sábado, 24 de setembro de 2016

FRELIMO FUZILA 17 MILITARES SEUS EM GORONGOZA


BREAKING!

Chegaram - nos de Gorongoza informações muito desagradáveis. Trata - se de um acontecimento triste que teve lugar no famoso quartel das forças da frelimo nas "Mangueiras", situado no posto administrativo de Vunduzi, vulgo Sadunjira, distrito de Gorongoza. Nesta posição ou quartel, há um comandante, um coronel, que tem alinhado as suas tropas alegando tratar - se de perseguição ao lider da renamo afim de traze-lo "vivo ou morto" mas os militares, fartos das constantes baixas e conscientes da inutilidade da "missão suicida", recusam - se em cumprir a ordem e o tal coronel acaba prendendo os refractários, que são logo fuzilados, isto é, mortos a sangue frio.
Segundo informações bem confirmadas por nossas fontes indicam que durante este mês de Setembro, 17 militares foram fuzilados e 38 encontraram - se detidos na sede daquele distrito e também temos informações que este caso já chegou ao Estado Maior General das forças da frelimo em Maputo isto porque já há muita confusão em todas posições das forças da frelimo ao redor da serra devido a este acto macabro. Muitos militares estão revoltados com o tal coronel cujo nome ainda não conseguimos apurar mas é conhecido por um pseudónimo.
Devido a esta situação, na última terça - feira chegou a Gorongoza o comandante da brigada da região centro com sede em Tete, para investigar o caso e acalmar os militares revoltosos. O tal coronel está nas "Mangueiras" em substituição do comandante do ramo do exército, o medroso general Menete que está em Maputo mas dentro em breve regressará a Gorongoza para organizar mais "operações suicidas". O Menete corre riscos muitos sérios de ser morto ou capturado pelas perdizes caso se aventure por terra à Sadunjira.
Segundo certas informações, o tal coronel do quartel das "Mangueiras" tem fuzilado as suas próprias tropas sob ordens directas do general Menete, o comandante do ramo do exército. Portanto, o coronel apenas está a executar as ordens dadas pelo seu superior hierárquico, o major general Henriques Menete.
Mas o certo é que a questão dos fuzilamentos está criar um mal estar no seio dos militares da frelimo não só na regiao da Gorongoza mas em todo o país porque, afinal, os militares comunicam - se com os colegas de outras posições. E as desercões estão ao rubro devido a este crime hediondo do Estado Maior do exército da frelimo. Muitos militares estão a deitar as armas nas matas e a fugir para as suas zonas de origem.
Unay Cambuma solidariza-se com os bravos militares das Forças de Defesa e Segurança de Moçambique que infelizmente estão a ser criminosa e ilegalmente usados pelo partido frelimo para defender a sua fraude eleitoral e para evitar a prisão do ladrão Armando Guebuza e seus comparsas pelo roubo de mais de dois biliões de dólares (Ernesto Governo, Manuel Chang, Alberto Chipande, etc).
Unay Cambuma apela também a todos os militares da frelimo naturais ou residentes nas regiões centro e norte do pais para não combater contra a governação da Renamo nas 6 provincias. Vocês não podem lutar contra o vosso próprio povo! Defender uma soberania é lutar contra uma agressão externa e não matar camponeses, roubar os seus animais e queimar as suas casas e celeiros. VOCÊ militar natural do centro e norte do país, já se perguntou porque eles não te mandam fazer o mesmo em Gaza e Maputo? Pare e pense!
Meus irmãos das Forças de Defesa e Segurança de Moçambique, é impossível derrotar uma guerrilha num país tropical como Moçambique. Mesmo que venham 50.000 militares à Gorongoza serão derrotados. Em Cuba, lá para os anos 50, o comandante Fidel Castro e seus 300 guerrilheiros, derrotaram um poderoso exército composto por 20.000 homens em apenas 125 dias, na Sierra Maestra. E Sierra Maestra é muito menos complexo que a mítica, inexpugnável Serra da Gorongoza e estão lá cerca de 1.000 super guerrilheiros com 20 anos de experiência...
Não andem a brincar aos soldadinhos.
Unay Cambuma
NOTA:
Circulam boatos difundidos pela propaganda da frelimo alegando que o lider da Renamo teria sido morto numa suposta operacao na Serra da Gorongoza. Isto e totalmente falso. uma mentira delirante porque ninguém sequer "cheirou" a Serra e os que tentaram tiveram um fim tragico. Se Dhlakama estivesse morto por estas alturas Maputo e Gaza estariam em cinzas e ponte sobre o rio Save teria voado pelos ares.
Ok, se o mataram então onde está o corpo e quem vai assinar o cessar fogo? O regulo Mangunde?
Este e um velho truque que a frelimo usa para obrigar o lider a conceder uma tele entrevista para confirmar que "está vivo" e logo a frelimo aproveita a oportunidade para rastear a sua localização para bombardear com artilharia.
Por isso, "descanse em paz" na sua residência rural, Marechal, eles estao desesperados.
GostoMostrar mais reações

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook