segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Antigo vice-governador Manuel Catraio condenado a mais de seis anos de prisão

Miguel Catraio condenado a seis anos de prisão no “Caso Jindungo”

Luanda - O antigo vice-governador de Luanda, Miguel Catraio, foi condenado a seis anos de prisão, no âmbito do “Caso Jindungo”, cuja sentença foi lida esta manhã no Tribunal Provincial de Luanda. O juiz decidiu ainda aplicar uma pena de quatro anos e três meses de cadeia a Justina Lufumua Lukoki “Jussila”, reduzindo ao pagamento de multas o castigo aplicado às outras rés. Em aberto ficam os pedidos de recurso, que podem ser apresentados nos próximos cinco dias.
Fonte: NJ
O julgamento resultou de uma história de amor, traição e crime que envolve o antigo vice-governador de Luanda e a cidadã Justina Lufumua Lukoki “Jussila”, acusada de ter agredido e introduzido jindungo nos órgãos genitais da amiga Nikilauda Vieira Dias Galiano “Neth”, por esta, alegadamente, a ter traído com o amante Miguel Catraio, de acordo com os factos revelados em Tribunal.

O episódio aconteceu em Abril do ano passado, no quarto de um hotel em Luanda, onde Neth foi supostamente encontrada com o homem que ambas estariam a “partilhar”. Jussila fez-se acompanhar de um grupo de nove raparigas e, juntas, agrediram aquela e gravaram o acto, cujo vídeo foi partilhado nas redes sociais.

De acordo com a acusação, Miguel Catraio é tido como o principal mentor moral do crime.

Além do antigo vice-governador e de “Jussila”, sentaram-se no banco dos réus Maiamba Brígida Fernando, Maria do Céu, Teresa Albano e Rita de Fátima Ferreira, todos acusados de crimes de roubo qualificado, injúria, difamação e ofensas corporais voluntárias.
Na última sessão do julgamento, realizada na segunda-feira, 22, o Ministério Público requereu que os acusados fossem condenados como autores dos crimes de roubo, concorrentes com ofensas corporais, sendo certo que “foram retirados os bens da ofendida, de forma violenta e fraudulenta. A ofendida ficou privada da razão, ainda que de forma temporária, por força das ofensas protagonizadas contra si pelas rés e prófugas. Também deve o Tribunal condená-los pelo crime de difamação e que o réu seja condenado em cúmulo jurídico pelo crime de violência domestica”, pediu a procuradora Isabel Fançony.

Ele e mais quatro mulheres foram condenados por roubo qualificado, ofensas corporais voluntárias e atentado ao pudor
Januário Domingos José
Januário Domingos José
Coque Mukuta
O antigo vice-governador de Luanda para o sector económico, Miguel Ventura Catraio, foi condenado nesta segunda-feira, 29, a seis  anos e três meses de prisão efectiva pelo tribunal provincial da capital.
Catraio e mais quatro mulheres foram condenados no caso conhecido como “jindungo” quando, em 2015, o então vice-governador atraiu uma amiga da ex-amante dele, Niklaúdia Galiano “Neth”, para uma das hospedarias no centro de Luanda, onde a moça foi espancada por oito mulheres.
Ela também teve picante “jindungo” introduzida nas partes íntimas.
O juiz Januário Domingos José condenou também a quatro anos e três meses de prisão a ex-amante do antigo vice-governador Justina Mufuma Lukoque “Jussila”, enquanto  Mayamba Brigida dos Santos, irmã de Jussila, e Rita de Fátima Pegado, receberam a pena de três anos e três meses de prisão efectiva
Os réus foram condenados por roubo qualificado, ofensas corporais voluntárias e atentado ao pudor.
O vídeo da agressão a Neth foi divulgado nas reds sociais.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook