segunda-feira, 21 de março de 2016

Moro enlouquece e ataca Presidência da República


Sergio Moro, um juiz totalmente desequilibrado, tomado de ódio político, divulga o áudio para imprensa, como forma de vingança política, porque não conseguiu dar sequência ao sequestro golpista

Por Miguel do Rosário – do Rio de Janeiro
Dilma liga para Lula, ou ele liga pra ela, e ela diz que vai mandar “o termo de posse” para ele.
Só isso. Uma conversa de alguns segundos.
Moro
Sérgio Moro tomou atitudes que o Conselho Nacional de Justiça deverá avaliar, com rigor
Sergio Moro, um juiz totalmente desequilibrado, tomado de ódio político, divulga o áudio para imprensa, como forma de vingança política, porque não conseguiu dar sequência ao sequestro golpista que tentou aplicar no ex-presidente Lula!
Aonde estamos!
Um juiz grampear o ex-presidente já é absurdo. Grampear a presidenta da república, é duplamente absurdo!
E a imprensa brasileira, que despreza a democracia, acha normal!
Pior que isso, divulga isso como se a bomba não fosse a atitude do juiz!
Para cúmulo do ridículo, é uma conversinha boba, óbvia, com Dilma acertando um detalhe burocrático para a nomeação do ex-presidente.
É contra essa loucura golpista, esse fascismo policial, que não respeita nenhum direito individual, que Lula terá de lutar a partir da semana que vem, já de posse do cargo de ministro.
A presidente Dilma Rousseff caiu em um grampo telefônico na Operação Aleteia, cujo alvo principal é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Leia, adiante, o grampo de Moro:
LULA: Alô?
DILMA: Lula, deixa eu te falar uma coisa? Seguinte: estou te mandando pelo Messias, junto com o papel, para a gente ter ele e só use em caso de necessidade que é o termo de posse.
LULA: Ah, tá bom, tá bom.
DILMA: Só isso. Você espera aí que ele está indo aí.
LULA: Tchau
DILMA: Tchau, querida.
Miguel do Rosário é editor do blog O Cafezinho.

A ignominiosa perseguição ao ex-presidente Lula


O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva é a vítima deste ódio no atual momento histórico
Por Edson Luiz Netto – de São Paulo:
Não é a primeira vez que um líder popular, progressista ou de esquerda sofre ações per-secutórias no Brasil, mesmo em plena vigência de um regime democrático. Getúlio Vargas, em 1954 e João Goulart, em 1964 são dois exemplos notórios do ódio que as elites brasileiras direcionam àqueles que ousam contrariar, ainda que minimamente, seus interesses. O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva é a vítima deste ódio no atual momento histórico.
Lula, maior liderança popular do Brasil, é o alvo principal da Operação Lava Jato
Lula, maior liderança popular do Brasil, é o alvo principal da Operação Lava Jato
Depois de conduzir o país ao seu melhor período econômico desde o final dos anos 60/início dos anos 70 (o chamado “milagre econômico”) e de ter promovido a maior mobilidade social da história, com mais de 30 milhões de brasileiros saindo da linha da extrema pobreza, depois de retirar o Brasil do mapa da fome das Nações Unidas, depois de ter ampliado como nunca as oportunidades de emprego, de consumo e educacionais para pobres e negros, depois de ter colocado o Brasil entre as principais nações do mundo, Lula passou a sofrer uma ignominiosa perseguição por parte daqueles que perderam seus privilégios com a ascensão de pessoas de outros estratos sociais, agora também partícipes e usufruidores dos aspectos positivos do capitalismo brasileiro (embora o Brasil ainda seja um dos países mais desiguais do mundo).
Essa perseguição, que foi ganhando corpo através do ódio destilado pelas redes sociais, foi alimentada pelo vergonhoso e deletério comportamento dos principais mei-os de comunicação do país (Rede Globo, Folha de S. Paulo, O Estado de São Paulo, Veja etc.) que passaram a criminalizar Lula e o Partido dos Trabalhadores, poupando deliberadamente (e até mesmo escondendo) casos de corrupção envolvendo partidos de oposição (PSDB, DEM). O objetivo claro deste maniqueísmo foi o de criar um clima de luta do bem contra o mal (no que, em certo sentido, parece que as forças reacionárias estão tendo êxito).
Foi esse clima de luta do bem contra o mal que permitiu que a Polícia Federal, Ministério Público Federal e Justiça Federal atropelassem o ordenamento jurídico, a sensatez e mesmo o simples respeito a um ex-presidente da República, determinando sua condução coercitiva – inclusive com um inadmissível aparato bélico – para prestar depoimento na condição de investigado pela Operação Lava Jato. Também contribuiu para que três promotores paulistas à procura de notoriedade, inseridos num ambiente partidarizado, cometessem o despautério de pedir a prisão preventiva de Lula em ação penal relacionada ao Condomínio Solaris, no Guarujá, alegando conveniência da instrução criminal, pois o ex-presidente estaria recebendo até mesmo “defesa pública” de seus apoiadores!
É claro que num Estado Democrático de Direito ninguém está acima da lei. Se há suspeitas sobre as gestões do ex-presidente Lula, investigações devem ser feitas (como de fato estão sendo), como deveriam ter ocorrido sobre as inúmeras denúncias de corrupção relacionadas ao processo de privatizações durante os governos de Fernando Henrique Cardoso e sobre as denúncias envolvendo o senador Aécio Neves na própria Operação Lava Jato (Aécio foi citado por cinco delações como beneficiário de esquemas de corrupção; um dos delatores afirmou que Aécio “era o mais chato para cobrar propina”). Estranhamente, todo o complexo da Operação Lava Jato não se interessa em investigar tais denúncias, concentrando-se exclusivamente naquelas relacionadas ao PT e seus aliados.
Se ninguém está acima da lei, também não está excluído dela e, ainda que ocorram investigações contra o ex-presidente Lula no âmbito da Operação Lava Jato, seus direitos de cidadania devem ser preservados, assim como a de qualquer cidadão brasileiro. A condução coercitiva de Lula não se justifica em hipótese nenhuma e, seguramente, somente ocorreu para produzir seu espetacular constrangimento transmitido ao vivo pelas redes de televisão. Foi, sem dúvida, um ato político dos integrantes da Operação Lava Jato, jamais um ato calcado no conjunto de normas jurídicas vigentes em nosso país.
O ato político da condução coercitiva de Lula demonstra claramente que os inte-grantes da Operação Lava Jato estão distantes da necessária imparcialidade para condu-zir o processo investigatório, colocando-se mais como representantes da casa-grande na caça aos negros rebeldes (ou ao ex-sindicalista que ousou tentar mudar o status quo deste país com políticas públicas de inclusão social e econômica, valorização do trabalho e do mercado interno). No mesmo sentido o desastrado pedido de prisão formulado pelos três promotores paulistas.
Importante setor da elite brasileira pensa que ainda está na casa-grande e pode expressar livremente seu ódio e os ofendidos têm que baixar a cabeça e manter-se sere-nos. É com este conceito que submeteram Lula a um deliberado constrangimento, tra-tando-o como um mero meliante. Não importa que Lula tenha sido presidente do Brasil, para os senhores da casa-grande brasileira, ele não passa de um simples nordestino reti-rante que veio para São Paulo e teve a oportunidade da ganhar a vida como metalúrgico.
Contudo, no curso da história a violência impingida a Lula não ficará impune. A imediata reação que seus companheiros de luta e setores da sociedade brasileira desen-cadearam sinaliza que a casa-grande não terá vida fácil em seu intento de mudar o Brasil para que tudo permaneça como sempre esteve.
Como ninguém está acima da lei, também ninguém pode pretender estar acima de seu povo, sejam os bem preparados integrantes da Polícia Federal, os presumidamente intocáveis membros do Ministério Público Federal , o incensado juiz Sérgio Moro, ou qualquer um que se ponha contra as lutas populares pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária.
Finalizamos lembrando os versos de Pablo Milanes, na bela Canción por la uni-dad latinoamericana: “A história é um carro alegre, cheio de um povo contente, que atropela indiferente todo aquele que a negue”.
Edson Luiz Netto, é advogado do Sindicato dos Metalúrgicos de Jaguariúna e Região, especialista em Economia do Trabalho e Sindicalismo pelo Instituto de Economia da Unicamp
  1. Felipe Camarão


    Eu já venho dizendo a tempo, este cara devia estar preso!!! É estranho que um governo fique refém de um delinquente! Há de se fazer uma faxina na justiça!!!!
  2. 2

    Lucas de Alves


    Miguel,
    Meça seus comentários meu amigo. Antes de publicar qualquer coisa a respeito, tenha em mãos dados e informações.
    Não é que Sergio Moro não conseguiu dar sequência na Operação. Avalie melhor sua interpretação.
  3. 3

    Jeferson


    Quem foi grampeado foi um brasileiro, que está sendo investigado pela PF e não a presidente do país. Ele é EX presidente, um brasileiro normal que está sujeito às leis, então não tem nada absurdo, pode ser investigado normalmente. TODOS devem ser investigados: FHC, Aecio, Lula… TODOS.
  4. 4

    Ronaldo Rego


    Ao contrário do que diz o articulista (simpatizante do PT) o honorável juiz Sergio Moro, é uma reserva moral do país e como um “anjo exterminador” ele caminha sobre esses monturos putrefactos de nossa política, eliminando as ervas daninhas, punindo os inatacáveis, os demagogos apopléticos, os falsos messias, os sibaritas e tutti quanti mafiozzi… Ele já entrou para a História do Brasil, e tem hoje milhões de admiradores. Assistimos hoje o ” Götterdämmerung” desse governo comunista que conseguiu destruir a economia de uma grande nação e lançar o povo na desesperança.
  5. 5

    Fernando Cezar Teixeira Hottum


    O pior neste palco é que aquele que deveria ser Supremo, representando a Suprema Diretriz da Justiça, se acovarda diante de um comprovadamente fantoche, dirigido Deus sabe por que forças. O Brasil não merece isso, o povo cansado de injustiças, que só agora está podendo se manifestar Democraticamente nas urnas, vai sendo tratado como gado, levianamente, mais uma vez. Não lhes interessa essa Democracia, já que não voltarão ao cargo máximo do executivo pelos próximos 20, 30 anos, e enlouqueceram justamente por saberem disso. Preferem uma ditadura a essa Democracia onde o povo realmente escolhe o líder máximo, já que os demais (senadores, deputados, governadores, prefeitos…), não faz diferença, são farinha do mesmo saco, não somam, só dividem.
  6. 6

    Eduardo


    DAQUI A POUCO OS COMANDANTES MILITARES ESTARÃO SENDO GRAMPEADOS TAMBÉM…. SE O EX PRESIDENTE LULA, A PRESIDENTA DILMA, MINISTROS DO STF ESTÃO SENDO GRAMPEADOS ….. A VIDA PRIVADA DO BRASIL REALMENTE ESTÁ UMA PRIVADA…. SÓ FALTA A DESCARGA….JUSTIÇA NÃO É ISTO, OU É OUTRO TIPO.
  7. 7

    Anônimo


    “Só use em caso de necessidade” nossa… Vc sabe que isso é fraude ne.
  8. 8

    Anônimo


    Bem, uma pessoa sendo sega não pode enxergar. Uma pessoa que enxerga, mas não tem visão, é pior que o cego.Todos ministro “companheiros” cairão. Os que indicou para o governo Dima, ela a maioria demitiu. Parece que que Dilma, Lula e sua equipe quando fala é um crime, quando fecha a boca é um processo. Ivo G.Silva
  9. 9

    Anônimo


    . Estamos em pleno comunismo onde as leis sao usadas para defender interesses de uma quadrilha. Viva o Juis Serrgio Moro que nos alertou para as falcatruas desses bandidos nao e sr. Miguel do Rosario.
  10. 10

    Anônimo


    Certo ele em fazer isso,Dilma ta querendo se parecer com Frank de House of Cards
  11. 11

    Anônimo


    Ele está representando direitinho a direita usando seu poder para desmoralizar lula, Dilma e o PT, afinal eles não tem candidato para concorrer co o lula, portanto é melhor ele fora da disputa em 2018.
  12. 12

    Anônimo


    Me enche de orgulho de ver um Juiz corajoso! E com tomates para enfrentar estes “cães grandes”! Corruptos que estão no Governo apenas para roubar o povo! Tomara haver muitos juízes assim e o mundo seria bem melhor! Tenho pena é de muita imprensa fazer o jogo deles e tentar passar a ideia errada de que é coisa pouca ….. ENTÂO ROUBAR O POVO È COISA POUCA?!? TENHAM VERGONHA!!….
  13. 13

    mirela


    Como grampear um ex -presidente é absurdo??? a particula ex significa que ele já não é mais, portanto voltou a ser cidadão comum, e a senhora presintE não foi grampeada pois o grampo estava no telefone do senhor CIDADÃO LULA, larguemm de falar besteira e defender essa corja que está monopolizando e dando um tapa na cara da sociedade, pensando que somos pessoas desinformadas e não falo de informação vinculada na tv e sim de fatos .
    #foracorrupção, #forapt
  14. 14

    Anônimo


    O clamor público em relação a ele, elevou sua soberba, e esta precede a queda.
  15. 15

    Anônimo


    Sergio Moro extrapolou para a ilegalidade ao grampear e divulgar as gravações da Presidente e seu ministro e mostrou a quem serve ao vir a São Paulo em um evento do pré candidato a prefeitura paulistana, Doria e seu patrocinador Alckmin. A Corregedoria deveria e ainda pode afasta-lo das funções para inquérito.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook