sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Detentores de dívida pública moçambicana preparam 'guerra' contra reestruturação

Os gestores de fundos de algumas das maiores casas de investimento em mercados emergentes estão a preparar-se para uma 'batalha' contra Moçambique e os outros credores do país no caso de reestruturação da dívida do país.
"Não é culpa dos detentores dos títulos de dívida e eles não devem esperar qualquer vontade da nossa parte em aceitar" perdas, disse o gestor Lutz Roehmeyer, que supervisiona cerca de 12 mil milhões de dólares em activos no Landesbank Berlin Investment, incluindo parte dos 727 milhões de dólares de dívida soberana de Moçambique.
"Eles deviam entrar em 'default' [incumprimento financeiro] nestas empresas públicas; não há necessidade de pagar os empréstimos a tempo", defendeu o gestor, referindo-se às dívidas da Proindicus e da Mozambique Asset Management (MAM), que são garantidas pelo Estado.
A ideia de Moçambique de juntar os credores das dívidas das empresas públicas e dos títulos de dívida soberana num só grupo com o qual fosse possível negociar em conjunto uma reestruturação das dívidas sofreu um revés na Terça-feira, quando um grupo de detentores da dívida soberana recusou não só a ideia de reestruturar a operação, mas também de ser agrupado numa operação financeira conjunta.
No comunicado divulgado na Terça-feira, cinco investidores que detêm cerca de 60% dos 727 milhões de dólares em títulos de dívida pública, que resultaram da conversão das obrigações da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), em Abril, disseram rejeitar a proposta e os prazos defendidos pelo ministro das Finanças numa apresentação em Londres.
Os detentores de títulos de dívida defenderam também que uma renegociação só poderia começar depois da auditoria internacional estar concluída e publicada e depois de o Fundo Monetário Internacional retomar um programa de ajuda.
As taxas de juro dos títulos de dívida pública de Moçambique subiram 900 pontos base para quase 25%, fazendo a percepção de risco da dívida soberana ultrapassar a da Venezuela e a tornar-se na mais arriscada, com os juros mais altos do mundo.
"Eles precisam de comprar tempo", comentou o director-geral da EM Quest, Phillip Blackwood, que ajuda o dinamarquês Sydbank A/S a gerir, 2,5 mil milhões de dólares em activos dos mercados emergentes, incluindo Moçambique.
"Os detentores de títulos de dívida soberana estão numa posição mais firme porque já suportaram uma reestruturação, ao passo que os credores dos empréstimos [da Proindicus e MAM) ainda não", acrescentou o consultor, concluindo que "os credores dos empréstimos precisam mesmo de reestruturar e adiar os pagamentos, como os detentores de 'eurobonds' fizeram; Moçambique também tem de fazer alguns cortes no orçamento, não pode simplesmente dizer que já não tem dinheiro".
Para o director do Programa Africano na Chatham House, Alex Vines, "Moçambique está numa fase muito, muito difícil", porque "o país está à beira do abismo; não têm dinheiro".
SAPO – 11.11.2016
MAIS UMA MÁ NOTICIA PARA MOÇAMBIQUE
A consultora Exotix Partners, a maior analista de empresas dos mercados emergentes, recomendou aos investidores que vendam os títulos de dívida soberana de Moçambique, que vencem em 2023, devido às difíceis condições financeiras do país.
"Pensamos que os preços atuais não refletem os riscos negativos", escreveu a empresa numa nota citada pela agência de informação financeira Bloomberg, na qual aponta que "reviu em baixa a recomendação sobre os títulos MOZAM 2023 de `Manter` para `Vender`".
Os três principais motivos para trocar a recomendação de `Manter` para `Vender` são as incertezas sobre os prazos do programa de ajuda financeira internacional, as dúvidas sobre a capacidade de assegurar as garantias financeiras e as consequências da realização e divulgação da auditoria externa às contas de algumas empresas públicas.
A divulgação da auditoria externa às contas públicas moçambicanas, exigida pelo Fundo Monetário Internacional para retomar o programa de ajuda financeira a Moçambique, "deverá excluir as questões sobre a dívida MOZAM, na nossa opinião, mas não sabemos como isso vai desenrolar-se", explica a consultora na nota citada pela Bloomberg.
Os títulos de dívida soberana a que se refere a consultora eram originalmente títulos de dívida corporativa da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), que venciam em 2020, mas foram reconvertidos em títulos de dívida pública com garantia do Estado de Moçambique, naquele que foi um dos primeiros passos para se descobrir a emissão de títulos e empréstimos a empresas públicas moçambicanas num valor que se aproxima dos 2 mil milhões de dólares e que fez a dívida pública disparar para valores considerados insustentáveis pelos padrões internacionais.
Apesar dos progressos na evolução dos juros cobrados pelos investidores para transacionarem estes títulos de dívida, que nos últimos sete dias andaram à volta dos 15%, de acordo com a consulta feita hoje pela Lusa, a Exotix afirma que "os títulos estão vulneráveis a uma correção a curto prazo, apesar de alguns investidores poderem estar preparados para `aguentar` este período, antecipando os investimentos no setor do gás".
Os investidores que aceitaram trocar os títulos da Ematum pelos de dívida soberana, antes do verão deste ano, ficam a receber mais juros (de 6,3% para 10,5% por ano), mas adiam a recuperação do investimento inicial de 2020 para 2023, o que daria às finanças públicas moçambicanas mais tempo para receberem as receitas provenientes da exploração de gás natural.
A divulgação deste relatório é mais uma má notícia para a economia de Moçambique, que deverá crescer este ano apenas 3,7%, o que compara com uma expansão económica de 6,6% no ano passado, já de si bastante abaixo da média de dois dígitos da última década.
O país atravessa uma crise económica e financeira, provocada pela queda do preço das matérias-primas e dos investimentos, calamidades naturais, derrapagem da moeda nacional, subida galopante da inflação e aumento exponencial da dívida pública, o que afeta a imagem externa do país como destino potencial de atração de investimento estrangeiro, apesar das enormes reservas de gás descobertas na última década.
A inflação de setembro numa base anual passou os 25% e o metical desvalorizou-se 40% face ao dólar desde o início do ano, o que contribui para aumentar as dificuldades do serviço da dívida.
A Exotix Partners é uma consultora baseada em Londres e com escritórios em Nova Iorque, Dubai, Lagos e Nairobi, analisando 130 empresas nos mercados emergentes, "mais do que qualquer outra empresa que opera nos mercados emergentes", segundo a informação do seu site.
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni Desastre total. Esta novela vai ter novos contornos após a divulgação dos resultados da auditoria externa porque apartir momento tudo ficará esclarecido sobre o fururo de Moçambique.
Os resultados dos 15 meses de governaçao de Nyusi, o maconde.
- Varias empresas e bancos a falirem;
- Centenas de pessoas mortas por esquadroes de morte patrocionadas por um partido libertador de que nyusi é presidente;
- Milhares de crianças fora da escola;
- Milhares de compatriotas fugiram do pais devido a accao banditesca das fds de que nyusi é comandante em chefe;
- Dezenas de aldeias saqueadas e queimadas pelas fds de que nyusi é comandante em chefe;
- Milhares de jovens militares mortos e mutilados em confrontos com guerrilheiros da renamo;
- Arroz subiu de preço;
- Tudo o que é comida subiu;
- Energia subiu;
- Água subiu;
- Combustivel subiu;
- My Love subiu;
.......
- Tudo subiu
- A morte reside em qualquer esquina ate no prato de comida e no copo de agua é possivel achar a morte;
........
AFINAL PARA QUE NOS SERVE ESSE FULANO?
AGUARDO RESPOSTA
NAO VENHAM DIZER QUE É FALTA DE EXPERIENCIA PORQUE NA BEIRA, QUELIMANE E NAMPULA ESTAO RAPAZES DA IDADE DELE A FAZEREM MARAVILHAS, A GOVERNAR BEM.
A nossa esperança de dias melhores reside nessa serra.
Carlos Jose Bacalhane
Carlos Jose Bacalhane boa terra ate se me permitir eu quero concorrer p municipio de Tete. na RENAMO
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Hoje a frelimo so pode ganhar em gaza, onde a pobreza mental é extrema.
Gosto · Responder · 3 · 1 h
Star Neves
Star Neves Kkkkkkk... é verdade.
Carlos Jose Bacalhane com certeza,nao sei se terao manifesto.
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni A dívida do estado também subiu
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni A dívida do estado também subiu, o lambebotismo subiu, o desespero da frelimo subiu, a arrogância subiu...e depois vem com história de que de neste momento de crise deve ser oportunidade pra os Moçambicanos. Se eles proprios não conseguem gerir esta máquina governativa...relativamente a Gaza, não é verdade quando dizem que a frelimo é 100% vitoriosa. Eles trocam as urnas de votação por outras já preparadas por eles.
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Porque os defuntos votam em gaza?
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni kkkkk, só podem mesmo.
Celestino Cebu
Celestino Cebu Nosso dinheiro da INSS sumiu de forma indireta,,INSS é(ra) acionista Maioritario do Nosso Banco, ex. BMI.
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Estamos mal, comeram tdo.
Mulandi HI Mina Kheni
Mulandi HI Mina Kheni Celestino Cebu, o donos do dinheiro devem ir ao INSS exigir seu dinheiro de volta.
Antonio Carvalho
Antonio Carvalho Esse maconde oque sabe gerir as putas e ai governa-as bem mas bem mesmo
Agostinho Augusto
Agostinho Augusto O País vive de aparência, estamos falidos há mais de 5 anos.
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Mesmo falido apostam na guerra....
Agostinho Augusto
Agostinho Augusto A guerra foi propositada em ambas partes.
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Propositada em ambas partes.... Quer dizer que a renamo está metida na cabala, Agostinho Augusto?
Agostinho Augusto
Agostinho Augusto A Renamo estava preparada desde finais de 2009.
Leston Massingue
Leston Massingue O gaju nada produziu
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Estava preparada pra aruinar o pais ou travar as macaquices da frelimo, Agostinho Augusto?
Agostinho Augusto
Agostinho Augusto Travar desmandos e manter a Democracia.
Star Neves
Star Neves Aguardemos o resultado da auditoria com muita expectativa, de certeza que haverá suicídios, assassinatos, prisões etc.
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos A frelimo diz que os auditores sao espioes.
Star Neves
Star Neves Nada disso. A vinda do Zandamela foi uma imposição do FMI, ele não veio p brincar, o Nosso Banco ex BMI já devia ter falido desde que abriu mas a Frelimo nunca aceitou por se o saco azul deles, agora deram com o braço a torcer. Escreve, muita história vai rolar.
Manuel Carlos Zacarias
Manuel Carlos Zacarias Verdade que a nossa esperanca reside na serra. Quanto a auditoria eu nao tenho muita confianca nesses auditores escolhidos pelos ladroes e corruptos da frelimo que governam o pais, uma vez que ha informacoes de alguns membros desta organizacao, a Kroll terem sido presos no Brasil. Ha ver vamos!
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos A frelimo ja os acusa de serem espioes. Isto ja diz que a frelimo nao assumir o relatorio.
Zangua Bimbe Bimbe
Zangua Bimbe Bimbe Companheiros ; O que está em causa não é ser ou não maconde mas sim o partido dos camaradas . O que está em causa é esse grupo de amigos que desde Nangueia , mata, assassina, estrupura, viola e acima de tudo fica impune.
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Mas estamos a ver coisas jamais vistas, mortes porta a porta.
Agostinho Augusto
Agostinho Augusto Sim isso é muito triste, muita gente está a morrer.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook