosto · 1 · 3/2 às 13:12
Edgar Barroso
Edgar Barroso Indignação selectiva. Pensamos paroquialmente e censuramos irredutivelmente quem só pensa mais um pouco. Celebramos conveniências. Homer Wolf
Gosto · 8 · 3/2 às 13:17 · Editado
Homer Wolf
Homer Wolf É isso aí Edê... Bomba os gajos com tuas rhymes!
Gosto · 2 · 3/2 às 13:17
Edio Matola
Edio Matola não ha diferença nenhuma! Alias ja havia trazido essa abordagem na publicação que removeste! Se Zófimo, não pode ser herói ( realmente é um cobarde), porque temos na cripta localizada, nas Acordos de Lusaka, indivíduos com mãos bem avermelhadas do que ele e não questionamos? Sociedade de hipócritas!
Gosto · 9 · 3/2 às 13:20
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane te entendo, tambem tenho dito que as politicas erraticas causam mais victimas que as directas, mas uma coisa nao deveria ter nada que ver com outra.. fizeste o correcto...
Leticia De Ferrão
Leticia De Ferrão Até o Zófimo foi aplaudido por muitos Moz, nesse caso ele é herói. Então porque os teus amigos enxovalharam-te por causa daquele poste?
Gosto · 5 · 3/2 às 13:36 · Editado
Chitukulu Mucumba
Chitukulu Mucumba Ao lançares uma opinião, não espere agradar a todos, mesmo com este, há quem sempre tem algo contra. Bola pra frente, os humanistas também que guiem sua bola pra frente.
Gosto · 4 · 3/2 às 13:45
Emmanuel Rassul
Emmanuel Rassul
Traduzido do Inglês
Bala, ryt na barrigaVer Original
Cristina Ussene
Cristina Ussene É verdade. Celebra-se conveniências. Bem dito!
Sura Rebelo
Sura Rebelo Homer Wolf eu apanhei logo
Leticia De Ferrão
Leticia De Ferrão Apanhamos logo. Nem todos são inteligentes. Uns até falaram sobre o assassinato da irmã do Edgar Barroso...fez ele muito bem em estudar o comportamento humano aqui nesta rede social.
João Ferrão Júnior
João Ferrão Júnior Não há diferença nenhuma. Nossos heróis são assassinos do povo.
Gosto · 1 · 3/2 às 17:33
Antonio A. S. Kawaria
Antonio A. S. Kawaria É mesmo uma indignação selectiva.
Gosto · 1 · 3/2 às 17:59
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Políticamente nao é correcto.. Ademais essa miuda foo víctima de violencia doméstica.. Nao ha lugar..
Antonio A. S. Kawaria
Antonio A. S. Kawaria Lyndo A. Mondlane alguns pontos:
1) As pessoas podem e com direito criticar a comparacão que por acaso aparece na última frase, mas duvido que seja a razão suficiente para bloqueio ou o fim de amizade. Isso é extremismo. 
2) Assisti aqui no facebook al
gumas manifestacões quase iguais quando Jeremias Pondeca foi barbaramente assassinado. Estranhamente as mesmas pessoas reagiram de forma contrária aquando o assassinato da Valentina. 
3) As manifestacões em Mocambique sobre as mortes sejam de que lado, são para mim algo que precisa de muita atencão, muita reflexão por parte da academia, sociedade mocambicana porque é indicacão que há muita mágoa entre os mocambicanos. Eu duvido que os bloqueios e inimizade seja a melhor solucão. Isso é impor o medo.
4) No texto supra, para além da comparacão tem um conteúdo de chamamento à REFLEXÃO. Houve muitos mocambicanos mortos e de forma bárbara desde a luta pela independência, imagine da forma como Silvério Nungo foi morto, como nacionalistas foram mortos em M'telela, etc. Estamos a saber também que nos inculcar mentiras na justificação das mortes que cometeram. Muitos desses que cometeram essas mortes foram hoje à Praça dos Heróis para dizerem o que disseram sem pedirem desculpas aos familiares das suas vítimas.
5) No texto refere os que ainda são mortos de forma bárbara e nós todos sabemos dos esquadrões da morte e conhecemos as suas vítimas. 
- A MINHA PERGUNTA É SE ESSES BONS HAVIAM SEQUER COMENTAR SE O Edgar Barroso parasse no seu texto sem colocar lá o tal Zofimo. O que tu dizes?
- O caminho será mais inimizade ou VERDADE E RECONCILIACÃO?
Gosto · 2 · 3/2 às 19:44
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Sao todos miseraveis, ja seja Pondeca ou valentina
Leticia De Ferrão
Leticia De Ferrão Lyndo A. Mondlane, tens falta de argumentação e o que tu escreves não se entende.
Matias De Jesus Júnior
Matias De Jesus Júnior Fizeste bem Edgar Barroso. Um grande abraço
Gosto · 2 · 3/2 às 13:09
Guiliche Schönhausen Vissaryonovytchenkowsky Bulo
Guiliche Schönhausen Vissaryonovytchenkowsky Bulo Vai lá apagar os screenshots dos celulares das pessoas 😂😂😂😂😂
Gosto · 9 · 3/2 às 13:12
Edio Matola
Edio Matola Havia escrito isso na publicação ja removida: "Sera que parafraseando o que o Edgar Barroso escreveu em : "Feliz dia de indivíduos com as mãos cheias de muito sangue, que trairam e assassinaram muita gente outrora próxima" sera que não seria uma interpretação razoável desse nosso dia? Correctamente questionamos a heroicidade do Zofimo, e agora não seria honesto estendermos o questionamento?"
Gosto · 10 · 3/2 às 13:15 · Editado
Spirou Maltese
Spirou Maltese Tinhas ido longe. Ehehehshsh
Gosto · 1 · 3/2 às 13:14
Edgar Barroso
Edgar Barroso Tinha ido longe ao dizer, numa punchline, que hoje é dia nacional dos assassinos (tirando a Lurdes Mutola ou o Craveirinha, certamente)?
Spirou Maltese
Spirou Maltese Em usar nome do Zofimo.
Spirou Maltese
Spirou Maltese Ele não é herói mas um suspeito de homicídio.
Nairinho Mabote
Nairinho Mabote O conceito de herói é subjectivo. Samora é herói pra uns e não pra outros. Dhlakama idem. Che Guevara é herói pra muitos; aos olhos dos Americanos não.
Spirou Maltese
Spirou Maltese Queiram ou não subjectivar mas neste momento o referido homem está a contas com a justiça e podem ferir susceptibilidades já agora ( e falo mesmo da parte da família do próprio).
Gosto · 1 · 3/2 às 13:50
Camilo da Silva
Camilo da Silva Edgar Barroso, eu gosto da forma cm escreves, e leio muito o que escreves, mas hj o teu post é/foi infeliz (minha opinião).
Se continuarem a justifica lo, levantas mais dúvidas nas nossas cabeças. Fizeste o correto. 
Abraço
Gosto · 3 · 3/2 às 13:22 · Editado
Edio Matola
Edio Matola sera que ele foi infeliz, ou a interpretação da nossa sociedade, da dita classe média, mentalmente formatadas, é que tenha sido infeliz? Enquanto em sociedades desenvolvidas incentiva-se a criatividade, aqui limita-se enfim!
Gosto · 3 · 3/2 às 13:32 · Editado
Camilo da Silva
Camilo da Silva Edio Matola, infeliz foi o post não o autor, se fores a ver, o autor ilucida nos, nos posts seguintes, do que quiz dizer no post q qualifico cm infeliz
Gosto · 3 · 3/2 às 13:28
Mondlane Calane Dzovo Kito
Mondlane Calane Dzovo Kito Apagaste o poste? Hehehehehhe esse nao é o Edgar que eu conheço. Feliz dia dos Zofimos tse.
Gosto · 4 · 3/2 às 13:30
Nelson Badaga Badaga
Nelson Badaga Badaga A liberdade começa com a verdade.
Gosto · 4 · 3/2 às 13:31
Estevao Mabjaia
Estevao Mabjaia
Traduzido do Inglês
Qual era a intenção? Foi só um soco? Um golpe baixo ou algo mais filosófico? De qualquer maneira, foi pouco sofisticada, inoportuna e de mau gosto.Ver Original
Gosto · 2 · 3/2 às 13:32
Nicette De Amor
Nicette De Amor Todo mundo tem o direito se interpretar da maneira que querem...viva as amizades I que nos entendem mesmo como seres imperfeitos
Mario Fernando Jamaldine Fumo
Mario Fernando Jamaldine Fumo Fizeste bem em apagar amigo.
Ketty Mirela Fumo
Ketty Mirela Fumo Manda para mim o screen. Quero ler
Malcom X Marshall Machanguana Jr.
Malcom X Marshall Machanguana Jr. Só com consentimento de Edgar...posso mandar aqui mesmo.
Mario Nhantumbo
Mario Nhantumbo Se te largaram por pensares e te expressares diferente, sinal de que não eram amigos.

Sabes bem, Edgar Barroso, que eles também pensam o mesmo só não tem tomates de admitir isso em público e, para salvar sua pele preferem banir todo e qualquer que se 
manifestar. Como disse anteriormente, somos obrigados ou ensinados a venerar os mesmos homens "heróis" com histórias mal contadas em que só te dão a conhecer apenas um lado dos acontecimentos. Não me recordo do autor, mas repasso "Numa guerra, os vencedores são heróis e, os derrotados são vilões" - Não te esqueças disso, nossa história precisa ser reescrita.
Gosto · 6 · 3/2 às 13:46
Angela Maria Serras Pires
Angela Maria Serras Pires Edgar Barroso foste mais perspicaz que os ofendidos hahaha
Gosto · 2 · 3/2 às 13:48
Eusebio Jose
Eusebio Jose Mas ficou o alerta da herocidade do homem, os historiadores tem mais um elemento para escrever a nossa historia...
Gosto · 3 · 3/2 às 13:53
Iris Maria Monteiro
Iris Maria Monteiro Eu ainda não percebi tanta crítica a um post eu preferia entender o porquê do post isso é que deveria importar 😊
Gosto · 2 · 3/2 às 13:56
Marcelo Machava
Marcelo Machava Se tivesses escrito que aqueles que empobrecem o país com dívidas do roubo e dizem que fariam isso mais vezes são heróis, terias recebido muitas palmadinhas nas costas. Idiotas
Gosto · 8 · 3/2 às 13:56
Nelson Badaga Badaga
Nelson Badaga Badaga São pessoas que depedem muito de opiniões dos outros. Santa hipocrisia
Gosto · 1 · 3/2 às 13:59
Mouzinho Zacarias
Mouzinho Zacarias Eg dar o povo está contigo!!!
Nteasse Sumbana
Nteasse Sumbana Eh meu rebelde, aprontaste o quê? :-O
Gosto · 1 · 3/2 às 14:14
Rebeca Cipriano
Rebeca Cipriano Boaaaaaaa! Kkkk
Imelio Nhacundela
Imelio Nhacundela Eu acho que agiu muito bem em ter apagado o " post"
Leonel Matusse Jr.
Leonel Matusse Jr. "A verdade é selectiva"... Forte!!
Mestre Saramago Sanzala
Mestre Saramago Sanzala Moçambicano é medroso pá...sair a rua reivindicar direitos tem medo, escrever também tem medo, ler o que os outros com bolas escreveram sente-se com medo. Haaaaaa deixem Edgar Barroso. Zofimo is my big heroe, acho que teria feito o mesmo e se calhar com bazuca
Gosto · 6 · 3/2 às 14:51
Paula Martins
Paula Martins Não sei o que escreveste Edgar Barroso, nem me interessa certamente, assuntos nacionais que não são minha guerra. Sei sim que tu ouves a todos, respondes diplomáticamente a todos e portanto nesse contexto deverias ter o mesmo direito. Não gostam, não lêem, não comentam se querem comentar, expliquem o ponto diplomáticamente sem hipocrisias, tendenciosismos ou agressões. That`s it.....
Gosto · 4 · 3/2 às 15:02
Sura Rebelo
Sura Rebelo Aqui? Mais depressa o gato anda de bicicleta
Gosto · 1 · 3/2 às 15:09 · Editado
Martha Baloi
Martha Baloi Moçambicano e' muito rancoroso, guarda magoas, não sabe perdoar, esse comportamento de alguns torna-nos mesquinhos que situacao. O Edgnar so' escreveu o que sentiu naquele momento...para queh julgar? oh mocambicanos...
Gosto · 1 · 3/2 às 15:10
Giro da Fonseca
Giro da Fonseca "The revolution won't be televised".Ver Tradução
Belito Abel Menete
Belito Abel Menete Há dias da caça e há dias do caçador!
Gosto · 2 · 3/2 às 15:58
Hercilio Chinguvo
Hercilio Chinguvo Mas wena pah !!
Augusto De Almeida
Augusto De Almeida
Traduzido do Inglês
Puta merdaVer Original
Gosto · 1 · 3/2 às 16:26
Décio Setemane
Décio Setemane kaaakaaqkqkqqq. Repõe o post
Dereck De Zeca Mulatinho
Dereck De Zeca Mulatinho Obrigado Edgar.
Abraços e a luta continua!
João Langa Muianga
João Langa Muianga Tu não ficaste com menos amigos, pelo contrário, os que te criticam pelos erros querem construir-te e esses são os teus bons amigos mas podes crer que aqueles que te vê errar e darem-te elogios não sao bons amigos. Abraço fraterno!
Gosto · 5 · 14 h · Editado
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Essa parece q é a mentalidade geral do pais, quem avisa dos erros é considerado inimigo. Pelos vistos a nivel estatal, partidario, incluso individual. Estamos fritos
Gosto · 4 · 3/2 às 17:29 · Editado
Julio Lilito Boene
Julio Lilito Boene João Langa Muianga, fizeste a minha tarde.
Gosto · 1 · 3/2 às 19:14
Victor Sengo
Victor Sengo Manda me o post no inbox bro... Please
Gosto · 1 · 3/2 às 17:00
Horácio André Cuna
Horácio André Cuna Edgar Barroso, cresci a falar changana em Chibuto, pelo que o português por vezes me atrapalha. Podes trocar em quinhentas este teu post, sff? "Apaguei o post. Fiquei com menos amigos..." A minha dúvida é se apagaste o post por teres perdido amigos, ou se perdeste amigos por teres apagado o post? Please, help
Gosto · 2 · 3/2 às 17:21
Edgar Barroso
Edgar Barroso as duas coisas.
Gosto · 1 · 3/2 às 21:41
João Ferrão Júnior
João Ferrão Júnior o pior é que os verdadeiros heróis nem são aplaudidos só o punhado de assassinos do povo, "combatentes da fortuna". Lutaram para substituir o colono e piorar a vida do povo que acredito que sofria menos do que agora.
Samuca Kg
Samuca Kg Kkkkkkkkkkkk
Edgar Malungane
Edgar Malungane Maningue!!!
Julio Lilito Boene
Julio Lilito Boene Edgar Barroso, sou de opiniao que foste longe demais. Ainda acredito que nao perdias nada, com um pedido de desculpas. Enfim, tu e que sabes de ti. Abracos
Gosto · 2 · 3/2 às 19:16
Carlos Guttendorf Cipriano
Carlos Guttendorf Cipriano Cancro tem de ser morto. Nao há forma de tratar.
Gosto · 1 · 3/2 às 19:22
Antonio A. S. Kawaria
Antonio A. S. Kawaria 1) As pessoas podem e com o direito criticar a comparacão que por acaso aparece na última frase, mas duvido que seja a razão suficiente para bloqueio ou o fim de amizade. Isso é extremismo. 
2) Assisti aqui no facebook algumas manifestacões quase iguai
s quando Jeremias Pondeca foi barbaramente assassinado. Estranhamente as mesmas pessoas reagiram de forma contrária aquando o assassinato da Valentina. 
3) As manifestacões em Mocambique sobre as mortes sejam de que lado, são para mim algo que precisa de muita atencão, muita reflexão por parte da academia, sociedade mocambicana porque é indicacão que há muita mágoa entre os mocambicanos. Eu duvido que os bloqueios e inimizade seja a melhor solucão. Isso é impor o medo.
4) No texto supra, para além da comparacão tem um conteúdo de chamamento à REFLEXÃO. Houve muitos mocambicanos mortos e de forma bárbara desde a luta pela independência, imagine da forma como Silvério Nungo foi morto, como nacionalistas foram mortos em M'telela, etc. Estamos a saber também que nos inculcaram mentiras na justificação das mortes que cometeram. Muitos desses que cometeram essas mortes foram hoje à Praça dos Heróis para dizerem o que disseram sem pedirem desculpas aos familiares das suas vítimas.
5) No texto refere os que ainda são mortos de forma bárbara e nós todos sabemos dos esquadrões da morte e conhecemos as suas vítimas. 
6) Eu proponho ao Edgar Barroso para retirar do texto o tal Zofimo que eu próprio detesto, e daí vermos a reaccão dos mocambicanos em relacão as outras mortes ou outros assassinatos e os respectivos assassinos.
- A MINHA PERGUNTA É SE ESSES BONS HAVIAM SEQUER COMENTAR SE O Edgar Barroso parasse no seu texto sem colocar lá o tal Zofimo. O que tu dizes?
- O caminho será mais inimizade ou VERDADE E RECONCILIACÃO?
Gosto · 3 · 9 h · Editado
Julio Da Wilka Edwin
Julio Da Wilka Edwin Seu fraco. Não há coerência aqui.
Alíh Muera Mucauro
Alíh Muera Mucauro Kikikikikikikikiki Zofimo deu o primeiro tiro na luta contra Guebuza :-) :-) :-) :-)
Cléo Marley Mafu
Cléo Marley Mafu Nao te entendem 😂😂😂😂😂😂
Gosto · 1 · 3/2 às 22:36
Circle Langa
Circle Langa Três coisas estão longe de cessar no Facebook, (i) o policiamento ideológico, (ii) a intolerância pelo pensar diferente e (iii) a incoerência nas contestações. O que está por trás destes três pontos é o hábito do indivíduo impor seu pensamento (sem recurso ao método e retórica) sobretudo quando tem a convicção de ter "capital social" para o efeito. Li o texto "FELIZ DIA DO ZOFIMO" e não tive bases para reagir objectivamente pelo facto de ser muito subjectivo. Seria cauteloso da minha parte, primeiro, questionar ao autor o sentido do texto, num contexto em que é comum editar posts sarcásticos e com propensão para o escárnio. Como não o fiz, ao invés de julgar, optei pelo silêncio, aliás, o silêncio é o argumento mais difícil de rebater. "MUÇAMBIKANU" PAH.
Gosto · 4 · 11 h
Antonio A. S. Kawaria
Antonio A. S. Kawaria Foi boa atitude
Gosto · 1 · 9 h
Mwatembe Mwatembe
Mwatembe Mwatembe Estás coberto de razão circle. Dois autores brasileiros, nomeadamente Rubim e Colling defendem que a midia, de uma forma geral, constitui a nova esfera pública. Habermas inicialmente teorizou esfera pública como sendo um espaço de debate público, crítico e racional o que pressupõe que ela seja uma arena de batalhas discursivas. Essa batalha discursiva ocorre porque cada um defende seus interesses, isso não é mau. Todavia, o importante é que essa batalha ocorra apenas ao nível discursivo.


Perspectivas#

"PODEM NAO ME VOTAR. NAO ESTOU PREOCUPADO. MEU VOTO GUARDO EM BAIXO DA MINHA CAMA"

Estas palavras na frase acima, escaparam da boca de um quadro dos gatunos da frelimo em Boane, num ambiente publico, porem revelando para nos um dos segredo nas fraudes eleitorais.


Ok! Saber que organizar, fazer campanha e votar em urnas e uma fantochada (faz de contas) democratica, todos nos sabemos.
Saber que frelimo nunca ganhou em votos populares nas urnas, todos nos sabemos.
Saber que frelimo guarda boletins e editais em baixo das suas camas, todos nos sabemos.
Saber que frelimo atraves do STAE e CNE inventa numeros dos resultados, todos nos sabemos. Etc

Mas, nos povo, ainda nao sabemos como acabar duma vez por todas a estes filmes anti democraticos e anti Paz, que so retardam o desenvolvimento de Mocambique.
Temos que comecar ja a perspectivar para o futuro, as possiveis medidas activas, contra frelimo fraudulento e seus protetores a PRM.

Be Focus



Gote Rafa Esse é assunto muito amplo pra o povo que não tem como livrar se dessa situação. Precisamos de um mestre verdadeiro para nos ajudar.
Gosto · Responder · 3 h


Mangane Mangane Bala Pais de faz de conta.
Gosto · Responder · 3 h


Annlawi Annlawi Jr kkkkkk ya muito grave..mas como e africa assim ficara, os proprios partidos de oposicao nao tem estrategias pra contornar isto, falts lhes um pensar mais incisivo, tactico e infalivel..
Gosto · Responder · 2 h


Dinho Da Rocha Desta vez veremos pork temos muito tempo para preparar e lutar de dentes e unhas frelimo nao é um animal de 7 cabeças e nao é dono do país juntos lutaremos nem se for preciso votar 10 vezes pela unica eleiçao para paz e o bem estar do povo sofredor eu estarei de corpo e alma o meu voto conta


PIMO - Bloco de Orientação Construtiva adicionou 3 fotos novas.
1/2 às 16:32 ·


PRESIDENTE NYUSI, NOMEIA GENERAL LAGOS LIDIMO PARA O CARGO DE DIRECTOR GERAL DO SISE

O nosso comentário vai ser muito aparente, visto que em matéria de Segurança à nossa intervenção é muito limitada!

Acreditamos de boa FÉ, que a nomeção do General para a Chefia do SISE, em substituição do anterior, foi movida num bom espírito constitucional, pois o anterior já tinha cumprido com os dois mandatos que geralmente têm sido observados como limite normal para os dirigentes de algumas instituições do Estado!


A dura Missão de Filipe Jacinto Nyusi para liderar o processo de transição geracional do Poder detido pela geração de 25 de Setembro, desde 1975, para às mãos da nova geração, pode estar por detrás da escolha de um veterano da Luta de Libertação Nacional com experiência profunda da matéria de segurança, pois o Nyusi, na sua qualidade de Comandante em Chefe deve admitir erros de pequena margem em matéria tão sensível, como a Segurança do País!

Não conheço Sérgio Cabá, mas admitindo uma especulação, que seja um quadro superior do SISE que conheça melhor os cantos da casa, acreditamos mais uma vez, que a definição do Cargo de Director Nacional Adjunto, vai ajudar bastante o General Lidimo à conjugar à sua experiência em Segurança militar com a Segurança do Estado, pois deve-se evitar erros de confundir às funções da segurança do Estado com as da segurança de um Partido Político, principalmente neste momento da construção e separação dos Pilares do Poder do Estado de Direito e Democrático, patente em Moçambique!

Filipe Nyusi, reparando para o mosaico dos quadros que arquivam nas suas memórias dossier's que dominam à longa experiência em matéria de Segurança, apoiamos o mérito da escolha de Lidimo, pois desde à luta de Libertação, o General já exercia essas funções nas Zonas Libertadas!

Nyusi, como Chefe do Estado e Comandante em Chefe das FDS, esperamos que encontre os melhores Conselheiros à partir da dupla LIDIMO/CABÁ em matéria de Segurança do Estado e faça do seu mandato de transição Geracional um sucesso que vai permitir no futuro a nomeação de quadros da presente geração, para lidarem com o devido respeito e reconhecimento do papel histórico dos antigos combatetentes da Luta de Libertação Nacional e da luta pela Democracia, pois pelo contrário, nós os ex-comatentes corremos o risco de ser excluídos no processo de Desenvolvimento do País, alegando à teoria de que "Deus para todos cada um por si próprio"!

É o que está a acontecer no presente momento: a Independência para todos, mas cada um por si próprio!

Como assim?

O signatario deste post, conheceu de perto o General Lidimo à partir da data em que foi nomeado como Chefe da Direcção da Contra Inteligência Militar do Estado Maior General das FPLM, em substituição do Comandante TCHAUMA, primeiro Chefe CIM, que foi nomeado durante à formação do EMG das FPLM em 1974!




Julião João Cumbane com Julião João Cumbane.
1/2 às 17:17 ·



Primeira excelente "chamada" de 2017


Filipe Nyusi, Presidente da República de Moçambique, acaba de tomar a sua primeira excelente decisão de 2017, ao nomear o general Lagos Lidimo para o cargo de Director-geral do Serviço de Informações e Segurança do Estado (SISE).


A decisão é excelente porque coloca a pessoa certa no lugar e momento certos da história de governação de Moçambique pela Frelimo. Quem conhece Lagos Lidimo como quadro destacado das forças de defesa e segurança da República de Moçambique, e acompanha atentamente os eventos sociopolíticos e socioeconómicos deste país, estou em crer que entende a razão que me faz considerar esta nomeação como uma "excelente decisão" de Filipe Nyusi—a primeira deste ano de 2017, logo a seguir à entrada no terceiro ano do seu mandato.

Estou feliz!



Bruno de Mello Bem vindo a nossa casa Camarada Lagos
Gosto · 2 · 1/2 às 18:37


Zuzu Miloca Homem firme
Gosto · 1 · 1/2 às 18:58


Joana Nyusi Hufff esta de parabens.....
Gosto · 1 · 1/2 às 19:05


Rildo Rafael Quem conhece Lagos Lidimo como quadro destacado das forças de defesa e segurança da República de Moçambique, e acompanha atentamente os eventos sociopolíticos e socioeconómicos deste país, estou em crer que entende a razão que me faz considerar esta nomeação como uma "excelente decisão" QUAL É A RAZÃO? Julião João Cumbane?
Gosto · 3 · 1/2 às 19:37


Homer Wolf Bingo!... O Profe falou e NÃO disse
Gosto · 4 · 1/2 às 20:03 · Editado


Zeca Becane Felisberto Sibia Queria escrever kkkkkk

Mas evito para nao ser bloqueado
Gosto · 1 · Ontem às 13:51


Homer Wolf A decisão é excelente porque coloca a pessoa certa no lugar e momento certos?... Isso não é justificação
Gosto · 3 · 1/2 às 20:06


Camilo Langa Prof traga mais substância sobre o assunto. Tente elaborar por favor
Gosto · 1 · 1/2 às 21:10


Homer Wolf Por exemplo, num outro post, li uma opinião completamente diferente (porém fundamentada) sobre o mesmo personagem. Podemos não concordar mas ao menos o artculista FUNDAMENTA...
Diz assim:

« Lagos Lidimo foi chefe adjunto provincial de segurança na província de Cabo Delgado durante a luta armada de libertação nacional. Juntamente com Salésio Nalyambipano, coordenou a base Moçambique D, que depois da conquista da independência foi transformado em centro de reeducação, mais conhecido por Ruarua.
Graves violações da legalidade foram perpetradas no centro. Aí permaneceram antigos combatentes da luta de libertação nacional e presos políticos, todos vítimas da barbárie denunciada por aqueles que de lá conseguiram escapar com vida.
Além do cargo que desempenhou em Ruarua, Lidimo foi chefe da Contra-inteligência Militar, órgão do Ministério da Segurança (SNASP), responsável por outros actos de barbárie, tal como o recentemente denunciado nesta rede social por Edwin Hounnou a dar conta da morte trágica do irmão, Fernandes Baptista, membro do Comité Central Frelimo.
Na CIM, Lidimo actuou em estreita colaboração com os ministros da segurança Jacinto Veloso e Sérgio Vieira. O Dr. José C. Massinga, antigo quadro superior do Ministério dos Negócios Estrangeiros, narra num livro, «The Life and Walks of Dr. José C. Massinga», os actos de tortura de que foi vítima na BO (Brigada de Operações), na Machava, às mãos do SNASP.
Durante a guerra entre a Renamo e o governo da Frelimo, Lidimo foi comandante militar da Província da Zambézia, cargo que ocupou de 1986 a 1989. E evidenciou-se nesta etapa da sua carreira pela crueldade para com suas próprias forças no teatro das operações, conforme narra o autor do livro, «Análise Estratégica da Liderança na Guerra em Moçambique», Joaquim Manjate.
A nomeação de Lagos Lidimo anunciada hoje é um grave retrocesso no processo de edificação da democracia e da legalidade no nosso país e um atentado à memória dos que morreram em Moçambique D/Ruarua desde a luta armada até à conquista da democracia em 1992, enlutando a Pátria Amada.»
Gosto · 10 · 1/2 às 21:20 · Editado
Ocultar 16 respostas


Azarias Felisberto Parabens por este comentario oh dr Homer Wolf. Então nada vale congratular este homem . Aqui em casa o sistema promove os maus e exonera os bons .
Gosto · 2 · Ontem às 0:28


Julião João Cumbane ...
Homer Wolf, a opinião que trazes aqui não tem nenhum fundamento e revela uma ignorância do seu autor sobre o papel do serviço de inteligência de um Estado. Lagos Lidimo é (i) pessoa certa, (ii) no lugar e momentos certos, sim senhor. Primeiro, porque Lagos Lidimo já provou, ao país e ao mundo, ser diligente no comando do exército de agentes que recolhem, processam e analisam dados sobre eventos sociopolíticos e socioeconómicos para servir o processo de tomada de decisões informados pelo Chefe do Estado. E segundo, porque o momento de trégua que vivemos tem que ser assegurado como ponto de partida para o alcance de uma paz efectiva em Moçambique. Afonso Dhlakama e Lagos Lidimo "conhecem" suficientemente bem as artes da guerra e da guerrilha, alguma vez já estiveram do mesmo lado, uma vez já se confrontaram no teatro das operações, e juntos partilharam responsabilidades no processo de formação do exército único, que ficou inconclusivo porque então Comandante-chefe, Joaquim Chissano, não se aplicou até onde a lei lhe permitia, por razões que só ele pode explicar. Portanto, trazer Lagos Lidimo como conselheiro do PR na discussão das questões sobre desmilitarização da Renamo é, sem dúvida alguma, uma decisão excelente neste momento de trégua.
Gosto · 3 · Ontem às 12:02


Homer Wolf Agora sim Profe, fundamentou... Pese embora eu "não compre" essa fundamentação
Gosto · 1 · Ontem às 12:07


Homer Wolf Veja o que diz o Canal de Moçambique

Gosto · Ontem às 12:16


Amad Ravia Canal de Moçambique diria algo diferente do que isso? Alguém está espantado com essa manchete? E vejo que ainda ha pessoas que se apoiam e formam suas opiniões e idéias baseando-se na linha editorial desse jornal.
Gosto · Ontem às 12:34


Julião João Cumbane Eu não exponho a minha opinião para tu "comprares" necessariamente, ó Homer Wolf! Eu vejo os eventos com os meus olhos e os julgo com o conhecimento que tenho sobre o passado e o presente. Tu idem. Ocorre que o nosso passado só tem uma região de intersecção, o meu sendo mais longo que o teu. Logo, não podes julgar razoavelmente os eventos de um passado que não viveste, razão pela qual não podes ter a mesma leitura que a minha sobre o presente. A tua lanterna não produz feixe suficientemente forte para ver longe no passado de modo ajudar-te a entender melhor o presente. Não "compra" o que não podes, mas podes aprender a apreciar, dsito tenho eu certeza! Sabes? Tu podes prever melhor o futuro, mas só te empenhares em entender melhor o passado que não viveste. Foi assim que Einstein, Newton, Galilei, Dirac, Feynman, entre outros, foram capazes de influenciar o pensamento humano sobre a Natureza.
Gosto · Ontem às 13:06


Rildo Rafael Julião João Cumbane: O facto do General Lagos Lidimo ter ocupado posições similares num passado recente não é condição necessária e suficiente para ser a pessoa certa para ocupar esta posição num contexto totalmente diferente daquele em que o recem nomeado exerceu as funções. Ter feito parte do Coamndo Geral do Exército de agentes que processam informação (exército) é processar com eficácia e eficiência? Uma coisa é fazer parte duma equipa e outra é dar o devido tratamento desta informação! De que forma o novo timoneiro da secreta moçambicana pode dar o seu contributo para a "PAZ EFECTIVA"? O facto de ambos conhecerem as tácticas militares e de se conhecerem mutuamente é razão para uma escolha acertiva? Porque? Julião João Cumbane? Homer Wolf são algumas das questões que gostaria que o Julião João Cumbane clarificasse! Um abraço para os dois?
Gosto · 1 · Ontem às 17:40


Amad Ravia Rildo Rafael tendo em conta que acções ou actividades da secreta sempre foram secreta como saber se um determinado cidadão é competente para actividades da secreta se as tais actividades são secretas, e só quem é da secreta conhece as capacidades de cada membro da secreta? Logo não foi atoa a indicação do general Lidimo, a indicação dele se calhar foi baseado nuna série de contribuições que ele deu a secreta ao longo da sua vida, daí viram eles que o Lidimo tinha requisitos para tal cargo. Quem sabe?
Mas oque sei é que ninguém de nós (desconhecedores das artimanhas dessas actividades e os metodos da secreta) está em condições para indicar quem é competente ou não para tal.
Gosto · Ontem às 18:48 · Editado


Julião João Cumbane E por que tem que ser o Julião João Cumbane a dar resposta às tuas questões, ó Rildo Rafael? Apresenta a tua argumentação contra a decisão do PR. Eu apresentei a minha a favor. Não basta dizer "não basta", explica por que achas que "não basta". Para já, em termos de contexto, não existe muita diferença, qual pretendes fazer crer aqui. Lagos Lidimo e Afonso Dhlakama ambos sabem (o pelos pelos deviam saber) onde que foi que falhou o processo de pacificação efectiva de Moçambique. A guarda armada privada da Renamo não devia ter continuado até depois da entrada em funções do Governo saído das eleições gerais de 1994. É essa guarda privada (que amiúde se chama "força residuais da Renamo") que volta-e-meia Afonso Dhlakama usa para sequestrar a paz e exigir a negociação de acordos políticos pós-eleitorais para a partilha anticonstitucional do poder. Como generais que conhecem os dossiers sobre a desmilitarização da Renamo, Lidimo e Dhlakama podem ajudar a acelerar o processo de reintegração daqueles homens cujas vidas um deles Afonso Dhlakama tem estado a gerir sozinho a partir de parte incerta. ...
Gosto · Ontem às 18:52


Rildo Rafael Amad Ravia: Todas acções ou actividades da secreta sempre foram secretas? Sim, mas realizadas por homens de carne e osso! O empossamento do novo timoneiro foi um acto público! As competências dos Serviços de Informação e Segurança do Estado são do conhecimento público! As suas actividades podem ser secretas para uns e discretas para outros! Quem o nomeiou com certeza que terá acesso a informação priveligiada e incutiu certos desafios para o recém empossado... Não se trata de questionar a competência do general,mas apenas perguntar porque se acha que é a pessoa certa? Se não todos que por lá passaram foram "pessoas certas" porque sempre estiveram ligados a esta ou aquela actividade? Um abraço? Podemos dar o benefício da dúvida antes de aclamar se é ou não a pessoa certa? Um abraço...
Gosto · 2 · Ontem às 19:03


Julião João Cumbane «Podemos dar o benefício da dúvida antes de aclamar se é ou não a pessoa certa?» (sic). Quer dizer, agora TODO o mundo tem pensar a opinar a teu contento. Rebate a opinião de outrem, sem oferecer receitas de pensamento e de expressão, que ninguém solicitou. Sabes debater ideias? Se sim, então apresenta e defende a tua ideia. Se alguém se sentir contrariado vai desafiar o teu argumento. Isso é que chama debater ideias. O debate não visa necessariamente produzir consensos; visa a exposição de diferentes pontos de vista sobre um determinado assunto. Fica ao critério de cada UM julgar as diferentes ideias e aceitar ou rejeitar o que não lhe parecer fundado na razão assistida pela lógica positiva.
Gosto · 1 · Ontem às 19:17 · Editado


Rildo Rafael Julião João Cumbane: Volto
Gosto · Ontem às 19:11


Rildo Rafael Julião João Cumbane: Parece uma receita!!! Nem sempre!
Gosto · Ontem às 19:11


Amad Ravia Assim como em muitos paises o empossamento administrativo e político dos timoneiros da secreta é um acto publico e Moçambique não fugiu essa regra, as suas atribuições são de conhecimento público, mas os seus metodos e formas de trabalho não vais encontrar escrito em nenhum BR ou outras fontes públicas, por isso digo que a competência ou não do general Lidimo ao ponto de ser indicado a aquele cargo nós cá não estamos em condições de questionar ó Rildo Rafael.
Outro abraço
Gosto · Ontem às 19:17 · Editado


Homer Wolf Hmmmmm!!!... Discordo, Amad Ravia. Nos não estamos em condiçoes de questionar como assim? Os resultados das secretas sáo conhecidos sim. São divulgados até com pompa e circunstancia...
Ainda agora nas eleições americanas tivemos um exemplo disso...
Gosto · 1 · Ontem às 19:53


Amad Ravia Homer Wolf, uma vez perguntaram a um Director Geral de uma Secreta qualquer, qual é o resultado de uma Secreta? E ele respondeu, o resultado de uma Secreta é quando não acontece nada(de errado).
Mas desacordo contigo, os resultados da secreta são sempre atribuídos a outras instituições do Estado como forma de cobertura. Não confunda a realidade de EUA com as outras realidades, pior ainda a nova realidade dos EUA Trumpista.
Gosto · Ontem às 20:21 · Editado


Azarias Felisberto É muito cedo para este homem merecer os meus parabens . Espero que o meu presidente tenha feito uma escolha não só política mas tambem por ver há competência. Espero que tambem faça mexidas nq agricultura .
Gosto · Ontem às 0:36 · Editado


Adelino Demer Sise...... definam primeiro meus compatriotas
Gosto · Ontem às 2:12


Munguambe Nietzsche Espero ver a sua acções para tecer as minhas opiniões com precisão. Uma vez que não o conheço bem apenas ouvi dizer que foi bom homem nas força e defesa de Moçambique.
Gosto · Ontem às 11:50


Manuel Domingos J. Cossa O tempo o dirá
Gosto · Ontem às 13:31


Manuel Domingos J. Cossa Mas pelas declarações dele após a tomada de posse tenho on minhas reticências. ...parco nas palavras (não necessariamente por prudência, mas por défice de vocabulário )
Gosto · 1 · Ontem às 13:38


Julião João Cumbane Lagos Lidimo é meio gago de fala, se não sabias, ó Manuel Domingos J. Cossa. Mas não é gago de ideias, de visão e acções de comando pragmáticas. Espera para ver!
Gosto · 1 · Ontem às 15:33


Inacio Arnaldo Mazive Eu gostaria que o SISE fosse investido de poderes para prender e ou deter os cidadãos criminosos,tal como acontecia quando era SNASP.
Gosto · 1 · Ontem às 14:40 · Editado


Amad Ravia 100% de acordo
Gosto · Ontem às 19:14


Artur Sitoe El comandante! Soberania não se delega!
Gosto · Ontem às 15:26


Carlos Paruque Com a vossa permissao kakakakakak... Lagos Lidimo é meio gago de fala, mas não é gago de ideias, de visão e acções de comando pragmáticas, gostei.... Eu acho sim que para o actual contexto socio-politico e economico que se vive em mocambique, onde aparentemente nao ha quem aceita ouvir a quem, onde em algum momento confude-se camaradagem com imunidade para fazer e desfazer, o apito que soa com a entrada do Lagos Lidimo me parece uma recolha obrigatoria.
Gosto · Ontem às 15:52


Jorge Cumbane Mas não se volta a fazer aquilo que fez nos tempos passados em Quelimane no tempo da Guerra fria.



PIMO - Bloco de Orientação Construtiva Ali Raja!
As regras protocolares do Gabinete do Chefe do Estado, às medalhas ou insígnias não fazem parte das cerimónias de empossamento dos altos quadros nomeados pelo Chefe do Estado!

Todavia às imagens chapadas neste post, testemunham a longa marcha do General Lagos Lidimo no seu perfil reconhecido pelo Estado moçambicano quando ele foi condecorado e reconhecido pelos seus feitos como um Herói Nacional, ainda em vida!
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 23:12 · Editado


PIMO - Bloco de Orientação Construtiva Quem empossa os nomeados é o Chefe do Estado!
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 17:47


Jaime Mufanekisso Se nao tem dominio sobre a matetia ...nao comenta
Gosto · Responder · 1 · Ontem às 11:32


PIMO - Bloco de Orientação Construtiva Obrigado! Infelizmente à matéria ligada aos vínculos da segurança do Estado, não está exposta na praça pública!
Gosto · Responder · 1 · Ontem às 15:13


Yussuf Armindo Matate Essas fotos são antigas na praça dos heróis mocambicanos. No mandato do presidente Guebuza.
Gosto · Responder · 2 · 1/2 às 20:42 · Editado


Antolinho André Caro Nelson Junior, procura não estar atónito e triste com as coisas que acontecem no seu país e não dê o sentido virtual. Os tracos avançados pelo sr. Yaqub sobre o General Lidimo são verdadeiras e dignas de realce. Meu caro as qualidades deste senhor demonstrados ao longo da sua caminhada nesta pérola do indico merecem exaltação. Senão vejamos foi graças a ele que na guerra dos 16 anos impediu e acantonou a Renamo na frente da Zambézia no plano Rombezia que tinha como objectivo dividir Moçambique apartir do rio Zambeze. Se esta astúcia do general considera fracasso juro que estás equivocado. Deves estar a falar de outra pessoa e não o mesmo que bem conheço flexível e ágil no teatro militar. Em todo o país a Renamo tinha concentrado o seu poderio militar na Zambézia com apoio forte do vizinho Malawi. Se matar inocentes, roubar e desgraçar os indefesos que a Renamo fazia era sucesso então o amigo está longe de se considerar sério. A reestruturação do SISE é processo aquilo que acontecia ontem jamais acontecerá significa que as pessoas sofreram mudanças internas graças a dinâmica social. As pessoas evoluem com o tempo. Mesmo o Dhlakama a bem pouco tempo se mostrava irreversível acabou mudando com tempo. O Lidimo de hoje é e será totalmente diferente. As dividas que você considera malditas no seu momento exacto saberá o seu sentido real quando o relatório disser que foram dívidas justas e não lesam o bom nome dos que estiveram a frente do processo, que o armamento adquirido e outros instrumentos das FDS estão em Moçambique e que podem ser vistos pelos órgãos competentes. Aqueles que estão na oposição e mostram que são alérgicos aos homens da Frelimo em público mas que em surdina até trocam cartões e copos estão a perder o seu tempo. A Frelimo veio para ficar e está disposta a conviver com todos da oposição porque afinal de contas eles saíram da Frelimo onde tiveram a oportunidade de se libertar do colono e outras formas de exploração de homem pelo homem. Não é falando mal da Frelimo que mostra que não tem nenhuma aproximação. Qualquer lar tem pai e mãe e a Frelimo assume esse papel quer queira ou não. Deixem o PR sr. Eng. Nyusi trabalhar.
Gosto · Responder · 2 · 1/2 às 22:24


Nelson Junior "Caro meu,....."A Frelimo veio pra ficar"....esta sua versao de ver as coisas, mantem o Pais como um dos mais pobres do Mundo...mudancas, sejam elas positivas ou negativas abrem novas portas de desebvolvimento.....mas, respeito a sua maneira de pensar...um pensamento da frelimo dos anos 70 e 80....quanto ao Lidimo, vamos ver...mas penso que a geracao dos Lidimos ja deu o que tinha que dar....Espero pelo menos que ele seja capaz de cessar com as ditas esquadroes de morte...Realmente, espero que o Nysui consiga obter o objectivo-mae da luta de libertacao: a justica social e o fim da pobreza.....ha ainda tanto caminho por percorrer.....mas, tal caminho deve ou deveria ser feito com transparencia e com instituicoes democraticas...estamos quase ha 50 anos independentes, porem mais de metade das criancas nas provincias e distritos sentam-se no chao pra ter umas aulas......economicamente e politicamente a frelimo e a renamo fracassaram....boa noite!!!..pense no futuro...
Gosto · Responder · Ontem às 0:33


Antolinho André Em alguns tracos do seu comente estou contigo quando diz que o processo de desenvolvimento tem o seu percurso porque mesmo países independentes e sem guerra estão aquém de terem todo o povo nas carteiras, enfim. Moçambique nas mãos da Frelimo está independente a mais de 40 anos conforme disse mas também sabe ao longo destes anos sempre o país esteve em desestabilização. Qualquer lar em guerra os seus membros estão preocupados em fazer tudo ao seu alcance para terem a paz. O pensamento bem como os recursos disponíveis são mobilizados para dar face a esta guerra. É só o meu caro reflectir em relação ao período de 1992-2013, em que.nao havia guerra. Finalmente reflicta no período de trégua. Moçambique apenas precisa de paz para desenvolver, para ter estas carteiras de que dizes. Para que todos nós nos preocupemos com o desenvolvimento. A guerra retarda tudo. Se o nosso país não tivesse pessoas como Dhlakama e sua organização que diz que estão a ser explorados e oprimidos pela Frelimo nada disso aconteceria.
Gosto · Responder · 1 · Ontem às 7:46


Nelson Junior Bom dia e Boa saude,devo admitir ou reconhcer de que, apesar de o senhor ter divergencias comigo em certos pontos vitais- o senhor manisfestou respeito e boa educacao-nao entrou no jogo de abusos e de insultos- e isto eh raro entre mocambicanos quando divergen de opinioes...os nossos ditos deputdos sao os exemplos, em especial o nosso Muchanga: o que eh triste...sim, se fizer a cronologia da Historia Mocambicana, em parte o senhor amigo tem razao...mas, repare de que no periodo 1992-2013( periodo do Chissano) em que o Pais deu passos positivos-esse tal desenvolvimento em parte foi ficticio...pois todo esse tal desenvolvimento dependia das doacoes do Ocidente e dos dinnheiros do Estrangeiro-Mocambique deve ou deveria desenvolver-se sem a ajuda economica de fora...esses NGOs ao longo prazo so trazem prejuiizos e criam sindromes de dependencia....Mocambique deve aprender a fazer dinheiro: muito dinheiro e o tal dinheiro nao pode ficar sempre nas mesmas maos......eu sempre digo e repito: se, hoje Mocambique nao tivesse a Frelimo e a Renamo seria um dos paraisos de Africa e do mundo....frelimistas e renamistas por razoes "politicas" e de ganancia sao responsaveis de mais de 2 milhoes de vitimas: vitimas inocentes e pobres.....com todo o meu respeito, receba um pequeno conselho( conselho amigavel) :procure ou tente ser menos frelimista mas mais mocambicano....e permita-me dizer: se os Samoras e Dhlakamas nao fossem mais infatuados pelo poder politico, talvez, talvez e talvez hoje estariamos num outro nivel de vida e de pensar: pensar pra o bem comum e nao pra partidos....Abracao e saude...ps!..dito isto, tenho fe nas futuras geracoes...



Geraldo Manjate o problema neste país é pensar que apenas geração 1964 é que pode estar nos lugares chaves, mesmo tendo quadros novatos dentro da SISE como alguém diz mas...nada farão apenas vão dançar a orquestra do chefe 10 years
Gosto · Responder · 1 · Ontem às 10:39 · Editado


Max Lee O cota Sibinde é grande, porque não volta a casa e ajude de dentro a melhorar as coisas, acredito, personalidade como a do sr, tem sempre um lugar na frente de libertação do nosso país.
Gosto · Responder · 1/2 às 18:58


Nelson Junior Eu fico sempre atonito e triste, quando eventos ficticios se tornam uma realidade...seja como for, humildemente procuro de corrigir as declaracoes do Sr.Yaqub...limito-me so e so em factos..dito isto, o Sr.Yagub tem direito de comentar em tudo o que quiser...porem, quando as meias verdades se transformam em puras verdades- ai corremos o risco de mistificad tudo...O Lidimo foi e continua a ser o fracasso dos fracassos no mundo de inteligencia militar...Durante a guerra civil o Ludimo era o peixao( chefao) da Cim( contra a inteligencia militar)... e os factos nos dizem de que os guerrilheuros da Renamo conseguiam fazer operacoes sem a inteligencia militar se aperceber....o facto de a renamo ter sido ou tido muitos sucessos miliares isto impliciu o fracasso do Lidimo...a nomeacao do Lidimo eh mais politica do que professional....Nunca fui um pro-Snasp( por contrario-sempre a odei) mas tinha um departamento operativo, eficaz e competente- departamento este melhor que toda a Cim do camarada Lidimo-o tal departamento chamava -se D13....Nomear o Lidimo como o chefao da Sise eh nao compreender de que Mocambique tem que apostar pra frente-pra o futuro e nao estar "amarrado" nas maos dos mesmos fracassados...A Sise, precisaria uma total restruturacao e uma nova lideranca....e se, o Nyusi fez uma remodelacao na lideranca desta porcaria da Sise eh por que brevemente vai ser publicado o relatorio da Audotiria sobre as dividas escondidas...e a Sise jogou um papel muito grande nessas malditas dividas...."Melhod prevenir do que remediar-assim pensou o Nyusi..........a forte aproximacao do Sr.Yaqub com as estruturas da frelimo eh tao tao tao forte, que as vezes custa acreditar que o seu partido seja de Oposicao......na realidade, nao eh a (o) Pimo) um tentaculo da Frelimo????!!!!!...,,enfim
Gosto · Responder · 3 · 1/2 às 18:23


Nelson Junior Ps!...Um Mocambique democratico nao deve ou nao deveria ter um Lidimo nas filas da inteligencia-esta gente cresceu no mundo de tiranias e opressao-e esta gente nao muda-e nunca vai mudar
Gosto · Responder · 3 · 1/2 às 18:30


Ali Raja Yaqub Sibindy é meu irmão, ele não quer perder uma unica oportunidade para aparecer a custa da informação, essas fotos anexas ao post, foi a melhor peça teatral que ja apresentou em todos os circus por ele participado
Gosto · Responder · 2 · 1/2 às 21:22 · Editado


Meque José Meque Se o chefe do estado e que empossa os nomeados, o que Sr sibindy está fazer nesta foto?
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 18:00 · Editado


Álvaro Xerinda A ser assim o País precisa urgentemente políticas de formações. 40 anos depois Moçambique não conseguiu formar quadros competentes e com mérito
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 19:28


Antolinho André O facto de sr. PR confiar o sr Lidimo não quer dizer com isso de que não há formados naquele órgão. Ele sozinho mesmo que seja super homem não vai conseguir fazer nada irá precisar homens e mulheres para o sucesso do SISE.
Gosto · Responder · 1/2 às 22:24


Álvaro Xerinda O problema é a cabeça. Até que ele podia ser conselheiro.
Ele já contribuiu muito bem para o País e os netos dele o esperam para relaxar.


Titos Sentinela Acredito k este foi um tempo mto importante perdido por ter relido esta informação, pois nada me faz cmo diferença
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 20:12


Fernando Sande essa sise esta mas pra frelimo do que o estado,senao nao estaria tbem envolvida nas dividas ocultas,averiam d descobrir q a bolada iria lesar o estado
Gosto · Responder · Ontem às 13:12


Nelson Junior ...enfim politica mocambicana e politicos mocambicanos: todos comem a mesma farinha da mesma panela com o mesmo caril...caril de lambebotismo e hipocresia......e o povo so ve os ossos.......e de ossos se alimenta pra sobreviver...
Gosto · Responder · 1/2 às 18:28


Álvaro Xerinda Muito triste Moçambique. Tenho saudades do futuro.


Amonge Rafael Macuacua So espero que não dê mais força às esquadroes de morte porque se for essa ideia de colocar um quiler man bay bay moZ
Gosto · Responder · Ontem às 0:37


Fausto Quinhas Sempre os velhos...e nao dao oportonidade aos jovens... Esses velhos nao se cansam...pha
Gosto · Responder · 1/2 às 22:50


Ali Raja Meu amigo Yaqub Sibindy, hoje estou de acordo com o texto do seu post, oque não percebo é oque significam as imagens anexas ao post, será você meu irmão a impossar o General?????
Gosto · Responder · 1/2 às 21:02


Marcus Mosiah Scossana Garvey Gostaria de saber se as fotos foram no acto da tomada de posse?
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 17:20


Antolinho André Estas fotos revelam o momento de condecoração que teve lugar na Praça dos Heróis a alguns anos atrás.
Gosto · Responder · 1/2 às 22:24


Marcus Mosiah Scossana Garvey Muito obrigado, Ilustre.


Titos Sentinela Governo desorganizado e crimes cada vez mas modernizados e organizados
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 20:14


Titos Sentinela O melhor seria k atum baixou para 25,mt
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 20:12


Suadique Sualé Agora o que está fazendo Sibindy?
Gosto · Responder · 1 · 1/2 às 18:08


Ger Jaime Mario De q cor partidaria,pertence os emposados?..

Estevao Pangueia
30/1 às 20:39 ·

Coincidência ou não,
o irmão do Presidente Nyusi, Casimiro Cosme Nyusi, é acionista do grupo Namatil, criada no fim de 2014 pelo advogado António Salvador Nkamate e Muilene LAGOS LIDIMU.
Há uma forte aproximação entre Presidente Nyusi e o actual Director da SISE. Bom trabalho!

PS: Estamos a caminho de ser um Estado de sócios.

Comentários


John Guilian Sive Estamos a caminho de estado de sócios. Kkkkk
Gosto · Responder · 30/1 às 21:42


Huntelais Adelino Vinho Qual dos irmaos de Nyusi te referes ilustre Estevao Pangueia?
Gosto · Responder · 30/1 às 21:42


John Guilian Sive Cosme Nyusi
Gosto · Responder · 30/1 às 21:44


Ser - Huo Ainda não entendi o post mano.
O objecto de serviços da tal Namatil tem algum "assunto" que lhe ligue ao SISE?
Gosto · Responder · 30/1 às 21:49


Luís Augusto Barbosa O amor está ar.
Gosto · Responder · 30/1 às 21:50


Lyndo A. Mondlane SISE, e um cargo de confiança, pode haver outros casos suspeitosos, mas nao vejo como se pode nomeiar alguem desconhecido o nao da confiança do presidente para um cargo como aquele....
Gosto · Responder · 3 · 30/1 às 21:52


Estevao Pangueia Num Estado de Direito e Democrático, confiemos na lei do que em pessoas!
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:03


Antolinho André Mas quando Trump nomeiou seu genro de assessor do Presidente não disseste nada ou estou enganado caro Estevao Pangueia? É dúvida!
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:21 · Editado


Lyndo A. Mondlane nao..nao é exactamente assim, os cargos sao sempre de confiança.. em espanha, na frança, nos EUA..etc.. e mais num pais como mz, onde um presidente pode despertar fora do poder...
Gosto · Responder · 30/1 às 22:14


Nelson Junior Oh caro Senhor Andre, como pensa?...o facto do racista e estupido do Trump ter sido um feio nepotista, nao quer dizer de que o Nyusi se deve comportar da mesma maneira...francamente!...o Trump nao eh o individuo de imitar: olhe as manifestacoes na America...e os comentarios dos lideres da Europa
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:56


Steven Alberto Alfaiate Alfaiate Poder ( Cargo de Chefia) é um conjuntos de amigos que se confiam, isto é, caso perder confiança de quem o nomeia terminou cargo.
Gosto · Responder · 3 · 30/1 às 23:31


Antolinho André Senhor Nelson Junior, feio nepotismo, racista e estúpido seja lá que nomes dá ele para formar o seu governo seleccionou pessoas da confiança, isto acontece assim e acredito que sempre irá acontecer assim. Não restam dúvidas que a competência da pessoa nomeada deve ser boa para que este possa saber conduzir as diversas massas porque se não for a exoneração será rápida. Para caso do General Lagos ele demonstrou ser um homem competente e capaz de conduzir o SISE com o mesmo vigor.
Gosto · Responder · 2 · 30/1 às 23:40 · Editado


Bertino Doho Os cargos politicos a nivel mundial sr. Nelson Junior, sao assumidos por confiança. Nao ha discussao nisso.


Nuno Pires A caminho?...
Gosto · Responder · 30/1 às 21:54


Estevao Pangueia Farto de amiguismo.


Bento Amancio Amancio Opa, o profissionalismo nao tem grau de parentesco...contudo, mesmo k seja socio do irmao do presidente da republica...nao deixa d ser profissional....
Lagos Lidimo foi Chefe do Estado Maior General...portanto, nao deixa de ser profissional, pois todos vimos o trabalho dele...foi genial
Gosto · Responder · 3 · 30/1 às 21:54


Estevao Pangueia Bento, um dia eu disse; por falta de consciência crítica, a juventude corre sérios riscos de ser governada por reformados. Respeito o trabalho feito pelo General Lagos Lidimu, já deu, prontos, os tempos são outros!
Gosto · Responder · 2 · 30/1 às 22:19 · Editado


Antolinho André Quais outros tempos? Será que no SISE não há jovens para por em marcha o trabalho no modelo novo? Ademais tem um Director Geral Adjunto um homem ágil e comprometido com o interesse de Moçambique.


Claudio Lombene A saga continua.
Gosto · Responder · 30/1 às 22:12


Antolinho André Caro Estevao Pangueia, não nos traga problemas inexistentes. Esse não é primeiro caso nem aqui nem fora daqui mesmo em grandes democracias.
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:19


Estevao Pangueia Que problemas ilustre? Apenas apresentei a minha constatação!Lagos já deu, os tempos são outros. O país tem quadros íntegros, altamente competentes, mesmo na SISE, para responder com os desafios dos tempos actuais. Não me falem de confiança, porque so esconde amiguismo, e um verdadeiro Estado de padrinhos e sócios.
Gosto · Responder · 30/1 às 22:54


Antolinho André E pretende dizer que o Lagos não é competente? Não te esqueças que estamos falando da Segurança do País.


Nelson Junior Pobre, pobre,pobre Nyusi por nao perceber que Mocambique precisa de novas cabecas, novas formas de pensar....este Lidimu ja deu o que tinha que dar-foi o chefao da Cim( contra inteligencia militar)...o Lidimu eh "sapato com sola gasta".....A Sise deveria ser dirigida por individuos pro- democraticos...juro, este Nyusi eh o pior presidente que Mocambique teve...nao sabe o que esta a fazer....que coincidencia: o Lidimu eh bom amigo do Chipande....eh uma vergonha....que se esperava dum maconde?...os macondes foram e continuam a ser grandes lambebotas na frelimo
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:40
Ocultar 17 respostas


Claudio Lombene Apresente argumentos sem ofensas.
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 23:02


Nelson Junior Procure fazer uma pesquisa, e vai ver o papel dos macondes...
Gosto · Responder · 30/1 às 23:22


Antolinho André Acho que está pesquisar em contra mão. Por ser bom amigo do Chipande. ... O que tem de desabono? Para o teu governo o Lidimo está mais actualizado que tu. Lidimo defende melhor a soberania moçambicana que tu. Tenta crescer não se engasgue cedo...
Gosto · Responder · 30/1 às 23:47


Nelson Junior Soberania....kkkkkkkkkkkkk- morro de gargalhadas, primeiro paguem as vossas dividas e depois falem da soberania....O Lidimo durante a guerra civil era o chefao da contra espionagem militar..e a renamo militarmente ocupava 70 ou 80% do Pais...nao seja ridiculo ...veja a realidade
Gosto · Responder · 31/1 às 0:28


Antolinho André 70 a 80% do país. De que país te referes meu amigo? Se a Renamo já tinha este nível de ocupação porquê aceitou negociar? Acho que tu tens é deficit na matemática ainda podes apanhar alguma coisa.
Gosto · Responder · 31/1 às 0:50


Antolinho André 70 a 80% do país correspondia a 7 a 8 Provincias. Ora Moçambique conta com 10 províncias e cidade de Maputo com estatuto de província. 7 a 8 Provincias significa que a Frelimo apenas estava confinado em 3 e cidade de Maputo? Arranja outra conversa que esta já chumbaste com nota negativa.
Gosto · Responder · 31/1 às 0:54


Nelson Junior Pesquise mais e informe-se mais....A Renamo se aceitou negociar eh porque o Chissano esteve pedindo a todo custo- ora atraves do governo queniano, ora do mr.Tony..,e o estupido do Afonso aceitou..caiu na armadilha.....recorde-se que nao foi a renamo que queria o fim da guerra mas sim a frelimo- informe- se caro amigo.... militarmente a frelimo estava derrotada...dito isto nao sou nenhum renamista- so cito factos
Gosto · Responder · 31/1 às 0:58


Nelson Junior esqueceu-se que a guerra civil tinha quse citiado a cidade de maputo?????......
Gosto · Responder · 31/1 às 0:59


Nelson Junior Correcao- a renamo tinha citiado
Gosto · Responder · 31/1 às 0:59


Antolinho André Quem deve pesquisar é aquele que não viveu. Se aqueles malandrecos que andavam roubar bens da população muitas vezes que não se identificavam com a Renamo significava avanço da Renamo é a tua perspectiva. Afinal o que a Renamo queria para aceitar a aflição do Chissano? Acha que tem lógica isso de que a Renamo estava em vantagem para depois aceitar cair ao rediculo. Conta outra história para gente da tua idade que só estão a acompanhar esta história através de livros e manuais.
Gosto · Responder · 31/1 às 1:05


Nelson Junior me faz rir........nao politize factos historicos...assim corre o risco de fazer analises com tendencias partidarizadas...assim nunca vai descobrir a verdade
Gosto · Responder · 31/1 às 1:08


Antolinho André Se tens dificuldades de entender numericamente 7 a 8 Provincias significa que a Renamo tinha em seu poder quase o país todo. A partir deste pressuposto a Renamo podia muito bem ditar a regra é ditar a regra significa que a Frelimo devia dançar a música da Renamo é não o contrário.
Gosto · Responder · 31/1 às 1:09


Nelson Junior ps!...ate hoje, pra o seu conhecimento a frelimo danca a musica da renamo.....veja os factos, caro senhor-boa noite!..aconselho de se informar mais com fontes independentes e nao com as da frelimo...
Gosto · Responder · 31/1 às 1:11


Antolinho André Ria como bem entender. Politizar factos existe outra forma de fugir? Estamos falando duma realidade meramente política não há como fugir.
Gosto · Responder · 31/1 às 1:11


Antolinho André Aconselho te a fazer o mesmo mas não confie muito essas tuas fontes independentes porque de independentes não tem. Caia na real. Tenha boa noite.
Gosto · Responder · 31/1 às 1:14


Marilu Lopes Agibo Bem dito
Gosto · Responder · 31/1 às 16:50


Maria Luisa Marco Damião Agora sim.


Nelson Junior Ps!...so espero que o Lidimu tenha controlo na Sise e nao vice- versa
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 22:43


Artur Sitoe Qual é o teu argumento aqui Estevao Pangueia? Conflito de interesses ? Que o PR não devia nomear alguém próximo a si?
Gosto · Responder · 1 · 30/1 às 23:17


Gulumba D. Mutemba Moda Angola, mas esses vão sair do poder em breve.
Gosto · Responder · 30/1 às 23:51


Gulumba D. Mutemba Nepotismo, amiguismo, clientelismo, não são permitidos em democracias.
Aqui tem gemte que num lero directo levavam txaia, são sem dúvida advogados do diabo.
Gosto · Responder · 2 · 30/1 às 23:59


Nelson Junior O povo eh o patrao- o titulo da cancao.... kkkkkkklkll!..grandes bobos.


Gertion Dos Chi's O problema africano
Gosto · Responder · 31/1 às 7:30


Linette Olofsson Esse Nyusi está a ser um desastre, levar o País para trás
Gosto · Responder · 31/1 às 8:43


Antolinho André Estás equivocado pois o país só pode retardar com projectos que inviabilizam o desenvolvimento como o ataque à mão armada protagonizada pela Renamo e seus detractores.


Nando Mais Esse Sr Andre e de que planeta mesmo ?
Gosto · Responder · 31/1 às 11:08


Nelson Junior Bom da, o nosso amigo Sr.Andre pertence a uma minoria( gracas a Deus) dos frelimistas fanaticos, que olham a Renamo como inimiga e nao como uma adversaria politica...(a ala Guebuza)...mas, p nosso amigo ainda nao se apercebeu que esta ultrapassado com o tempo e com os eventos...ele vive no planeta da frelimo dos anos 70....mas eh educado, respeitoso, apresenta a sua parte e devemos respeitar e merece: mas nao vive na realidade...O Nyusi ja se ap
Gosto · Responder · 1 · 31/1 às 11:16


Nando Mais pelos visto vai sustentando essa mal dita GOVERNACAO do Nys sabendo que ela vai caindo ao pessimismo.


Jose Eduardo Nada contra velhos como eu. Mas o recurso ao bau será fraqueza de qualquer indole dos jovens? e depois quando os outros vao no sentido de rejuvenescer o poder, apostando no actual presidente, ele faz o sentido inverso, recuperando os reformados.
Gosto · Responder · 1 · 31/1 às 11:16


Marcelo Machava ESte tipos nao teem projecto viavel para o Pais: retrogados caducos
Gosto · Responder · 31/1 às 14:25


Antolinho André Alô amigo Machava você não fale assim porque mesmo você ainda não apresentou qualquer ideia viável para considerar de retrógrados os outros.
Gosto · Responder · 31/1 às 18:39


Marcelo Machava Não sou presidente nem ministro.alias não sou pago para isso mas eles sim
Gosto · Responder · 31/1 às 21:15


Antolinho André Kakakakakaka, só se fosse Presidente ou Ministro? Mas és cidadão tens de almejar viver num paraíso aqui na terra. Se os dirigentes respirarem ar puro e isento de maquinação acredite que todos estaremos felizes e nunca desejarmos de ser Presidente ou Ministro para viver.


Brito Joao Será que o post pretende dar a entender que o presidente pecou por nomear seu conterrâneo? Não vejo a pertinência do mesmo!
Gosto · Responder · 31/1 às 21:14


Carla Rosina Massunda Ainda nao tinhas persebido que isto,e uma socedade makonde?
Gosto · Responder · 31/1 às 21:52


Julião João Cumbane 1. Casimiro Nyusi não é irmão de Filipe Nyusi, não senhor! É MENTIRA o que se diz textículo principal deste 'post'. Casimiro Nyusi e Filipe Nyusi são primos: seus pais eram irmãos

2. Qual é o problema de serem Muilene Lidimo e Casimiro Nyusi sócios num empreendimento económico?

3. Qual é o problema de serem Filipe Nyusi e Lagos Lidimo próximos?

4. Existe alguma lei que proíbe o Presidente da República de indicar pessoas de quem é próximo para ocupar cargos de direcção no aparelho do Estado? ...?

5. Pascoal Mucumbi não era próximo de Joaquim Chissano? E Donald Trump não é próximo da sua filha, que exerce uma função na Casa Branca?

Estas perguntas (acima) servem apenas para ilustrar o quão os moçambicanos não sabem o que querem. Ou, no mínimo, para ilustrar como os moçambicanos são versados em ver problemas onde estes não existem. Quais são os convincentes que Estevao Pangueia está a ver na nomeação de Lagos Lidimo...?
Gosto · Responder · 2 · 1/2 às 6:02


Anibal Manuel Quintal Vidigal Carissimo Juliao Joao Cumbane, fez uma leitura boa, fala-se mto mal qdo e' Mocambique, EUA - Trump nomeio o genro p pastas grandes, fora d outras situacoes e fora doutros paises. As pessoas ate nem sabem o significado do SISE. Por exemplo: K vai dar seu PIN da ATM, codigo d fechadura a alguem k nao seja da sua inteira confianca? Se esses nao se lembram Sexa Lago Henriques Lidimo foi Chefe do Estado Maior General nos Governos de Chissano e de Guebuza. Faxamos reflexoes, comentarios e postemos nas redes sociais algo p ajudar o pais ir em frente, o pais crescer, cada um de nos somos chamados p ajudar o Governo do dia, independentemento da cor politica. Vamos juntos e unidos fazer o pais avançar. Bom dia.
Gosto · Responder · 1/2 às 7:55


Carla Rosina Massunda Desculpe,mas nao concordo consigo.


Carla Rosina Massunda Porque nomear familiares directos?
Gosto · Responder · 1/2 às 8:56


Fernando Jorge Francisco Cumbana Neste andar de fofoquices,procurando problemas onde nao existem,chegaremos a um ponto onde os familiares dos dirigentes irao ser proibidos de respirar o ar para viver antes fazerem um requerimento.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook