sexta-feira, 3 de junho de 2016

Muhammad Ali, lenda do boxe mundial, morre aos 74 anos

Muhammad Ali em Moscou, 15.07.1976

© Sputnik/ Vladimir Vyatkin
MUNDO
URL curta
2154651

Muhammad Ali morreu aos 74 anos na madrugada deste sábado, informam agências de notícias ao redor do mundo.

U.S. boxing great Muhammad Ali
© REUTERS/ ANDREAS MEIER/FILES
Ali morreu em um hospital da cidade de Phoenix, onde o atleta passou os últimos dias. Um membro da família do pugilista confirmou a morte de Ali para a emissora de TV NBC.
O lendário Muhammad Ali, ex-campeão dos pesos pesados, foi internado na quinta-feira (2) devido a leves problemas respiratórios. Os sintomas, no entanto, revelaram-se muito mais graves do que o esperado.
Mohamed Ali tinha sido internado duas vezes entre 2014 e 2015 com uma pneumonia e uma grave infeção urinária. Seus primeiros sintomas de Parkinson apareceram em 1979. Em 1981 ele largou o boxe e, desde então, tem-se dedicado a causas humanitárias. A sua última aparição em público foi em abril deste ano, num evento para caridade.
Mahhamad Ali em Moscou, 15.07.1976
© SPUTNIK/ VLADIMIR VYADKIN
Mahhamad Ali em Moscou, 15.07.1976


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160604/4920959/Muhammad-Ali-morre-74-anos.html#ixzz4Aad1OlQt

Muhammad Ali. Lenda do boxe mundial morre aos 74 anos

1 / 8
MOSTRAR LEGENDA
O pugilista que flutuava "como uma borboleta" e picava "como uma abelha" não resistiu a complicações respiratórias
Muhammad Ali, o lendário ex-campeão mundial de boxe, morreu esta madrugada, aos 74 anos. Além do desempenho nos ringues, Ali era conhecido pelo seu ativismo pelos direitos civis e pela personalidade - gostava de dar espetáculo antes, durante e depois dos combates. Era ele o pugilista que flutuava "como uma borboleta" e picava "como uma abelha", uma das suas frases mais famosas.
Ali tinha sido internado num hospital de Phoenix, no Arizona, na quinta-feira, por causa de problemas respiratórios. O comunicado da família confirmou que não resistiu à doença. "Depois de uma batalha de 32 anos com a Doença de Parkinson, Muhammad Ali morreu aos 74 anos. O três vezes campeão de pesados morreu esta noite", disse o porta-voz da família. O funeral será em Louisville, a cidade onde nasceu, no estado do Kentucky.
Campeão mundial de pesados em 1964, 1974 e 1978, Ali é considerado o maior pugilista da história da modalidade. Alguns dos seus combates ficaram para a história, como o chamado "the rumble in the jungle", em Kinshasa, contra o campeão George Foreman, que venceu.
Muhammad Ali nasceu Cassius Marcellus Clay em Louisville, em janeiro de 1942. Começou a lutar como amador aos 12 anos e ganhou fama aos 18, ao conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Roma na categoria meio-pesado.
Quatro anos depois, com apenas 22 anos, tornou-se o campeão de pesos pesados ao derrotar o temido Sonny Liston. Foi a "única vez" que se sentiu assustado no ringue, confessaria mais tarde. "Sonny Liston. Primeira vez. Primeiro Round. Disse que me ia matar", contou numa entrevista. Uma admissão rara para alguém que era conhecido, na juventude, pela arrogância misturada com sentido de humor: "Sou jovem; sou bonito; sou rápido. É impossível vencer-me."
 
Nesse mesmo ano converteu-se à Nação do Islão e mudou de nome - abandonou o "nome de escravo" que lhe tinham dado e escolheu um mais de acordo com as crenças do grupo religioso fundado em Detroit, que tinha como objetivo melhorar a condição socioeconómica e espiritual dos afro-americanos.
A sua carreira foi interrompida durante três anos e meio nos anos 60 quando recusou combater no Vietname - chegou a ser condenado a uma pena de prisão por esta decisão, uma condenação que foi depois foi anulada pelo Supremo Tribunal. "Por que me pedem para vestir um uniforme e viajar 10 mil milhas para despejar bombas e balas em pessoas castanhas no Vietname enquanto os chamados negros de Louisville são tratados como cães e veem ser-lhes negados direitos humanos básicos", argumentou na altura o pugilista.
Muhammad Ali ganhou o título mais duas vezes antes de se retirar, em 1981 - ganhou 56 dos 61 combates em que participou.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook