quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Os contornos da saída de Mateus Magala da EDM para o BAD


Ha pouco mais de duas semanas, no passado dia 16 de Julho, o Presidente da Republica Filipe Nyusi recebia em Cabo Verde o boss do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) Akinwumi Adesina. Era a derradeira cartada do BAD para levar de volta um quadro que havia emprestado ao seu pais de origem e que em menos de 3 anos alterou profundamente o paradigma de governação corporativa de uma empresa participada pelo Estado, a EDM, introduzindo nova cultura organizacional e uma gestão virada para resultados.
Mais do que promessas, Magala fechou algumas torneiras da corrupção e eliminou perdas nos fluxos financeiros, levando a EDM a reduzir substancialmente sua divida com a HCB. Em apenas dois anos, como ja foi divulgado, as receitas da EDM passaram de 150 para 500 milhões de USD, com previsões a apontar para 1000 milhões de USD em 2020.
Quando ontem começou a circular um comunicado do Grupo BAD anunciando que Magala iria assumir, a partir de 1 de Setembro, o cargo de Vice-Presidente para Serviços Institucionais e Recursos Humanos, meio mundo ficou atônito. Mas por que razão Magala estava interrompendo sua caminhada de sucesso na transformação estrutural da EDM para ir abraçar o terceiro posto mais importante no BAD depois do Presidente e do Vice-Presidente da instituição? Parecia "fake news". Não era! Em Cabo Verde, o Presidente do BAD disse a Filipe Nyusi que Magala era incontornável para as transformações que o banco estava a levar a cabo no seu desenvolvimento institucional.
Os trabalhos de Magala na EDM haviam, afinal, ganho também visibilidade fora de portas. Por isso, o BAD lutava para ter de volta seu quadro, que pedira um "special leave of absence" quando Nyusi foi-lhe buscar a Harare onde ele era o representante do banco para o Zimbabwe. Nos últimos seis meses, Adesina não parou de insistir com chamadas constantes para Maputo para convencer Filipe Nyusi a libertar o Engenheiro formado na Australia, e casado com uma mulher do Japão (onde se encontra de ferias neste momento). O PR esteve relutante mas em Cabo Verde se deu conta da obsessão do BAD e teve de ceder aos argumentos que mostravam "uma admiração do banco africano por Magala e uma simpatia por Moçambique".
Na carta que acabaria escrevendo para Magala a 18 de Julho com copias para o PM Carlos Agostinho do Rosario e para o Ministro Max Tonela (Recursos Minerais e Energia) Nyusi acusa o peso do que a partida do gestor representava para a EDM mas destacava a importância de um moçambicano chegar a um alto cargo de gestão de uma instituição financeira multilateral. Pela primeira vez Moçambique vai ter no BAD alguém capaz de defender seus interesses e os da região da SADC, escreveu Nyusi. Magala nunca sairia se nao tivesse a anuencia explicita do Presidente, disse uma fonte familiarizada com os contactos.
A iniciativa para esta saída de Magala não foi do visado, que tinha deixado no BAD um salário superior ao que lhe ofereceram na EDM. Mas 'e obvio, porem, que como Vice Presidente para Serviços Institucionais e Recursos Humanos, uma espécie de administrador interno, Magala vai dar um salto salarial significativo. 'E provável também que ele regresse depois de 5 anos. No BAD o único posto com mandato eleito de 5 anos e uma renovação 'e o do Presidente. Todos os outros quadros tem contratos de três anos, que se renovam depois de uma avaliação de desempenho. Gestores do nível de Magala permanecem em media entre 3 a 6 anos e partem para outros voos.
Em privado, Magala tem deixado cair uma lagrima no canto do olho. Sua partida interrupção uma forte relação de empatia criada com uma fornada de quadros jovens que abraçaram recentemente a empresa e estavam bebendo avidamente do seu estilo de gestão e uma cultura empresarial onde a competência e o desempenho fazem escola.
Ele deixar a EDM agora tem, pois, dois significados. Por um lado, uma percepção de orfandade desses colaboradores da EDM que estavam apostados na transformação da empresa, para alem da ja descrita perda para Moçambique num contexto em que Magala estava a nivelar por alto o benchmarking na gestão eficiente no sector empresarial do Estado num mar poluído de laxismo, compadrio e nepotismo e praticas de procurement mergulhadas na corrupção. Por outro lado, ha quem esteja a abrir seu champanhe. Magala desmantelou esquemas de sobrefacturacao lesivas para a empresa e estava a encetar uma reforma profunda no seu procurement. Os afectados e os resistentes a essas mudança estão festejando, incluindo alguns que elogiam com cinismo sua partida, considerando-a em discurso de conveniência como significativa para sua carreira e para Moçambique, quando na verdade estão respirando de alivio por se verem livre de um campeão da integridade.
Nas próximas semanas, quando o PR aprovar o nome do novo PCA da EDM ele devera ter a certeza de que o perfil do eleito garante a continuidade das reformas, não apenas ao nível dos procedimentos de gestão interna mas sobretudo no que diz respeito a nova visão da empresa: colocar electricidade em todos os cantos de Moçambique em 2030. Para se chegar la, Magala deixa na gaveta três documentos a espera de aprovação: i) uma nova Estratégia Corporativa; ii) uma Estratégia de Electrificação e iii) o Plano Director, que mostra como alcançar essa ambição da electrificação.
O PCA cessante da EDM devera ser chamado a dar uma opinião relativamente ao nome que Nyusi devera indicar para dar continuidade aos seus trabalhos. E são trabalhos ambiciosos, estruturantes para a electrificação do pais. Para ja, ele não vai partir para Abidjan sem testemunhar o nascimento de uma das suas joias de coroa, um dos símbolos mais visíveis do seu desempenho: a inauguração a 22 de Agosto da nova Central de ciclo combinado (com gás de Temane) de 110 megawatts na antiga Sonefe em Maputo, que vai melhorar substancialmente a qualidade da electricidade na capital e arredores. Um investimento de 175 milhões de USD, financiado totalmente pela japonesa JICA a uma taxa de juro de 0.01% pagáveis em 40 anos com 10 de graça.
No pipeline ha mais projectos vistosos em carteira e em implementação. A subestação de Namialo, de 40 megawatts, também com financiamento japonês (30 milhões de USD), ja quase pronta. Por outro lado, o futuro PCA devera garantir nos próximos dois meses o fecho financeiro do projecto da Central Terminal de 400 megawatts em Temane e a nova linha de alta tensão de 600 kms de Temane a Maputo, orçado globalmente em 1.3 biliões de USD.
Uma fonte próxima do processo disse que, apesar da relutância da Sasol em participar na construção da linha, o projecto tem pernas para ser financiado e o Governo não vai desistir, tornando a multinacional sul africana irrelevante para Moçambique. Um dos sonhos de Magala se prende com o backbone da transmissão de electricidade do Sul ao Norte. Isso passa pela construção de uma linha de alta tensão de 400 kV de Caia a Nacala, para prover o Norte com energia de qualidade.
A actual linha que liga Songo a Nacala gera apenas 220 kvs e, para alem das perdas técnicas ao longo da transmissão, ela não aguenta a demanda. " 'E como se fosse uma estrada de duas faixas com trafego de quatro faixas", descreveu um especialista. Mateus Magala não estava disponível para uma conversa sobre estes e outros assuntos. Em Kioto, ele goza ferias junto de sua família. Sua partida para o BAD vai deixar saudades. E eventualmente se perdera uma referencia de gestão eficiente, inspiradora no espectro das empresas participadas pelo Estado. Mas o Governo tendera a usar esta oportunidade para mobilizar mais financiamento para projectos de desenvolvimento. Com as torneiras dos tradicionais doadores seladas nasceu também uma esperança.
Nas fotos, Mateu Magala e o nigeriano Akinwumi Adesina, Presidente do BAD.
Comentários
Jr Chauque É com muito orgulho que recebo esta notícia, afinal temos moçambicanos não corruptos na liderança que é uma inveja ao mundo.. Gastei 🙏🙏🙏🙏🙏
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
Sic Spirou Bem haja!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
Gabriel Jose Titosse Muito informativo!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
Buene Boaventura Paulo Colocando os pontos nos iis sobre o que não se diz da Edm e seu PCA, já de malas aviadas... sucessos nos novos voos sr. Eng Magala
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
Edgar Cossa Obrigado Mosse. Tenho que confessar que fiquei triste. Neste momento eu modestamente penso que ele valeria mais ao país, que aos interesses de Moçambique no BAD que dependem de um normativa conjuntural e não apenas de um Moçambicano aquele nível como já tivemos outros em níveis cobiçados em outros âmbitos. Pelo rumo que a EDM vem tendo, tanto em termos de desenvolvimento institucional e receitas eu acho que estamos a perder. Contudo, Boa Sorte e Sucessos
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder20 h
Lionel Magul Os bons quadros são sempre movimentados e solicitados com bastante rigor e prazer, não é qualquer um que se pode dar ao luxo de estar a esse nível 
Mateus Magala é um esteio de quadro cheio de performances admiráveis... 
Espero que essa nomeação lhe dê performances de tirar algo de construtivo para os quadros que com ele estiveram na EDM... 

Bem haja ilustre Mateus Magala...
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Vasquinho King Espero que o seu sucessor seja também de alto gabarito nacional e mundial. As vezes até pode ser um interno perdido nas gavetas dos diversos. Viu se ha pouco o Eng. JP da LAM andava por cá apesar do seu cometimento com a LAM. Andava ali perdido no meio dum vázio intitucional
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Guilherme Mussane "Jornalista é aquele que publica coisas, que as pessoas não sabem", li isso, recentemente. Eu acrescento: Ter boas fontes, saber articular bem as informações, não é para quem quer.
Avante MM com o seu faro de investigação. Abraço!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Francey Zeúte Os parabéns para o nosso quadro e não posso deixar de sublinhar, um texto brilhante, agradável de se ler. Como muitas vezes tem sido regra neste mural. Parabéns MM!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Jose Pedro Damiao Merecido, bem haja grande homem
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Nordito Pente Sou testemunha do trabalho de Magala, testemunhei o corte de energia em muitas instituiçoes publicas que abusavam, cahora bassa é nossa, atraves de nao pagamento de energia.
Tambem introduziu uma tecnologia de ponta que permite descobrir residencias que estao a usar energia ilegalmente, and so on. O nosso mano é mesmo smart
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
Jr Chauque Sério,,??? YUUUUUU , experto o gajo
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder18 h
Jorge Matine Marcelo Mosse, Magala é formado em Engenharia em Brno. Daí continua para o mestrado e doutoramento noutras universidades do mundo, incluindo a australia.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 hEditado
Joanguete Celestino Marcelo Mosse O PR irá indicar o novo PCA para EDM ou seguirá os mesmos procedimentos anteriores de concurso público nacional?
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
IH Salomao Grande artigo!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder19 h
GostoMostrar mais reações
Responder18 h
Maria Paula Meneses Muito brigada pela excelente forma em como o tema é apresentado e discutido. Bravo pelo jornalismo de qualidade
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder18 h
Dhémonz Cumbula Magala não deixa apenas três documentos para aprovação, até porque os desconheço pela irrelevância que a actualidade da EDM lhes oferece. Há sim um documento muito sensível que toca 80% da massa laboral, que continua pendente há 3 anos. A saída do M.Magala da EDM pode ser uma estratégia do governo de hoje para esquivar responsabilidade do documento que me referi pois um PCA novo poderá invalidar alguns pensamentos do cessante. 
O jornal é longo como é a natureza desses ofícios mas não tocou a parte intrínseca desse "boom de retirada de Magala" se calhar por falta de fontes. 
O TAL DOCUMENTO TEM NOME... 
Ponto parágrafo
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder18 h
Francey Zeúte Mas o que custa acrescentar o nome do tal documento?
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder17 h
Dhémonz Cumbula Ilustre Francey, com o nome eu aumentava o meu transtorno e se calhar sucumbia. Eu faço parte da organização EDM e nem sei se o meu emprego com essa intervenção está já em causa ou não, mas lhe informo seguramente que a EDM agora encontra-se dividida devido à esse documento. Penso que é mais que 80% de colaboradores TRISTES.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder17 h
Olhos Famintos Estou completamente arrasado pela saída deste Homem, que deixassem ao mínimo terminar com o processo de encartamento
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder14 h
Manuel Araujo Parabens Dr Mangala! Es o orgulho de Mocamque! Continue a inspirar a nossa Juventude....
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder17 h
Edmundo Galiza Matos Marcelo, meu caro, parabéns. Excelente trabalho jornalístico.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder17 h
Francey Zeúte Extraordinariamente bem escrito.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder17 h
Aulate De Almeida Dino Edmundo Galiza Matos, o Marcelo Mosse é espectacularmente espectacular, está raro ver textos tão coerentes como os do Marcelo... O homem é simplesmente competente... não bajular, não ataca e nem atira no escuro... fala com propriedade. PARABÉNS
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder16 h
GostoMostrar mais reações
Responder15 h
Kendo Mangulle OMG... Não há como reter o Dr. Magala...?

Estamos a perder um grande quadro, filho de uma nação. Como ele, se conta aos dedos...triste
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder16 h
Rui Jose de Carvalho Grande quadro. Fechou a torneira que engordava muitos na edm. Espero da nomeação de um homem credível e bem educado para as contas públicas
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder16 h
Nuno Luis Amone Parabens Mosse good news
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder16 h
Ido Alfred Pambere
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder15 h
Eduardo Miguel A arte de saber e ver algo bom num ser humano é cada vez escassa, no entanto, endereço os meus parabéns ao Marcelo Mosse por está crónica magnifica que resumidamente demonstra os feitos do Dr. Magala e sua musculatura em matérias de gestão e liderança.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder15 h
Lacerda Lipangue Espero que o outro a entrar venha reduzir os custos de energia para o cidadão comum e rentabilizar a EDM atraves de outras fontes & formas. Aumentar as receitas de 150 para 500 milhões equivale ao agravamento feito em quase 3 vezes do custo de energia. Sucessos para o Magala.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder15 h
Celia Meneses Ele tb reduziu a roubalheira no procurement , não foram só os aumentos
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder14 h
Maria Margarida Chaves Marques Como bom gestor, calculo bons que tenha formado uma boa equipa para o substituir. Um orgulho para os moçambicanos.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder14 h
Bruno de Mello Parabéns
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder13 h
Guedes Caetano O cara merece. Está de parabéns pelo trabalho desenvolvido na EDM.
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder9 h
Paulo Monteiro PARABÉNS MAGALA, FORÇA, ES O ORGULHO DE MOZ, REPRESENTE BEM ESTE país K TANTO PRECISA SAIR DO BURACO
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder4 h
Eunice Rosatella Chichava Uma explicacao bem a calhar pk estava a ficar no ar uma daquelas saidas convenientes ...
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder4 h
GostoMostrar mais reações
Responder1 h
Mastelana Alfiado Zunguza Espero sempre com muita ansia e avidez pelos seus escritos, leio com muito prazer, e depois de uma leitura minuciosa saio devidamente informado!
Gerir
GostoMostrar mais reações
Responder

Sem comentários: