quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Carta aberta ao Presidente Filipe Nyusi (10)

Momade Assife Abdul Satar adicionou 2 fotos novas.
Carta aberta ao Presidente Filipe Nyusi (10)

Senhor Presidente, esta é a décima vez que lhe escrevo. Encorajou-me o facto de ter tomado conhecimento de que o Presidente lê as minhas cartas. É um bom sinal. Soube ainda que o senhor todos os dias preocupa-se em saber o que o Nini publica na sua página de Facebook, apesar de um irónico “qual é o ataque de Nini hoje?”, quando se dirige aos seus assessores.
Presidente: eu, Nini Satar, nunca ataquei ninguém e jamais tive a pretensão de ferir quaisquer susceptibilidades. As minhas opiniões são fruto do que colho no dia-a-dia da vida sofrida da maioria dos moçambicanos, meus compatriotas.
Qualquer pessoas que seja contra o que escrevo, aconselho a tomar uma panaceia.
Pois bem: o que me leva a escrever hoje, é a situação política do país. Moçambique está de rastos. Esta guerra já está a ir longe demais. Está a causar estragos irreparáveis. O que custa acabar com esta guerra, Presidente?
O senhor Filipe Jacinto Nyusi é Presidente da República de Moçambique. É Presidente de todos os moçambicanos. É o alto magistrado da nação. Tem o privilégio de demitir e nomear quem quiser. Essa ladainha de que quem manda em si é o controverso General Chipande, para mim, é conversa de café e por isso não vou comentar. O senhor pode, sim, devolver a estabilidade a este país.
O saudoso Presidente Samora Machel, homem de carácter único, íntegro, rigoroso e que, sobretudo amava incondicionalmente Moçambique e os moçambicanos, a seu pedido, negociou a paz com a Renamo em 1984. Jacinto Veloso, esse mesmo senhor que hoje chefia a delegação do Governo no diálogo político, sabe muito bem do que estou a falar.
Samora só não foi longe com a sua pretensão de restabelecer a paz em Moçambique, porque acabou morrendo num acidente ainda envolto em penumbra. Seguiu-se-lhe o Presidente Chissano. Claro, este pode ter falhado em alguns aspectos, mas trouxe a almejada paz. Por isso que até aqui o seu nome é bem recordado pela maioria dos moçambicanos.
Com Armando Guebuza a situação da exclusão, a todos os níveis, aumentou. A Renamo sentiu-se marginalizada. A guerra voltou ao país e o senhor, Presidente Nyusi, herdou desta desordem e me parece não estar em condições de reverter o cenário. O que custa acabar com a guerra, Presidente Nyusi?
O Presidente tem ideia de quantos moçambicanos sofrem devido à guerra? Sabe quantas instâncias turísticas fecharam? Quantos investidores receiam em colocar o seu dinheiro em Moçambique? Moçambique até já virou chacota mundial. Se aparece na imprensa internacional, é para se falar de dívidas ocultas, guerra, pobreza, exclusão social. Tudo de mal é como se acontecesse em Moçambique.
Nestas condições, Presidente, quem vai investir em Moçambique? Nestas condições, Presidente, acha que eu, um patriota que ama o seu país, me devia calar? Não lhe devia escrever? Eu cobro de si explicações porque o senhor é o Presidente eleito. É a única pessoa que tem autoridade para devolver Moçambique aos carris. O que lhe custa, Presidente? Quem lucra com a guerra?
Custa-me muito ver o meu país a agonizar de tanto mal. Que culpa têm os moçambicanos? Não podem viver em paz? Ora são as dívidas ocultas, ora é a economia nacional que está de rastos. Hoje temos a situação do Moza Banco…faliu. O que se seguirá amanhã?
O custo de vida, em Moçambique, está uma lástima. Tudo subiu: combustíveis, produtos da primeira necessidade, mas o salário continua uma miséria. O mais grave ainda é que aquele que vivia da sua machamba já não pode cultivar por causa da guerra. Onde é que vai parar este país?
Será que vocês os políticos estão interessados que esta guerra acabe? O nome deste país foi jogado na lama. Ora são os ministros do seu Governo que são vilipendiados nos jornais por estarem endividados até ao pescoço. Que servidor público é esse? Será esse ministro um bom exemplo? As avultadas dívidas que um dos seus ministros tem, foram despoletadas pela imprensa portuguesa. Ele demitiu-se? Não. Esta ai como se nada tivesse acontecido. Que exemplo!!!!!!
Tudo o que acontece no seu Governo cai na boca do povo. Até o cobrador do “chapa” insulta o Governo como melhor lhe aprouver. Será este um país sério? País em que os ministérios começam a ter dificuldades em pagar salários aos funcionários públicos. País em que a Polícia que devia defender o cidadão, rouba-lhe. Extorque. Usa artimanhas para sobreviver. E o Presidente, sempre sereno, a dizer que na sua cabeça só existe a palavra paz, paz e paz. De que paz o Presidente fala?
Eu, talvez não seja único, começo a duvidar de que o diálogo em curso vá dar em algo. É que a Renamo finca o pé: quer as seis províncias. E o Governo não as quer dar. O que mais existe neste diálogo é um braço de ferro. Também não vejo como é que iriam funcionar os governadores dessas seis províncias, já que Dhlakama tem dito que vão governar com o programa da Renamo. Essas seis províncias serão independentes do resto do país? Não se vão subordinar ao Governo central? Isto tudo é para arrastar o tempo.
Das negociações de 1984 que Samora iniciou, um dos pontos falava em parar com a guerra e negociar. Mas, estranhamente, o diálogo em curso, vai se arrastando enquanto o povo morre com a guerra. As negociações decorrem em simultâneo com a guerra. Ora, são os mediadores internacionais a pedirem pausa, enquanto isso a guerra vai matando. Será que não há como parar com a guerra? Recordo-me que Dhlakama disse que as Forças de Defesa e Segurança estacionadas no cinturão da serra da Gorongosa deviam ser afastadas para a cessação da hostilidades. O Governo rejeitou. A guerra continua. Afinal, estão a negociar o quê?
Peço-lhe, Presidente, para que faça de tudo para devolver a paz a este povo. Estou a pedir demais? Acho que estou a pedir o justo. Quero ver os meus compatriotas a viajarem do Rovuma ao Maputo sem medo de emboscadas, sem colunas. Quero ver o brilho do sorriso das crianças que hoje deixaram de ir à escola por causa da guerra. Quero ver o vendedor da esquina a montar a sua banca em qualquer parte deste vasto país sem temer nada. Quero o retorno às machambas. Quero a fartura dos ananases de Muxúngue, dos mariscos de Cabo Delgado, dos feijões de Niassa, das saborosas tangerinas de Inhambane, um dia cantadas por José Craveirinha. É pedir demais, Presidente?
Nini Satar
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Matin Sabin
Escreve um comentário...
Hummer Boy Martins Martins Momade Assife Abdul Satar um povo que elege corruptos nao e vitima mas sim cumplice. pois nao e seu voto que torna o politico corupto.
Hummer Boy Martins Martins Se não foi eleito pelo povo então é o povo que deve tira-lo do poder. Eu pelo menos não votei nele, em todas revoluções sempre existiram mortes que não temamos represálias e marchemos até à ponta vermelha exigindo a demissão/renuncia do presidente.
Manjor Lopez Portugal Yeah,
O nosso maior problema, nós Moçambicanos somos muitissimo PASSIVOS.
😅O guebusa nos infectou com o espirto de DEIXA ANDAR
DjMilton Khalid esse país está mal, seria um alívio se isso acontecesse, pois os mais lesados somos nos
DjMilton Khalid se nos moçambicanos tivéssemos o mesmo espírito de manifestação como os sul africanos acredito eu que o governantes nao fariam oque bem entendessem nunca é tarde chegada a hora de expulsar essas parasitas
Jose Fernando Reranhe Caro Hummer Boy Martins Martins , sem mesmo querer contrariar das suas cordiais descrições só tenho questão para-o colocar;
Jose Fernando Reranhe O Sr teve o privilegio direto de ver os editais??? de onde vem a convicção de que em moçambique é mesmo o povo que elege??
Hummer Boy Martins Martins Meu caro, longe de mim ter essa convicção mas o que sucede e que ninguém pronunciou-se sobre esse assunto fora os partidos renamo e mdm e como diz o velho adágio " quem cala consente". Se você é outros não tem tamanha certeza de que Nyusi foi o grande vencedor que caminhemos juntos a ponta vermelha exigir a renuncia do presidente, e que ele diz que somos os patrões dele então é legítimo nos o mandarmos embora pois não está a servir os interesses do povo.
GostoResponder222 h
Antonio Osorio Fernandes Tens a certeza que é o povo que elegeu?
Rui Alguineiro O governo da frelimo com essa guerra so perde credibilidade, pk o povo repara no seu sofrimento e jura de pés juntos que nas próximas eleições não vao voltar a cometer o mesmo erro de eleger alguém que não é capaz de resolver seus problemas.
Carvalho Dunga Medo de balas ( aqui não há balas de borracha )
GostoResponder321 h
Saidinho Da Lulu Hummer Boy Martins Martins, olha meu irmão, este regime é perigosíssimo, por mas q vc não vá as urnas no dia do sufrágio, ele votam por si, o povo nunca elegeu esses malfeitores, corruptos, arrogantes, mentirosos, predadores. Esses sempre foram falsificadores de resultados eleitorais. Nós o povo dissesmos, abaixo os corruptos. Enquanto não existir liberdade neste país, jamais o povo sairá às ruas para revendicar os seus direitos, pq isso sempre custa sangue nas nossas famílias. Viu o aparato militar q esteve nas ruas num dos meses passados a quando do anúncio da frustrada grave? Quantas mortes não esclarecidas, até matam-se entre eles.
Matin Sabin
Escreve uma resposta...
Álvaro Xerinda Parece que essa coisa de ser presidente lhe pegou de surpresa. Senhor presidente se hoje disser "pára a guerra" ninguém vai disparar mais. Quanto à corrupção até parece que os dirigentes recebem ordens para tal, é só ver a impunidade. Não sei o que o senhor presidente espera acontecer para poder agir.
Adriano Saveca Daveka talveis si Matarem o filho dele vai Agir
Carvalho Dunga Até agora não está preparado
Matin Sabin
Escreve uma resposta...
Nelton Tamele Que trabalho ja fez visível o nosso querido presidente???So vejo na televisão ele a visitar escolas e a nomear camaradas,será que as crianças das zonas abrangidas pela guerra não são mocambicanas???Ainda sonho um dia ouvir pela manhã um breaking news dizendo que a situação político militar chegou ao fim...Estas de parabéns Mano Nini...
GostoResponder17 h
Greyce Philipe Aplausos Nini

Eu so tua fã! Eu me inspiro em tii!
Tu es um homem directo! 💪 força nao desista com as cartas pois estas a tirar palavras que muitos Moçambicanos nao conseguem dzer! 😘👌
Ahmade Nassone Sitoe Presidente n tem tempo p facebook
Jujú Magaia ha quem o faz chegar
Nino AbdulLatiifo Ahmade Nassone Sitoe podes crer que ele as recebe sim ,,,
Ray Bob Manhiça É claro que ele ve tudo que lhe é direcionado.
Carvalho Dunga Direto lá longe que venha para cá apoiar as manifestações e muito mais
Matin Sabin
Escreve uma resposta...
Ricardo Luis Arto Parabéns Nini. Esses gajos so e so iram minimizar com essa guerra quando estivermos proximos as eleições tudo para enganar o pobre a vota-los. Eles ja tem dinheiro suficiente para viverem fora do país mesmo k isso continue assim eles nao estam preocupados com o povo k lhes votou.
GostoResponder35 h
Ismael Chumele Desde já agradeço ao intelectualismo de Momade Assife Abdul Satar.
Indo ao Assunto eu até agora não vejo nada que mudou na Posetiva desde o começo da governação do saudoso presidente Nyusi;mas sim houve um avultado de problemas acumulados em que pelos anos que já restarão pra o fim de governação deste já tá visto que não vai devolver nada.
A última coisa que lhe resta é no mínimo restabelecer a paz;pra permitir a circulação deste povo sem problemas.
Salé Abdulgafur Abdulgafur obrgdo nini pela carta, s PR d mocambiqe le acarta e os comentario tenho um recado pr ele exe todo sofrimento q xtamox apaxar vai s reflitir um unico dia, vamox nas urnas s hover, faltam 2ano , oqe q vau falar nas voxa campanha??? vc mexmo ja xtrangularam a frelimo
Francisco De Assis Cossa Parabéns Nini em saber exprimir o sofrimento e pensamento deste povo, caminhamos como vagões de comboio sem o maquinista para orientar por issso que discarilamos. Por mim devia-se mandar esta carta em mão ate á PR, tem muita coisa escrita para ele explorar e começar a agir.
Abdul Remane Ibraimo O povo moçambicano esta sofrer,para quando vai terminar a guerra?E a crise?Estudamos,mas agora não temos emprego.
Carlos Paia-kssou Moçambique está entregue aos caprichos empresariais desse governo e quem paga por isso é o povo...
Andre Nhabanga O hino nacional deveria ser:
- Tiro a tiro destruíndo o novo dia, ó patria amada, vamos morrer,
- Todos os tiranos nos irão escravizar;. Etc etc...
É muito triste o que acontece no nosso país.
Eu pessoalmente nutria uma simpatia enorme pelo senhor Fil...Ver mais
GostoResponder620 h
Ernestino Candido Albino Eu se Fosse essa pora do nyusi demitia me, mas o problema ele e um ratinho de laboratorio e Manda do tbm.
GostoResponder114 h
Fifi Da Rocha Manjate Momade Assife Abdul Satar tua carta foi lida , mas de certeza só foi lida para gastar intenet e energia , nada viram esses macacos
Icu Sarifo Vi uma criança que nao parava de chorar .
Perguntei a mãe .
-o quê que se passa com essa criança?
A mãe responde.
Quer pão e não tenho pão pra lhe dar.
TRISTE MUITO TRISTE O QUE SE PASSA NO NOSSO PAÍS .
GostoResponder37 h
Maria Mendes Moçambique está mergulhado num luto infinito. O País está num estado em que quem é contra o regime vigente e tem a coragem de expressar a sua opinião é silenciado e como se não bastasse em praça pública e é usado como meio de enviar uma mensagem para quem se atreva a tomar as mesmas atitudes. Isto não é democracia isto é ditadura e usam o terrorismo para controlar o povo. Todos os dias ouvimos noticias de mortes, violações, assaltos a casas e a polícia nada faz, porque não existem agentes suficientes para patrulhar os bairros dizem eles. O povo decidi ir a rua de forma pacífica manifestar-se, porque é um direito de qualquer povo que vive num regime democrático e saem os melhores polícias, com os melhores armamentos que Moçambique tem para intimidar as pessoas. Nos queremos paz, nos queremos o nosso Moçambique de volta. Não queremos viver com medo de represálias, viver com medo de dormir a noite na nossa própria casa. Paz para Moçambique.
Weiss Mocalacha Oque mi deixa agastado no ano de eleições tudo volta ao normal para nos irmos votar... depois PAH tudo continua a subir. Política de África da nervo.
Tomas Humbe Ele apena e figura do presidente cuitado do nyusi so recebe ordem.
Sophia Bute Fify So o povo pode acabar com isso, se podemos os por onde estão tbm podemos os tirar
Acacio Pedro Fez bem por ter saído de Moçambique. Caso não, acredito que ja não estaria mais para comentar. Este país está mais que o Haiti, além da crise, guerra, tem um grupo designado (esquadrão da morte) para calar grandes Homens como Nini Satar. Isto é uma miragem.
Força Compatriota
Brigido Mauro Bom dia a todos, completamente de acordo e o mais caricato e de natureza cómica é o facto de por vezes estes mesmos dirigentes se esquecerem de viver a vida em PAZ, talvez julgando serem imortais ou que levarão algo deste mundo para a vida após a morte. No máximo, pelo andar da carruagem, irão assistir os nossos descendentes cuspirem ou senão rasgarem os futuros livros de história de Moçambique que envolvam os seus nomes. BASTA!!!
Noberdino Da Luana Efigénia A injustiça ou justiça que lhe levou a parar na prisão, pôs Deus sabe da verdade. Hj espelha um homem cheio de sabedoria, me levando a acreditar que qndo esteve preso, o um dos teus grandes consolo era a leitura com a esperança de que um dia estarias s...Ver mais
Elva Mussane Não é pedir demais Nini, é o que todo povo Moçambicano quer e pede, e falando exactamente de Ministros sinceramente não vejo mesmo porque precisamos dos vices-ministros em Moçambique qual é a função deles mesmo, tenta dimunuir certos cargos que ão tem nenhuma utilidade nem beneficios, mas sim só ajudam a afundar mais este pais.....
GostoResponder12 h
Percilio Jose Tamele Palavras saibas.se a carapuça servio tudo k foi digo ele ovi. Pork nao se justifica o pais esta numa fase muito critica mais o filho dele sai por ai nas noite a gastar dinheiro d qualquer maneira. Carros d luxo. Mais esistem moçambicanos que dormen sem água quente e o pao pa enganar o estomago. E os outros irmaos k viviao na base do negocio hoje eles estao a passar por grandes dificuldade d manter no seus negocios.. Moz banco faliu LAM tambm ta com dividas fora do serio mais pa onde foi esse dinheiro todo? Nao ha resposta e se alguem tentar falar morre afinal pa onde vamos com o nosso moçambique??? Eu tenho a certeza k nas proxima éleiçoes a frelimo nao ganha pork todos sao bandidos malandros preguiçosos!!!!!;
Picol Gueba Tas de parabéns ilustre Nini pela coragem q carregas cntgo, fazes de tudo pra ajudar em favor da paz mas é como se estivesses a escrever pra uma tábua que não vê nem ouve, pois nada muda.continue assim terás sempre a Protecção de Deus pela causa q tanto lutas.
GostoResponder219 h
Jose Jacinto Bem dito caro Nini, perdemos nosso tempo em vao no dia 15 de Outubro a pensarmos k iam votar o alto magistrado da nacao enquanto era uma ilusao, povo k vota corruptos nao e vitima mas sim cumplice, por isso somos cumplices, Sr Nyusi se a.jornada te pesa demita se por favor nao hipoteque o futuro dos nossos filhos
Juma Mussagy Abdul Mutualibo Faço desta carta claro com autorização do autor minha. Tudo que vem escrito nessa carta,é na realidade o que está na alma dos mais de 25 milhões de moçambicanos exceptuando aqueles que nos meteram neste buraco. Pedimos ao senhor presidente que haja como tal e não como uma marioneta. Você está acima de todos nós excepto da lei claro.
Seizat Chadit Ussene Bem falado nini..espero que todos concordam com tigo,e ele presidente leia isso com atençao.por que isso j esta a ser d mais.ja esta afartar,nos singular temos k pagar direitos muito carros quando compramos viaturas ou algo d importacao,e quando sao eles d governo nao pagam nada..e nos eq sofremos,e ainda somos apertados com homens das finanças alfandegas policias d transito etc...acredito k tempo d presidente chissano era muito melhor sabia aplicar regularizacoes muito baixas.
Amilton Chitsungo Oxalá ele esteja a ler e as tuas palavras sirvam de vacina para erradicar de uma vez por todas esta doença que tomou os camaradas e espalha-se como uma catana decapitando os Moçambicanos 1 a 1 a sangue frio como se de alguma comédia de terror se tratasse.
Chanfar Salimo Ernesto Parabéns #Momade Assife Abdul Satar# pela preocupação mesmo estando outro lado do universo, Não podemos produzir, futuro das crianças comprometido, lágrimas que nao para, coração de milhões de Moçambicanos partidos pela situação actual.
GostoResponder122 h
Zeze Wesley Cunah Parabéns pela carta Nini...
Tenho dito que se Moçambique tivesse três intelectuais que nem o Satar, que acima de tudo sabem criticar construtivamente e inteligentemente os maus feitos do governo e partido, Moçambique estaria em outros patamares, concer...Ver mais
GostoResponder221 h
Marlon Uache O KingdoBoda A sabedoria de um homem não se ganha somente pelo níveis alcançados na academia mas também pela convivência e o grau de comprometimento com a causa. Muita saúde ao Nini para que inspire mais gerações.
Brigido Mauro Esta maldita guerra deveria tomar proporções directas, que se fizesse nos dois partidos aquilo que se fez ao malogrado Deputado Pondeca, para ver se eles ao sentir na pele o perigo de sair a rua e morrer, não sentariam de uma vez por todas numa mesa para resolução deste triste cenário.
GostoResponder123 h
Nila Maláithe Maláithe Bom dia Nini Satar, parabens pelas tuas insistentes cartas, faz-me acreditar que um dia alguém de direito há-de enfim tomar medidas (políticas) sustentáveis para o nosso país.
Felisberto Nankuta Já não postas relógios caros de marca, roupa cara, etc... viste que realmente estes posts não têm interesse. Parabéns pela carta
Paulino Henrique Cumbe Pois ond a briga d dois cabritos machos eu juro k sofre o campim k culpa nós temos senhor presidente ja t eskecest k tas nessa cadeira brilhante por nossa causa e por ter nos feito uma promeça puracaso tavas areferir em continuar com esta guerra k o ladrao guebuza deixou . Hj é guerra dos nossos presidentes e ainda estamos em manto e amanha prevemos cheias estamox mal meus povo moçambicano pra kem vamos chorar e pra onde vamos fugir so voce deus o nosso reino dos seus digam cm migo amen
Sarifa Bay Quem dera se todos nos tivessemos a coragen que o Nini Satar tem de clamar ao presidente Nyusi pela paz mas ate que alguns de nos tem sim essa corage mas e pessar que e perca de tempo porque podem ler essas cartas so pra ficarem a saber uqui sentimos e penssamos e depois dizerem: vao latindo enquanto a caravana passa, cao que late nao morde em fim.
Vulaiton Sebo Nini eu tenho orgulho de ser mocambicano cmo vc, es um homem sabio e corajoso amei bastante a carta assim cmo amei as outras, q Alah lhe cnceda a maior tranquilidade aq e lá.
Don Zunguza #Momade #Assif #Abdul #Satar, tens vindo a ajudar com as suas críticas, pois críticas são construtivas, mas ora vejamos, será que na verdade aquela pessoa que na sua campanha gritava pra todo o povo que queria #PAZ ainda é a mesma ??? Ou talvez ele falava da paz pra enganar os moçambicanos, me recordo numa das minhas passagens pelo país dei me tempo de ver as televisões nacionais e oqui o nosso presidente disse foi uma lástima, no período das negociações ele teve a coragem de acusar a Renamo de vários ataques e que não queriam a paz , se puder trarei aqui o trecho, mas será que essa pessoa quer que as negociações tenham efeito ???Eu não sei não, dias atrás vimos uma entrevista do general Chipande dizendo que corrupção nunca vai acabar e que sempre vão roubar porque são humanos, será que isso ele parou e pensou no que disse, ???isso mostra que o país está entregue,

Nelito Da Mara BT doe me tanto ver a tristeza de muitas criancas sem nada pra comer e com futuro incerto... kuantas pessoas devem morrer pra vocês pararem com essa guerra não declarada
Narguice Khan Muito bem dito Nini
Helio Nazare Passei a ver os comentarios dos compatriotas de verdade li todos qoe estao a cima do meu e vi tudo o que tinha por dizer ja esta la. obrigado nini satar pela sua coragem. obrigados aos que comentaram em prol do bem de moz.
Jeremías Malinga Eu chego a pensar que isto virou negócio seca ;e a guerra ...chokwe que era um dos maiores potenciais o país Hoje não tem água no canal e no rio
Nelson Mananse os culpads somos nos nada fazems d concreto p reverter essa situacao apenas terminamx ns murmuros e lamentacoes. Sabias palavras
Lourenço Magombe Sr presidnte da republica de moçambique,pelos poderes que a costituicao lhe ofere peço em nome do povo moçambicano que sua exlc de ordem as fds para retornarem aos quarteis de proviniencia.essa atitude seria um garante de paz pra todos no's e uma purificacao de consciencia e alma de sua exlc.
GostoResponder119 h
Lerry Good Muito bem narrado,esse pedido e' de todos no's, o "povo"!

------ FIM DE CARTA PARTILHADA ------

Agora seguem os meus comentários, começando por citar Teodato Hunguana:
«[...] (Esta)A complexa transição do monopartidarismo para o multipartidarismo traduz-se numa tensão entre "o velho" e "o novo"; numa correlação em que "o velho" não desapareceu totalmente e "o novo" não se afirmou completamente. Isto significa que o antigo partido único—a agora nas condições do multipartidarismo—continuou, no essencial, a exercer o mesmo poder, (mas) mais adequando a nova Constituição à continuação do seu poder do que adequando o (seu) poder à nova Constituição.»
Nesta citação, "o velho" refere-se à Frelimo partido-Estado ou Frelimo no regime monopartidário e "o novo" refere-se à Frelimo na nova conjuntura de democracia liberal ou democracia multipartidária. Posto este pensamento de Teodato Hunguna, que subscrevo totalmente, resta assentar o seguinte:

1. O Nini Satar diz:
«Moçambique está de rastos. Esta guerra já está a ir longe demais. Está a causar estragos irreparáveis. O que custa acabar com esta guerra, Presidente?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que Moçambique NÃO ESTÁ em guerra. O que está a acontecer em Moçambique é que, enquanto decorre o diálogo visando o alcance da paz efectiva país, as forças de defesa e segurança deste mesmo país estão no terreno a conduzir operações previstas na lei em resposta a actos de perturbação da ordem e segurança públicas. A ninguém é permitido recorrer à violência armada, dirigida contra alvos civis ou militares, para alterar a ordem constitucional vigente. Conversando, podemos alcançar consensos para pôr termo ao conflito que nos divide. Mas de forma alguma deve (se bem que pode) o Estado permitir que a sua autoridade seja desafiado por indivíduos, que agem à margem da lei, quais bandidos armados da Renamo. Quiçá Nini Satar precisa de perguntar ao Afonso Dhlakama contra quem ele pensa que está lutar quando embosca viaturas civis nas estradas e ataca vilas moçambicanas, onde pilha bens privados e públicos.

2. Nini Satar diz:
«Dhlakama disse que as Forças de Defesa e Segurança estacionadas no cinturão da serra da Gorongosa deviam ser afastadas para a cessação da hostilidades. O Governo rejeitou. A guerra continua. Afinal, estão a negociar o quê?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que o Governo, assim como o Presidente Filipe Nyusi, governam guiados pela Constituição da República de Moçambique. Afonso Dhlakama não deve (se que bem que pensa que pode) fazer exigências que obriguem o Governo e o Presidente Filipe Nyusi a violar a Constituição. Negociar não significa alguém obrigar a outrem a violar a lei para a obtenção de vantagens individuais ou de grupo. Negociar significa procurar obter, sim, ganhos que satisfaçam interesses individuais ou de grupo, mas com fundamento na razão e na lei.

3. Nini Satar diz:
«Eu cobro de si explicações porque o senhor é o Presidente eleito. É a única pessoa que tem autoridade para devolver Moçambique aos carris. O que lhe custa, Presidente? Quem lucra com a guerra?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que é aqui onde reside: fazer exigência SÓ a quem foi eleito. Claramente, Afonso Dhlakama não estão a permitir que o Presidente Filipe Nyusi exerça plenamente o mandato para o qual foi este eleito. Portanto, quem está a criar problemas não é o Presidente Filipe Nyusi; é o Afonso Dhlakama. Então, o cidadão moçambicano patriota, responsável, sensato, DEVE fazer é ajudar o seu Presidente em exercício a governar bem e melhor, combatendo pessoas que sabotam a governação, qual Afonso Dhlakama.

4. Nii Satar diz:
«[...] a Renamo finca o pé: quer as seis províncias. E o Governo não as quer dar. O que mais existe neste diálogo é um braço de ferro. Também não vejo como é que iriam funcionar os governadores dessas seis províncias, já que Dhlakama tem dito que vão governar com o programa da Renamo. Essas seis províncias serão independentes do resto do país? Não se vão subordinar ao Governo central? Isto tudo é para arrastar o tempo.»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que então está claro que quem não quer a paz é Afonso Dhlakama, pois ele condiciona o fim das hostilidades militares à violação da Constituição da República de Moçambique pelo Presidente em exercício, Filipe Nyusi. O cidadão moçambicano patriota, responsável, sensato NÃO DEVE aceitar uma paz que resulte de alguém obrigar o Presidente em exercício (no caso, Filipe Nyusi) a violar a lei. Uma paz que resulte de aceitar violações da lei NUNCA será efectiva, pois qualquer um que não estiver satisfeito com qualquer coisa na lei poderá obrigar a quem estiver a governa a violar essa lei. Assim acabaríamos por ter um país sem lei e onde a justiça seria impraticável. Será que Nini Satar quer viver num país desses, sem lei? Talvez até seja o caso, porque recordemos que Nini Satar está a cumprir uma pena de prisão, suspensa, por causa de sua tendência para delinquir.

5. Nini Satar diz:
«Tudo o que acontece no seu Governo cai na boca do povo. Até o cobrador do "chapa" insulta o Governo como melhor lhe aprouver. Será este um país sério? País em que os ministérios começam a ter dificuldades em pagar salários aos funcionários públicos. País em que a Polícia que devia defender o cidadão, rouba-lhe. Extorque. Usa artimanhas para sobreviver. E o Presidente, sempre sereno, a dizer que na sua cabeça só existe a palavra paz, paz e paz. De que paz o Presidente fala?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que o que ele diz aqui é verdade, mas é isso mesmo que aqueles inviabilizam a governação, a exemplo de Afonso Dhlakama, querem ver acontecer. O objectivo final deles é mesmo esse de colocar o povo contra o seu próprio Governo. Os agentes da polícia são corruptos porque o cidadão é corruptor. O próprio Nini Satar já corrompeu funcionários ou agentes do Estado; já usou artimanhas para viver bem. Ainda bem que ele hoje, depois de passar 14 anos em reclusão, denuncia estes males sociais. Esta atitude dele atesta que o nosso sistema prisional não é tão ruim; que providencia alguma boa educação para ressocialização dos reclusos, quando voltam à vida em liberdade.
Diga-se-lhe mais que, de facto, só estas "cartas abertas" que ele (Nini Satar)—um presidiário em liberdade condicional—escreve ao Presidente Filipe Nyusi atestam que o mesmo (Nini Satar) ficou algo reabilitado da sua tendência para delinquir. Quiçá só falta ele (Nini Satar) aprender e começar a apreciar que Armando Guebuza não foi NADA PIOR que Samora Machel ou Joaquim Chissano. Samora Machel falou tanto de inimigos, quando estes estavam perto dele lambendo-lhes as botas; não teve coragem para os afastar dele até que eles tomaram iniciativa de se "afastarem" dele. Joaquim Chissano abriu espaço para a evolução da corrupção em terra—antes a corrupção decorria debaixo da água—, que até minou a paz de que se diz ser obreiro, acarinhando um assassino sem escrúpulos, qual Afonso Dhlakama. Foi desta erra de corrupção a vida de luxuosa, de esquemas, de Nini Star. Aliás, não é de excluir a hipótese segundo a qual Nini Satar, não conformado por ir parar na prisão sozinho, sem os comparsas que também se beneficiaram do roubo financeiro do ex-BCM, mas que covardemente o abandonaram sem protecção na hora do julgamento, ele (Nini Satar) terá inteligentemente "tratado da saúde deles" a partir do lugar bem seguro em se encontrava na prisão: conta-se que Deus os mandou chamar para junto Dele, um por um, usando Nini Satar como mensageiro!

6. Nini Satar diz:
«Custa-me muito ver o meu país a agonizar de tanto mal. Que culpa têm os moçambicanos? Não podem viver em paz? Ora são as dívidas ocultas, ora é a economia nacional que está de rastos. Hoje temos a situação do Moza Banco…faliu. O que se seguirá amanhã? O custo de vida, em Moçambique, está uma lástima. Tudo subiu: combustíveis, produtos da primeira necessidade, mas o salário continua uma miséria. O mais grave ainda é que aquele que vivia da sua machamba já não pode cultivar por causa da guerra. Onde é que vai parar este país?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que as ditas "dívidas ocultas" nada mais são que uma falácia contemporânea usada em Moçambique, qual "cavalo de batalha", por aqueles que pretendem dar a impressão de que alguma intelectualidade e de algum patriotismo, enquanto na realidade são inimigos da independência e da soberania da República de Moçambique. Os créditos que levam o nome de "dívidas ocultas" neste país foram contraídos para criar empresas moçambicanas. Logo, criticar a decisão do Governo de avalizar esses créditos sem ter em linha de conta a sua finalidade, é irracional. Racional e patriótico é exigir que as empresas criadas com o dinheiro obtidos desses créditos sejam operacionalizadas e produzam para pagar renda e cumprir com as suas obrigações juntos dos credores. Para sair da dependência em se que encontra, Moçambique precisa de ter empresas que produzam e seja bem geridas. Nini Satar esteve à cabeça de uma operação de desfalque do ex-BCM (ex-Banco Comercial de Moçambique), que por isso mesmo acabou liquidado. O que eu acho que seria bom o Nini Satar fizer é oferecer-se para ajudar a detectar e inviabilizar esquemas de desfalque de empresas moçambicanas por moçambicanos egoístas e desonestos; aí sim, Nini Satar estaria a mostrar que aos anos de prisão serviram a ele e ao seu país, Moçambique. Só questionar o Filipe Nyusi, sem prontidão para contribuir para a boa gestão deste país, vale NADA; não é para se levar a sério alguém que assim procede.

7. Enfim, Nini Satar diz:
«Peço-lhe, Presidente, para que faça de tudo para devolver a paz a este povo. Estou a pedir demais? Acho que estou a pedir o justo. Quero ver os meus compatriotas a viajarem do Rovuma ao Maputo sem medo de emboscadas, sem colunas. Quero ver o brilho do sorriso das crianças que hoje deixaram de ir à escola por causa da guerra. Quero ver o vendedor da esquina a montar a sua banca em qualquer parte deste vasto país sem temer nada. Quero o retorno às machambas. Quero a fartura dos ananases de Muxúngue, dos mariscos de Cabo Delgado, dos feijões de Niassa, das saborosas tangerinas de Inhambane, um dia cantadas por José Craveirinha. É pedir demais, Presidente?»
Alguém diga ao Nini Satar—e a outros que pensam como ele—que Deus lhes esteja ouvindo!
GostoMostrar mais reações
Comentários
Mouzinho Zacarias Presidente nhusi nunca chamou a renamo de bandidos armados
Gosto115 h
Julião João Cumbane Eu não sou o Presidente Filipe Nyusi, ó Mouzinho Zacarias!
Gosto114 h
Antolinho André Reflexão exaustiva como esta retira qualquer comentário adicional, simplesmente dizer que o ex-delinquente recebeu a mensagem. Por outro e para todos as pessoas deviam falar depois de uma assessoria das pessoas conhecedoras da situação. Noto que da maneira como o ex-delinquente fala tem mandato de Dhlakama e Renamo para interceder junto do PR Nyusi. Do jeito que fala deixa de lado o verdadeiro causador e patrocinador deste desastre social a que estamos sujeitos em Moçambique. Que País ele está a sonhar que venha a ser Mocambique? Será que ele pensa que Moçambique deve continuar como está ou quer Mocambique ao estilo da Renamo? Nini Satar, continue negociante que é o seu ramo porque não entende de politica muito menos de ser conselheiro. É uma vergonha...
Gosto213 h
Julião João Cumbane Antolinho André, o teu comentário estava a fluir muito bem, até onde tu dizes o seguinte:

«Nini Satar, continue negociante que é o seu ramo porque não entende de politica muito menos de ser conselheiro. É uma vergonha...».

Esta passagem do teu comentário, ó Antolinho André, agride o direito de Nini Satar de pensar e expressar livremente o seu pensamento. Tu podes dizer, também livremente, o que achas que está mal no pensamento expresso do Nini Satar, mas não tens legitimidade de limitar ao Nini Satar o usufruto do direito inalienável de escolher o que fazer do seu tempo. A carta de Nini Satar ao Presidente Filipe Nyusi não vincula a ninguém. Aceita ou nega o ele pensa diz, mas não sejas tu a dizer o que pode/deve pensar e fazer. Fazer isso é agredir o direito dele de fazer o mesmo que acabas de fazer no teu comentário. A lei estabelece o limite do gozo dos nossos direitos; na esfera pública, não nos permite ditar a outrem o que pode/deve pensar/fazer ou não pensar/fazer.
Gosto37 h
Jose Majasse Dombe Apoiado Nini Satar queremos a paz!
Julião João Cumbane Jose Majasse Dombe, és livre de apoiar a quem quiseres. Mas é importante que te questiones o que estás a apoiar e porquê apoias isso. Isso é que exercício responsável de cidadania. Dizer simplesmente «apoiado Nini Satar [...]», sem fazer a acompanhar a tua posição da razão que a assiste, é inútil e perigoso. Inútil porque a tua posição não tem argumento que a suporte, para que possa ser avaliada por outros; perigoso porque, na ausência desse argumento de suporte, é emocional em vez de racional. A vida ensina-nos a sermos racionais. É a racionalidade que distingue o ser humano dos demais seres vivos. Quando o ser humano não usa a razão para justificar as suas opções, está a agir de forma selvagem.
Heleno Bombe alguém pode dizer ao caro sr professor e aos demais que o pais esta em guerra sim: ataques contra centros de saúde postos da policia e pilhagens, ataques contra colunas militares e civis, ataques contra comboios da CDN e Vale, ataques contra os postos administrativos e governos distritais, ataques contra pessoas e bens em inhambane, sofala, Zambezia, manica, Tete, Nampula e niassa ainda resta dúvidas que o pais em em guerra
Julião João Cumbane Heleno Bombe, ataques ocorrem todos os dias em vários pontos do planeta Terra. Está-se em guerra em todos esses pontos? A resposta certa à esta pergunta é um peremptório NÃO NECESSARIAMENTE. O termo "guerra" pode ter—e etn—vários significados. Por exemplo, no Dicionário infopédia da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha] (2003-2016), "guerra" tem os seguintes significados (i) conflito armado entre grupos ou estados que envolve mortes e destruição; (ii) conflito entre estados ou no interior de um estado que se caracteriza por coação política, económica, psicológica ou militar; (iii) conjunto de operações militares entre nações ou grupos; isto, entre outros significados. Assim, para uma discussão útil, teríamos primeiro que concordar num desses significados. É de senso comum que, num Estado, para se falar de guerra, esta tem que ser declarada com fundamento numa lei, código ou princípio. As operações militares realizadas para o restabelecimento da segurança e tranquilidade dos cidadãos onde haja violações da ordem pública—como as que estão a ocorrer em certos pontos de Moçambique—não são descritas como guerra. Os ataques perpetrados por indivíduos armados contra alvos civis são convencionalmente descritos como actos de terrorismo armado. Quando as forças de defesa e segurança, legalmente instituídas, acorrem aos pontos onde ocorrem actos de terrorismo para, enfim, repor a segurança e tranquilidade dos cidadãos, isso não se chama guerra; é reposição da ordem pública. Portanto, o que ocorre em alguns pontos da República são operações da reposição da ordem pública, que tem sido perturbada por indivíduos (ilegalmente) armados, identificados como braço armado (ilegal) da Renamo.
Madudo Chaguala O juliao Julião João Cumbane tem que saber destinguir o bem e o mal.
Parece ter algum défice mental em fazer estas distinções.
Faz confusão: o mal( diz que é o bem) e o bem ( diz q é mal).
Ouve cá: vives em Moçambique tu?
Porquê que por vezes defendes as coisas muito mal feitas pelo governo? Será que te beneficias te disso?
Pare de ser "yess man" e chamar as coisas com os seus próprios nomes.
Ao invés de de te manifestares como "ministro do fecebock" e perder tempo em responder quem escreveu oque esta sentir na "alma" deverias dar uma contribuição com todo teu conhecimento para sairmos deste mal que um grupinho de pessoas colocou aos moçambicanos.
Gosto16 h
Julião João Cumbane Madudo Chaguala, eu ESTOU A DAR o meu contributo para a pacificação de Moçambique, quando neste MEU MURAL onde tu aportas para me INSULTAR INDEVIDAMENTE, eu partilho o que penso sobre os sentimentos publicamente expressos das pessoas. Moçambique está como está—mergulhando num conflito que tu e outros descrevem erradamente como "guerra"—, por causa de ter pessoas com mentes como a tua. Se achas que tens mente sã, então como diabo vais tu colocar ataques terroristas, comandados por Afonso Dhlakama a partir de parte "incerta", ao mesmo nível dos erros de uma governação que tu achas desastrosa? Não achas que, em vez de apoiar actos de terrorismo como remédio para essa governação que consideras desastrosa, farias melhor apelando a quem te aterroriza para se constituir numa alternativa credível? O que pensas que estás a fazer com o teu futuro e dos teus filhos—se é que os tens—, quando apoias alguém que destrói teus bens e saqueia postos de saúde, dizendo que está a "combater contra a má governação"? Que raio de combate contra má governação é esse? Entre tu e eu, quem de nós dois tu pensas que não sabe distinguir o bem do mal? Chamar as coisas pelos nomes é dizer que quem porta arma (ilegalmente) e aterroriza pessoas é bandido armado; e quem está nas instituições do Estado envolvido em actos de corrupção é corrupto. Ora, a corrupção não se combate com terrorismo. Ambos o terrorismo e a corrupção são males e devem ser combatidos sem tréguas. Um mal não se combate com outro mal. Posto isto, quem não está bem entre tu e eu? Claramente é quem pensa que um mal pode combater-se com outro mal—e esse és tu, Madudo Chaguala!
Gosto16 h
Madudo Chaguala Quando queres contribuir para a pacificação seja qual for ( militar, conjugal, etc) tens que aprender a ouvir ver e compreender aos dois e nunca aparecer inclinado para um e outro lado ( gestão de conflito).
Entenda que durante um conflito existem militares rebeldes e mesmo no seio dos teus filhos pode aparecer um rebelde ou mesmo prostituta ( se tens filhos). Nesta maldita guerra que pra ti e pra alguns dizem q não é guerra os tiros dos dois beligerantes podem atingir inocentes ( povo).
Nao nos distrai com teus posts que por vezes sao mal pensados.
Por ganância de nao sei uque consegues desmentir que o barco nao está a afundar nesmo vendo te molhado!
Camon......
Tem razão as pessoas quando te chamam de militante rebelde pois ao invez de chamar atenção depois que isto ou aquilo está errado gritas com viva voz "VIVA", BRAVO".....
Infelizmente o povo ja não é analfabeto .
NB. Não sou contra a Frelmo e nem apoio a Renmo.
Sou adepto da paz, bem estar económico, politico e social.
Tens que sair dessa cidade onde te instalaste e ir visitar os teus familiares em cumbana. E vai de transporte publico para teres contacto directo com o sentimento do povo.
Assim conseguirás ter uma ideia da situação e sentimento do povo.
Julião João Cumbane
Gosto25 h
Inacio Arnaldo Mazive Julião João Cumbane gostei da aula que deste a Nini Satar.
Felisberto Nankuta É a 10a carta que o Nini faz ao presidente Nyusi. Esperava ver pelo menos uma carta ao Afonso Dlakhama, afinal das contas ele também é responsável pelo esse sofrimento todo. Será que à ele (Dlakhama) não podem ser endereçadas cartas?? ou a solução não passa por ele também?!
Marcos Cipriano Maulate Nao me parece que este tal de NINI tenha canhenhe de escrever de forma como as suas cartas vem a publico, acho que por de trás dele existe um fanfarão. Mas pois e' professor JJC esta foi uma boa aula de sapiência muito completa para o autor da carta e pessoas que pensam como ele, espero que o autor tenha acesso a essa aula para se regenerar melhor segundo os exemplos aqui apresentados. Acho também que algumas perguntas do texto do NINI deveriam ser feitas ao Afonso e não ao presidente Nyusi.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook