terça-feira, 1 de março de 2016

COMUNICADO DA RENAMO


GABINETE DO PRESIDENTE
COMUNICADO

Depois de ter comunicado o inicio da sua governação nas 6 provincias do centro e norte do país, nomeadamente, Sofala, Manica, Tete, Zambezia, Nampula e Niassa, 
O presidente da Renamo tem assistido a uma movimentação de grandes contigentes das Forças armadas de Moçambique (FADM) e de Armamentos pesados de sul para o centro e norte do País.
Tem tambem conhecimento de treinamento, em solo Pátrio de Militares Moçambicanos por instrutores Norte coreanos, tudo com objectivo de inviabilizar o inicio da Governação da RENAMO a partir de Março.
Apesar das incursões Militares, dos raptos e dos assassinatos de Membros da Renamo e de destruição de habitações e celeiros de cidadãos Moçambicanos.
Principalmente nas provincias centrais Manica e Tete, perpetradas pelas FADM.
A presidencia da renamo quer Assegurar a todos homens e mulheres, que a governação da renamo nas 6 provincias do centro e norte do País tera lugar apartir do mês de Março de 2016.
A presidencia da renamo já anunciou que irá iniciar a sua governação nas 6 provincias, apartir deste Março e reafirma que o processo de implantação de Governação da renamo é brevemente e será implementado ainda neste mês de março.
A renamo pretende levar acabo esse processo pacificamente em respeito e respostas aos apêlos populares.
A presidencia da renamo apela ao Governo da frelimo e as FADM para que se abstenha de hostilizar as populações das provincias governada pela Renamo e cessem as ofencívas militares, na tentativa de assassinar o seu Lider de modo a se evitar a deterioração da já precária situação politico militar do País.
A presidencia da renamo reitera a sua disponibilidade para negociar com o Governo da Frelimo uma solução defenitiva para a actual crise politico-militar que ja provocou milhares de refugiados.
Março, 01 de 2016
O Chefe do Gabinete de Presidencia

Dr. Augusto Mateus.
Renamo disponível para negociar mas governação em seis províncias moçambicanas "é irreversível"
Maputo, 01 mar (Lusa) - A Renamo manifestou hoje a sua disponibilidade para negociar uma saída para a crise política em Moçambique, mas avisa que é irreversível a sua intenção de governar em seis províncias do país", segundo um comunicado enviado hoje à Lusa. 
"A presidência da Renamo [Resistência Nacional Moçambicana] reitera a sua disponibilidade para negociar com o Governo da Frelimo [Frente de Libertação de Moçambique] uma solução definitiva para a atual crise político-militar, que já provocou milhares de refugiados", declara um comunicado do gabinete do líder da oposição, Afonso Dhlakama, no primeiro dia do mês em que o movimento ameaça tomar o poder no centro e norte do país. 
A presidência do maior partido de oposição, prossegue o comunicado, "reafirma que o processo de implantação da governação da Renamo é irreversível e será implementado ainda este mês de março", acrescentando que pretende fazê-lo "de forma pacífica e em resposta aos apelos populares".
Ainda sobre a intenção de governar nas seis províncias (Niassa, Nampula, Zambézia, Tete, Manica e Sofala), o gabinete de Dhlakama refere-se a "uma movimentação de grandes contingentes das Forças Armadas de Defesa de Moçambique [FADM] e de armamento pesado do sul para o centro e norte do país", bem como à presença de instrutores militares norte-coreanos para formação das tropas governamentais.
Todas estas alegadas ações, afirma o comunicado, têm "o objetivo de inviabilizar o início da governação da Renamo a partir do mês de março", mas que o partido de oposição insiste que vai concretizar, "apesar das incursões militares, dos raptos e assassínios de membros da Renamo e da destruição de habitações e celeiros de cidadãos moçambicanos, principalmente nas províncias de Manica e Tete, perpetrada pelas FADM".
Esta é a pior crise em Moçambique desde o Acordo de Cessação de Hostilidades Militares, assinado a 05 de setembro de 2014 pelo ex-Presidente Armando Guebuza e o líder da Renamo, que não reconhece os resultados das últimas eleições gerais e pretende tomar o poder nas seis províncias onde reivindica vitória eleitoral.
Apesar de dois encontros entre o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e Dhlakama no início de 2015, a violência política voltou a Moçambique e agravou-se nas últimas semanas, com acusações mútuas de ataques armados, raptos e assassínios.
Emboscadas atribuídas à Renamo na província de Sofala levaram as autoridades a montar dispositivos de escoltas militares obrigatórias a viaturas civis em dois troços da N1, a principal estrada do país.
A Renamo pediu recentemente a mediação do Presidente sul-africano, Jacob Zuma, e da Igreja Católica para o diálogo com o Governo e que se encontra bloqueado há vários meses.

O Presidente Filipe Nyusi tem reiterado a sua disponibilidade para se avistar com o líder da Renamo, mas Afonso Dhlakama, que se encontra numa das bases do movimento na Gorongosa, tem afirmado que só dialogará depois da tomada de poder, a partir de março, no centro e norte do país.
Lusa

Comments
Jusubo Abdullah De Armando meu senhor lea bem o texto
GostoResponder41 h
Joao Nduza Custa!
GostoResponder1 h
Joao Nduza Esse texto foi trabalhado o verdadeiro diz bem e claramente que recuou, mas é bom não achas!
GostoResponder1 h
Prince Abraham Faz compracao com este, e mostra nos voce o seu verdadeiro
Matin Sabin

Escreve uma resposta...
Jusubo Abdullah De Armando aqui falou-se de dialogo antes de governação?
GostoResponder259 min
Wilson C. Zano Agora sim entendi
Jusubo Abdullah De Armando E o verdadeiro viste aonde?
Daniel Jose Francisco Este nao tem rubrica
Matin Sabin

Escreve uma resposta...
Jofre Mevassi A Renamo sempre teve disponível para o dialogo, quer é um dialogo verdadeiro e construtivo em defesa do povo de moçambique.
GostoResponder255 min
Manuel Jose Monteiro Monteiro esse homem nao e nada,na nacao mocambicana,ja e velho de mais.
Ali Daúdo Malache Gostaria que fosse materializado o assunto.
GostoResponder254 min
Prince Abraham Se forem a ler bem notaram que tem ai a palavra > IRREVERSIVEL <. Peguem o vosso dicionario e consultem se isto segnifica recuar
GostoResponder550 min
Jusubo Abdullah De Armando A renamo ja dispensou dialogo?
Manjor Lopez Portugal Vamos a isso moçambicanos
GostoResponder150 min
Magid Manjor Sentir cheiro da victoria
GostoResponder148 min
Titos Sentinela Hummmmm espero k a Renamo ñ nos trae
GostoResponder147 min
Joaque Muchanga Percebam bem o Comunicado da Renamo para nao interpretar mal o texto. Obrigado Dr. Mateus
GostoResponder143 min
Jose Joao Mugadui Mugadui Eu nao tenho certeza d k a renamo vai governar nesses 6 provincias.
GostoResponder143 min
Zacarias Matope Matope Eu acredito.

Nunca o governo já negou definitivamente o governo vai deixar isso acontecer por que militarmente nunca vence a RENAMO.
Jusubo Abdullah De Armando Então se vc não tens certesa isso ja não é connosco o texto aqui esta claro.
GostoResponder141 min
Ishmael Da Lnes Lampiao Tenho pena dos que dizem k a renamo ja recuou
Ndhaneta Mozambique Calma meus senhores
Ishmael Da Lnes Lampiao Que fiquem a saber k se a renamo recuar apartir d momento ate 2019 Moçambique sera campas
Mbito Mazive Eu já sabia,confiar na RENAMO é uma perca de tempo da ki pra frente vamos ver alguns membros a abandonar e se enfiar no MDM ,RENAMO não tem palavra
Surate Atibo Murrateia Murrateia Já vamos governar a minutos esperem
Tome Corneta Raene Ndimomwene
Mbito Mazive Já não temos onde cair,afinal RENAMO também engana o povo cuetado é este mês k vai perder todo akele moldura humana k tinha já era
Silva Paulino Isto é bom para envitar os mortos dos civil.porque a frelimo pode vir causar a Renamo.porque estes tropas de Norte Coreia para eles é qual matare os Moçambicanos não vão entereçar porque o governo da frelimo é que convido para vir matar os Moçambicanos eles ganhão o Dolar .no pais deles recebe muito mal.e a proveitão expermentar as armas deles e goveno moçambicano gasta o dinheiro que os paises Europeias da para o povo.mais o proprio moçambicano nem tem comida e a aguâ que chega.mais armas temos bastante para o todo o pais.isto é muito mais muito lamentavel para aqueles que da valor a um ser humano
Mbito Mazive Nada disso tão a render
Danny Inaçio A renamo nunca vai governar esti paiz eli tenk admitir isto, a renamo deramou sag dos inosentia por isso nunca ad governar anota isso...
GostoResponder124 min
Mbito Mazive É verdade
Manuel Mucondo Santos com esta recua da renamo.o que sera do povo do centro e norte? meu Deus do seu .
Nitafa Hi Nomo "" A presidencia da renamo quer Assegurar a todos homens e mulheres, que a governação da renamo nas 6 provincias do centro e norte do País tera lugar apartir do mês de Março de 2016."
Joaquim Antonio O problema é teu! Mesmo k nao venha governar teu liçao p seu partido e eu espero k isso é logico ate voce vê isso k ê certo desta vez, ta sra Danny Inacio?
Sumaila U Muhias Tdos nos estamos aqui e veremos oque acondecera
GostoResponder9 min
Valdimaria George NDIMOMWENE, para evitar mortes de inocentes
GostoResponder8 min
Jeremias Macamo Nós a Renamo, para além da pujança militar imbatível fazemos política, pois somos uma organização política.
GostoResponder5 min
Magid Manjor Sentir cheiro da victoria final
GostoResponder3 min

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook