sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Beira: Conflito entre Arcebispo e Conselho Paroquial abala igreja do Macúti


Por MMO Notícias
- Ago 3, 2017

Um ambiente de crispação está instalado entre os fiéis da congregação de Macúti, na cidade da Beira, que acusam o arcebispo da Igreja Católica, Dom Cláudio Dalla Zuanna, de racista e de promover no seio da família cristã, um ambiente de atrito.

O descontentamento foi manifestado durante um encontro que juntou pelo menos 15 membros do conselho paroquial da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, no bairro do Macúti.

O encontro, que era para analisar a decisão do prelado de transferir o padre António Ticaqui, que exerce as funções de pároco, acabou sendo dominado por revelações e acusações bombásticas contra Dom Cláudio Dalla Zuanna, arcebispo de nacionalidade argentina.

Ticaqui, que deveria, até ao mês passado, ter sido movimentado, viu esta intenção gorada, uma vez que Dom Cláudio Dalla Zuanna recuou da decisão de o transferir, em resposta ao pedido a si formulado pelo conselho paroquial da Macúti.


O mesmo solicitou o adiamento da resolução, porque em Outubro próximo a Igreja Sagrado Coração de Jesus de Macúti vai acolher a cerimónia do ano Dom Sebastião Soares de Resende.

Segundo apontaram, das práticas que ‘efervescem’ os fiéis daquela congregação, destaque vai para a alegada transferência constante de padres, manifestação de comportamento racista nos cultos e tentativa de ‘abocanhar’ tudo quanto faz parte do património e outros bens da Igreja Católica, na província de Sofala.

“Desde que o arcebispo Dalla Zuanna assumiu o cargo, estamos a assistir a uma onda de irregularidades jamais vistas. Há movimentação de padres em quase toda a província. Aqui o racismo é patente. Com a morte do Dom Jaime Pedro Gonçalves, a igreja católica ficou vulnerável“, disse Z. Cristina, integrante do conselho paroquial.

Segundo a fonte, com o reinado do novo bispo, praticamente, abriu-se uma onda de perseguição a todos os sacerdotes considerados antigos ao serviço da Igreja Católica.

“Há uma onda de movimentação de padres aqui e isso aconteceu no Búzi (Barradas), Chibabava e, recentemente, ia suceder aqui na paróquia do Macúti. Em todos estes sítios, onde dirigentes são transferidos e ou tirados, coloca-se, em seguida, um pároco da raça branca“, disse.

“A Igreja não é de ninguém. Existem padres que estão nas missões há bastante tempo, mas porque são brancos, esses, não são mexidos. É o caso de Chota e de Matacuane, que nunca foram tocados“, elucidou.

AIM

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.