quinta-feira, 13 de outubro de 2016

NEGLIGÊNCIA DOS MEDIADORES INTERNACIONAIS POR DETRÁS DA MORTE DE JEREMIAS PONDECA

4 h

Faltou a observação cautelosa sobre os conceitos da psicologia de guerra, que geralmente se faz manifestar nos efeitos psicológicos de quaisquer grupos que estão em guerra entre eles!
A equipe dos mediadores internacionais , chefiados por Dr Mário Raffaelli, experiente figura em matéria de mediação e resolução de conflitos internacionais, cometeu um erro crasso e pode vir ainda a continuar à provocar mais óbitos de figuras que estão envolvidas directamente nas negociações entre o Governo e a Renamo, caso esse Grupo de Excelências mediadores internacionais, não reverem o sentido ou o termômetro da temperatura que circula nas veias dos seus afilhados!
Dr Mário Raffaelli, Moçambique está de novo em guerra! Essa guerra é tão perigosa que à primeira de 16 anos que o Senhor teria mediado no passado! A guerra de 16 anos era uma guerra declarada oficialmente e à presente, não está declarada!
Esta é uma guerra de ganguisterismo económico, donde o partido no poder desenha esquemas maquiavélicas, contraindo dívidas secretas para o seu proveito próprio, e colocar à responsabilidade do seu pagamento no bolso furado do cidadão em nome duma guerra para proteger à vida e segurança dos cidadãos aterrorizados pela Renamo! Guerra essa provocada propositadamente pelo regime para justificar biliões de dólares que "investiram" na compra do armamento!
Para mediar esse conflito, é preciso diagnosticar à psicologia desta guerra e identificar novas ferramentas políticas, pois essa guerra tem outras motivações e não devidamente aquelas que V. Excias estão a consumir!
O PIMO - Partido Inteligente de Moçambique, partido de Orientação Construtiva, saudou publicamente a vossa indicação como mediador das negociações do presente conflito e consequentemente formalizou um pedido oficial para participar na mesa de negociações e no mínimo, possuir uma oportunidade para aconselhar a equipa dos mediadores , mesmo a margem da mesa das negociações, donde V. Excia desempenha um papel de extrema importância: CHEFE DA EQUIPA DOS MEDIADORES!
Infelizmente não fomos recebidos até hoje!
Tínhamos como agenda, entre tantas outras de interesse da PAZ, para alcançar bons resultados, mesmo após a assinatura dos Acordos, "fofocar" aos mediadores os motivos que estão por detrás do presente conflito, não são de motivação politica mas sim de motivação económica, protagonizados por diversos clubes de interesse económico ligados ao partido no poder, que encontraram na democracia uma máscara, escondendo às suas infindáveis ganâncias económicas para conquistar o poder governamental e delinquir o Estado!
A devida resposta, usando à mesma moeda não tardou pela parte da Renamo que também surge a reveindicar à governação incondicional das 6 Províncias de Moçambique, para evitar à sua exclusão financeira e economica, evitando mais uma vez o enfraquecimento total e permanente nas actividades políticas e da sua futura participação nos processos da democracia em Moçambique!
Pois a Frelimo, nosso adversário comum, traçou à estratégia de se apoderar dos recursos do Estado, para a construção de uma burguesia capitalista partidária mais rica que o próprio Estado, a fim de continuar a comprar à consciência política do eleitorado e da diplomacia da Comunidade Internacional para se prepetuar no poder por mais 50 anos!
Senhor mediador Chefe e os meus respeitáveis ilustres parceiros da nossa diplomacia internacional, Dlhakama, não está em Gorongosa, movido pelo prazer de viver numa das suas casa do campo! Dlhakama refugiou-se em Gorongosa, porque ele constituí alvo principal a abater numa guerra não declarada pelo regime!
Foi por esta razão que quando o regime fracassava os seus planos militares, subterefugiava na armadilha do discurso hipócrita de diálogo pacífico para a cessão das operações militares de perseguição e desarmamento coersivo à guarda de Afonso Dlhakama, violando unilateralmente ó AGP, assinado em Roma, em 1992!
Dlhakama, receando cair nessa armadilha, achou melhor recorrer à mediação internacional para acompanhar com segurança e imparcialidade às negociações entre o Governo e à Renamo a fim de devolver PAZ efectiva ao povo moçambicano!
Infelizmente, infelizmente, infelizmente...A olho nú os mediadores internacionais, presentes em Moçambique, estão a acompanhar diariamente quase, o abate e assassinato físico dos membros mais próximos daquele grande "inimigo" cuja decisão de trazer cabeça na mesa da Frelinegócios está à prêmio!
Como é que Vs. Excias mediadores internacionais admitem que a outra parte lesada deste conflito, se torne anfitriã das negociações, cujo ressaltados tendem a favorecer a parte combatida, à partir do território sob administração do lesado?
Nós admitimos como natural, a reacção dos esquadrões da morte em "legítima" defesa dos seus interesses criminosos ultimamente, acabaram assassinando o fogoso JEREMIAS PONDECA, porque de acordo com às nossas fontes bem posicionadas a partir do interior da sala das negociações, Pondeca, era o único homem da Delegação da Renamo que tratava por tú, qualquer excelência da Delegação do Governo!
Pondeca, teria posto fora do "combate" generais e estrategas do regime que estavam afectos à Comissão Mista, porque ninguém tinha mais argumentos políticos para superá-lo em relação a argumentação da matéria sobre à governação das 6 Províncias!
Receamos que haja retaliação... caso isso acontecer à culpa será dos mediadores internacionais que não diagnosticaram seriamente o ambiente psicológico que ultimamente domina os ânimos do Governo e da Renamo!
Se à moda pegar, ocorrendo misteriosamente mais abate a um membro da Comissão, por exemplo do Governo, o país vai arder e os mediadores internacionais não vão conseguir apaziguar os ânimos das populações que sem dúvidas vão revoltar porque qualquer óbito ligado aos membros do Partido no poder, poderá ser esclarecido à tempo recorde o que não tem sido hábito das nossas autoridades em relação aos óbitos ligados à cidadãos que militam pela oposição!
CONCLUSÃO CONSTRUTIVA:
1 - Dr Mário Raffaelli, antes do dia 18, deveria aconselhar às partes - Governo e a Renamo, a partir da morte trágica de JEREMIAS Pondeca, prosseguir com as presentes negociações num território neutro e no estrangeiro! Pois não existe onfiança e devida segurança para o resto dos membros continuarem com o diálogo de PAZ em Maputo!
2 - Aconselhar às partes para não privatizar o diálogo, pois quem sabe se nós os outros se tivéssemos sido consultado, teria se evitado os presentes óbitos!..
3 - Criar uma plataforma de diálogo consecutivo e permanente com à opinião pública moçambicana, afim de acolher mais subsídios sobre à matéria da PAZ em negociação!
4 - Acabar com as bolsas de interrupções das negociações e substituir esse tempo tão precioso com diálogo extensivo à outras sensibilidades moçambicanas que estão à margem da sala das negociações! Pois os intervalos estão a ser explorados como oportunidades para ganhar tempo afim de prosseguir com actos terroristas para enfraquecer o diálogo!
O PIMO/Bloco da Oposição Construtiva, está aberto e disponível para colaborar com as partes beligerantes, assim como com os mediadores interacionais, sugeririndo um País neutro para acolher o presente diálogo, sem envolver custos ao Estado Moçambicano!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook