sexta-feira, 4 de março de 2016

Ex-presidente do Benfica Manuel Damásio foi detido

Ontem
Manuel Damásio, ex-presidente do Benfica, foi detido pela Polícia Judiciária esta quinta-feira. O empresário é suspeito de branqueamento de capitais e tráfico de influências. Já está no tribunal para ser ouvido.
 
ARQUIVO/GLOBAL IMAGENS
Manuel Damásio foi detido no âmbito da operação "Rota do Atlântico", que levou já à detenção de José Veiga e Paulo Santana Lopes, há um mês. O inquérito é dirigido pelo Ministério Público junto do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e decorre dessa investigação, iniciada em finais de 2014.
Manuel Damásio, 75 anos, já se encontra nas instalações do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) para ser inquirido, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo. Manuel Damásio fez-se acompanhar de dois advogados de defesa.
Manuel Damásio foi detido pela Polícia Judiciária é suspeito da prática dos crimes de branqueamento de capitais e tráfico de influências.
Em comunicado, a PJ precisou que a detenção ocorreu no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público, junto do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), e decorre de uma investigação iniciada em finais de 2014, que deu origem à operação Rota do Atlântico.
O empresário de futebol José Veiga e o advogado Paulo Santana Lopes são dois dos arguidos na operação Rota do Atlântico que se encontram detidos desde 08 de fevereiro. José Veiga está em prisão preventiva e Paulo Santana Lopes em prisão domiciliária.
O processo tem ainda como arguida a advogada Maria Barbosa, que se encontra com termo de identidade e residência e, tal como os anteriores dois arguidos, proibida de contactar entre eles.
A 08 de fevereiro, a Procuradoria-Geral da República (PGR) emitiu um comunicado no qual referia que o inquérito relativo à Rota do Atlântico tinha nove arguidos: quatro pessoas singulares e cinco pessoas coletivas.
Em causa nesta investigação, adiantava a PGR, estão suspeitas da prática dos crimes de corrupção no comércio internacional, branqueamento, fraude fiscal e tráfico de influência.
ARTIGO PARCIAL

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook