sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Vozes de Sacudzo


2. Cidadão português, nascido em Moçambique, foi preso na Beira em meados de 1976 por posse de moeda estrangeira (5,000 escudos portugueses e algumas dezenas de dólares americanos). Sem estarem munidos de mandado de captura, soldados da Frelimo prenderam-no em casa, na presença da esposa e filhos. Na cadeia existente no centro da cidade viveu numa cela de 4x3 metros juntamente com 67 prisioneiros, isolado dos familiares e sem acesso a advogados. A advocacia havia sido recentemente “nacionalizada”. As refeições diárias consistiam de um prato de farinha de milho cozida, por vezes acompanhada de carne. Havia água apenas por duas horas na parte da manhã e duas horas na parte da tarde.

Mais tarde, foi enviado para Sacudzo, um dos quatro centros de reeducação existentes na região de Gorongosa. Dois dos campos eram para mulheres e raparigas, e os outros para homens e rapazes. No centro, os guardas raparam-lhe o cabelo e depois retiraram-lhe a roupa e os sapatos. Tal como os restantes prisioneiros, passou a andar de tanga e a viver numa estrutura de estacas de madeira, uma lona amarrada em cada estaca, sem resguardos laterais, sem soalho, luz ou aquecimento. Não havia mantas. “Durmam juntos e assim podem proteger-se do frio”, disse o guarda.

Ao todo, eram 1,500 prisioneiros. As actividades diárias começavam às 3.30 da manhã. Em fila, os prisioneiros recebiam um prato com farinha de milho cozida e peixe seco. Seguia-se uma hora de lições sobre a história da Frelimo e socialismo científico. Terminada a sessão, os prisioneiros caminhavam para o local de trabalho a cerca de 15 km de distância. Ao sol, descalços e sem chapéus, desbravavam terrenos para a construção de novos campos para albergar prisioneiros que iam chegando de outros pontos do país.

Aos poucos, os prisioneiros sentiram-se fracos, emaciados pela desidratação e desnutrição, paludismo e bilharziose. Os que já não podiam trabalhar eram levados em camiões, sem nunca mais regressarem. Apenas dormiam 3 a 4 horas por dia. Não recebiam correspondência de familiares, nem livros ou revistas para ler. O isolamento era total.

Ao fim de quase um ano de cativeiro, um homem armado, envergando uniforme da Frelimo, assaltou o centro de reeducação de Sacudzo. Eram cerca das 6.30 da manhã, sábado, 7 de Maio de 1977. O homem armado chamava-se André Matadi Matsangaíssa, ex-prisioneiro do centro. Cerca de 100 prisioneiros seguiram Matsangaíce, e dos que restaram durante a marcha procuraram refúgio em Odzi, em território rodesiano.

O cidadão português libertado durante o ataque, regressou a Portugal. Os restantes integraram o núcleo do primeiro contingente da Resistência Nacional Moçambicana, Renamo. Um deles passou recentemente à reforma – Olímpio Kambona, vice-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e de Defesa de Moçambique. Matsangaíssa morreu em combate na região da Vila da Gorongosa a 17 de Outubro de 1979.

Fontes: 
1. To the Point, 3 de Junho de 1977, p. 54, “Mozambique – Machel’s reeducation camps teach a tough lesson”
2. Imprensa moçambicana


NicriSs Manejo Jr. Grande homem

Aziza Throne Quem diria. Olimpio Kambona.Ode aos herois

Frenque Raven Eles, têm nos contado histórias vazias

Domingos Estevao Fumo Muito emocionalmente, e eu que nasci e cresci sabendo que esse tal matsangaissa erra o mau da fita...

Américo Matavele Domingos Estevao Fumo, já ouviu falar de lavagem de imagem? Quem esquece a história corre o risco de ficar com um vazio na memória, que será preenchido por mentiras. É Facebook isto. Cuidado. Depois alguém vai te dizer que entre Jesus e o diabo, o santo é o diabo, e vais acreditar, cuidado.

Alfredo Macuácua Kakakaka.....



Albano Tivana O bandido nunca vai mudar. Afinal este partido foi fundado com bandidos prisioneiros. Olha a bandidagem é melhor dom k diabo consegue dar. Os caprichos pegam para tdo fazer, matar, saquear bens. Ok ja sei.... Por isso kuando ataca Postos policiais a primeira coisa é tirar recrusos. Depois queimam viatura. Partido de bandidos malandros, preguisosos.


Jemusse Abel Entao Olimpio Kambona tem algo a dizer..

Jossias Ramos Terminei o meu SMO no Comando do Exercito, onde o General Olimpio Cardoso Cambona era o Comandante e Julio dos Santos (que de santo NADA TINHA), atual Comandante Geral da PRM, era seu vice. Sempre admirei a humildade, a relaçao do General Olimpio para com os demais. Jane era totalmente o contrario de um SANTO. Olimpio era amigo de todos, desde o mais simples soldado aos outros generais. Nao sabia da historia dele na Renamo.

Antonio A. S. Kawaria O mano Américo Matavele tem ler o que escreves aqui Jossias Ramos

João Ferrão Júnior Chegou o agente 21 Américo Matavele debelar o fogo da verdade..


Jemusse Abel Albano Tivana hehehehe nao tenho como debater contigo muito menos Americo Matavele. Ibn Khaldun remete-nos a uma reflexao profunda das causas do erro na históri. Adam schaf tambem nos ajuda a perceber porquê devemos reescrever a história. Pelo menos citar Michael Stanford " a história conforme narrada por aqueles que detinham o poder, ou pelos amigos destes ou por aqueles que o buscam, deve ser encarada com muita cautela" paro por aqui..

Jossias Ramos e ponto (final). Kkk!...


Angela Maria Serras Pires O filme "Virgem Margarida" ganhou prémios em todo o mundo e retrata a ditadura frelimista que iniciou em 1975 por isso o mundo sabe o que é a frelimo

Albano Tivana O imperialismo age de varias formas,.. Por isso a FRELIMO foi e sera sempre unico partido com verdadeira message do Povo,.. o resto ja sao emendas,..

João Ferrão Júnior Albano Tivana o G40 já fechou e você é demasiado retardado para conseguir entrar os chefes não estão a te ver calma. Não precisa despejar aqui o seu corrimento cerebral.

Albano Tivana A FRELIMO fez historia,.. voce ainda fala de g40 os donos do imperialismo.... voce estas muito atrasados pork nao sabe o ler o passado para escrever o futuro,...

João Ferrão Júnior Você está tão adiantado que está fora do raciocínio lógico, o seu raciocínio ante académico enoja-me.

Angela Maria Serras Pires Afinal os frelos não conhecem os campos de reeducação e fuzilamentos públicos e lei do chicote que foram obras da frelimo ????

Albano Tivana Os verdadeiros libertadores do Povo Mocambicano sao estes,... Nao esistiu outro a nao ser os destruidores da nacao Mocambicana,.. Voce vai falar de Lazaro Kavandame, Andre Matsanga,....grandes traidores do Povo,...

João Ferrão Júnior Não vou mais pronunciar me primeiro aprende a escrever a língua oficial.

Albano Tivana Podem escrever como, e de k forma, mas se nao faz sentido akilo k escreve nada nos diz,....

Tomocene Antonio Tomocene Sera k existe academicos aki


Tomocene Antonio Tomocene Voces k dizem serem academicos sao todos agitadores e falsos viva a boa governacao do nosso presidente

Frenque Raven Tomocene António Tomocene, o teu caso é muito grave amigo, o próprio presidente diz que está no poder há pouco tempo por isso ainda não se pode falar de boa governação, iiiii, vocë precisa de exorcismo, o teu caso, só o papa Francisco pode resolver lá no veticano.

Albano Tivana Frenque Raven a Historia nao sai do futuro para o Passado,... de cima para baixo... e o que voce esta fazer,... O Imperialista dar voce historia que voce nasceu, so porque tem la um dinheiro,... quer nos encher de mentiras,... agitadores,.... O nosso campones tem historia na mao,... porque viveu,.. a historia da nossa bela patria,....

Tomocene Antonio Tomocene Cda Tivane bem falado

Aurélio Simao Ja ouvi alguns historiadores num debate na UEM a dizer que temos que reescrever (rever) a nossa história

Albano Tivana A revisão nao é feito com base num livro publicado na Europa. Pork ak em Mozambique temx pessoas k viveram a Historia.

Aurélio Simao As pessoas que viveram a nossa historia mentem, e cada um conta diferente do outro. 2 historias foram desmentidas com as próprias pessoas que escreveram, a morte de Mondlane e o 1º tiro, logo toda história fica questionavel

Albano Tivana Olha, o primeiro tiro é marcado pelo Comandante em chefe. Neste caso k tinha competencia e o Camarada Chipande, estamx falar de cerimoniais centrais do inicio da luta de libertação de Moçambique. Quem disse k é mentira.

Aurélio Simao O falecido Gruveta e o Chipande próprio confirmou e explicou as razões da mentira. Para ti: quando reuniram no dia 24/09/64 combinaram para iniciar ataques que horas?

Albano Tivana Explicar a quem. Quando difinir k cerimonias do dia da independancia cerimonias centrais é Nampula, o Presidente se ir la é o central. Voces noutros locais se iniciarem cedo, nao se conta. Voz de comando foi encarregue o Camarada Chipande pelo Camarada Eduardo Chivambo Mondlane.

Jossias Ramos Khwa!...

Aurélio Simao O Sr não pode ser fanático da política seja lógico, fala-se do 1º tiro da luta não tiro do chefe. Como que se justifica a luta iniciou as 0:00h e o 1º tiro vir ser disparado as 19h? Não tens vergonha mentir perante o mundo? Releia a história, ela diz o 1º tiro da luta não do comandante

Albano Tivana O primeiro toque da bola, é dado pelo chefe. Voce pode vir a tocar nao se conta.

Aurélio Simao Falas do toque da bola que todos ficas a espera, mas não é o caso de ficar 19h de tempo a espera. E estás a defender o que o Chipande não conseguiu defender quando foi perguntado

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook