terça-feira, 25 de outubro de 2016

Cidadão mata mulher e queima o cadáver em Nampula


PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 25 Outubro 2016
Share/Save/Bookmark
Um indivíduo de 37 anos de idade, cujo nome foi omitido pela Polícia, está preso, desde segunda-feira (24), na cidade de Nampula, acusado de assassinar a esposa, de madrugada, e queimar o cadáver dentro da casa onde supostamente vivia com a vítima.
Não se sabe ao certo o que levou o cidadão a cometer tal acto, ocorrido na unidade comunal de Saua-Saua, no bairro Namicopo. Entretanto, a Policia da República de Moçambique (PRM) suspeita tratar-se de um homicídio que partiu de problemas passionais.
O indiciado, aparentemente bêbado, negou ter morto a sua cônjuge e alegou que não sabe o que se passou. Aliás, ele apesentava queimaduras bastante visíveis nos membros superiores.
Zacarias Nacute, porta-voz do Comando Provincial de Nampula, disse que o presumível homicida fechou-se na residência com a malograda, agrediu-a fisicamente e, em seguida, ateou fogo.
Acredita-se ainda que o cidadão incendiou a casa e fugiu quando se apercebeu de que a sua parceira estava morta. O visado fracassou na sua tentativa de se colocar ao fresco porque a população, indignada e enfurecida, ajudou os agentes da Lei e Ordem a detê-lo.
O caso aconteceu nas proximidades da 5a esquadra naquela urbe. Antes de saberem da morte, os vizinhos aperceberam-se das chamas intensas a consumir a habitação.
Algumas pessoas alegaram que a finda foi morta à catana e a Polícia disse estar a investigar, também, se ela foi encaminhada para o interior da casa morta ou em vida.

   Detido indivíduo acusado de matar e queimar esposa em Nampula


Episodio deu-se no bairro Namicopo
Um cidadão é acusado de ter assassinado a sua esposa, na madrugada de ontem, e de seguida incendiar a casa onde viviam, no bairro de Namicopo, arredores da cidade de Nampula. Depois de cometer o acto, o indivíduo, que se diz inocente, teria empreendido uma fuga, mas foi neutralizado por populares, que o conduziram à 5ª esquadra da PRM.
De acordo com os populares, o casal consumia bebidas alcoólicas, facto que teria culminado no desentendimento. Entretanto, não se sabe o que teria provocado o incêndio.
“Eles estavam a consumir bebidas alcoólicas e, por alguma razão, começaram a brigar e a senhora acabou morrendo na casa, depois de pegar fogo”, contou uma testemunha.
Alberto Mussirima, esposo da vítima, que também sofreu queimaduras, diz-se inocente.“Eu não matei a minha esposa, tínhamos uma vida normal. Não me recordo de onde surgiu o fogo”, disse.
O corpo da vítima apresenta uma abertura na região do abdómen, o que levanta a hipótese de que teria sido atingida por um objecto contundente. 

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook