sábado, 5 de março de 2016

DESENVOLVIMENTO MUNDIAL A DUAS VELOCIDADES

EXCESSO DE HUMILDADE DE JACOB ZUMA
Jacob Gedleyihlekisa Zuma é um veterano político do Congresso Nacional Africano, ANC, organização política mais antiga do continente africano.
Zuma tem 73 anos de idade, três mulheres, outrasduas em situação menos clara, mas loboladas, uma divorciada e uma falecida em Dezembro de 2000 deixando cinco filhos num total de 20 filhos.Kate Mansho era moçambicana que se suicidou em 2000
Existem muitos políticos com amantes e crianças escondidas para darem a entender que são monógamos. Eu prefiro ser aberto. Amo as minhas esposas e tenho orgulho dos meus filhos” – disse Jacob Zuma a uma televisão sul-africana.
Em pleno tribunal de justiça, Jacob Zuma disse em voz alta que teve relações sexuais sem preservativo com uma mulher infectada pelo vírus que transmite SIDA e logo depois foi tomar banho para “minimizar o risco de infeção”.
Zuma disse também que estava preparado a casa com a mulher que lhe acusara de estupro. Tudo dito aberta e humildemente.
Em Dezembro de 2009, arrebentou o que é considerado primeiro e maior escândalo envolvendo um Presidente em exercício na história da África do Sul relacionado com a construção da sua residência particular de Nkandla.
Jacob Zuma surpreendeu alguns camaradas radicais do ANC ao emitir comunicado propondo o pagamento, do seu bolso, parte do dinheiro gasto nas obras de anexos na sua residência.
O Chefe do Estado sul-africano com prerrogativa constitucional de nomear e demitir membros do seu governo, aceitou transferir após 48 horas de ter nomeado David van Rooyen de Ministro das Finanças para Ministro do Governo Local, na sequencia daonda de criticas do poderoso sector económico do pais.
Na semana passada, Zuma mandou congelar por dois anos uma lei  recém-assinada para entrar em vigor a 1 de Marco de 2016. A lei foi congelada porque a COSATU, Confederação dos Sindicatos dos Trabalhadores da África do Sul, não concorda com alguns artigos.
O Presidente Zuma disse “eu não sabia que a lei tem alguns problemas que podem afectar os trabalhadores.
Ninguém me disse que a lei tem problemas e por isso assinei. Se alguém me tivesse alertado não teria assinado” – disse Zuma com humildade.
O continente africano é conhecido por ter líderes arrogantes e ditadores. Jacob Zuma tem se mostrado ser excessivamente humilde. Os seus detractores consideram que é muito fraco.
O Ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Baloi, disse num encontro com diplomatas estrangeiros em Maputo que “tolerância não significa fraqueza”.
Com humildade e tolerância, Jacob Zuma tem mostrado ser um líder diferente dos outros africanos que não aceitam mudanças depois de tomada de decisões em determinados assuntos de governação. Pena é que Zuma faz parte de um grupo de políticos.
Às vezes tem sido arrogante em defesa dos interesses do grupo e das posições politicas do seu partido, ignorando bons conselhos.
Na Sexta-feira o Secretário-geral do ANC, Gwade Mantashe, disse a milhares de membros e simpatizantes do partido que “conselhos da oposição são veneno e ninguém deve aceitar”.
África resvala-se de novo para ser palco de conflitos armados generalizados que provocam sofrimento as populações, por causa de arrogância e excesso de orgulho de alguns líderes políticos.(x)
Simião Ponguane

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook