quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Agente da SERNIC assume ter sido pago para matar presidente da Comunidade Ruandesa


Listen to this post. Powered by iSpeech.org 3SESSAOFBTerceira sessão do julgamento do caso marcada para 22 de Agosto corrente
O agente do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), Augusto Houana, confessa ter sido contratado e recebido dinheiro para matar o presidente da Comunidade Ruandesa em Moçambique, Louis Baziga. Houana contou, ontem, a acção durante a segunda sessão do julgamento do caso que decorre na quinta secção criminal do Tribunal Judicial da Província de Maputo, na Matola.
Louis Baziga acusa três indivíduos ruandeses de planearem a sua morte. O grupo seria supostamente liderado por Diomed Tuganeyeze, pastor e comerciante. Os outros réus são Benjamin Ndagijimama, antigo militar, e Revocat Karemangingo, comerciante. 
Augusto Houana disse que recebeu 157 mil meticais de Diomed. Sete mil meticais foram gastos a seguir a vítima e os 150 mil meticais (restantes) foram pagos quando o agente disse ter cumprido a missão. Houana diz que entrou em contacto com a vítima e o avisou que Diomed o pretendia matar e juntos simularam a sua morte.
Houana recebeu os 150 mil das mãos de um desconhecido, enviado supostamente por Diomed. O agente diz que recebeu o valor e na companhia de dois amigos seus, foi a província de Tete denunciar o suposto mandante do crime.
A vítima também foi ouvida na sessão de ontem e afirmou que teve conhecimento do plano através de Augusto Houana. O agente teria o feito escutar gravações em que o conversava com o suposto mandante do crime. A vítima relata que recebeu a confirmação da tentativa de sua morte por outros agentes da Polícia.
No final da sessão, os advogados pediram que fossem ouvidos os agentes da Polícia que confirmaram à vítima o plano para sua execução. A terceira sessão foi marcada para o dia 22 de Agosto deste ano.
O PAÍS – 02.08.2017
Poderá também gostar de:

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.