domingo, 6 de novembro de 2016

A surpresa revelou-se vazia: FBI não encontrou indícios de crime nos novos emails de Clinton




Trump recupera terreno, mas vantagem de Clinton nas sondagens mantém-se

Sondagens em estados cruciais como a Florida e a Carolina do Norte apontam para um empate técnico.
AFP/JEWEL SAMAD;JEFF KOWALSKY

As principais sondagens às eleições presidenciais norte-americanas continuam a dar uma confortável vantagem a Hillary Clinton. Mas nos últimos dias, a tendência nos estados mais voláteis é de uma diminuição da vantagem da candidata democrata, o que alimenta a esperança da campanha de Donald Trump.
Os dois aparecem agora empatados na Florida e na Carolina do Norte e, no Michigan, a vantagem de Clinton diminuiu consideravelmente, de acordo com as sondagens realizadas pela Reuters e pelo instituto Ipsos. As novas contas abrem caminho para que Trump chegue à Casa Branca.
A grande notícia aqui terá um efeito aparentemente paradoxal para as duas campanhas. Se não deverá tirar o sono a Clinton, para Trump é um balão de oxigénio. Na semana passada, a vantagem da ex-secretária de Estado nas sondagens nos chamados swing states (estados oscilantes) era tão elevada que não havia sequer uma possibilidade teórica do magnata chegar à presidência.
O caminho possível para Trump ser bem-sucedido terá de passar obrigatoriamente por vitórias na Florida e na Carolina do Norte – o que, ainda assim, pode não garantir votos suficientes no Colégio Eleitoral. O nível de participação dos afro-americanos será crucial para Clinton assegurar a vitória, diz a Reuters.
Se a participação entre os democratas negros cair 15% a nível nacional, as hipóteses de uma vitória de Clinton descem para 72%. Uma redução de 20% atiram a disputa para a zona da margem de erro.
As projecções da Reuters atribuem cerca de 90% de hipóteses a Clinton de conseguir os 270 delegados do Colégio Eleitoral necessários para obter a nomeação, quando há uma semana essa probabilidade estava nos 95%. A análise feita pelo site Five Thirty Eight do especialista Nate Silver aponta para um quadro consideravelmente mais preocupante para Clinton – as hipóteses de vitória da democrata são de 66%.
A semana correu bem a Trump, na medida em que correu mal à sua adversária. A polémica da utilização da conta privada de e-mail durante a sua passagem pela Administração de Barack Obama regressou em força com o anúncio de que o FBI está a investigar novas mensagens

Maria João Guimarães

06/11/2016 - 20:51


Candidatura democrata agradece as boas notícias. A campanha continua extremada e há quem tema violência no dia das eleições.

Hillary Clinton Brendan McDermid/Reuters

Eleições EUA 2016


Afinal, os novos e-mails de Hillary Clinton não fizeram o FBI mudar a sua avaliação de que não houve actividade criminosa na gestão que a então secretária de Estado fez da sua conta de correio electrónico. O director do organismo de investigação, James Comey, que deixou a campanha em alvoroço ao anunciar, a onze dias das eleições, a descoberta de mais e-mails num computador de uma assessora da candidata democrata, veio agora dizer que não há qualquer indício de crime e que não altera a avaliação anterior: não há base para uma acusação.

O anterior anúncio de Comey levantou uma onda de críticas de políticos, antigos procuradores e até agentes do FBI por poder potencialmente interferir na eleição e deitar a perder a reputação de independência da agência.

A campanha democrata reagiu prontamente saudando a nova informação, dada numa carta aos líderes do Congresso, e agradecendo esta ter vindo a público antes do dia das eleições.

Mas, diz o diário The New York Times, se a nuvem que pairava sobre Clinton desde o anúncio foi definitivamente afastada, já há quem questione os motivos de Comey divulgar a informação de que as mensagens estavam a ser investigadas ainda antes de fazer qualquer ideia sobre o que continham, especialmente se levou apenas poucos dias a tirar uma conclusão.

E há ainda quem lembre que basta as palavras “Clinton”, “e-mails” e “FBI” aparecerem na mesma notícia para a democrata descer nas sondagens – foi, pelo menos, o caso quando Comey foi ao Congresso declarar que não havia motivos para acusação (embora aí também se possa dever à crítica do chefe do FBI ao classificar a gestão do email como “extremamente negligente”).
Supervisão pelas próprias mãos

A campanha de Trump não reagiu imediatamente ao anúncio. A anterior declaração de Comey sobre os e-mails tinha merecido de Trump o comentário de que “afinal a eleição pode não ser fraudulenta”. E na campanha, Trump continuou como se não tivesse ouvido falar da carta de Comey. "Hillary Clinton vai estar sob investigação muito, muito tempo, provavelmente levando a uma acusação", disse, perante uma multidão que respondeu: "Prendam-na!". "É um sistema fraudulento e ela está protegida por ele - não devia poder concorrer à presidência", declarou, citado pelo britânico The Guardian.

Este argumento de uma possível fraude eleitoral em larga escala está a levar alguns grupos a organizar-se para “supervisionar” a votação, e a contra-esforços de grupos de protecção de minorias.

A campanha de Trump fez um apelo directo a que cidadãos comuns vejam o que se passa nos locais de voto. É normal a existência de observadores nestes locais, “mas Trump encorajou pessoas a irem por si próprias ver o que se passa”, disse ao diário britânico Rick Hansen, professor de Direito da Universidade da Califórnia.

“Estas são pessoas sem treino, exaltadas com o que Trump tem dito. Estou preocupado que possa haver confrontos e potencial violência na eleição”, declarou.

O site Politico fala de esforços organizados de grupos racistas como o Movimento Nacional Socialista (neonazi), o Partido Americano da Liberdade (supremacista branco), e fracções do Ku Klux Klan para observar o dia eleitoral. Também um dos maiores grupos anti-governo, os Oath Keppers (que costumam aparecer armados em público), prometeu uma “operação sabotagem 2016” para observar potenciais actos de fraude.

Temendo a intimidação de minorias, a Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP) classificou o programa de observar as eleições dos republicanos como “bullying cívico” e, para tentar contrariá-lo, juntou-se com uma centena de grupos de defesa de latinos, americanos de origem árabe e muçulmanos, para mobilizar activistas que irão também aos locais de voto verificar que não há intimidação. “Não nos vamos deixar enganar: vimos já violência em comícios de Trump, o KKK a apoiar esta campanha, nacionalistas brancos a aparecerem na sede da NAACP”, enumerou Cornell William Brooks, presidente da NAACP. “Está fora de questão que haja violência na eleição? Talvez não.”
A tentativa de assassínio que não o foi

A campanha de domingo foi ainda marcada por uma acção de protesto num comício de Trump em Reno, no estado do Nevada, que levou a uma comoção e a rumores exagerados. Um homem chegou perto do palco e ergueu um cartaz dizendo “Republicanos contra Trump”. Foi apupado, agarrado, seguiu-se um burburinho e alguém gritou: “Arma!”.

Trump foi levado pela segurança para fora do palco. Afinal o cartaz foi confundido com uma arma que nunca existiu. Mas isso não impediu que dois apoiantes da campanha de Trump – o seu filho e o responsável pelas redes sociais – usassem o Twitter para dizer que o candidato tinha acabado de sobreviver a uma tentativa de assassínio.

“Hillary fugiu da chuva. Trump está de volta ao palco minutos depois de uma tentativa de assassínio”, lia-se no Twitter do seu gestor de redes sociais Dan Scavino. Horas depois de os serviços secretos confirmarem que não havia qualquer arma, de o homem com o cartaz ter sido libertado pelos agentes e entrevistado por vários jornalistas (queixando-se de ter sido agredido, e quase estrangulado, pela multidão), a versão do atentado contra a vida de Trump mantinha-se na rede social do responsável da campanha do republicano.

Público
6 h ·


Candidatura democrata agradece as boas notícias. A campanha continua extremada e há quem tema violência no dia das eleições.


Emails de Clinton não têm indícios de crime, garante FBI
Resultados desta investigação já foram transmitidos a vários congressistas.
publico.pt



Gosto


César Serradas Só há indícios dela ser um miserável ser humano; de mentir; de perturbar eleições democráticas no exterior; planear o homicídio de pessoas inconvenientes; de planear quem seriam os seus adversários eleitorais; de ter as perguntas dos debates; de dizer que os cidadãos que pretende presidir são desprezáveis; de aceitar financiamento dos países que se sabe que financiam o ISIS; de vender armas ao ISIS...

Enfim! Viva Hillary!
Gosto · Responder · 33 · 6 h

Ocultar 12 respostas



Francisco Magalhães Coelho Bora votar no nazi então
Gosto · Responder · 1 · 6 h


César Serradas O discurso dela é mais compatível com o de Hitler que o dele.
Gosto · Responder · 3 · 6 h


Luís S. Tavares César, deve andar a ler discursos diferentes então!
Gosto · Responder · 5 · 6 h


César Serradas Li o Mein Kampf. O discurso de Hitler era anti-capitalismo, contra o juro, a usura e o capital internacional, contra a injustiça dos salários baixos e da fraca proteção social.
Gosto · Responder · 4 · 6 h · Editado


César Serradas Em comum com Trump tem a parte nacionalista da nação fechada à imigração.
Gosto · Responder · 2 · 5 h


João Santos César Serradas Amigo, está a tentar explicar a pessoas que acham que o trump é nazi essas coisas ? esqueça isso ahahah
Gosto · Responder · 5 h


César Serradas Estou a tentar dizer às pessoas que o discurso nazista é o atual discurso de qualquer socialista com pitadas de nacionalismo.
Gosto · Responder · 5 h · Editado


Francisco Magalhães Coelho César Serradas pode ter lido mas não entendeu nada, eu vivo
Na Polónia sei a história e não faz nenhum sentido aquilo que escreve, e sim onTrump tem um discurso nazi, a Hillary é mais seguro.
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Filipe Alexandre Silva Espera... Então não era um chorrilho de crimes?
Lol
Gosto · Responder · 5 h


Joaquim Azevedo Palavras como fascista e nazi são usadas (compreensivelmente) como insulto, mas na análise não devemos esquecer de que o fascismo é uma ideologia política definida e com características próprias.
Nenhum dos candidatos americanos é remotamente fascista (e dentro desses, seguramente que não nazi). Caso contrário, gostaria de ver um exemplo.
Gosto · Responder · 1 · 5 h · Editado


Miguel Carvalho Vê um ou dois discursos do Trump.
Gosto · Responder · 1 · 3 h


Antonio Garcez César Serradas não vale a pena explicar nada a quem tem a mente deportada e escondida com palas metidas pelos Médias falsários !! Que Bengazi nunca seja esquecido e que Kilary seja punida pelos seus crimes de guerra !!
Gosto · Responder · 1 h


Escreve uma resposta...





Rui Daniel Espero sinceramente que a Hillary depois de vencer não tenha um momento Dilma Roussef, até porque o sistema Brasileiro é muito parecido com o Americano. E a direita mais imbecil de sempre da historia dos estados unidos, não entre pela porta do cavalo, acabando com o progresso nas leis ambientais, na saúde, nos direitos das minorias e mulheres, na manutenção da paz mesmo que seja podre.... Tenho a certeza que a provável vitória da Hilary, não será o ultimo episódio desta telenovela....
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado

Ocultar 27 respostas



Luis Salles Em Portugal também tivemos um "momento dilma rioussef" e cá andamos...
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Rui Cunha Está portanto a dizer que a Clinton é esquerda? lol
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Rui Daniel Não em Portugal não houve impeachment, temos um sistema semi-parlamentar, que funciona de forma diferente em comparação ao americano ou brasileiro.
Nas ultimas legislativas a maioria dos deputados eleitos pelo povo chegaram um acordo de governo, quando o partido mais votado por inabilidade ou incompetência não o conseguiu fazer.
Gosto · Responder · 4 · 6 h · Editado


Rui Daniel Não é de esquerda, não é de direita. É de centro. Tem politicas sociais de esquerda, tem politicas económicas de esquerda e direita. Entre alguém do centro com um programa equilibrado e um lunático, pessoalmente, se fosse americano votaria no mal menor.
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Luis Salles Será capaz de me dizer que, em Portugal, formaram governo os que tiveram mais votos?
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Rui Daniel O PS BE e CDU juntos tiveram mais votos que o PSD e CDS. Qual é a sua duvida? A direita não tem o monopólio de fazer acordos de governo, também é valido para os outros partidos
Gosto · Responder · 6 · 6 h · Editado


Luis Salles Essa aliança foi feita à revelia dos eleitores, antes do facto consumadoafirmaram que não fariam uma aliança, mentiram e traíram os eleitores, qual é a diferença?
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Luis Salles A aliança PSD/CDS foi feita antes das eleições e apresentaram-na nesses termos ao eleitorado, não se trata de esquerda ou direita mas de rectidão.
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Rui Daniel Foi tão terrível, e os eleitores sentiram-se tão traídos que o PS agora está a 10 pontos de distancia do PSD. Acorde para a realidade
Gosto · Responder · 5 · 6 h


Rui Daniel Luis Salles, ter feito antes ou depois é irrelevante. O PSD tinha uma maioria relativa tal e qual o ultimo governo de Sócrates, precisava de negociar para governar, como não o fez. Os mais de 50% da composição do parlamento chegaram a um acordo de governo, Ainda não percebi qual a sua dificuldade em perceber um exercício aritmético tão simples.
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Rui Daniel Luis Salles é me indiferente as telenovelas e os casos para encher chouriços. A Clinton tem um programa coerente de governo que vai desde o controlo de armas, investimento publico e privado, redução das dividas dos estudantes, melhorar o obamacare...; e o Trump diz que vai construir um muro, porque é o maior... Os cientistas, técnicos, economistas são todos burros e ele é o único inteligente. Entre um funcionário publico com um curriculum com altos e baixos e um megalómano bipolar, prefiro o mal menor.
Gosto · Responder · 2 · 5 h · Editado


Luis Salles Já se inteirou do programa do Trump ou limitou-se a gozar com o penteado?
Gosto · Responder · 5 h


Luis Salles O que a Hillary diz não se escreve e se não o sabe finge que não sabe e não sei o que é pior...
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Luis Salles Hillary tem dito coisas diametralmente opostas, ninguém sabe qual éo seu plano, Hillary é como arte contemporânea, os seus apreciadores projectam nela o que desejam.
Gosto · Responder · 5 h


Rui Daniel Luis Salles, li o programa da Hillary e manteve-se quase sempre o mesmo, não houve mudanças significativas. Se ela vai aplicar todo aquele programa, duvido, mas se conseguir um quarto do que propõe, os americanos ficarão melhor servidos.
Quanto ao trump a historia é outra, o senhor muda de posição consoante a direcção do vento. Num dia defende que as mulheres que abortarem devem ser punidas ou presas, no outro diz que não disse aquilo que toda gente viu na televisão. E onde se manteve coerente foi sempre no pior, como a desregulação das regras ambientais, uma baixa de impostos que desorçamentariam as contas americanas e fariam disparar o deficit para lá dos 10%, e a deportação de milhares de emigrantes. Acho que a ideia de descriminar fiscalmente as empresas que se deslocam do País, até é boa, o obama defendeu o mesmo, mas os republicanos não deixaram passar a medida... Não é para levar a serio
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Luis Salles Uma coisa é o programa, outra coisa é o que diz em privado, em qual votaria?
Gosto · Responder · 5 h


Luis Salles As regras ambientais que mais nenhum país em desenvolvimento segue e para a implementação das quais os EUA pagam números incalculáveis à ONU sem se saber o que se faz com tais verbas? A baixa de impostos visa a recolocaçºao de fábricas em território nacional que pagam impostos duas vezes, no país onde estão e nos EUA, os bens passam a ser carregados em impostos ao voltar ao país mas quem perde são os consumidores e os trabalhadores, o déficit é quase irrelevante visto onde a dívida está, era melhor pagar dívida do que aparar o défice.
Gosto · Responder · 5 h


Luis Salles Disse que deviam ser castigadas se o aborto fosse ilegal e quem, no fundo, pode encarar o planeamento familiar feito com leviandade recorrendo ao aborto sendo que os homens estão condenados a pensão alimentar se a mulher pretender levar a gravidez a termo e não tem uma palavra a dizer sobre o assunto se a mulher decidir abortar? Costumo dizer em relação a isso: se ela pretende abortar, é o seu corpo, é a sua escolha; se pretender levar a termo; é o seu corpo, é a sua escolha, é a responsabilidade dele. Não me entenda mal enquanto posição pessoal! Eu votei sim no referendo.
Gosto · Responder · 4 h


Luis Salles Isto é, disse uma coisa que ninguém pode negar que um crime acarreta um castigo, porém, nunca disse o seu contrário, está a perceber ou não? Hillary, umas vezes diz que não quer tirar as armas, outras vezes diz que o exemplo australiano é um exemplo a seguir, (total confisco de armas).
Gosto · Responder · 4 h


Rui Daniel Luis Salles, todos os países desenvolvido seguem regras ambientais, os de terceiro mundo como o bangladesh, indonésia e afins, são aqueles que não seguem quaisquer parâmetros de qualidade ambiental.... As contas à baixa de impostos de trump já foram feitas, fariam o deficit explodir
http://blogs.wsj.com/.../donald-trump-would-boost-debt.../


|

Gosto · Responder · 1 · 4 h


Rui Daniel Luis Salles, eu vou dormir. Desejo-lhe uma boa noite
Gosto · Responder · 4 h · Editado


Luis Salles Todos os países onde deslocalizaram as linhas de produção estão fora. Sabe que a economia não é ciência, não sabe? Sabe que Trump não tem o apoio dos republicanos, não sabe? Ora, o congresso é maioritariamente republicano, é disso que se tem queixado o Obama e por isso se tem justificado com regras pouco ortodoxas como as ordens executivas que contornam o congresso, se Obama não consegiu fazer alguma coisa porque haveria Trump de conseguir impor a sua vontade, prefere pôr um criminosa na Casa Branca sendo que os seus pruridos são éticos?
Gosto · Responder · 1 · 4 h


Luis Salles Estas projecções são mera conjectura e nem são tão díspares quanto isso, entretanto, os americanos pagam impostos sobre a importação de produtos americanos fabricados nos países que detêm dívida americana sem terem os empregos...no fundo é tudo uma questão de classe porque estes problemas só afectam as classes operárias, é verdade que muitos cérebros são importados, porém, desfrutam de infraestruturas pagas com impostos locais..daqueles que pagam impostos, claro...
Gosto · Responder · 4 h


Luis Salles Boa noite! Acho muito gira a ilustração usada na foto de capa do Público, um exemplo de imparcialidade!
Gosto · Responder · 4 h


Luis Salles P:S:Sabia que os cidadãos americanos no estrangeiro continuam a pagar impostos nos EUA?
Gosto · Responder · 4 h


Miguel Carvalho Não vale a pena tentar ter uma discussão lógica com um skinhead...
Gosto · Responder · 1 · 3 h


Antonio Garcez Rui Cunha sim a Kilary é de Esquerda sim !!
Gosto · Responder · 1 h


Escreve uma resposta...





Luis Salles 650 000 e-mails analisados em quatro dias é obra! Agora, só falta dizer que quando a fundação Clinton recebeu um milhão do Qatar quando ela estava no congresso e sem o declarar apesar da obrigação legal de o fazer é legal.
Gosto · Responder · 7 · 6 h · Editado

Ocultar 12 respostas



Ana Silva HA 4 dias? :O esta estoria adura a pelo menos um ano !! alem disso pensas que a tecnologia que tu usas e a mesma a que FBI's e CIA's do mundo têm acesso? haha olha a internet ja existe des dos anos 60 agora diz-me quando e que ela te chegou a maozinhas a fazer iiiiiiiiinnnnnnnnnn onnnnnnnnnnnn zip zip zip brrrrrrrrrr :) !!

Gosto · Responder · 3 · 6 h


Luis Salles Não sei se sabe que estes 650 000 e-mails foram encontrados há dias e a investigação foi reaberta há dias, estes são os e-mails do Weiner, querida!
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Luis Salles Jovens, atentem nisto! Estão a ver o que faz a droga? Não se droguem! Cuidado!
.
....Ver mais
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Hugo Sanches Luis Salles nem vale a pena explicar, só vê os main media se é que me entende.
Gosto · Responder · 3 · 6 h


Luis Salles Hugo Sanches Ui, se entendo!
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Manuel Teixeira Nem escrever sabe a parola... Vai lá para as novas oportunidades!
Gosto · Responder · 3 · 6 h


Rafael Barroso Estes pensam que iam analisar emails a mao lol! Entao querem o que? que digam que ha indicio de crime quando nao ha? oh, esperem, querem que nao falem antes de terem a certeza... ironico, quando disseram que havia emails nao tinham essa opiniao concerteza!
Gosto · Responder · 6 h


Luis Salles Analisam com a boca?
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Manuel Teixeira Luis Salles a Madonna vai analisar a quem votar na traficante de armas...
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Luis Salles Seria fácil de analisar os documentos recorrendo, apenas, a palavras-chave...se a Hillary não tivesse o hábito de cortar o cabeçalho aos documentos classificados secretos que enviava por e-mail num servidor público....
Gosto · Responder · 2 · 5 h


José Bolotas Os grunhos e as suas teorias
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Telma Soares

Gosto · Responder · 1 · 3 h


Escreve uma resposta...





Johnny Sintra Alguém no FBI começou a ver a vida a andar para trás e deu o dito por não dito...
Gosto · Responder · 9 · 6 h


Luis Cadete Óbvio.
Gosto · Responder · 5 h


José Bolotas Grunhos de acordo
Gosto · Responder · 5 h


Filipe Alexandre Silva Hahahahaha
Quando o director do FBI, republicano ferrenho, decidiu reabrir o processo, choveram elogios.
Agora que se constata que não há qualquer crime, foi influência da administração....Ver mais
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Miguel Carvalho Hillary serve Satã!! E o islã!! E é um réptil do planeta Nibiru!! #abramapestana :D
Gosto · Responder · 2 · 4 h


Escreve uma resposta...





Paulo Tomás Viram e analisaram 650.000 emails em cerca de 650.000 segundos (O tempo que durou a "investigação".). Um email por segundo.
Fantástico.
Gosto · Responder · 8 · 6 h

Ocultar 15 respostas



Tiago Reis Excelentes contas, não é como se fosse possível ter mais que uma pessoa a analisá-los nem nada.
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Paulo Tomás Mal deles se não tivessem mais do que uma pessoa.
Mas mesmo que tivessem 120 pessoas, isso significaria ler e analisar cada email em 2 minutos...durante 8 dias seguidos, e sem dormir.
Se te parece possível, és mentecapto.
Gosto · Responder · 4 · 6 h


Joao Pedro Pinheiro Oh Tiago, para os propósitos de uma investigação criminal, analisar os documentos envolve um bocadinho mais do que ler o que la está. E é sempre necessario que a pessoa a frente da investigação esteja a par de tudo, para poder tomar uma decisão informada.

Não sejas mentecapto :(
Gosto · Responder · 5 · 6 h


Paulo Tomás Vamos supor que são pessoas altamente especializadas, com formaçáo politica e em Direito, uma grande resistência física e mental, com condições para estarem fechados numa sala sem vida pessoal durante estes dias, e a trabalhar 16h/dia (as restantes 8 ficam para comer, dormir e fazer necessidades básicas).
Vamos assumir que estas pessoas são tão extraordinárias que conseguem ler e validar cada email em apenas 5 minutos.
Nestas condições super ideais seriam necessárias 450 destas pessoas.
Gosto · Responder · 2 · 6 h · Editado


Luis Salles Talvez tenha sido a doméstica da Hillary, consta que era ela quem fazia cópias dos documentos secretos do Estado.
Gosto · Responder · 4 · 6 h


Liliana Cunha YouTube!!! a melhor fonte de informação das redes sociais.
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Paulo Tomás Hmm...é impressão minha ou o Público apagou uma série de comentários de um utilizador que tinha colocado links do youtube sobre a Killary?
Gosto · Responder · 2 · 6 h


Hugo Sanches Depende sempre da selecção que se faz
Gosto · Responder · 6 h


José Bolotas Grunhos aos molhos
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Paulo Tomás José, come o sobrenome.
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Filipe Alexandre Silva Grunhos, haviam cerca de 70 mails suspeitas e com novidades.
Sempre pouco informados.
Gosto · Responder · 4 h


Paulo Tomás Fecha a matraca, comuna.
Gosto · Responder · 4 h


Miguel Carvalho Imaginem este grunho num debate :D
Gosto · Responder · 3 h · Editado


Paulo Tomás Aí está a brigada esquerdola de SJWs, com a sua forte argumentação e os seus perfis falsos. O cliché.
Gosto · Responder · 1 h · Editado


Antonio Garcez Paulo Tomás o Publico tem de fazer o que a Kilary e Soros mandam !!
Gosto · Responder · 1 h


Escreve uma resposta...





José Alberto Oliveira Um simula um atentado, outra uma investigação do FBI! Francamente não há pachorra para esta palhaçada.
Gosto · Responder · 5 h


FLavinho Silva Meu Deus essas mulheres são piores que ditadores como o da China que é horrível Aqui mulheres política so corrpcao mentiras......
Gosto · Responder · 1 · 4 h


João Castel-Branco Esquece lá as candidaturas à presidência dos Estados Unidos da América, porque actualmente o sistema não é dos melhores existentes.
Gosto · Responder · 5 h


Bernardete Pinto Coelho A sociedade é governada por forças diabólicos todas as instituições estão em crise e completamente desacreditadas
Gosto · Responder · 53 min


Luis Cadete O wikealeaks vai resolver o problema e publicar os amails da Clintona..
Gosto · Responder · 1 · 5 h


Sofia Placido Rapido. Chamem o FBI para encontrar o Pedro Dias
Gosto · Responder · 1 · 6 h


Joao Pereira Já ganhou, graças ao FBI.
Gosto · Responder · 1 · 6 h




Denzel Henriquis 🇺🇸👁
Gosto · Responder · 6 h

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook