sábado, 5 de março de 2016

Governo reduz fundos às federações

O Ministério da Juventude e Desporto (MJD) reduziu para metade o orçamento anual alocado ao movimento associativo, nomeadamente federações e associações desportivas. Depois de investir cerca de 54 milhões de meticais em 2015, este ano o Governo compromete-se a desembolsar perto de 27 milhões de meticais.
Adivinha-se um ano difícil para o movimento associativo desportivo de Moçambique já habituado a contar com apoio do Governo para a realização de suas actividades.
As federações aprovaram em suas assembleias-gerais orçamentos a contar com o apoio do Governo, que sexta-feira passada, através do ministro da Juventude e Desporto, Alberto Nkutumula, veio a terreiro anunciar cortes significativos no “bolo” anual dividido pelo movimento associativo.
Nenhuma modalidade escapou à tesoura governamental, incluindo o próprio Comité Olímpico, o que não deixa de ser estranho considerando que 2016 é ano dos Jogos Olímpicos na cidade brasileira do Rio de Janeiro.
Depois de receber dois milhões de meticais ano passado, neste 2016 o COM terá direito a apenas um milhão de meticais. De resto, a fórmula usada pelo Fundo de Promoção Desportiva indica a redução para metade do que as federações e associações receberam ano passado.
A Federação Moçambicana de Futebol, por exemplo, teve nove milhões em 2015 e agora terá cinco milhões, enquanto a Liga Moçambicana de Futebol viu o orçamento anterior de dois milhões a reduzir para um milhão e 250 mil meticais.
A federação de basquetebol, também considerada modalidade prioritária, recebeu em 2015 cinco milhões e este ano terá dois milhões e quinhentos mil meticais, enquanto o atletismo, dos anteriores três milhões, viu sua fatia reduzir para um milhão e quinhentos mil meticais.
Dos anteriores 1.750 mil, a federação de voleibol sofreu corte para um milhão de meticais, a patinagem baixou de 1.500 mil para 750 mil, a natação de 1.250 mil para 625 mil, andebol, xadrez e judo de 1.100 mil para 550 mil, ténis de 900 mil para 400 mil, taekwondo de 500 para 250 mil, tang soo do de 400 para 200 mil, ciclismo e badminton de 350 mil para 175 mil meticais.
Perante o quadro, o ministro Alberto Nkutumula desafiou o movimento associativo a encontrar alternativas junto doutras entidades para financiar seus programas.
No entanto, sabe-se que no passado, em função dos resultados desportivos alcançados por cada modalidade, o MJD alargava seu apoio, uma fórmula que se deverá aplicar no presente ano, uma vez evitar situações de desistências a meio de competições internacionais.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook