quinta-feira, 23 de junho de 2016

Camionistas aceleram degradação da EN4

Camionistas que operam na EN4, sem licença especial da Trans African Concession (TRAC), contornam a báscula transitando com excesso de carga e fugindo a multas. A direcção daquela concessionária refere que os prevaricadores aceleram, desta forma, a degradação da estrada do lado moçambicano.
Segundo o director de Centro de Manutenção da TRAC, Fenias Mazive, o projecto contratual entre a TRAC e o governo moçambicano não abrange os aspectos de fiscalização de viaturas. Essa responsabilidade é da Polícia de Trânsito de Moçambique.
É preciso que a PRM fiscalize os camionistas, sobretudo os moçambicanos, porque são poucos que passam pela báscula. Apenas os sul-africanos sabem que são obrigados a passar por ali sempre que entram para Moçambique. As pessoas têm que perceber que as básculas são usadas para ajudar na conservação da estrada”, sublinhou.
Entretanto, a TRAC vai levar a cabo um trabalho, dentro em breve, de reabilitação e ampliação de algumas parcelas da EN4, nomeadamente a partir da zona da Shoprite, no município da Matola , até a Praça 16 de Junho, na cidade de Maputo.
Fenias Mazive disse que as obras poderão arrancar a qualquer instante, sendo que já foi contratada uma empresa especializada para fazer um Estudo de Impacto Ambiental e desenho de um plano de reassentamento de famílias localizadas no troço que será abrangido.
Para além das famílias, serão removidas infra-estruturas que estão localizadas nas proximidades, nomeadamente barracas, carpintarias, serralharias, salões de beleza, entre outros, num total dezassete que serão destruídas para dar espaço a ampliação daquela via de acesso.
 “Acredito que a amanhã, segunda-feira, vão nos entregar o relatório que posteriormente será submetido a Administração Nacional de Estradas (ANE) e ao Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural para conseguirmos obter a Licença Ambiental de modo a começar com as obras. Paralelamente a isso, vamos lançar o concurso público”, disse o nosso entrevistado.
Os trabalhos de reabilitação e ampliação daquela rodovia consistirão na construção de mais uma faixa de rodagem da estrada para cada sentido que passará a ter seis, assim como o alargamento das pontes, incluindo as metálicas para peões.
Refira-se que, no âmbito da responsabilidade social, a TRAC reabilitou o pavilhão da Escola Primária de Trevo, município da Matola, construiu casas de banho de raiz e vedou o recinto escolar. Na Escola Primaria de Lingamo fez uma reabilitação de raiz, apetrechou as salas e o bloco administrativo com mobiliário escolar, meteu água, energia e construiu muro de vedação e na Escola Primária de Maguiguana, ainda na cidade da Matola, ofereceu cadeiras plásticas às crianças que estudavam sentadas no chão.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook