quinta-feira, 2 de junho de 2016

Comissão de Inquérito sobre Vala Comum e a manipulação

Tenho acompanhado o trabalho de inquérito da Assembleia da República sobre a existência de Vala Comum. O que tenho notado é que esta comissão está a fazer um espectáculo gratuito de manipulação. Uma brincadeira. Trata-se de uma encenação devidamente preparada com logística para os media. Locais e as pessoas as serem inquiridas devidamente preparadas. Isso mesmo qualquer um pode notar.
Por outro lado, a Comissão apega-se a vala comum com mais de 120 corpos, como se os 13 corpos descobertos e mais recentemente outros 6 fossem poucos. Mas o que é Vala Comum? A Organização das Nações Unidas (ONU) define Vala Comum como cova que contém três ou mais corpos de vítimas de uma execução.
Ora, foram encontrados 19 corpos abandonados no mato. Não estavam enterrados, mas foram encontrados. Não foram três, mas 19 corpos. Por que não falam disso?
Velemo Massingue, Adelino Branquinho, Dionisio Dulobu e 165 outras pessoas gostam disto.
Comentários
Eddy Waku Lombëla
Eddy Waku Lombëla Estes nossos actuais comandantes da gang so se vão render quando estiverem relaxado n banco d réus d crimes comtra a humanidad antes disso não vão parar d ns brindar cm seus teatros baratos que dia apôs dia encenam
Stelio Massinga
Stelio Massinga Lazaro Mabunda tens cempre algo a dizer.
Cleto Goncalves
Cleto Goncalves Na situação em k o país esta mergulhado seria anomalo um cidadão nao ter nada a dizer. O país é nosso e cabe a nós endireita lo
Isack Pilonthy Alela
Isack Pilonthy Alela "Sempre", com letra " s".
Hilario Mahumane
Hilario Mahumane O triste em tudo isto é que tal comissão é composta por pessoas que supostamente já fizeram algum trabalho investigativo (até do nível) superior. A minha pergunta é como defenderam as suas monografias a não ser que o tenham feito nos seus gabinetes. Triste ver pessoas feitas de gente grande com casaco e fatos a mostrarem se decabeças "ocas"
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Tufa
Maulana Domingos Maulana
Maulana Domingos Maulana Zas.
Cheu Domingos
Cheu Domingos Eu só rendi com o" coro" nas respostas dos inquéritos, uma convergência de fácil de perceber que tudo não passa de uma arrumação, uma peça muito mal insaiada.
Helder Massinga
Helder Massinga Querem apenas redicularizar o jornalista da lusa, André C.
Hobety Luys Muhamby
Hobety Luys Muhamby Isso é uma ameça aos órgãos de comunicação.
Wa Pessoa
Wa Pessoa Acho que o assunto é diferente. Esta - se a falar da vala comum com 120 corpos sem vida. Também não há nenhuma informação que diz que foram enterrados 3 ou mais. Das imagens da STV deixou claro que não existe vala comum mas sim alguns corpos sem vida no mato. Estamos com problemas sérios de conceitos e entender as coisas. Acho eu
Hilario Mahumane
Hilario Mahumane A minha preocupação em torno disto tudo é saber o que esta comissão diz e fez sobre os corpos fora da tal vala comum. Um caçador que persegue gazela quando lhe aparece coelho não ignora alegando estar atras da gazela. Os dois animais interessam assim como os dois casos deviam interessar a essa falsa comissão. Ao menos dessem bons detalhes sobre um dos casos.
Wa Pessoa
Wa Pessoa Concordo contigo, mas me parece que aqui o assunto é vala comum. Razão pela qual eu disse que vala pressupõe abertura de cova e enterrar. A questão é, existe ou não vala comum? Ou existem corpos no mato e quem é o responsável por isto
Maulana Domingos Maulana
Maulana Domingos Maulana Agora, vao sair de Maputo toda aquela gente para apenas averiguar um vala comum e ingnorando todos os outros factos reportados diariamente ate com imagens e tudo??
123 h
Maulana Domingos Maulana
Maulana Domingos Maulana Agora, vao sair de Maputo toda aquela gente para apenas averiguar um vala comum e ingnorando todos os outros factos reportados diariamente ate com imagens e tudo??
Wa Pessoa
Wa Pessoa Prefiro que se mude o termo vala comum e dizer que há copos sem vida no mato. Vala pressupõe se que existe uma cova aberta e foram depositados corpos de 3 em diante conforme tal definição da ONU
Filho Do Cinzentinho
Filho Do Cinzentinho Vestiram as melhores camisas. Estavam informados que vinham dirigentes a comunidade.
Manuel Luis Mortar Rosse
Manuel Luis Mortar Rosse comunicado da LUSA!

NOTA AOS CLIENTES – Valas comuns em Moçambique


Lisboa, Portugal 30/05/2016 18:25 (LUSA)

NOTA AOS CLIENTES

Perante notícias publicadas nos últimos dias, envolvendo despachos da Lusa sobre a existência de valas comuns em Moçambique, a Direção de Informação (DI) esclarece o seguinte:

1 - No dia 28 de abril, a Lusa noticiou a existência de uma vala comum com mais de cem corpos na Serra da Gorongosa, no centro de Moçambique, denunciada por camponeses. A agência recolheu vários testemunhos de camponeses que frequentam a região e contactou com entidades oficiais, nomeadamente a administração do distrito da Gorongosa e a Polícia da República de Moçambique. Vários “sites” associaram ao texto desta notícia uma fotografia de valas comuns que não dizia respeito a Moçambique. Esta foto não foi divulgada pela Lusa e a Lusa não tem qualquer responsabilidade na sua difusão.

2 – No dia 01 de maio, a Lusa, com outros dois órgãos de comunicação social (Deutsche Welle e Rádio Comunitária da Gorongosa), localizou e documentou fotograficamente 15 corpos abandonados no mato, em dois locais entre os distritos de Macossa e Gorongosa, nas proximidades da localização apontada na primeira notícia. Fotos destes cadáveres foram distribuídas pela Lusa aos seus clientes, em simultâneo com a divulgação da respetiva notícia.

3 - A Lusa noticiou todas as tomadas de posição pertinentes sobre o assunto, de entidades moçambicanas ou outras, sempre que delas teve conhecimento.

4 - A Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Legalidade, do Parlamento de Moçambique, convocou o delegado da Lusa em Moçambique, Henrique Botequilha, a 27 de maio, para prestar declarações no mesmo dia. A Lusa respondeu a todas as questões colocadas ao longo de quase uma hora de sessão, recusando revelar as suas fontes de informação que solicitaram anonimato, tal como determinam o código deontológico dos jornalistas e várias recomendações internacionais, adotadas, nomeadamente, pela União Europeia e pela União Africana.

5 - A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Legalidade convocou igualmente André Catueira, colaborador da Lusa no centro de Moçambique, para prestar declarações sobre o mesmo assunto. O jornalista respondeu às questões colocadas pelos deputados no dia 30 de maio, e afirmou ser impossível aceitar o convite para os guiar ao local da vala comum referida na notícia de 28 de abril. Essa diligência, a verificar-se, obrigaria a recorrer e a identificar as fontes que conhecem o local e pediram o anonimato.

6 – Para além da informação da Lusa sobre este assunto, também a Deutsche Welle, a Al-Jazeera e órgãos de comunicação social moçambicanos, nomeadamente a STV, o jornal O País e o semanário Savana, noticiaram, entretanto, a descoberta de valas comuns naquela região de Moçambique. Notícias que tiveram como fonte o próprio trabalho desenvolvido no local por jornalistas dos respetivos órgãos de comunicação social.

7 - A Lusa considera que todos os esclarecimentos públicos sobre o noticiário que produziu sobre o assunto foram prestados em sede de Comissão Parlamentar, quer pelo seu delegado quer pelo seu colaborador, não resultando daqui qualquer alteração ou necessidade de correção ao trabalho realizado, pautado pelos princípios do rigor, da verdade e ética jornalística.

8 – A Lusa lamenta que as declarações prestadas pelo seu delegado em Maputo, em sede de Comissão Parlamentar da Assembleia da República de Moçambique, a propósito das valas comuns no centro do país, tenham sido deturpadas por vários órgãos de comunicação social, um facto que é facilmente verificável ouvindo a gravação da referida audição.

9 - A Lusa reafirma, por fim, aos seus clientes, todas as notícias divulgadas até ao momento sobre este assunto.

A Direção de Informação

Lisboa, 30 de Maio de 2016
José de Matos
José de Matos Wa Pessoa, faz realmente diferença se é vala comum ? Estamos a falar de crimes e de vidas humanas, nao de numeros nem de conceitos! Essa Comissao é uma farsa, deviam preocupar-se em investigar os crimes!
Sonia Mboa Mboa
Sonia Mboa Mboa Estao a procura de vala comum numa sala com televisao AC, casaco e gravata
Ntlaaaa
Deixem de historuas e vao ja ao terreno
Hilario Mahumane
Hilario Mahumane Realmente aquele questinamento devia ter acontecido no terreno (mato).
Lucilionglucuiane Timana
Lucilionglucuiane Timana Pois e não neste momento, teria sido logo depois da divulgação desta notícia...!
Uma comissão que fala apenas de vala comum com 120 corpos???
Joao Lamban Bauti
Joao Lamban Bauti MAMÃ POVO TA NO SOFRIMENTO GRANDE,,
Francisco De Assis Cossa
Francisco De Assis Cossa Ai eu pergunto onde estao jornalistas para questionarem esses actores do mutumbela gogo que estao a palhaçar o povo.
Baptista Cumbane
Baptista Cumbane O mais engraçado é que foram falar dos alegados raptos e ou perseguições de dirigentes locais mas em nenhum momento falaram dos mais de 15 corpos sem vida encontrados espalhados no mato. A questão é será que os corpos encontrados sem vida não representam uma violação aos direitos humanos?
Voss Campo Grande
Voss Campo Grande Mabunda, para de iludir pessoas inocentes. A lusa e o jornalista que veiculou a noticia ja disseram que a imagem anexada a peca de reportagem nao sao de Mocambique. Foram mais longe ao afirmar que nunca fizeram se ao presumivel local da existencia da vala comum devido as condicoes de seguranca. A comissao de inquerito convidou o jornalista para acompanha-la ao local, mas nao respondeu positivamente a este convite. E diante disto tudo, como podes tu querer descredibilizar o trabalho levado a cabo pela comissao da Assembleia da Republica? Se tu Mabunda, tiveres mais informacoes ou pormenores que achas que nao foram levados em consideracao, porque nao os fornece a esta comissao? Como cidadao mocambicano que aparentamente esta preocupado pela transperancia das nossas instituicoes, acho que seria uma oportunidade dourada para manifestar a tua preocupacao, nao achas?
Viegas Zunguene
Viegas Zunguene incrível, como as pessoas apoiam secamente os amigos em coisas erradas.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Voss Campo Grande, lamento que estejas tão distraído quanto inerte. A imagem anexada de que a Lusa se refere não é a dos corpos que foram publicadas nos órgãos de informação, mas uma imagem que tem a ver com a vala comum noutro país que alguém anexou a...Ver mais
Galiza Matos Jr Isto é mentira. Mentira grossa e feia Lazaro Mabunda não te reconheço meu caro amigo. Eu sou membro da Comissão. Não recebemos nenhum expediente a solicitar qualquer integração de alguma organização da sociedade civil.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Galiza Matos Junior, reconheço a sua inteligência quadrada quando se trata de casos desta natureza. Faço parte da sociedade civil. A Liga dos Direitos Humanos e outras ONG anunciaram publicamente essa necessidade. Não quero que tu me reconheça e nunca quis que me reconhecesse. Por isso, fico feliz em saber que não me reconhece, porque entre nós a distância é maior.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Só para o meu esclarecimento, quando dizes "o parlamento não aceitou" referes te a Comissão Permanente, as Bancadas, a Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade?
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Refiro-me me ao parlamento. A Comissao pertence ao parlamento e representa o parlamento. Por que se o parlamento ouviu a manifestacao da sociedade civil nao a acolheu?
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Dizer que é "mentira e feia" é claramente uma atitude...
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr O nosso trabalho ainda está em curso. O Lazaro Mabunda e as tais organizações não se aproximaram a AR nem a Comissão. Manifestar interesse junto da AR faz se por ofício. Quem negou e como negou? Isso é o que considero mentira e seja atitude ou não, não deixa de ser mentira. Se me provar que o parlamento negou, eu não me pronuncio.
Voss Campo Grande
Voss Campo Grande A Assembleia da Republica e' casa do povo. Se tiveres informacoes que achas que podem contribuir para a elucidacao deste caso, porque nao as entregas a este orgao de soberania? A pergunta do Galiza Matos e' justa, dizer Assembleia da Republica apenas, e' muito vago. Esta casa e' composta por varias comissoes, cada uma com o seu papel. Serio elucidativo se dissesses para qual das comissoes submiteste a tua solicitacao para acompanhar de perto o trabalho da comissao de inquerito.
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane Meu deus, Mocambicano e cego mesmo.
Ermenegildo Moises Semente
Ermenegildo Moises Semente K k k k! Impressionante a forma que Galiza Jr. Defende o pão, se escondendo na sombra da bananeira.
José Ganhane
José Ganhane é simples provar isso oh dr Mabunda é só mostrar o documento que entregaram a assembléia, ou por regra deontológica não pode fornecer cópias kkkkk... Como alguém escreve que pernoitou dois dias, teve esta e aquela ajuda e depois diz que não quer envolv...Ver mais
Hilario Mahumane
Hilario Mahumane Voss Campo Grande, quando dizes que AR é vasta concordo plenamente consigo e apoio a sua colocação. Deixa me dizer que essa grandeza é relativa dando exemplo das nossas casas que cada uma de alguma forma são vastas relativamente a cada assunto.
1. Uma
pessoa pode vir seja de EUA ou China sem sequer saber onde fica sua embaixada mas chegado na fronteira poderá começar a buscar a localizaçao paulatinamente até chegar ao destino.
2. Tratando se uma instituição organizada, só de depositar um documento na recepção (se tiver) poderá chegar ao departamento e respectiva pessoa certa (s).
3. O seu comentário leva me a perceber que desorganização que temos etado aassitir com alguns deputados e ... parte lá de dentro.
4. A tal comissão esqueceu se que quando se faz trabalho de campo (investigativo) os carros usados tem condições de chegar muito mais longeda estrada alcatoada onde estavam estacionada ou até simplesmente parados.
5. Quando o voo que levava o saudoso Samora foi "despenhado" todos corremos até ao local embora fosse fora de Moçambique e esta comissão diz que não podia entrar para mais cerca de 3km porque era outra provincia.
6. Será que tal comissão precisava do dono daquele circulo eleitoral para autorizar.
7. Para chegarem onde chegaram (Sofala) será que atravessaram alguma provincia a sairem de Maputo.
8. Concordo que Lazar(o) Mabunda e a sociedade civil possam não ter solicitado a integração na missa(o) da tal c... mas recordo me que muitos são os pedidos oficialmente submetidos por esta e pelo demais partidos politicos com excepção da Frelimo (nosso) e nunca foram aprovados digo aceites tendo exemplo do recente pedido de esclarecimento das dúvidas e dívidas.
9. Se na verdade existirem tais valas aposto que não estarão na ou a beira da estrada por onde a comissão andou.
10. Sempre que se ia ao encontro do Líder da Renamo fazia a questão de mostrar até os passaros que abundam essa zona e desta vez nem passaro, matas fechadas, riachos, tantas pedras, dificuldades de acesso, muito menos a ideia da distancia percorrida.
Em fim ao que aprendi e memorizei (posso ter aprendido mal) é que a maior e visível digo notória caracteristica de uma pessoa com nível de escolaridade superior ou aceitável é a " CRÍTICA". A segunda licção foi de que a ignorancia é negativamente superior e mais perigoza que burrice pois a primeira não tem cura enquanto a segunda ainda corre a sorte da cura.
Agora percebi que a verdade doi não só a que a diz mas aos próximos deste, pois, se falas verdade matam te princimpalmente nesta pátriada ou patria armada.
Jaime Alfiado
Jaime Alfiado Concordo contigo lazaro, isto não parece inquerito mas sim uma propaganda do mesmo, mesmo se houvesse ninguem aceitaria pois um inquerito meio arongate e se calhar com tudo planeiado pra sair uma novela completa,pois pra mim eles deviam ter feito todo trabalho em algum momento secreto usando as taís pistas falsas, menos propaganda pois parece que ha gato nessa propaganda pois depois do trabalho pode vir ao publico apresentar.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro Lazaro Mabunda lamento dizer que estás a mentir aos moçambicanos. E estas a mentir de forma grosseira. Nós estivemos ontem na Cidade da Beira e hoje em Gorongosa. Com todos os riscos a nossa vida, fomos ao local onde supostamente há valas comuns em Gorongosa, Localidade de Canda e lá não vimos um corpo sequer. Nem nós vimos, muito menos o Administrador, Régulo, chefias locais (fumos) e a população que disse de forma categórica que se isso tivesse acontecido, seria motivo para que a população soubesse rapidamente. Lamento que tenhas que proceder assim meu caro amigo.
Alexandre Vaz Chana
Alexandre Vaz Chana Era assim jovem no tempo de Tribunal militar Revolucionario,uma parte da historia que fazemos de conta que nao aconteceu.Quem pode pode e o que esta acontecer.Assisti neste pais tantas atrocidades que nada disso me admira .Va a mmeu,Chinde e procura saber o que e guerra e o que acontece.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr A notícia que circulou o mundo e pode ser vista na RTP é "camponeses de Gorongosa em Sofala encontraram vala comum com 120 corpos". Isso caro Lazaro Mabunda é falso, é mentira. Por outro lado, nós não temos qualquer outro interesse que não seja a obtenção de toda a verdade. Não nos interessa manipular a opinião pública.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Hoje fizemos o nosso trabalho na presença de 15 jornalistas baseados em Sofala tudo para que não fossemos acusados de forjar factos. Mais, ouvimos os populares de forma livre, aberta, espontânea e aleatoria sem os preparar.
Maulana Domingos Maulana
Maulana Domingos Maulana Nao seriam voces a preparar de facto. Pois, ja temos aqueles nossos orgaos dinamisazadores que fazem e ja fizeram este trabalho e tu sabes.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Então, o que foi publicado pelos jornais é mentira? Os corpos fotografados sao uma montagem. Meu caro Galiza Matos Jr, ficaria surpreendido se me apresentasse outra realidade. Com todo o barulho, 30 dias depois iria encontrar os mesmos corpos? A policia confirmou que os corpos encontrados ja foram enterrados. Como iria encontrar corpos 30 dias depois, se ja foram enterrados?
Lazaro Mabunda
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Existiram, isso sim, e confirmados pelos jornalistas 13 corpos espalhados não em Gorongosa (daí o desmentido das autoridades) mas sim em Macossa.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Os corpos não foram enterrados (pressuposto para se considerar vala comum). O jornalista Catueira quando elaborou a primeira notícia fez com base em telefonemas e posteriormente foi ao terreno. O choque dos moçambicanos e demais é relativo à existência de uma vala comum com 120 corpos em Gorongosa. O Administrador desmentiu na RDP África, a Governadora Helena Taipo idem, mas estas autoridades foram ignoradas.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Entao, os 13 corpos nao interessam? Nao e objecto da vossa investigacao? Achas mesmo, tu conhecedor da vossa realidade, iriam localizar de facto os corpos?
Galiza Matos Jr Interessam sim. 1 corpo, 2 ou mais interessam. Porém, arredondar de 13 para 120 é matematicamente estúpido. Sobretudo quando os tais 120 passam por milhares de televisores pelo mundo.
Artur Jorge Cecilia Capitao
Artur Jorge Cecilia Capitao Caro Galiza, a preocupacao eh com a realidade (1/120 corpos) ou com repercussão da noticia nas cadeias internacionais?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Com o número, com a falsidade da informação, com a imprecisão na investigação, tudo isso.
Samo Joao
Samo Joao Do jeito k as coisas funcionam em Moz, era pra mesmo se confirmar a noticia???
Todo mundo tem medo!!!
Mais ñ disse!
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Galiza Matos Jr, para mim, seria preocupante se tivessem reportado a existencia de vala comum com 120 corpos e não se encontrar se quer um corpo naquelas regiões. Ora, compreendendo a complexidade das nossas florestas, do processo, da situação política, fico confuso. Ademais, esta comissão foi ao terreno 32 dias depois da notícia. Trabalhei muito nas províncias, conheço bem o contexto em que as pessoas vivem. Não imagino um camponês que possa atrever-se a indicar o local. Disso não tenho dúvidas. Sou conhecedor das realidades dos distritos. Fiz muito trabalho, inquéritos.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Lazaro Mabunda o teu país acordou com uma notícia que dizia "camponeses em Gorongosa encontram vala com 120 corpos". Essa notícia falsa correu o mando e manchou Moçambique. Não há vala comum nenhuma em Gorongosa. Isso é facto!
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Também conheço e palmilho Distritos há anos e no caso da Localidade de Canda, o desmentido popular é genuíno.
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane 120 corpos nao existiram, mas sim 13 corpos k a policia comfirmou e enterrou existiu... Eu acho que os senhores quando querem mentir ou omitir a imformacao nao combinam primeiro. E isso e muito feio para voces, e estao a prejudicar a populacao.
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane Ou por outro lado voces nos chamam de burros indirectamente.
Andre Jorge Chifeche
Andre Jorge Chifeche Pode ser que a populaçao tenha medo de represalias ao indicar onde se situa a vala comum. Sabiam que as pessoas que falam num comicio do presidente sao antes selecionadas?
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Galiza Matos Jr, a minha preocupacao reside justamente nessa farsa. Tu dizes que estao no terreno a investigar, mas aqui mesmo, antes de terminar a investigacao, ja anuncias que "Não há vala comum nenhuma em Gorongosa. Isso é facto!". Fico preocupado porque estas no terreno a dois dias. Logo ja tens conclusoes. Significa que foi ao terreno com resultados no bolso.
223 h
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Sei, meu caro Galiza Matos Jr, que palmilhas os distritos. Uma coisa e palmilhar o distrito a fazer politica, "fiscalizar" a governacao, outra coisa e palmilhar distritos a fazer estudos para perceber e explicar alguns fenomenos. Sao coisas diferentes. O fenomeno MEDO de avaliar governacao local, falar sobre politica conheco muito bem. Por isso, falo do que sei.
Maulana Domingos Maulana
Maulana Domingos Maulana Kkkk... Nao difere daquela comissao que investigava em Tete que tinha as conclusoes previamente na manga. Agora, porque gastar necursos (materiais, financeiros, humanos) e tempo, ariscando suas vidas para investigar o que ja se tem conclusao? Patetico.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Lazaro Mabunda digo te frontal e de decisivamente: NÃO HÁ VALA COMUM EM GORONGOSA. É MENTIRA! PONTO FINAL!
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Portanto, mentido e por mentirosos, isso é alimentado por alguns indivíduos com interesses inconfessáveis: É MENTIRA. NÃO HÁ VALA COMUM NENHUMA. ESSE É O PONTO!
Elmano Madail
Elmano Madail Por definição, a estupidez é todo o comportamento refractário à inteligência. A minha homenagem, Lazaro Mabunda, por recusares seres estúpido,
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse Na verdade parece que alguns gostariam que não só houvesse uma vala de 120 moçambicanos, mas sim de 1.200 ou 12.000.

Diga-me Lázaro Lazaro Mabunda, meu irmão, na tua profissão de jornalista os números são indiferentes? É indiferente dizer que foram en
contrados 12 corpos, ou 120 corpos ou 1.200 corpos? Eu achava que o rigor era apanágio dessa nobre profissão.

Parece que alguns de nós ficamos muito contentes quanto mais fundo o país bater. Por isso, para alguns, o bom era que fossem mesmo 120 corpos. Mas tudo indica que não foram.
Lazaro Mabunda Bem colocado, mano Gabriel Muthisse. Para mim, o problema está mesmo nos 13 corpos descobertos. O esclarecimento deve ser global. Se há 120 corpos numa vala ou não, a comissão deve esclarecer, mas também deve preocupar-se com os 13 ou 15 ou 19 corpos já reportados. O que condeno é a teatralização do processo de inquérito. O modo como está sendo levado a cabo já deixar preocupações.
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse Também acho, Lázaro Lazaro Mabunda, que se deve esclarecer donde vieram os 11 corpos. Quem os matou e quem os colocou naquela mata. Nisso estamos juntos.

Mas não se deve negar a ligeireza da Lusa. Não se deve minimizar a falta de rigor com que esse as
sunto foi tratado. Não é indiferente noticiar para o mundo que foi achada uma vala com 1.200 corpos, ou com 120, quando na verdade foram 11. Isso não é indiferente. E vocês que nos pretendem convencer que isso é irrelevante não estão a ser honestos. Principalmente quando quem diz isso é um jornalista de créditos firmados como o meu irmão Mabunda. Deixa esse discurso para propagandistas. Eu não te conheço como tal.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda A questão que coloco, mano Gabriel Muthisse, não tem nada a ver com a ligeireza, mas com a teatralização, quando se sabe que houve 13 corpos descobertos. Esta teatralização retira a seriedade do trabalho desta comissão. Uma coisa é questionar o rigor do trabalho, outra é negar. Veja que a comissão ainda está a trabalhar mas já anunciou as conclusões. Que seriedade!
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse Estou contigo em que se deveria investigar a questão dos 11 corpos encontrados espalhados por aí. E esclarecer o país e o mundo o que aconteceu. E responsabilizar os mandantes e executantes. Aí estamos juntos.

Mas, por outro lado, a LDH e outras organ
...Ver mais
Isack Pilonthy Alela
Isack Pilonthy Alela "Quando na verdade são 11....". Com esse "inquérito" feito em que apenas linitaram-se numa só província, sabendo que os pelos menos 11 corpos foram achados na fronteira entre 2 províncias ...

-E a limitação posta ao jornalista da DW, ainda no decurso do "inquerito", foram motivos suficientes para duvidar a imparcialidade do inquerito.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Tambem concordo consigo. Deve se saber em que circunstancias foram mortas, quem os executou e por que?
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse Eu ouvi a Comissão dizer que iria a Manica. Isack Pilonthy Alela não ouviu?

O mesmo cepticismo que exibe agora, gostaria de te-lo visto quando se falou de uma vala comum com 120 corpos. Aí, não só não duvidou como celebrou essa "descoberta"! Que tipo
de moçambicanos são vocês que só se excitam com as coisas ruins da nação? Critique a metodologia da Comissão, mostre onde ele deveria melhorar para trazer dados credíveis. Mas não corra para acreditar na Lusa e duvida sem bases do trabalho feito por uma Comissão multipartidária, na presença de um numeroso grupo de jornalistas.

Todos os jornalistas que acompanharam a Comissão são fantoches? Os únicos jornalistas sérios são os da Lusa? Vocês são um espanto!
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Atencao, eu conheco o ambiente mediatico nosso. Conheco bem. Disso ninguem me ludibria. Por isso, sei o que esta a acontecer.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda O problema é que a comissão parte de um pressupostos minados. Ir ao campo com resultados e conclusoes.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Jornalistas que celebraram? Nao vi esses jornalistas. Eu vi, sim, eu fui deles, jornalistas indignados com a existencia da vala comum. Esperavamos uma investigacao seria, mas a comissao encarregue nao esta a levar a serio.
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse O que vi no teu texto, Lazaro Mabunda, foi uma tentativa de minimizar a falta de rigor da Lusa. É como se dissesses "em jornalismo é indiferente noticiar para o mundo que foram encontrados 1.200 corpos numa vala comum, ou 120, ou 11. O principal é denunciar". Eu poderia entender esta ligeireza de avaliação num propagandista de meia tigela, mas recusei-me a calar quando isso é dito por ti. Vi muitas pessoas a fazerem essa manipulação e nem as interpelei. Conheco-as como especialistas em desinformação. Tu não, Lázaro.

Se sabes algo que indicie manipulação de parte da CPI partilhe isso com objectividade. Traga-nos os factos com responsabilidade. Prometo-te que vou avalia-los com honestidade. Confesso-te que ainda não vi, de tua parte, uma crítica objectiva ao trabalho da Comissão liderada por Edson Macuacua.
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse Eu também me indignei com os 11 corpos espalhados por aí. Mas não preciso, para acicatar uma maior indignação, que a Lusa ou qualquer agência, fraudulentamente, multiplique o número real por 10. Ou por 100. E empole para a nação e para o mundo o número de chacinados. Isso é irresponsabilidade. Isso é indigno de jornalistas sérios.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Multiplicar ou nao, a verdade e que havia corpos espalhados. Isso é que a realidade que não pode ser ignorado. O que questiono é que se esteja a olhar apenas para os números avançados, que resultam de informações de fontes. Quem é jornalista sabe que sempre se sujeita aos exageros das fontes. Veja que o jornalista cita o campones a dizer o seguinte: "A vala tem cerca de 120 corpos, uns já em ossadas e outros ainda em decomposição". Teve o cuidado de colocar a fonte a falar e não ser ele a assumir a informação. Assume-se a informação em situações de reportagens ou notícias em que o jornalista tenha estado no terreno e presenciou.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Voces que sao políticos muitas vezes dizem-nos coisas que na verdade não são reais. Quantas vezes negaram a verdade ou anunciaram uma falsa verdade? Nisto tudo o jornalista é que é visto como mentiroso.
Gabriel Muthisse
Gabriel Muthisse O jornalista não falou com nenhum político conhecido. Talvez tenha falado com os políticos que andam de armas em punho lá na Gorongosa. Creio que o meu mano Lazaro Mabunda viu as respostas do régulo, de populares e de outras entidades entrevistadas pela CPI. Na presença de um numeroso grupo de colegas seus. Não me pareceu que tenha havido manipulação ali.

Insisto numa coisa, desconheço se isso está nos seus TdR. Mas era bom que a CPI se ocupasse dos 11 corpos que foram encontrados espalhados por aí. Os moçambicanos merecem saber o que se passou.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Mano Gabriel Muthisse, tu sabes que contigo não tenho dificuldades em sentar consigo quando quero perceber algo. Também sei que até aqui ainda não me enganou. Disse a verdade. Relativamente a Comissão, repito, critico a forma como está a conduzir o inquérito, com resultados e conclusões no bolso.
Calton Cadeado
Calton Cadeado Mano Lazaro Mabunda! Em termos metodológicos, não é problema nenhum ir ao campo de pesquisa com conclusões. Em termos metodológicos, isso chama-se pre-conclusões ou hipóteses que podem ser confirmadas ou podem ser refutadas. Sublinho, essas pre-conclusões podem ser confirmadas ou podem ser refutadas em função de informações no campo de pesquisa! Não há ninguém que vai a uma pesquisa ou uma investigação sem ore-conclusões ou hipóteses. Portanto, o questionamento não deve estar ai, se é que se pretende questionar alguma coisa do ponto de vista metodológico!
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Mas é ai onde está o problema que questiono. Estão interessados em encontrar vala comum? Para mim a existencia de 13 corpos é forte indício. Só isso deveria merecer maior atenção desta comissão.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Então são 13 ou 19 corpos como afirmas neste post? Não é irresponsável falar sobre números de corpos desta forma?
Mangole Muchanga
Mangole Muchanga quando um moçambicano de nome Mido Macie foi brutalmente morto na Africa do Sul todos nós ficamos indignados e manifestamos isso publicamente mas já não consigo ver preocupação por parte da comissão de inquerito em relação aos supostos 13 corpos. Acho que é legítimo questionar números mas acho que ainda que fosse apenas um ou dois corpos devia ser motivo de preocupação por parte das autoridades. E mais como é que realmente se define vala comum? Vamos começar por responder a esta pergunta depois avançaremos para os números!
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Galiza Matos Jr, fico preocupado contigo. Fico preocupado porque elementos de uma Comissão de Inquerito devem ir ao terreno depois de fazer levantamento de toda a informação disponivel. Foram para o terreno sem informação? A Imprensa fala de novos corpos descobertos o que totalizam 19 corpos. Creio que foi na semana passada.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Para termos mais elementos, não só baseamos no que a imprensa reportou, como tivemos audições com o Ministro da Justiça, Vice Ministro do Interior, Polícia de Investigação Criminal, Comando da Polícia da República de Moçambique, delegado da Lusa.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Ademais, antes de irmos ao terreno, ouvimos também na Beira a Governadora Provincial, as representações locais da Polícia de Investigação Criminal e Procuradora Chefe Provincial bem como quase todos os jornalistas que foram a Gorongosa.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda Meu caro Galiza Matos Jr, a fase que apresenta é posterior. Metodologicamente, a primeira fase é recolher tudo o que foi escrito. A seguir as audições ou entrevistas. Portanto, mais uma preocupação minha. Antes de audições com instituições que apresenta deveriam ter recolhido todo o material publicado e que continua a ser publicado.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda A Liga dos Direitos Humanos fala de 83 execucoes em Sofala, Tete, Manica e Zambezia. Tambem nao tem essa informacao?
Edna Rosaria Horacio Matusse
Edna Rosaria Horacio Matusse podem ter essa informacao meu irmao
Inora Zondane Mapilele
Inora Zondane Mapilele Hummm... Xta animar isso.
Hercilio Waka Chinguvo
Hercilio Waka Chinguvo o direito a vida nessa "nessa perola do indico","patria de herois" esta naquele "livrinho" branco so .aqueles numeros ali estatelados no mato, so podem ser garimpeiros estrangeiros,ou deslocados de malawi para mocambique afim de fazerem trocas comerciais..boa noite
Avelino Namarrocolo
Avelino Namarrocolo O extremo da vergonha. Lamentavel, Mocambique quem ti viu e quem te veh.
Lazaro Mabunda
Lazaro Mabunda "Vala comum"
Governo não quer esclarecer


Daviz Simango, Presidente do Movimento Democrático de Moçambique, lamenta o facto de as autoridades competentes terem enviado um técnico ao local onde jaziam corpos de cidadãos moçambicanos, nas matas de Macossa, província de Manica, em vez de enviarem um médico especializado em Medicina Legal, a fim de conferir alguma credibilidade às conclusões que a equipa viesse a chegar.
Uma outra mentira monumental foi terem dito que os corpos foram enterrados. Testemunhas oculares desmentem esta versão e dizem que deitaram por cima dos corpos um bocado areia, deixando várias partes dos corpos descobertos e ao alcance de abutres e de outros animais. Nenhuma autoridade religiosa ou mesmo tradicional presenciou os supostos enterros que fazem menção.
Reafirmamos que não houve nenhum enterro digno nem condigno dos corpos, salienta Daviz Simango. Isso permite concluir que as autoridades moçambicanas nem aos mortos respeitam, disse.
Simango alertou ao Governo para parar de ameaçar aos repórteres que, em primeira mão, trouxeram ao domínio público os massacres de cidadãos moçambicanos naquelas zonas de conflito armado, porque ao agir de tal modo, estará a pôr em causa a liberdade de imprensa, violando a Constituição da República.
Negar que não há vala comum é um contra-senso, pois, onde houver mais que dois corpos é vala comum ou se trata de massacre, explicou o Presidente do MDM.
Jose Eduardo
Jose Eduardo Lamentavel se for de facto encenacao, pois esse espetaculo custa dinheiro.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Custa dinheiro e tempo. Mas o que mais custa é ver uma população já sofrida a sofrer mais ainda. Ver todos os membros do Governo Distrital agastados, sem poderem realizar os seus trabalhos quotidianos para atender a estes expedientes.
Jose Eduardo
Jose Eduardo Como/qual é a composicao de tal comissao, para se perceber se haveria tal encenacao?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Bom dia. Em princípio, as 3 Bancadas representadas no Parlamento (FRELIMO, RENAMO E MDM) acompanhadas por assistentes da AR é que fazem parte da Comissão. A Renamo declinou fazer parte e não se fez a terreno. Friso que não estamos a busca de mais nada senão a verdade dos factos. Incluímos no grupo um médico legista com formação comprovada dentro e fora do país (Brasil e Portugal) mas este último não teve trabalho nenhum em Gorongosa. Obrigado
Jose Eduardo
Jose Eduardo Se a Renamo (parte interessada) tivesse assumido o seu papel, integrando a comissao (por direito), nao estaria melhor posicionada para denunciar pontualmente as encenacoes? Pessoalmente nao gostei de ver a governadora ler as respostas, ficando a parecer que foi dado tempo, conhecendo as perguntas para ensaia-las. Porem, so quem integra a comissao sabe como e quando a governadora tomou conhecimento das perguntas. A Renamo devia la estar e poderia agora denunciar com propriedade qualquer manupilacao. Assim nos continuaremos a ACHAR QUE.
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Houve uma razão para a não participação da Renamo
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Jose Eduardo posso garantir que as perguntas a Governadora foram espontâneas e feitas ali sem qualquer papel pré elaborado. Sem querer ser advogado da Senhora, qualquer Deputado questionava a ela em função das respostas que dava e eu fiz isso. Por outro lado, eu penso que seria sim muito bom se tivessemos estado todos (Renamo incluída) para uma maior legitimidade da nossa acção. Abraços
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Vamos procurar uma resposta para trazer ao povo. Vamos contribuir para o bem do país. Vosso trabalho dignificara a casa de todos nós. Excia Deputado represente nos como povo e não se deixem influenciar. Aguardamos pelo relatório
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Vamos trabalhar amigo e colega. Nada de fugir às responsabilidades. Desta Comissão fazem parte: Angelina Dique Enoque (já foi Chefe da Bancada da Renamo na AR e membro da Comissão Permanente). Macuiane (Chefe das negociações com o Governo e por largos anos membro da Comissão dos Assuntos Jurídicos), Eduardo Namburete (da direcção da Renamo, docente, investigador entre outros créditos) e Esequiel Molde Gusse (durante largos anos representante da Renamo na CNE). A ausência de todos estes é uma perda para um país que se pretende em Paz.
Sandra Mondlane
Sandra Mondlane Mas inquérito faz se assim mesmo?
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane O sr Galiza Matos Jr deve ser mais atento no que fala, por mim voce nao podia estar aqui a tentar tampar o sol com a pineira. Por nesse pais exitem muita coisa que o governo esconde. Por exemplo onde param os corpos de militares que morrem no confronto...Ver mais
Isac Cossa
Isac Cossa Viva Inocencia Pedro Mahumane gxtei mt de esse
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane Obgada Isac Cossa mas esses pensam k agente e cego e surdo as vezes.
Patricio Jesus
Patricio Jesus Amigo , a FRELIMO não tem militares.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Tive receio em responder diante de tamanhas gralhas. Tampar é diferente de tapar. Pineira é diferente de peneira. Muxungue ... Não há militares da FRELIMO, pois um partido político é diferente das Forças Armadas de Defesa de Moçambique. Consigo, amiga Inocencia, por estar a estudar jornalismo, só peço que leia bastante. Os livros podem ajudar. Bem haja e abraços a inteligência.
Inocencia Pedro Mahumane
Inocencia Pedro Mahumane Nao precisava ter receio, agradeco a sua observacao como comunicador. Mas o incencial ficou e deu p entender o recado. Obrigada
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr ... essencial ... mente entendi. Mas estou muito preocupado consigo Inocência. Reitero o meu pedido, leia, leia e leia muito. Serás bem sucedida.
Galiza Matos Jr
Absalão Mapsanganhe
Absalão Mapsanganhe São alguns dos nossos jornalistas de meia-tigela, fazem do jornalismo um bordel, onde sacrificam os vários princípios para satisfazer ao estômago!
Calton Cadeado
Calton Cadeado Existe, aqui, uma clara vontade de forçar a existência de vala comum em Moçambique. Qual é o objectivo? Para mim, o objectivo é claro. Demonizar o governo e asfixiar a Frelimo com vista a realizar o que se designa "regime change" ou mudança de regime. Este é o assunto principal. Isto é feito consciente e inconscientemente...Além deste assunto, eu vejo, aqui um problema grave da nossa sociedade de tradição oral. Caro amigo Lázaro Lazaro Mabunda, a nossa sociedade civil vive muito de tradição oral, vive muito de dissemos "bocallmente" e esquecem que as instituições não funcionam apenas, na base do bocalmente". As instituições funcionam com documentos para a memória institucional e para a própria estabilidade institucional. Por isso, acho pertinente as questões que o caro amigo Galiza Matos coloca. Por último, a discussão sobre este assunto está a assumir um desvio. Digo isto porque todo o barulho levantado tem as suas fundações na vala comum que é politicamente um assunto grave e deve ser esclarecido. Mas, curiosamente, no processo de esclarecimento da vala comum, estamos a retirar a vala comum e estamos a discutir a morte de 13 pessoas. Se o assunto fundamental é a morte de 13 pessoas, então em nenhum momento a peça jornalística deveria ter colocado a palavra vala comum na notícia!
Bartolomeu Chichava Afinal o que é vala comum???
Calton Cadeado
Calton Cadeado Sugestão! Quem quiser fazer pesquisa a sério, faça em inglês, pelo menos na área de relações internacionais, negociação, conflito e segurança. Em inglês, vala comum diz-se MASS GRAVE. Bartolomeu Chichava, talvez assim você vai encontrar muita coisa. Mas, para o efeito, reserve um bom tempo para pesquisar a sério. Não seja apressado com intuito de fazer show off ou sensacionalismo gratuito, aqui no facebook. Isto serve, inclusive para mim. Mano! Posso te garantir que estou a pesquisar a sério...
Bartolomeu Chichava
Bartolomeu Chichava Vala comum é uma cova normalmente localizada nos cemitérios onde um conjunto de cadáveres que não podem ser colocados em sepultura individual, ou que são de origem desconhecida ou ainda não reclamados são enterrados sem cerimónia alguma.Na maioria das vezes os mesmos não são registrados nos locais onde foram enterrados.A Organização das Nações Unidas (ONU) define como vala comum a cova que contém três ou mais vítimas de uma execução (Massacre).[1]
Chande Puna
Chande Puna Definam "Vala Comum" e deixem se de poesias.
Bartolomeu Chichava
Bartolomeu Chichava A mass grave is a grave containing multiple number of human corpses, which may or may not be identified prior to burial. The United Nations defines a mass grave as a burial site which contains three or more victims of execution.[1]
Calton Cadeado
Calton Cadeado Chande Puna! Por que eh que esta a dizer definam?! Esta a colocar-se como sujeito passivo?! Esta a colocar-se como um puro consumidor! Sugiro que seja activo no debate e contribua para trazer a definicao!
Bartolomeu Chichava
Bartolomeu Chichava Estou a tentar seguir O seu conselho Calton Cadeado.
Calton Cadeado
Calton Cadeado Bartolomeu Chichava! Essa definicao que voce trouxe eh do Wikipidia! Wikipidia nao eh fonte credivel. Va aos intrumentos da ONU....
Chande Puna
Chande Puna O problema, e que mantém se a tenativa de se apegarem aos 120 como se os 13 não fossem suficientes pra criar a tal vala. Os distraidos entram na onda da discussão dos 120 (na qual eu não concordo que fossem) e esquecem se que são moçambicanos que ali jazem mortos por quem não quer a paz em Moçambique.
Calton Cadeado
Calton Cadeado Chande Puna! Sugiro que visites a discussao sobre o genocidio no Ruanda, o Genocidio Armenio. Vais ver que a questao dos numeros eh super importante, sobretudo, porque vala comum tem um peso politico inimaginavel. Se eh para falar das 13 vitimas, sugiro que diga aos jornalistas para rectificarem a peca jornalistica e retirarem o termo vala comum!
Chande Puna
Chande Puna Não tenho que me bater com a Lusa quanto a isso. Muitos outros jornais publicaram noticias com 13 corpos. A insistencia de discutir a noticia da LUSA não é nada mais do que uma tentativa de desviar o assunto. Há mortes sim, investiguem na!
Calton Cadeado
Calton Cadeado Quem eh que diz que nao vamos investigar as mortes?! O que eu sei ninguem esta contra isso. Pelo contrario, toda a gente esta a favor. Agora, meu caro amigo Chande Puna! Investigar mortes e investigar vala comum eh mesma coisa?!
Chande Puna
Chande Puna Eu pedi acima pra que definam (os que sabem, já que parece que existem definições diferentes) o que é vala comum. Só depois saberemos o que realmente se vai investigar
Bartolomeu Chichava
Bartolomeu Chichava É uma cova onde são sepultados corpos sem identificação ou seja, sepultura coletiva. Então diz me Calton Cadeado: os 13 corpos tem identificação? Apartir de que número se pode considerar ser uma vala comum?
Milton Chembeze
Milton Chembeze Calvin Cadeado, os treze (13) corpos encontrados onde repousam agora?
Foi feita uma autópsia para no mínimo se identificarem as razões da morte?
Por acaso aqueles corpos foram identificados?
Andre Jorge Chifeche
Andre Jorge Chifeche Tiku 15 ka Calton Cadeado. Defina a sua maneira ó meu amigo
José Ganhane
José Ganhane 13 corpos sem vida encontrados na região de Makossa e não vala comum, pois os corpos não estavam enterrados. Intérpretei a definição do wikipedia que alguém postou
Tchendjerra Colaco
Tchendjerra Colaco Se a definiçao da propria wikipedia nao é credivel, vai ser a do nosso dr? Vejam k ele sempre foge, ora inventa que anda a investigar a serio (ate parece k estamos interessados em saber o k ele anda a fazer), ora decide descredibilizar a wikipedia, fonte k o proprio provavelmente usa para extrair fichas k distribui aos estudantes. As vezes parece k os nossos docentes andam tontos.
Muarabo Suale
Muarabo Suale Meu carro preso muito a sua idoniedade mas carece me informa lo que este pais ja foi golpeado e com tudo isso a manipulação cai em tudo que os abutres , exem.
Ora vejamos, primeiro a oposição solicita o governo no parlamento para que se explicasse a ce
rca das dividas e o partido da farinha rejeito esperando wue a ordem viesse do tal dito comité central e depois aparecem a dizer que foram mal entendidos, agora rejeitarão a inclusão da sociedade civil e das entidades especializadas em matéria de DH, bem aliando isso a todo o resto de um show de pandza sem estrumentistas chamo eu de um festival das minhocas sanguineas.
Eduardo Guilaze Junior
Eduardo Guilaze Junior Meu caro Galiza Matos Jr, qual é o trabalho que esta comissão está fazendo em relação aos 13 corpos, na medida em que os mesmos foram enterrados sem observância há perícia, ou não importa identificar a identidade dos mortos, passa a redundância, o próprio modus operandi do crime, como foram lá parar? Please
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Bom dia meu caro. A Comissão Parlamentar vai a Manica. Haverá todo o trabalho achado útil. Para já há percepções diversas sobre a origem dos corpos e as causas que prefiro não avançar. Obrigado
Amilcar Joaquim Inguane
Amilcar Joaquim Inguane Foi triste e continua a ser para mim ler certas notícias a relatar factos que não correspondem à nenhuma verdade.... é facto inegável que morrem muitos mocambicanos na confrontação militar entre as FDS e a Renamo, como morrem tantos outros por acidentes, pelas embuscadas dos homens armados e demais razões. .... a questão vala comum veio ao rubro com números bastantes expressivos (120 ou mais) o que croiu indignação e tantas especulações......sem tentarmos minimizar ou não, a questão de número de mortos pode ter influenciado no vucuvucu que se criou com a notícia e as imagens que acompanharam a primeira noticia
Amilcar Joaquim Inguane
Amilcar Joaquim Inguane Também gostaria de saber se essa comissão foi criada apenas para tentar localizar a vala comum de 120 corpos ou para fazer um trabalho aturado sobre os corpos sem vida espalhados nas duas províncias?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro Amílcar, a Comissão tem um mandato da Comissão Permanente da Assembleia da República para apurar e divulgar todos os factos (números, causas, locais) e todos os dados úteis para elucidar aos moçambicanos. Comprometidos com a verdade, traremos tudo relatado no fim dos trabalhos
Nemane Selemane
Nemane Selemane Mas se a comissao parliamentar ainda nem chegou no terreno, Como e que o governo ameaca jornalista que ate no minimo ja esteve no local? Sera essa a regra dos inqueridos?
Innocent H. Ab
Innocent H. Ab Ilustre, a História nao se faz/desmente em um mês. Vao ter certeza daqui ha 30 anos, quando o Departamento de Estado desclassificar algumas informacoes e publicar algumas imagens (e videos) feitas por Satelite.
Armando Tomas Fernando Fernando
Armando Tomas Fernando Fernando Sr galíza Galiza Matos Jr,penso para difine o que é vala comum?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr É fácil. Faça um Google search em Wikipedia. Lá tem a definição de vala comum. A definição é da autoria das Nações Unidas. Abraços
Osvaldo Mainde
Osvaldo Mainde Kkkkkkk gostei Galiza Matos Jr
Armando Tomas Fernando Fernando
Armando Tomas Fernando Fernando Isso chama se fugir com silinga no rabo kkkkkkkkkkk
Tchendjerra Colaco
Tchendjerra Colaco Esse nosso representante parece que nao nos respeita.
Lucas Mabunda
Lucas Mabunda Já há algum tempo que tenho notado as brincadeiras deste governo.O que me deixa perplexo é se todas essas manipulaçoes desprovidas de qualquer inteligência säo por esses senhores do "poder" serem de facto lentos intelectualmente, ou por desprezarem a nossa capacidade de raciocínio!
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Amigo Lucas, a sua indignação devia ser: porque a Renamo não foi a Gorongosa? Quanto às manipulações, elas não podem nem irão existir. E sabe porque? Porque todo o trabalho que fazemos é aberto a imprensa. Não escondemos nada. Relativamente à forma desqualificada (desprovidas de inteligência, lentos intelectualmente) como olha para estas acções, nada mais resta senão lamentar. Bem haja o debate de ideias e obrigado.
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine A Renamo não foi a Gorongosa como não irá em nenhum outro sitio, pois não faz parte dessa delegação. Acho que o ponto de discussão não é a não participação da Renamo mas sim as definições de vala comum e o que se encontra no terreno. A mais, o que o povo quer é uma verdade, sem olhar para quem a traz
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro colega Muhamad Yassine, ao lado do MDM, dos jornalistas, das autoridades, das populações e de pessoal médico, traremos a verdade. Somente a verdade ao plenario. Aquele abraço amigo.
Francisco Pacheco Chigogoro
Francisco Pacheco Chigogoro As primeiras noticias da Lusa e DW sao verdadeiras pos Porque houve um jornalismo investigativo e serio, o resto deixem o Homem de labios cor de rosa gritar.O espectaculo da primeira comissao e para os bois dormirem, como nos nao somos bois deixem os Edson Macuacuas dormirem
Lucas Mabunda
Lucas Mabunda Säo coisas täo claras que eu até fico burro!
Zenaida Machado
Zenaida Machado Qual foi esse risco a vossa vida, caro deputado Galiza Matos Jr ? É o mesmo que os residentes da área correm todos dias, toda hora? O mesmo que o chefe da brigada do seu partido, foi dizer a eles para se defenderem sozinhos?
Galiza Matos Jr Sempre que viaturas escoltadas por militares se aproximam, existem cidadãos de um Partido político representado no parlamento e nas Assembleias Provinciais que, usando armas, matam pessoas indefesas. Algumas, pois não se identificam, até podem ser desse mesmo partido. Eles atiram a matar e muitos de nós fechamos os olhos sem considerar isso uma violação aos Direitos Humanos.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Infelizmente é o mesmo risco que os motoristas que passam pela EN1 vivem. É o risco que passam os cidadãos que ousam fazer se a estradas do centro do país. Sobre estas matanças, amiga Zenaida Machado é ensurdecedor o silêncio de organizações de defesa dos direitos humanos. Elas não vêem ou fingem.
Zenaida Machado
Zenaida Machado A responsabilidade de proteger os direitos dos seus cidadãos é do estado, independentemente de quem os tenha violado. Acho que você precisa informar-se um pouco mais sobre as obrigações nacionas e internacionais do seu estado.
Pois é... Os riscos que s
e correm são os mesmos. só que eles já se habituaram tanto que preferem nãonão andar aos quatro ventos a gritar: Estamos lá e passamos por lá, com todos os riscos as nossas vidas.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr E o Estado (que é nosso), através das Forças Armadas de Defesa de Moçambique está lá a defender os moçambicanos. Quem os viola (independentemente) é um Partido, tem nome e líderes que o fazem desde a brutal guerra dos 16 anos aos dias de hoje. Quanto às obrigações nacionais e internacionais, informo me sempre ou quase sempre a medida que posso. Gostava de informar me mais e melhor como hoje, não na pele de jornalista tens a obrigação de ler. Relativamente aos riscos, eu preferia que não existissem e ninguém se habituasse a eles como parece que muitos gostam.
Zenaida Machado
Zenaida Machado Não era preciso responder. Era para reflectir...
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Obrigado. Preferi assim.
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Penso que a população não foge desse partido que tem assento no parlamento meu caro, a população foge do exército governamental, porque será?. A população atribui as mortes ao exército, porque será?. Não vamos politizar mortes
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Se o Partido, através dos Deputados fez um juramento na AR (cumprir a Constituição da República e demais leis), então estão a pisar essas leis que impedem que a Renamo tenha armas em sua posse. Ps: o Chefe do Posto de Canda foi baleado pelos homens armados da Renamo. Ontem tambem mataram em Barué, Manica. Antes foi a senhora que transportava portas de Quelimane para Maputo e tantos outros. Amanhã, quem será? E já agora, como é que se justifica um Partido político pedir tréguas as Forças do Estado?
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Os delegados da Renamo e tantos outros membros mortos também são moçambicanos. E merecem mesmo respeito pela vida constitucionalmente. Por outro lado o pedido de tréguas faz sentido e acho que ajuda as conversações que estão sendo feitas em maputo. Recordar que em Niassa o PR pediu que se parasse com os ataques , não era isso tréguas?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Depois das tréguas, devem fazer aquilo que nos fez gastar dinheiro durante muito tempo: ter uma EMOCHM em solo pátrio sem trabalho porque não entregam nomes nem armas (ilegais). Vamos ser sérios.
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Vamos olhar para o passado ou construir o futuro?. Dia pós dia retiramos uma barreira no caminho rumo a estabilidade do país, estou satisfeito com o que acompanho vindo da sala de concertação para o encontro . Estou esperançado num Moçambique diferente e rezo para que nada saia errado. Excia juntos podemos sim ter um amanha diferente para os nossos filhos
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Estamos juntos aí Excia. Aliás, neste domínio sempre estivemos pois não? Paz, Paz, Paz e Paz!
José de Matos
José de Matos A definiçao de vala comum é esta:

"A mass grave is a grave containing multiple number of human corpses, which may or may not be identified prior to burial. The United Nations defines a mass grave as a burial site which contains three or more victims o
f execution"

O que eu acho vergonhoso é tratarem de crimes, chacinas, vidas humanas, corpos abandonados, como simples estatisticas, apenas numeros e coisas!
Irrelevante se é vala comum, qual o conceito, estamos a falar de corpos abandonados, vitimas de chacinas, Irrelevante se sao 120 ou 20, um so ja seria inaceitavel!
Essa Comissao foi apenas uma peça de teatro mal montada para intimidarem os jornalistas que afinal trouxeram a verdade que a comunicaçao social frelimizada escondeu!
Gelyto Baptista Gassete Gassete
Gelyto Baptista Gassete Gassete Não há nenhuma comissão de inquérito,vcs ficam surpreendido com esses gatunos. Pra mim não esperava nenhuma novidade pra este caso a não ser isso k eles andam a cagar nas caras do povo.não desmentiram sobre akeles refugiados no malawi?é partido frelimo k fez e k faz
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Tufa...na mosca
Calton Cadeado
Calton Cadeado Isto é grave! Trazer definições tiradas no Wikipidia para virmos dicutir coisas sérias! Isto é grave e mosta a fraca qualidade do nosso debate que é comandado por leigos! Chega dessa definição infundada das nações unidas. Vamos buscar o documento ou o instrumento concreto da ONU para apresentarmos argumentos robustos! Aqui ninguém está a negar as 13 vítimas mortas. Uma vida é uma vida e será sempre importante. O que se nega, aqui, e a irresponsabilidade premeditada ou sem intencionalidade com que se anunciam notícias graves como é o caso de vala comum! Com um debate comandado por leigos que usam achismos e moralismo, sem bases cientificamente robustas, lá vamos nós rumo ao progresso?!
Tchendjerra Colaco
Tchendjerra Colaco Sr traga entao essa definiçao de vala comum do seu autor preferido ja k a do wikipedia e da UN é infundada. Estas a dar voltas desde.....
José de Matos
José de Matos Ja agora, eu gostaria de saber porque nao faz parte do ambito dessa Comissao investigarem porque a Policia mentiu quando disseram que os corpos foram enterrados e se providenciaram autopsias e enterros dignos! Devem estar muito ocupados com os conceitos e definiçoer de valas comuns e a contabilizar os numeros, so pode!
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Veja o vídeo.
José de Matos
José de Matos Galiza Matos Jr , nao respondes! Batota isso!
Lucas Mabunda
Lucas Mabunda Caro Galiza Matos Jr.,Nada contra a sua pessoa,até porque o admiro pela capacidade discursiva.Mas o seu partido(os big boss's) esconde sim,manipula sim,mata sim e lamento que usam mentes jovens täo promissoras da verdadeira força da Mudança para empurarem o seu lixo para debaixo do carpete.O partido é um verdadeiro matadouro da inteligência dos jovens.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Só admiro porque não sabes o que dizes. Seja como for, obrigado pela admiração.
Dinis Miguel Machaul
Dinis Miguel Machaul Gostaria de entender duas coisas da parte do Cadeado:
1. Quando diz que vamos investigar? como quem?
2. Definiçao extraida do Wikipidia sobre vala comum é errada, apenas peka fonte, ou é mesmo incorrecta?
Galiza Matos Jr
José de Matos
José de Matos Alguns gostam muito de nos entreter com conceitos, mas o proprio Edson Macuacua disse o seguinte:

“Não é pertinente saber conceitos. Queremos questões objectivas, concretas e factuais. Não queremos entrar muito em divagações filosóficas, teóricas, queremos saber onde há vala comum na província de Sofala, e há um consenso sobre vala comum que nós todos temos, e este que está em averiguação”,


Entao ?
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Há vala comum em Sofala?
José de Matos
José de Matos Galiza Matos Jr , define vala comum, ilustre! Macuacua disse que os conceitos nao sao pertinentes!
De qualquer modo, o foco nao devia ser os conceitos e a definiçao, mas sim a chocante realidade de corpos que continuam expostos ! Estamos a falar de crimes, chacinas, cotpos, vidas humanas, nao de nimeros e de conceitos!
Hélio Saudaçoes
Hélio Saudaçoes Até nos recomendam a ir estudar relações internacionais para sabermos o que é vala comum. Infantilismo académico.
Hélio Saudaçoes
Hélio Saudaçoes A frelimo está satisfeito com o sucesso da sua estratégia que consistiu em lançar debate sobre vala comum e desta forma desviar as atenções sobre as escandalosas dívidas. Talvez assim o Maleane aproveita sonegar um pouco. Estejamos atento a estas manobras destes marginais feitos governantes.
Galiza Matos Jr
Calton Cadeado
Calton Cadeado
Ermenegildo Moises Semente
Ermenegildo Moises Semente K k k k! Você é, um pateta mesmo, agora vejo que muchanga tem razão. Correu risco de vida de que maneira? Vestido a paisana e com colete prova de balas, escoltado por militares, polícias, agentes da U.I.R, SISE e outros.
Voce tem noção de quantos milit
ares morrem diáriamente, por esta ignorância? Por sede de poder, se envergonhe ao tentar convencer alguem com omissões, porque este moçambique de hoje nao é aquele de ontem. Mc Galiza, nao perca a oportunidade de ficar calado.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro amigo Ermenegildo, pateta mesmo, agradeço. Muito cordial da sua parte. Trate sempre assim os que debatem consigo, vai ser feliz. Os militares são mortes por um partido político armado. A si, eu peço que não perdeu a oportunidade de ficar calado. Pelo contrário, condene os pelas barbaries, pois matam moçambicanos inocentes que não são nem da FRELIMO nem da Renamo.
Aderito Arone
Aderito Arone Mais senhor Galiza Matos Jr, valos analizar como pessoas que rassocinam.
1. Porque este conflito voltou.
2. Eu me recordo que ja haviam encontrado o senhor dlakhama, como ele sumio da tal dita protecao da policia.


Na verdade, aqui nao se trata de ter ou nao ter vala comum, se trata de acreditar se tem ou nao!
A credibilidade do governo ou do partido que é gestor do governo, caiu muito, se é que ainda existe, que mesmo que seje ivensao, acaba ficando verdade.
Existem vario pontos nos ultimos 16 anos que nao tem explicacao, ou nao querem explicar!
Eu prefiro nao ser muito pecimista nem directo, mas, julgo que percebeste onde quero levar o teu rassoscinio
Carlos De Sousa Tivir
Carlos De Sousa Tivir O resultado dessa comissão de inquérito será semelhante ao da comissão que foi a Tete apurar a veracidade dos factos a quando da denúncia acerca dos moçambicanos refugiados no Malawi, fugindo das FADMs. O que mais me indigna é que toda fantochada é custeada com o nosso dinheiro.
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Veja o vídeo!
Rui Neves
Rui Neves acho que discutir sobre vala comum numa altura em que os corpos ja foram dscobertos e um exercicio de pouca intelectualidade
Manito Nixon
Manito Nixon TAILANDESES ENSINARAM RECENTEMENTE COMO SE LIVRAREM DE OPRESSORES GATUNOS.
Onésio Orlando Nhaduco Arma
Onésio Orlando Nhaduco Arma Muito feio Sr.... Cadê a vala comum então....
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Senhoras e senhores, onde é que está a vala comum com 120 corpos noticiada pela Lusa, SIC Notícias e RTP? Onde?
Cidadao Atento
Cidadao Atento se nao encontraram essa, encontraram outras? ou so essa dos 120 corpos e' que e' importante?
120 h
Hilario Mahumane
Hilario Mahumane A vala está no local onde a dita de cómica-missão não chegou
218 h
Galiza Matos Jr
Antonio Jossias Uqueio Uqueio
Antonio Jossias Uqueio Uqueio E agora? qual 'e o passo seguinte? grande inquérito!
122 h
Cidadao Atento
Cidadao Atento O inquerito concluiu que nao ha vala comum, nao ha mortos nao identificados nem corpos a apodrecer na estrada e debaixo de pontes. Enfim que esta tudo bem e o gajo da lusa e' que queria desestabilizar o Pais porque os tugas nao comeram nada no bussiness da ematum e da proindico eh eh eh… palhacada so
Aderito Arone
Aderito Arone Pior sego é aquelebque nao quer ver!
Gil Manuel
Gil Manuel Kkkkkk sabiam que agindo tardiamente todos factos seriam tapados, agora é so passeatas por ai, penso k ainda temos dinheiro nos cofres para passeatas.
José de Matos
José de Matos Jornalistas da France Press, Deutche Welle e Voz da America relatam hoje a descoberta de mais corpos! Mas parece que o que é relevante é apenas o conceito de vala comum
118 hEditado
Amilcar Joaquim Inguane
Amilcar Joaquim Inguane Sinceramente sabemos que desde 2013 na altura de santujira.... muitos irmãos morem dia à dia, e nunca ouvi vucuvucu. ....mas bastou um jornalista de meia tigela, que se diga de meia tigela mesmo, pois, manchou a classe por nao respeitar o rigor jornalístico e por perceber patavina de ética profissional, despoletar vucuvucu de vala comum com mais de 120 corpos....virou estrela e prato cheio para nos distrair da maior vala comum em que está mergulhado o país com a dívida pública. ...algo deve ser feito para que esse "antipatria" responda por nos distrair com não assunto..... queremos voltar a debater a maior vala comum em que todos fomos mergulhados pelo governo anterior do tio guebas
Emerson Eduardo Nhampossa
Emerson Eduardo Nhampossa Sabe mano Lazaro Mabunda fiquei pancado por saber que o polícia que saiu de casa a um mês em missão de trabalho é teu irmão. O militar que anda no combate é teu primo. Dê repente liga e diz isto está difícil estou a perder colegas e amigos peço para cuidares da família e que se a coisa terminar volto, caso não já erra. Passado alguns dias o telefone não chama e os colegas informam-te de mais uma perda. Alguns estão entretido nos números apresentados pela Lusa como se aquelas pessoas mortas não tivessem direito a vida. O líder comunitário deste país serve ao patrão até faz campanha. Ridicularizar pessoas porque a morte coloca-os no poder é triste.
418 h
Aparicio Marques
Aparicio Marques Galiza Matos Jr...porque tanto papo sobre matéria dos 120 corpos quando sabe da existência de 13 corpos sem vida?porquê irmão?porquê até enviaram essa tal comissão só para desacreditar a Lusa?
Porquê?porquê irmão não se formou uma comissão para ver a situação dos 13 corpos?dar lhes no mínimo o eterno descanso?me desculpe mas exageram vocês pá!meu voto em vão!
317 hEditado
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro amigo Aparício, talvez não saibas ou não te interesse, mas uma denúncia grave desta natureza no domínio das relações internacionais, dos direitos humanos e da soberania de todo um povo, tem um impacto enorme. A Comissão não foi formada a propósito, ela já existe e chama-se Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade. É uma Comissão regimental que integra deputados da Renamo, FRELIMO e MDM e no escopo dela a questão dos Direitos Humanos (que é o caso em averiguação) está previsto. Espero ter sido o mínimo útil.
Egidio Placido
Egidio Placido Senhor deputado Galiza Matos Jr entre vala comum e corpos espalhado o que é mais grave? A comissão que foi a Sofala não integra membros da Renamo. Para mim foi muito triste ver o meu antigo docente de Direito Constitucional na Faculdade de Direito a virar juiz em causa propria!
Aparicio Marques
Aparicio Marques Galiza Matos Jr...vê mesmo meu caro!apenas te interessa a questão das comissões ou comissão,olha o que orgulharia meu voto é essa comissão mista estar a discutir a matéria dos 13 corpos,porque já tem objecto de estudo...agora mano estar a me pregar com papo de reuniões só para provar a comunidade internacional e doadores que a Lusa falhou????sorry meu admirado amigo!
Aparicio Marques
Aparicio Marques Galiza Matos Jr....o resultado da comissão
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro amigo, saber o que se passou com os corpos espalhados, a razão de ali estarem, porque foram mortos e em que circunstâncias, as alegadas violações dos Direitos Humanos, a forma como a imprensa nacional e internacional reportaram, o impacto a imagem e soberania do país, entre outros, fazem também parte do objecto do nosso trabalho. Obrigado
Egidio Placido
Egidio Placido Senhor deputado Galiza Matos Jr coloquei uma questão objctiva. O que é grave entre vala comum e corpos espalhados. Prefiro viver num pais mal visto mas que respeita a dignidade humana. Eu particularmente acho que na vala comum pelo menos a pessoa teve direito a uma cova e foi enterrada. Imagina teu familiar, senhor deputado, deixado no mato a ser consumido pelos animais. Isso dá boa imagem ao país? A comissao está a ser muito minimista. Está preocupada com a imagem do país que das pessoas. Isso não é bom senhor Galiza Matos. Se há investigação tem que ser completa e não apenas adeter-se a vala comum.
16 h
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Caro Egídio, no meu entender e também da Comissão, desde que exista 1 corpo, é grave. E infelizmente há ali naquela zona um Partido político que, ao arrepio da Constituição e demais leis, esta a matar pessoas indefesas. Esse Partido e líder chamam-se Renamo e Dhlakama e estes quando matam pessoas não têm respeito pela dignidade humana. A nossa Comissão não está a minimizar nada, pelo contrário, vamos a fundo em todas as questões e ouvindo imparcialmente todas as entidades locais, centrais, provinciais, jornalistas, populações e demais. Estando fora é fácil apontar o dedo, mas creia, estamos a trabalhar em prol da verdade que os moçambicanos terão no relatório final. Obrigado
Naldo Felipe Ndau
Naldo Felipe Ndau Esse nosso deputado é uma piada, como quando um cidadão que pensa que é representado pelo mesmo deputado na AR, questiona o que é " Vala comum" o deputado manda ir consultar no wikipédia.

Pior ainda é o mesmo deputado que está investigar a existência
de vala comum, mas não sabe definir.

Para completar a palhaçada vemos académicos a dizer para não confiarmos nas definições tiradas do wikipédia, e não trazem novas definições, não indicam caminhos viáveis para todos, para se alcançar outras definições confiáveis apenas dizem que devemos apresentar documentos para sustentar nossas definições.

Meus caros tantas voltas, mas ninguém trouxe definições diferentes das que todos nós leigos temos, que tiramos no wikipédia.

Para se investigar se existem valas comuns o primeiro ponto é definir o que é vala comum.

Nota: Pelas novas informações que estão aparecer está semana nos mídia internacionais, existem mais corpos espalhados pelo mato, portanto podemos não ter somente uma vala comum, mas várias.

http://www.voaportugues.com/.../denuncias.../3357178.html

http://noticias.sapo.mz/info/artigo/1475616.html
12 hEditado
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr
Galiza Matos Jr Veja o vídeo e a notícia da RTP. Obrigado
15 h
Naldo Felipe Ndau
Naldo Felipe Ndau Au Mozambique, le retour de la guerilla terrorise…: http://youtu.be/JdkDvXjSTw4

Meu caro veja também está reportagem da AFP órgão de informação francês, está no YouTube todo mundo tem acesso, e de certeza que está ver, portanto não é desmentindo somen
te a existência da vala com 120 corpos que vão limpar a imagem do país.

Meu questionamento é simples qual é a pertinência de desmentir a reportagem da LUSA, pior num momento que o governo diz ter enterrado 11cadaveres como indigentes, e que outros órgãos de informação estrangeiros como a Aj jazeera, AFP trazem nos novas reportagens com imagens que comprovam a existência de mais corpos espalhados pelo mato.

Nota: Pode não existir somente uma vala comum, mas sim várias atendendo a definição da ONU que considera vala comum, uma "cova" com 3 ou mais cadáveres vítimas de execução, depositados como indigentes.

Nota1: Não é a abertura de um burraco (cova) ou não, que pesa para definir vala comum, mais sim o facto dos cadáveres serem depositados no mesmo local como indigentes.

Portanto a investigação pertinente neste momento deve ser existência de outros cadáveres, sua identificação, causa e circunstâncias da morte, proveniência, e como foram parar naquele local.

Se tiver diferente definição de vala comum peço trazer para me esclarecer.
Luìs Reinaldo Bonho Nhachungue
Luìs Reinaldo Bonho Nhachungue Manos! Assim não! Assim Moçambique não progride!

Hoje, eu descobri o grande problema da baixa qualidade do nosso debate público.

Depois de ver o debate sobre a questão da vala comum, apercebi-me que quem comanda são os leigos com base em "achismos", eu acho, sem nenhuma base empírica, nem científica. Neste contexto, os especialistas estão calados, pois qualquer intervenção cientificamente fundada será ridicularizada, devido ao poder do "achismo" leigo.
Hoje, depois de visitar os meus dicionários confiados, Oxford Concise Dictionary of Politics, de Ian Mclean e o Dictionary of International Relations, de Graham Evans e Jeffrey Newnham, não encontrei o conceito de vala comum que, em inglês, se designa mass grave, fui a net e veio o lado grave da minha descoberta. Muitas pessoas, inclusive intelectuais, viraram "achistas" que baseiam as suas ideias em textos do Wikipedia.
Eu fiquei espantado em descobrir que há um coro enorme a dizer que a Organização das Nações Unidas (ONU) defende estamos perante uma vala comum basta que hajam três pessoas, sem ninguém demonstrar que instrumento/ documento concreto diz isso! Estou absolutamente espantado e até desapontado, pois ninguém me disse em que documento da ONU está escrito que Vala comum/ mass grave existe basta ter 3 pessoas. Eu quero aprender. Mas, em nenhum momento vou fazer do Wikipidia a minha fonte credível e, muito menos, confiada!
Manos! Assim não! Assim Moçambique não vai progredir! Assim não!

Calton
Ps: para quem não sabe, Wikipidia é uma fonte que não tem valor acadêmico, nem científico. Isto deve-se ao facto de as informações colocadas no Wikipidia não são, necessariamente, produto de pesquisa com o devido rigor metodológico. Acima de tudo, Wikipidia é uma plataforma aberta que permite que qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, por qualquer motivo, possa inserir todo o tipo de informação que quiser, sobre um determinado assunto!

In Calton Cadeado status update!
115 h
Naldo Felipe Ndau
Naldo Felipe Ndau Meu caro o que me deixa indignado com nossos deputados e académicos, que li alguns comentários deles aqui, é que nenhum trás novas definições de vala comum. Portanto nós os leigos que temos as definições tiradas de alguns dicionários e do wikipédia, ainda questionamos o que é VALA COMUM afinal, académicos e deputados, sabem ou não???
Maria Teresa Moura
Maria Teresa Moura por acaso já enterraram ou cremaram os corpos?
29 h
Onésio Orlando Nhaduco Arma
Onésio Orlando Nhaduco Arma Muito feio, jornalistas moçambicanos estão alienados
Amilcar Joaquim Inguane
Amilcar Joaquim Inguane Obrigado Naldo Felipe Ndau

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook