terça-feira, 22 de novembro de 2016

Assaltantes armados invadem casas, roubam e agridem vítimas na Matola


Grupo constituído por mais de cinco pessoas assaltou pelo menos duas casas

A madrugada de ontem foi de terror para alguns residentes de Matola Gare, um bairro do município da Matola. Um grupo constituído por mais de cinco pessoas assaltou pelo menos duas casas, tendo roubado vários bens e agredido as vítimas.
A situação foi tão violenta que as vítimas preferem falar no anonimato. “Eles estavam armados e, além de pistola e machados, traziam também cães”, contou a primeira vítima, um senhor que trabalha como fiel de armazém. Os assaltantes não tiveram muito trabalho para invadir a residência, uma vez que o quintal não tem portão. 
Cortaram os cadeados da porta principal e acederam ao interior da casa, tendo a primeira acção sido trancar um menor no quarto, depois de lhe retirar o telemóvel.  Em seguida, invadiram a quarto do casal e, com gritos e ameaças, obrigaram-no a deitar-se no chão.
“Entraram no quarto três homens levando consigo uma pistola, um machado e outros instrumentos contundentes. Roubaram as alianças, telemóveis, um ‘laptop’ da minha esposa e o único dinheiro que tínhamos em casa”, conta a vítima.
Além de lhe terem sido saqueado alguns bens, a vítima queixa-se de ter sido agredida. “Tiraram-me da cama e atiraram-me no chão. Pisaram a minha cabeça, amarraram a mim e a minha esposa e cobriram-nos mantas, como se fôssemos mortos”, explicou.
Os assaltantes seguiram, depois, para uma casa vizinha, onde tiveram que partir o muro para evitar a vedação eléctrica. Já no interior da casa, os forçaram uma gestante de nove meses a deitar de barriga, colocando em risco a sua vida e do bebé.
“Rebentaram o muro, a grade e entraram na casa. Quando ela (esposa) se apercebeu, eles já estavam dentro. Fizeram-na refém no quarto e revistaram toda a casa. Roubaram dois ‘laptops’, três telemóveis, ‘playstation’ e quatro mil meticais. Só não levaram coisas pesadas”, contou o marido.
A Polícia foi accionada, mas só chegou ao local às 07h00 de manhã. Em declarações ao jornal O País, o porta-voz da PRM na província de Maputo, Emídio Mabunda, disse que a Polícia já está a trabalhar para identificar a quadrilha que cria terror na Matola Gare.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook