quinta-feira, 28 de julho de 2016

I. PORQUE JULGO QUE AS ACTUAIS NEGOCIAÇÕES ENTRE O GOVERNO E A RENAMO NÃO TERÃO BONS RESULTADOS?


Re: Porque o pensamento da Renamo enferma o vício da indolência.
O que faria se num jogo, percebesse que perdeu injustamente? Exigiria a repetição do jogo, a clarificação das regras do jogo ou a divisão dos pontos?
Não é a primeira vez que a Renamo perde em sede das negociações ou se as ganha, ganha-as já enfraquecido e os dividendos acabam por se diluir em pouco tempo. A sair das segundas eleições gerais em 1999, Dhlakama quase que tinha ganho as eleições. Exigiu governadores em províncias onde obteve maioria. Mas o curso das negociações foi interrompido ou no mínimo baralhado quando Joaquim Chissano revelou que o emissário de Dhlakama estava a negociar dinheiro e não a nomeação dos governadores – só para demonstrar que a ideia e o desejo da Renamo em ter governadores nomeados em província onde obteve maioria não é de hoje. Já tem 15 anos.
Mas antes, em 1994, em pleno acto eleitoral, a Renamo e Dhlakama teriam anunciado desistirem do processo eleitoral por causa das irregularidades reportadas. Brazão Mazula (na altura Presidente da CNE) e Aldo Ajello (representante da ONUMOZ) convenceram a Renamo a regressar a corrida. Não se sabe bem o que ele ganhou com aquela greve, mas o resultado final foi que ele perdeu as eleições. Mas já na altura ele tinha administradores nomeados por Chissano em distritos “sob sua influência”.
Os dez anos de Armando Guebuza foram terríveis. Totalmente excluído e hostilizado, a Renamo e Dhlakama não tiveram nenhuma outra saída senão reagrupar às restantes forças residuais e voltar a lutar. Foi necessário. Porém, o grande problema da Renamo é que sabe tocar apenas um instrumento: recurso da violência para resolver problemas políticos. A organização política não é o forte do seu partido muito menos administrar a logística do voto, lição que a própria Frelimo aprendeu de Davis Simango na Beira e do Manuel de Araujo em Quelimane.
Mas voltemos a pergunta: O que faria se num jogo, percebesse que perdeu injustamente? Exigiria a repetição do jogo, a clarificação das regras do jogo ou a divisão dos pontos?
Se a sua resposta for repetição do jogo, a clarificação das regras do jogo então você é sério porque é justo e seguro no que quer. Se a resposta for repetição do jogo é porque você sabe que em condições justas ganharia o jogo. Se a resposta for clarificação das regras do jogo você é astuto pois, suspeita que eventualmente, a falta do entendimento ou domínio das regras do jogo pode ter sido a causa da sua derrota. Assim, dominando as regras do jogo seria possível fazer melhor. Mas se você exigir a divisão dos pontos, então você é esperto. É que você não está seguro de nada. Mesmo perante injustiças, você não está seguro que jogando limpo ganharia o jogo. Assim, você aproveita-se da má qualidade da arbitragem para exigir um meio-termo que é a divisão dos pontos; um corta-mato que satisfaz as suas ambições imediatas mas que não garante a vitória. Ademais, ao exigir a divisão dos pontos, você está a mostrar alguns sinais de corrupção moral e cinismo, na medida em que defrauda o público, principalmente o público apoiante, que acredita e acreditou em si e na sua provável vitória.
Esta é a realidade da Renamo e de Afonso Dhlakama. O primeiro ponto da agenda das negociações (governar as seis províncias onde julga ter obtido maioria) é um ponto que em informática chamaríamos por um “ficheiro corrompido”. Aceitando, o governo da Frelimo estaria a acomodar a Renamo. Acomodação é nestes termos, corrupção. É um “ficheiro corrupto” porque não aceita outras alternativas. Muito menos negociações. Governar em seis províncias equivale a exigir a divisão de pontos de um jogo jogado cuja arbitragem mostrou-se inclinada para uma das partes.
Partidos fortes e seguros exigiriam neste caso, a repetição das eleições e não partilha do poder nos termos feitos pela Renamo. Se é pela justiça e democracia que a Renamo quer, o melhor e mais justo seria a repetição das eleições. Exigir a governação das províncias ganhas é demonstrar esperteza de um jogador inseguro nas suas capacidades – mas a Renamo também está ciente das suas fraquezas: organização.
A diferença entre pedir novas eleições e dividir os pontos é que a primeira é ampla e esclarecedora enquanto a segunda é astuta e limitativa. A primeira é coerente enquanto a segunda é oportunista. A primeira é justa enquanto a segunda é corrupta. Se não fossem as armas, a proposta da Renamo cairia no saco roto sem nenhum crédito. Exigir novas eleições possibilitaria reflectir sobre os problemas que enfermam o nosso sistema eleitoral, a nossa constituição bem como maximizaria os ganhos até então garantidos, tais o memorando sobre a despartidarização do estado e questões económicas e ainda a integração dos homens armados no aparelho do Estado ou na reforma.
Afonso Dhlakama é um grande GENERAL. Sobrevive a tantos e inúmeros ataques impostos pelo governo. Mas é fraco num aspecto: sabe manipular apenas um único instrumento que é a violência armada. Mas em política a organização é chave para a vitória. Apesar da sua destreza, só ele é quem escapa às balas do governo, pois, todo o resto apanha-as e morre. Há 40 anos que o Presidente Afonso Dhlakama consegue escapar com sucesso às balas do governo mas, se me permitem perguntar, quantas mortes dos seus correligionários conseguiu ele poupar? Nenhuma.
ORA, QUE SAÍDA? PARA MIM, UMA.
No espírito da Paz, a Renamo pode reformular a questão/ exigência para torná-la articulável com as demais saídas possíveis, capazes de ampliar o cânone democrático e possibilitar a participação ampla dos cidadãos e grupos interessados no acesso e gestão do poder. Nas condições actuais, exigir governar as tais seis províncias não só é desvantajoso para a Renamo (faltam pouco menos de três anos; a economia está fraca – não há dinheiro e curiosamente são províncias afectadas pelo conflito, o que sugere passar um bom par de tempo em acções de reabilitação) como também pode ser um mecanismo viável para que o governo da Frelimo partilhe grande parte dos seus desaires de governação com a Renamo. O Presidente Afonso Dhlakama está a fazer exactamente a mesma coisa que não gostou no Morgan Tsvangirai. Em lógica matemática é assim: se numa equação introduzires os mesmos factores, o resultado será o mesmo. Você não pode esperar bife cozido quando na verdade o que coloca na panela para ferver são ovos de galinha. A não ser que seja uma táctica para em troca da exigência, receber algo maior.
Dois anos depois, o foco da Renamo deveria ser sobre o futuro: como fazer com que as próximas eleições haja menos espaço de manobra para o roubo e como aproveitar o momento para finalmente livrar-se dos seus homens armados. E nisto estou de acordo que os governadores sejam eleitos ou confirmados nas assembleias provinciais e também na revisão constitucional capaz de derrubar o vício do partidarismo. Estou com a Renamo na sua agenda de desmilitarização MAS… por favor, pensem num quadro mais amplo!
LikeShow more reactions
137 Comments
Comments
HA Matola 11:03, 48min de atraso.
Like59 hrs
Egidio Vaz shit happens! apologize
Like139 hrs
Jonas Joaquim Voce Vaz ee mesmo louco tenta ficar um dia sem pensar e reze que na proxima encanacao fiques burro, ensinas muita coisa pa. Passe bem. Wazir
Like3 hrs
Jonas Joaquim Queria dizer encarnação
Like3 hrs
HA Matola Reading...
Like9 hrs
Euclides Da Flora lendo de novo meu caro, estou a ver alucinações de intelecto.
Like59 hrs
El Patriota Excelente!
Like9 hrs
Arnaldo Cossa a mensagem eh estemporanea, chegou tarde.
Like9 hrs
Egidio Vaz NAO SEI SE CHEGOU TARDE. Estao a negociar dividir o pais pelos resultados eleitorais. E agora nem sei que resultados eleitorais. Se é para Dhlakama ser governador das seis provincias ou a Renamo governar as seis provincias. Em termos concretos a Renamo ganhou em duas provincias apenas. Dhlakama teve vantagem em cinco. Ora, para que a Renamo governe em seis provincias deve se usar os votos de Dhlakama. Mas Dhlakama é apenas uma pessoa. Vai ser ele só? Ou vão ter que outorga-lo o poder de nomear os seis governadores? Ajude-me você a resolver este dilema lógico.
Like109 hrs
Dino Bazar bela abordagem
Like9 hrs
Jose Chirruco Volto para comentar melhor. O texto é longo. Mas vejo isto e aquilo.... Coisas da nossa casa. A balança tende para apoiar um lado. Mas estou ciente da regras outrora ditas. Valeu mano
Like9 hrs
Valdo Tomocene parabens pelo texto, tenho plena concordancia e mostrou o real entendimento pelo tema.
Like19 hrs
Edgar Barroso É a tua opinião, e tem os seus méritos. Todavia, só a Renamo tem legitimidade para escolher e lutar pelo que melhor salvaguardar os seus interesses. Em política, as coisas nem sempre aparentam ser o que são... pessoalmente, e tendo em conta os maus precedentes abertos pelo governo da Frelimo num passado bem recente (atropelo constitucional em nome da "soberania" que não é mais do que mais tacho para as suas elites), acho que se pode muito bem acomodar as pretensões governativas da Renamo (mesmo que, superficialmente, sejam motivadas por "tachos imediatistas"). Prefiro olhar para o efeito colateral da imposição da sua governação nas 6 províncias: aceleração do processo de descentralização de facto, em Moçambique. Temos todos de começar a ver as coisas com um pouco mais de seriedade.
Like269 hrsEdited
Egidio Vaz A última parte do teu comentário interessa-me. Aceleração do processo de descentralização. Assumamos que também concorde. Vai aceitar partilhar as culpas do descalabro da governação da Renamo nas seis províncias nos próximos três anos? Tome esta pergunta como um factor ponderador, num contexto em que o país vive a sua maior crise financeira provocado por um grupo de nacionalistas moçambicanos.
Like99 hrs
Edgar Barroso Bom, para tal precisaria de ter indicadores objectivos e tangíveis sobre o efeito do tal descalabro nas províncias em que a Renamo quer governar. Ademais, a sua governação teria de ser medida a partir da tomada de posse dos seus governantes, e não a partir do primeiro dia da governação da Frelimo neste mandato. Até acho que os efeitos desastrosos da governação anterior poderiam ser uma arma política para o reforço do capital político da Renamo em outros pleitos eleitorais subsequentes (temos experiência disso nas autarquias sob controlo da oposição).
Like49 hrs
Egidio Vaz Edgar Barroso numa imaginária possível governação da Renamo, nas condições actuais, sem a revisão constitucional, o problema seria o mesmo. Eles estariam a obedecer ao plano e visão do chefe do Estado Filipe Nyusi. Só os bons resultados seriam abocanhados pela Frelimo e os desaires socializados. Por isso que insisto numa revisão ampla e não pontual
Like78 hrsEdited
Sandy Afonso Olhar fundo... Muito pertinente
Like8 hrs
Edgar Dos Santos Por mais que se aceita que a Renamo governe, nao pode ser nesta Legislatura. Se nao, estariamos a violar mais uma vez a Constituiçao! Ou estou errado!?
O Malogrado Cistac falou coisas sabias.. "é possivel criar Autonomia para Renamo ou qualquer outra força Politica que tiver ganho em algumas Provincias.. mas, nao nos moldes actuais.
A Constituiçao tem uma lacuna que pode prever uma governaçao numa especie (se é que pode-se considerar) Governadores à margem dos actuais"..
A Governaçao Imediata, nem em Sonhos! Pois, ha muito trabalho pela frente..
Like38 hrsEdited
Euclides Flavio Muito lúcido Edgar Baroso. Gosto.
Like28 hrs
Vagner Basilio Como aproveitador do pensamento alheio que sou, se o ilustre permitir reservar uma linha ai abaixo pra eu tambem assinar... perfect.
Like19 hrs
Angelo Domingos Tsane Análise riquissíma para análise!:
Like9 hrs
Zackell Matuassa Excelente
Like9 hrs
Miguel Julio Madeira Bem dito! Bem haja moçambique
Like9 hrs
Watongui Wa Moçambique Wassanhepadi bem ditn prof egidio nem sendo eu um analfabetinho maix na verdad percebi o melhor.
um ladrao é ladrao prof nem assim deixando k continue a gozar dos bem furtrado ate o dia do seu fim para mim desculpe la vou lhe lançar uma frigideira cm óleo qente. 41 anos ja chega um viciado nas drogas a sua mort conta cm o mesmo.
tudo o q o prof disse eu ja acompanhei,a frelimo usa a ideia do platao q qem governa um país deve ser um rei polito,ixto é uma pura desgrça.os frelokiler ja chega. piacuana tai
Like9 hrsEdited
Abel Vilanculos Você me surpreende as vezes moço!
Like9 hrs
Macade Mafavisse Mais eugido ficas a saber que tem países que acontece isso que exige a renamo,mais como esse nosso que tem cheio de lambibotas que transforma o país como reino e quero ti dizer uma coisa eugidio a incompitencia governativa é a chave de sofrimento do povo.desculp se ofendi e como ta moz sem samora?
Like9 hrs
Abel Vilanculos Macade, páre de encontrar culpados e tente encontrar soluções tecnicamente aceitáveis para o País. O que vai te trazer como solução, falando de lambebotismo e de incomptência ? Qual é a sua sugestão mano?
Like8 hrs
Benício Da Cruz Baulo Esta é uma leitura correcta e também tem um sentido pedagógico profundo e diria que é uma consultoria grátis que a Renamo recebe. Aquando das negociações que viabilizaram a realização das eleições estava claro que as cedências do governo na última hora não iriam interfir no esquema fraudulento que estava montado e Dhlakama ficou cego devido aos banhos de multidão quando na realidade ele estava dando show num palco errado. O resultado é este. Como diria o Peter Senge, em "A Quinta Disciplina " os problemas de hoje advém das soluções que demos no passado.
Like59 hrs
Manuel Santana Moçambique já gonhou uma mente intlecta no EV. Comenta que sabe.
Like9 hrs
Jojoch Filha Certo, ,,,certo dr, ki estas palavras sejam mágicas para alguns.
Like9 hrs
Tiago Valoi Artigo brilhante mano Egidio. A Renamo sempre investiu muito na violência armada como seu único instrumento dissuador, e muito pouco em política como tal. Este é o motivo que faz com que a Renamo, embora um partido histórico na democracia moçambicana seja postergada, sem nenhum horizonte para um futuro próximo. Mesmo os defensores da sua táctiva devastadora e terrorista sabem muito bem que não existe nenhum partido no mundo que faz política armada. É importante a sua análise mano Vaz porque deixa claro que não se trata de uma leitura que ecoa a governação se calhar questionável do regime frelimista, mas sim a forma como a Renamo faz política num contexto democrático. Reafirmo essa visão. Ninguem quer estar aqui a defender este ou aquele mas dizer de forma clara que não é possível fazer política com um partido como o de Afonso Dlakama nas actuais condições.
Like39 hrs
José Mambo Gostei desta explanação Egidio Vaz, espero que a Renamo reflita melhor para o bem do partido e do povo...
Like9 hrs
Hilario Zitha exelente
Like9 hrs
Herminio Adriano Alberto Num alfabeto com 26 letras, não seria suficiente para eu elogiar a sua forma/maneira que tem analisado cada facto que acontece nesta nossa pérola do índico.

Força e aguardamos a parte 2.
Like9 hrs
Cremildo Bahule Prefiro os três. Vou esperar.
Like39 hrs
Faustino Sigavane Sensato!
Like9 hrs
Marcelo Mosse Gosto da formas como articulas mas as vezes pareces demasiado naif...sobretudo quando consideras que a Frelimo pode entregar as provincias para partilhar os desaires com a Renamo...Neste texto há mais o Egidio Vaz comentador que o egidio historiador...depois também essa fatalidade a que estamos destinados; isto vai tudo falhar. Creio que o papel do intelectual não é esse...é, pelo contrário, encontrar soluções ou em opinão de FB, dar-nos luzes para uma melhor compreensão do problema e como ele pode ser resolvido tendo em conta a natureza especifica dos pontos levantados pela Renamo. É o que eu conto fazer....mais do que tragedia, desmascarar os dois beligerantes mostrando o que cada um pode fazer (cedencias) para se chegar a uma solução. Abraço.
Like149 hrsEdited
Egidio Vaz Naive posso até ser, mas neste texto em nenhum momento equacionei a possibilidade de a Frelimo fazê-lo. Apenas acautelei nas implicações que, na hipótese de acontecer, teriam para a Renamo. Também sugeri a reformulação da exigência.
Dois, não desmascarei a Renamo muito menos a Frelimo. A minha proposta para este ponto específico está clara e vertida neste texto por escrito.
Se voltar a reler poderá ter um outro entendimento sobre o mesmo texto
Like29 hrs
Marcelo Mosse Eu é que ando estrábico...tenho mesmo de ir ao medico....devo mesmo ter lido isto noutro lugar: "Nas condições actuais, exigir governar as tais seis províncias não só é desvantajoso para a Renamo (faltam pouco menos de três anos; a economia está fraca ...See More
Like78 hrsEdited
Marcelo Mosse Deixa-me reler então...vou usar uma lupa para compreender mais depressamente...
Like18 hrs
Egidio Vaz Marcelo Mosse este é o recado para a Renamo. Está escrito tal e qual. E é minha opinião. A saída para este primeiro ponto está lá no fim. Oh meu Deus, algum mal nesta redacção?
Like68 hrs
Mendes Mutenda É que daqueles posts que vou sentar para debater. Tem alguma base para o debate. Até já
Like9 hrs
Recluso Do Mato O lógico seria mandar repetir o jogo.... mas enfim já sabemos que alguém não vai aceitar, então a melhor coisa de seria: " O partido no poder com maioria parlamentar, deveria mudar a constituição e propor que nos próximos pleitos os governadores, administradores e outras hierarquias deveriam ser eleito pelo povo em função do partido que tivesse a maioria. EX: Assembleias Províncias. ..... só assim calmaria os ânimos dos outros....
Like39 hrs
Rosario Fome "Como tambem pode ser um mecanismo viavel para que o governo da frelimo partilhe grande parte dos seus desaires de governacao com a renamo ". Adorei este trecho
Like9 hrs
Benício Da Cruz Baulo Penso que a Renamo precisa de uma revisão organizacional para redifinir entre outras coisas, a sua missão, visão e como pretende chegar ao poder a médio prazo. É preocupante quando uma organização está constantemente a dar tiros na sua pouca reputação com discursos bombásticos que nem os próprios membros acreditam. Já vamos em Julho e a tal tomada de posse não concretizou e isto terá reflexos na forma como o eleitorado deste partido vê as acções do mesmo.
Like9 hrs
Mussá Roots Ai da Renamo e Dlhakama se não dominassem a violência...contra governo/partido violento...

Quero conhecer alguém que já Viu sua voz respeitada aquí, sem uso da violência, talvez malta #CistacJosé Jaime Macuane, e outros #Jeques, por aí...

Tudo muíto boníto, romântico, mas não passa disso...a verdade é que#Dlhakama luta como pode e sabe, se colhe dividendos umas vezes e outras não, é porque na vida é assim, as vezes ganhas outras não...mas lutas, com o que tens...diferente dos que só #Esperam ...
Like49 hrs
Benício Da Cruz Baulo Sim ele colhe resultados que são de curto prazo. Em desenvolvimento organizacional diríamos que os resultados que apresenta a Renamo não são sustentáveis ao longo prazo, porque dependem da força das armas e do carisma do seu líder e como sabemos ele não está a ficar jovem com o passar do tempo
Like28 hrs
Mussá Roots A democracia e o multipartidarísmo que vivemos, aínda que "Podre" foi conquistado , em grande parte pela violência de Dlhakama e Da renamo...a Independência foi graças a violência dos antigos combatentes da frente de libertação de Moçambique, e isso pode ser a "Longo prazo"

O que quero dizer é que não é o facto de ser violento e ser fraco politicamente, é o factor #Oponente, a frelimo é um "Monstro" de organização, a todos os níveis, até de "Banditísmo",...

Ele vai colhendo algumas "Gracínhas" , que quase mais ninguém consegue...
Like18 hrs
Janeiro Romao "Ficheiro corrompido" Não restam duvidas.
Like9 hrs
Carlos Candeado "...não pode esperar bife cozido quando na verdade o que coloca na panela para ferver são ovos de galinha."
Like8 hrs
Faustino Sigavane Enquanto a Renamo não se organizar internamente de modo a inspirar confiança no povo que precisa de uma alternância séria irá sempre perder nos pleitos eleitorais e nada lhe sobrará se não usar o instrumento que melhor sabe, a violência! Este pais precisa de uma alternativa que ponha a Frelimo em sentido!
Like8 hrs
Fauzio Mussagy Fernandes Eu preciso de beber esse texto e usar o pensar independente... Esse momento que a RENAMO deve aproveitar para fazer revolução pacífica e organizacional para próximo pleitos e mexerem com as constituição, realmente os governadores devem ser eleitos nas urnas ou nas assembléias províncias
Like8 hrs
Muchuquetane Guenjere Aguardando ansiosamente pelos outros textos. Ademais, na minha opiniao, parece que o mano Dlhakama quer ser um protagonista principal e a Frelimo o virou eterno perdedor e porque se apercebeu das suas fragilidades. Parabens Dr Egidio Vaz, ser teu seguidor abre-me a vista. Abracos.
Like28 hrs
Fauzio Mussagy Fernandes Porque termos Assembléias provinciais para fiscalizarem um governador que foi nomeado é apenas responde ao PR tudo participado, deputados provinciais que ficam sem função é sem base de trabalho, simplesmente ganham do nosso imposto
Like38 hrs
Ed Mazive Boa observação. A lógica autárquica é que deveria prevalecer.
Like18 hrs
Dino Tualufo Excelente.
Like8 hrs
Bendito Mazive Simeao Foi bom mas a renamo deve olhar bem este texto
Like18 hrs
Jose Inacio Banze O problema da Paz levanta muitas indagacoes sobre a sociedade, ora vejamos como e que as ambas partes vao entrar em consenso? sabemdo de antemao que nao ha outras forcas vivas da sociedade para testemunhar os factos? Do meu ponto de vista inspirado nogrande sabio #Max Aweba e necessario que tenhamos uma paz positiva sob a visao 3D a saber Democracia, Desenvolvimento e Direitos Humanos. E eu sou da opniao dum governo de gestao. Desse jeito uma paz efectiva. Respetando a opiniaoo dos outros.
Like8 hrs
Marcelino Seda Excelentissimo texto é de elogiar com todo o mérito...
Like18 hrs
Fauzio Mussagy Fernandes Na mesa das negociações os dois lados estão desarticulados, a RENAMO a Frelimo existem uma máscara de agenda pessoas o orgulho de mentira de pensar k libertaram a nação do colônia e isto me pertence esse grupinho de velho, a RENAMO diz k trouxe a democracia mais se desorganiza com seus ideias...
Like18 hrs
Fauzio Mussagy Fernandes Vou aproveitar em aconselhar ao Partido MDM para que organizem sua agenda, projecto, visão e ação se os gigantes lutam os pequenos devem tirar proveito da juventude de voto disperso, votei no MDM e votarei denovo mais tem k melhorar a inclusão nas suas fileira, MDM não pertence ao Clã Simango e seus pares
Like8 hrs
Mondlane Dzowo Bela analise Egidio Vaz. Estamos a assistir uma lenda com claros sintomas de declaração assumida de fraude. Tendo sido fraudulentas as eleicoes, a Renamo devia propor uma via mais justa para repor a justiça. A divisao do pais no Gabinete, sem duvidas e oficializar a fraude. Quanto a questão do uso da forca para bélica para lograr seus intentos, infelizmente, esta e a tônica dominante dos dois partidos (Frelimo e Renamo), alias, a Renamo aprendeu da própria Frelimo que esta via e a mais rápida para la chegar.
Like18 hrs
Gilberto Correia Texto muito interessante. Mas já que estamos em tempos de auditorias, bastaria à Renamo exigir uma auditoria independente as eleições de 2015 para validar ou não a sua própria teoria de fraude. Está agarrada ao passado "ma non tropo" como dizem os italianos.
Like28 hrs
Muhamad Yassine Interessante. Um pouco seco na medida em que não explorou muitos outros pontos
Like58 hrs
Egidio Vaz Muhamad Yassine, este é o primeiro ponto da agenda. Amanhã falarei do segundo ponto. Hehhehe
Like68 hrs
Renas Simiao Prefiro esperar até sábado para ler todos os artigos.
Like8 hrs
Julio Pinto Macitela Mario Iria pela divisao dos pontos.Porque estaria a pedir o possivel.
Like8 hrs
Ed Mazive Na minha opinião, a Renamo deveria exigir alteração da constituição no sentido de garantir a materialização das autarquias provinciais e posterior convocação de eleições antecipadas.
Like38 hrs
Ed Mazive Uma coisa curiosa na opinião de Egidio Vaz é a ideia de que a Renamo ao assumir a Governação das 6 províncias iria partilhar fracasso de governação com a Frelimo. Se assim for, porque a Frelimo não entra nessa, uma vez que este mandato de Nyusi já é um fracasso?
Like38 hrs
Egidio Vaz Ed Mazive, boa pergunta. Na verdade, veja a história do conflicto.
Primeiro, foi Dhlakama a dizer que governaria a força. Gorada a espectativa, colocou o assunto na mesa. Também sei que a norma na Renamo é desconfiar à partida as ofertas da Frelimo. Eu sei que logo depois da vitória pela Frelimo, foi intenção de Nyusi "promover" algumas caras simpáticas da Renamo. Mas foi a propria Renamo que recusou, com medo de ser "misturado". Alguns membros da Renamo aqui presentes confidenciaram-me isso.
Like8 hrs
Ed Mazive Até pode ser verdade, mas essas apenas seriam medidas cosméticas do presidente para cortar o "ímpeto" atacante do adversário e depois aplicar a estratégia das FADM de retirar gradualmente comandantes da Renamo. Um resolução de fundo passa por ambas as partes não terem medo dos resultados reais dos escrutínios eleitorais e não procurar alterar resultados para seu conforto. Só assim viveremos em paz e em clima de confiança mútua.
Like8 hrs
Egidio Vaz Ed Mazive a minha teoria de mudança postula duas possibilidades para a saida da Frelimo no poder.
A primeira é à força; coisa que a Renamo não consegue. As guerras que a Renamo faz servem para ganhar pequenas vitórias, possíveis sem ela. O grande problema da Renamo não é a democracia muito menos a Frelimo. São os seus homens armados. A prática mostrou que tudo o que a Renamo conseguiu nos ultimos 20 anos foi à mesa das negociações, não por causa da guerra mas por causa da pressão da comunidade internacional. E a mesma comunidade internacioal apoia outras guerras noutros mundos. Nãoé porque nos gostam tanto em ver-nos em paz.
A segunda forma de tirar a Frelimo no poder é ganhando terreno. A Renamo tem um problema sério que é ganhar e assegurar territorios. Saiu de cinco municípios para zero, em termos de gestão. Se concorrer em 2018, poderá ter entre 10-15. São as pequenas vitorias que criam base de sustentação para a vitória final. Mas com os seus homens armados, a Renamo vai sempre recorrer a via rapida que é usa-los para reclamar fins alcançaveis pacificamente. O movimento popular em torno de Dhlakama não reside na sua capacidade destrutiva ou combativa mas no ideal que representa. É CRUCIAL entender isto.
Like28 hrs
Egidio Vaz Por outro lado, a Frelimo DEVE entender de uma vez que o modelo de governar sozinho está esgotado. Se se antecipar, podera sustentar o poder por mais uma decada. Se não, a Frelimo tem dias contados no poder. O cerne para baixar a tensão é ampliando a descentralização. Já estou a ficar rouco com esta paranoia
Like38 hrs
Ed Mazive ... os homens armados acabam sendo o maior trunfo negocial com a Frelimo porque meios pacíficos parecem não serem levados a sério pelo partido no poder ... se o governo ou Frelimo levassem a sério movimentos populares pacíficos já deveriam ter começado mudanças de fundo a longa data! Tanto a Frelimo ou a Renamo parecem não conseguir eliminar um ao outro ou, reconhecendo essa impossibilidade, conviverem pacificamente!
Like8 hrs
Ed Mazive meu post anterior foi antes de ver o seu post, acabando em coincidencias na questão de os dois beligerantes assegurarem convivencia pacifica
Like8 hrs
Egidio Vaz Ed Mazive a Renamo NUNCA testou meios pacíficos. NUNCA o seu presidente dirigiu uma manifestação política. NUNCA exigiu algo de concreto. NUNCA esteve na rua com o povo, com os grupos marginalizados. NUNCA exigiu a redução do preço de chapa. Tudo o que conhecemos são as armas. É para mim dificil acreditar que a Frelimo nunca ouviu as exigências políticas da Renamo em tom pacífico. É que simplesmente nunca existiram.
Ele prometera manifestações que culminariam com a retirada dos governadores na Beira, Quelimane, Tete, Nampula, Manica e Lichinga. Você viu alguma? Em substituição, foi pegar as armas. Sejamos sinceros para connosco proprios. Quem se manifesta pacificamente neste país é o povo desarmado, liderado pelas confissões religiosas e outras organizaçoes da sociedade civil. E este tipo de manifestações nao sao políticas. Sao civicas. Nao visam pressionar a mudança do regime. Pressionam pelos direitos civis e liberdades. Não confundamos as cosias.
Like38 hrs
Saide Jacinto Ali Esse governo da frelimo vai ser dificil sair do puder via de eleicoes,pois eles se assumem os verdadeiros libertadores do povo mocambicano,e a Renamo perte uma grande oportunidade em dar seu manifesto,visto que o povo ja perteu confiaca com o partido no puder,opniao pessoal.
Like6 hrs
Aderito Tamele Ilustre mazive te pedi amisade,peço pra me adicionar quero aprener contigo.
Like3 hrs
Anselmo Bango Aguardando os proximos episodios.
Like8 hrs
Albino Massembusse Júnior Até então, eu respeito a sua opinião Egídio. Espero pelo segundo e terceiro.
Like8 hrs
Eliha Bukeni O EV sempre deixou claro que em 2014 votou em Renamo e DHL, porem, isso nao o inibe de fazer analises lucidas sobre a actual estrategia prosseguda por DHL. A ideia da governacao nas 6 provincias, que em principio sao 5, visto que a Renamo nao ganhou no Niassa, DHL adicionou esta provincia, alegadamente , para nao deixa-la isolada, esta ser abordada de forma emocionada. Governar as 6 provincias sera apenas nomear governadores e administradores. A Renamo vai criar nessas provincias as suas Direccoes de Justica, Policia, Procuradorias, Tribunais? Vai criar as suas Direccoes de Economia e Financas, Autoridade Triburia? Vai criar sua moeda e autoridade monetaria e cambial? Ou sera que vai usar as mesmas instituicoes e orgaos do actual governo que possui um plano quinquenal, PES e OGEs que emergem do manifesto eleitoral da Frelimo? De facto, DHL e um grande estratega militar, mas falta-lhe a estategia politica. As eleicoes gerais te
Like18 hrs
Antonio Jossias Uqueio Uqueio Que leitura. E agora? Dlhakama disse em entrevista ao Savana que o fim do conflito não era em si a solução dos problemas, mas sim a governação das províncias onde ele reclama a vitória e outros pontos de agende que exige o cumprimento por parte do exec...See More
Like8 hrsEdited
Nelson Junior Senhores, digamos as coisas como sao:...se a Renamo nao consegue ter vitorias politicas eh porque eh politicamente fraca e esta completamente infiltrada pela Sise da Frelimo..,e por outra parte, a frelimo nao eh flexivel...,o grande fracasso da Renamo foi quando tinha militarmente ganho a frelimo parou e foi as conversacoes...a renamo deveria ter "arrumado" a frelimo duma vez pra sempre...Assim fizeram em Rwanda, Uganda de Idi Amin,etc etc...mas, muitos tinham aconselhado ao Afonso de nao ter conversacoes de paz...recusou...e aqui estamos
Like18 hrs
Egidio Vaz hehehhee
Like8 hrs
Nelson Junior caro meu, recorde-se que a renamo tinha quase 80% do Pais....
Like18 hrs
Egidio Vaz Nelson Junior sim recordo-me, o seu raio de acáo ia para alem de 70% do território nacional
Like8 hrs
Jose Cossa Que venha o segundo, este ja consumimos. obrigado ilustre
Like8 hrs
Filipe Sande Espero pelos II & III
Mais achei pertinente a questão de que a reclamação de governação das 6 províncias é da Renamo partido ou Dhlakama presidente.
Abraço Egidio Vaz
Like8 hrs
Eliha Bukeni As eleicoes gerais decorrem em 18 mil mesas. Nao seria mais util a DHL preparar 18 mil fiscais para estes recolherem as copias das editais e apresenta-los em tribunal como evidencia de ter vencido as eleicoes, do que esperar que o STAE e a CNE, inquinados, os apresentem a seu favor. Penso que DHL nao perdia nada, se fizesse uso do lema do seu adversario: " a vitoria prepara-se e organiza-se"!
Like38 hrs
Felix Machado Nota 1000.
Like18 hrs
Ricardino Jorge Ricardo Repetir o jogo...começando de onde? Se nem com a nomeação de governadores nas 6 províncias revindicadas pela RENAMO não está sendo fácil. Quanto mais repetição de eleições que exige preparação e dinheiro!? Discussões na sede da AR de assuntos como valas comuns, dividas e mais são um calcanhar de aquiles, agora eleições, enquanto de antemão já se conhece quem o povo vai apostar. Duvido...
Like8 hrs
Gaspar Americo Gove Bravo Egidio, a Renamo caiu na finta da paridade, mandou fumar MDM agora esta chorar. MDM e Renamo unido podem tirar o puder exagerado da Frelimo.
Like28 hrs
Dércio Tsandzana Mas, há aqui uma questão que pode não ter sido aqui colocada. Se olharmos para hipótese de repetir as eleições, acha que o Governo da Frelimo aceitaria essa proposta? De imediato arrisco a dizer que NÃO.

Mesmo sem conhecer ainda o conteúdo dos outros dois textos que advém, o maior problema, quanto a mim, é inflexibilidade das duas partes em resolver o problema.

O que assistimos é uma luta de dois galos pela mesma e única galinha, ninguém quer ceder ou ninguém quer admitir que os dois não podem “taxar” a galinha ao mesmo tempo e da mesma forma.
Like48 hrs
Egidio Vaz Dércio Tsandzana, obrigado pela critica. Nem eu acredito que a Frelimo fosse aceitar. Mas pelo menos abriria espaço para um debate mais amplo incluindo a possibilidade de partilha de poder.
Para mim, quem deveria sugerir a partilha do poder não deveria ser a Renamo mas sim ou a Frelimo ou resultado doas conversações. Vejo muita incongruência e "burrice" em a pessoa que diz que ganhou as eleições sugerir como solução a governação em provincias onde obteve maioria. Isto não faz sentido, por três razões essenciais.
1-Incongruência: Se diz que as eleições foram fraudulentas então os resultados todos foram fraudulentos. Com que racionalidade afirma que nos locais x y as eleições foram justas e verdadeiras e nos locais a e b foram fraudulentas. Ou é fraude ou não é fraude. O caminho mais sensato seria então realizar novas eleições, caso contrario, as contrapartidas para nao realizar deveriam vir do fraudulento ou resultar das negociacoes.
2-Conjuntura: Estranho que a Renamo queira governar em tempos de crise como estes. Noutros países, os partidos políticos evitam identificar-se com situações similares. Candidatos concorrentes afrouxam a sua campanha só para evitar se identificar. Aqui em Moçambique, com a Renamo, é diferente.
3- Timing: Separa-nos das proximas eleicoes, três anos. EM bom rigor e verdade, a Renamo precisa reorganizar-se. Uma liderança à distância é diferente de uma liderança em presença. Parecendo que não, a ausência de Dhlakama na cidade está a complicar as coisas e a expor os seus membros ao risco de vida.
Like87 hrs
Absalao Mussuei Ontem assisti ao programa debate da nação da stv. E cheguei a seguinte seguinte conclusão para alcançar a paz efectiva: o partidos políticos de avançar para afirmação da unidade nacional política base da na partilha do poder.
Like13 hrs
Bandeira Matsimbe Bela analise DR Egidio VAz verdades sejam ditas...
Eu sou apologista de que haja fairply e convido a todos intervenientes que sejam autenticos agurado atenciosamente DR por outras 2 duas cartas para uma analise exaustiva.
Aquele abraco
Like18 hrs
Nelson Matsinhe Uma dúvida. Terá realmente a Renamo ambições políticas neste processo? Não vejo ponto algum em que a Renamo poderia sair fortificada politicamente das negociações. A equipe de mediadores percebeu que não há interesse em buscar paz alguma e zarpou. O que a Renamo quer é perpetuar a desestabilização enquanto por trás obtém ganhos, sejam eles apoios externos ou pilhagens. A verdade é que ao invés de negociar paz, estes dois partidos negoceiam recursos, o acesso e gestão dos mesmos. Vamos aguardar pacientemente, essa é uma verdade que virá a tona.
Like37 hrs
Kamba Chirombo Vou aguardar até sábado para ver todos os 3 posts. Antes de dar meu comentário. Mas começaste mal bro.
Like17 hrs
Egidio Vaz Hehehehee.
Like7 hrs
Kamba Chirombo Verdade. Acha mesmo que na atual atmosfera político militar há condições para realização de eleições? Como é que o cota faria sua campanha (comício), e não ser abatido pelos esquadrões de morte?
Mas vou aguardar até sábado. Ainda confio em ti bro. Na tua lucidez na análise de assuntos do país. Até lá.
Like17 hrs
Gulumba D. Mutemba De facto o sério seria a repetição do jogo,até a própria Renamo sabe disso. Só que dava na mesma,porque seria necessário a repetição por mais de duas vezes ou três,o que iria aumentar o número de abstenções e falir partidos com menos recursos financeiro. As reivindicações da Renamo são complicadas em termos constitucionais,mas são as melhores,porque tratando se de um jogo com um adversário que tem o controle de equipe de arbitragem,da federação etc.,é extremamente complicado jogar na seriedade.
Like87 hrs
Grazie Eagle Eye Ferropova O texto contém verdades! Aguardo até o número 3.
Like17 hrs
Pita Fundice Vou mastigar bem isso depois volto para dizer alguma coisa.
Like7 hrs
Jorge Carlos Cavele Deixo uma questão para que me elucidem." Onde acham que estária a Renamo se não fosse o que é? Por que aquele movimento pós eleições que a Renamo teve resultou em emboscadas?
Like17 hrs
Ireneu Bagao Será que estamos preparados para mudanças bruscas do estádio político que se almeja pela renamo em casos de haver cedências? Cuidado! não desembocarmos numa Líbia.
Like17 hrs
Gulumba D. Mutemba Não medo da mudança,independentemente das suas conseqüências.
O que quero é a saída da frelimo poder,o resto ficará ao critério do tempo.
Like6 hrsEdited
Teixeira Teté Bem lúcido, aguardo pelos subsequentes textos que vem, afinal tudo isso é para o bem de todos nós.
Like7 hrs
Narcísio Mula Se quem decide as eleições são os órgãos eleitorais, onde a Frelimo tem sempre um elemento a mais para desempatar. A Renamo já fez essas equações e na minha opiniao, embora o governo finge que nao aceitaa acaba por fazer o que a Renamo quer. Eu aposto que em 2018 os governadores serão eleitos. E nao se pode desprezar a pressão que a Renamo está a fazer
Like17 hrsEdited
Jose Bulafo Parabéns pelo texto...aguardo as doses asseguir
Like7 hrs
Julio Machava De facto a Renamo precisa de fico Na agenda. O que vem Depois, Estamos a quase meio do mandato, preparar se para as autarquias: quadro legal, Operacional e logistico. Buscar emenda constitutional que acomode o vencedor na sua provincia(quem sabe paremos de gastar dinheiro e governasse o municipio o vencedor do circulo/ area municipal Nas eleicoes gerais: PR e AR. Criar condicoes de desmilitarizar-se sem marginalizar seus guerreiros.
Bela reflexão Egidio vaz
Like17 hrs
Isac Tivane Aguardando as restantes partes para o juizo final. Good job...
Like7 hrs
Ernesto Armando Só posso ficar da segunda para omitir minha opinião
Like7 hrs
Ntumbuluka Mucavele Excelente. Para mim, há um aspecto que me parece estando a ser acautelada nesse assunto, ora vejamos, a Renamo exige a governação da seis províncias que supostamente ganhou, a Frelimo recusa, na minha opinião neste caso dificilmente poderia ceder por que caso o faça, estaria admitir que o vencedor da eleições foi a Renamo, pois, este partido reclama que ganhou em seis províncias e por sinal as que possuem o maior circo eleitoral e em Moçambique apenas temos 11 provinciais, contando as 9 e Maputo cidade e província. Será que, se a Frelimo aceitasse tal feito não estaria a admitir que a Renamo venceu as eleições nas contas gerais? Olhemos que apenas nos restam, Gaza, Inhambane, Maputo2 e Cabo Delgado, a não ser que nesses locais vantagem obtida supere a desvantagem nas reclamas seis.

Entretanto, para o bem de todos nós que seja encontrado um meio termo.

Quanto as outras questões, acho que precisam e poderão facilmente encontrar-se saídas.

Obrigado, aguardando ansiosamente pelos outros dois posts. Perdão qualquer coisa.
Like17 hrs
Ernesto Nhaule Infelizmente não temos uma oposição visionária em Moçambique...e os que estão na posição só pensam nas suas barrigas..
Like17 hrs
Tomás Zaba Lindo texto. Parabéns
Like7 hrs
Carlitos Rafael Concordo plenamente
Like7 hrs
Edson Bule Belo texto, demonstração de factos e exposição do óbvio, visibilidade na imparcialidade, que venha o segundo texto Egidio Vaz
Like7 hrs
Efraime Nhabanga Interessante esta análise sobre a realidade política do meu país. Mais interessantes ainda é fazê-la com recurso à um conjunto de metáforas, desde as do campo desportivo passando pela culinária para chegar às lógicas da matemática.
Parabéns Egidio Vaz.
Like17 hrs
Roberto Adalmeida Boa visão,concordo plenamente nessa teòria
Like7 hrs
Gimo Lampene Chueza Infelizmente,acho k ainda nao he o momento,tudo tem o seu tempo,viva a paz!
Like17 hrs
Carlos Candeado Se calhar já é necessário uma concertação a nível nacional antes que os mediadores voltem ao país: INDABA!!!
Like6 hrsEdited
Egidio Vaz Assembleia Constituinte
Like16 hrs
Celso Cossa Frelimo e Renamo são dois partidos armados neste país. Abram olho. Os da Frelimo já estao lá dentro das FDS, Os da Renamo estão a ser geridos pelo próprio partido. Não partilho a ideia de que os da Renamo estão nas matas. Estão nas aldeias a viver com o povo. Que discutem reintegração destes homens para alcançar a Paz.
A Frelimo a todo custo tentou desarmar o seu inimigo. Não é agora que vai conseguir. Desarmamento duma parte só, equivale a uma rendição. Se as negociações falham é porque a Frelimo também descobriu que o que sempre tentou não vai conseguir desta vez. É por isso que sabota as conversações, até consegue mandar passear os seus mediadores. Está a fingir que quer a Paz. Tenta convencer todo mundo que o problema é Renamo, só que poucos acreditam.
Os dois partidos estão desesperados. Precisam de ajuda. Alguem que consiga harmonizar as suas posições e convecê-los que só formato win-win na mesa do diálogo podem entender-se.
Like6 hrs
Titos Matenene O grande problema da Renamo é a sua manifesta desorganizacao. Um analise simplista das eleições em Moçambique nos diz que sempre que a abstenção reduz, a Frelimo perde deputados. O que nos diz, que se os partidos da oposicao se organizarem e realizarem um trabalho de base serio e no contexto actual podemos ter uma reducao drastica da percentagwm de votos da frelimo nas proximas eleições. Contudo, este jogo que vem sendo pela renamo em nada contribui para a sua credilizacao e para o que julgamos ser o seu objectivo que é o de governar Moçambique.
Like6 hrs
Melody Obc Boa reflexão! Não obstante, compactuo com os que acham e a sí incluo na lista, que repetir eleições seria um pedido sem eco por parte da FRELIMO. E ainda que o fizesse, voltaria a ludibriar o adversário quantas vezes fosse necessário, pois na minha mísera opinião, este partido opta pelo maquiavelismo para a preservação do poder. Ou seja, faria de tudo para n perder as eleições repetidas vezes que fosse ainda mais quando tem o monopolio legitimo da violência e usa-o para dissuadir os fiscais no ambito da votaçao e ou contagem dos votos. Destarte, o problema maior é a instrumentalizaçao das forças policiais e outras instituições com vista a viciar os resultados. E termino perguntando, nessa teia, qual é a possibilidade de a Renamo organizada politicamente (sem uso da força/famosos rangers) vencer?
Like26 hrsEdited
Ad Leite Leite Quero crer que durante todo este período de avanços e recuos da democracia a Renamo procurou conhecer a Frelimo, de maneira que perdeu confiança nas instituições.
Por outro lado cintando o phd. D. do Rosário na sua conclusão sobre as eleições de Angoche: "a Frelimo não quer de forma alguma a consolidação de outras legitimidades politicas exterior ao seu meio, mas também que está e nunca estará preparada para estar na oposição, mesmo ao nivel local".
É desta maneira que a Renamo arisca pressionar a Frelimo para obter algumas vantagens.
Mas para mim o mais importante é que as duas partes aceitem cedência para o bem de todos nós inclusive da própria Renamo e da Frelimo.
Like16 hrs
Domingos De Sousa Duarte O sexto parágrafo depois da introdução, tocou-me profundamente
Like16 hrs
Mendes Mutenda Egidio Vaz, dizia num comentário anterior que o seu texto tem alguma base de sustentação para o debate. Há muita falta de coerência entre o que é exigido pela Renamo e a necessidade de implantação de governadores:
1- A descentralização em si, eu em particular, não vejo mal nenhum de acontecer. Bastando para o feito que tudo esteja harmonizado. Em que o jogo que referes, seja claro logo à partida. Os eleitores devem ir às urnas sabendo que vão escolher. O povo não pode ser usado so para acomodar vontades da Renamo.
2- Está claro que as eleições eram gerais, presidenciais, legislativas e assembleias provinciais. Foi este propósito que nos levou as eleições. Tudo quanto for a negociação deve ter em base a esse principio. Não posso aderir a um festival de FADO enquanto, na verdade, querem prover SUNGURA.
3- Como é que um partido que de diz do povo, uso a violência física (de matar o próprio povo) para ser ouvido suas inquietações? De que serve a Assembleia da República? Se a Assembleia da República está em funcionamento com base nos resultados de 2014, porque hoje exige só uma representação, de um Dhlakama em miniatura no palácio do governador? Este governador é indicado por quem? E porquê? A quem presta contas?
Enfim, basta fazer de povo refém para exigir o que quer que seja...
Like36 hrs
Shem Helyo Está claro que FRELIMO é uma maquina, bem estruturada ...pode ter suas fraquezas como qualquer organizacao, mas bem conheçe o que negociar? Como negociar? Qual o campo a usar. Parabens sr.Vaz uma analise profunda dos factos.
Like16 hrs
Saide Jacinto Ali Eu acho que o governo nao teu liberdade ao povo mocambicano,pois e qualquer opniao contra ideais do partidao a pessoa leva bala,qualquer manifestacao contra e um crime.
Like6 hrs
Carlos Tchabana E...no meio de tanta retórica...ninguém pensa na sexta basica do povo!! Acho que deve se tomar mais decisões a pensar em quem os colocou no poder ou em quem lhes pode colocar no futuro. Ha um certo "egocentrismo colectivo" no seio de ambos partidos e falta o pensamento "macronacional" e subtrair a parte tribalista da mente. Mas...aguardo o remanescente conteúdo.
Like6 hrs
Betinho Baulene o que a RENAMO pretende ë a partilha de poder.
Like6 hrs
Hidiel Da Silva Bonitão E melhor ceder pha...estamos acabar aqui na zona centro com essa guerra
Like16 hrs
Edmu Joao Panguene Parabens professor estou anciosamente a espera dos outros dois textos...
Like6 hrs
Domingos De Sousa Duarte Caro Egídio!
Não precisa ser extra terrestre para perceber que estamos ensopados num habitat de sem vergonhas! Basta o facto de convidar um "Tony Blair" e depois não se responsabiliza-lo pelas custódias, autêntico bussalismo irracional!
Like15 hrs
Nelsoncarlos Tamele I'll back to read
Like5 hrs
Ricardo Xavier "Afonso Dhlakama é um grande GENERAL. Sobrevive a tantos e inúmeros ataques impostos pelo governo. Mas é fraco num aspecto: sabe manipular apenas um único instrumento que é a violência armada"" este texto não é para Moçambique é só Afonso Dhlakama que manipula o instrumento violência armada ?
Like15 hrs
Jorge Antonio Calane Kito HUUUU essa dissertação ficava bem se fala se da FRELIMO.
Like15 hrs
Arlete Carlos Tembe Verry good
Like5 hrs
Carlos Candeado "E quando a crise bate, não nos viramos uns contra os outros. Não, nós nos ouvimos, nos apoiamos, porque sempre somos mais fortes juntos." Michelle Obama. https://www.buzzfeed.com/.../transcrieao-e-video-o...
Like15 hrs
Ajm Selemane È um ponto d vista aceitável. Contudo ha prismas a observar, tais como, a makina repressiva da frel k impederia a repetição. E apreciação das regras tb nao seria autorizado pela arbitragem. Sendo assim ha k impor novas regras utilizando instrumentos usais. Guerra e sabotagem.
Tou certo k o cansaço mais insustentabilidade da guerra, teremos acordos k vao acomodar a todos.
Like25 hrs
Novo Combatente De Moz Do meu ponto de vista a Renamo devia lutar para a revisao da Constituicao da Republica que possui muitos virus. Eh urgentemente a revisao pontual da CRM para diminuir os poderes excessivos de nomeacao que o Chefe de Estado possui. A meu ver os cargos d...See More
Like25 hrs
Dimas Xavier Bem visto por este ângulo....estamos em momentos de organizar a nacao em quase todos os aspectos e acredito que seja uma boa oportunidade pra organizacao que é a base da civilizacao de qualquer sociedade..
Like14 hrs
Novo Combatente De Moz A exigencia da Renamo de governar as 6 Provincias onde diz ter ganho as eleicoes, tem como objectivo perpectuar-se como segunda maior forca da oposicao em Mocambique, ja que a propria (Renamo) sabe que nao tem chance de chegar ao poder. Por sua vez a F...See More
Like4 hrs
Euclides Da Flora O correcto seria repetir as eleições porque as mesmas foram ilícitas e cheias de irregularidades não faz sentido que a Renamo extraía dividendos políticos de algo que concorda que foi um processo fraudulento porque desse modo não esta lutar por um país democrata mas por uma Renamo no governo. É gritante quando a Renamo só têm um trunfo que é militar quer dizer no dia que a táctica falhar é o fim da RENAMO seria de bom tom que este partido tivesse uma diversidade de instrumentos pacíficos para pressionar o governo. para a Renamo governar as seis províncias seria necessário fazer se uma revisão da constituição mas teríamos que diluir superes poderes do chefe do Estado visto que estamos na presença de um sistema de governo próximo ao presidencialista porque os governadores da Renamo não podem executar ordens do governo central que representa a elite da Frelimo porque se assim fosse estaria ele executar o programa de governação da Frelimo oque acho que ela não quer. a Renamo deve procurar assessores que entendem bem sobre negociações para que possa sair desta roda de negociações de vez com os objectivos alcançados.
Like24 hrs
Anselmo Pedro Manungane Estou a ler ainda
Like14 hrs
Novo Combatente De Moz A falta de seriedade da Renamo fez com que emergissem PDD e MDM. Na sua historia a Renamo so realizou um Congresso. A Renamo eh Dhlakama, como partido nao existe. O MDM que vem da Renamo com 8 anos de existencia ja realizou um congresso e preve-se a realizacao do II Congresso proximo ano. MDM reune-se frequentemente. A Renamo so se organiza militarmente.
Like24 hrs
Roberto Moises Romao Romao grande egidio vaz apesar de n ser alcoolatra tenho bebido muito de t
Like4 hrs
Daniel Evaristo Inhauane Inhauane Algumas pessoas antes de comentar.falam, falam nao dizem nada.lambebotas da frelixo.
Like14 hrs
Heleno Bombe caro Dr Egídio o ter que repetir eleições é bastante caro e oneroso em tempos de crise econômica que afecta o pais sendo assim vale a pena ir pelo corta mato partilha de poder nas províncias que reivendicou a Victória, verdade que o tempo é curto mas como diz o velho ditado mais vale um pássaro na mão que dois a voar para não repetir a história das eleições de 1999 que literalmente venceu e não ficou com nada!
Like24 hrs
Inocencio Macuacua Boa análise com argumentos e propostas de saida. Gostei.
Like14 hrs
Rogerio Antonio Associo-me as pessoas que antecederam-me, que acham que o correcto seria a repetição das eleições, mas, é preciso compreender que repetir o pleito eleitoral, seria oneroso e, o partido no poder jamais aceitaria essa hipótese, logo, a Renamo apercebendo-se desse ponto, procura explorar outros pontos viáveis, que é governar nas províncias onde obteve vantagem e penso que o saudoso Cistac que Deus o tenha, já tinha dito que é possível fazer-se isso, sem contudo implicasse necessariamente mexer-se na CRM.
Se o preço da nossa PAZ for a governação das 6 provincias, porque não entregar essas tais províncias? Até quando vamos continuar ineptos, mesmo sabendo que a história reza que na Guerra da Guerrilha não há vencedores nem vencidos? Acham mesmo que incursões militares vão resolver este problema? Particularmente penso que não, ademais, em política nem tudo o que parece ser é o que é, dai que, o paralelismo que o meu caro Vaz brinda-nos pode não ser ideial, tendo em conta que o Futebol é de longe diferente da Política.
Like53 hrs
Filho Do Cinzentinho Afonso Dhlakama, não há recua Madala. Avançaaa. Povo no Poder
Like3 hrs
Rogerio Antonio kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Like3 hrs
Alberto Dausse Meneses Com razão.
Like2 hrs
Julieta Chirindza ja acabaram as vossas opiniões??????? comente max. Egídio Vaz quero ser governador de k província?
Like2 hrs
Star Neves Sou de opinião que se devia fazer eleições antecipadas.
Like2 hrs
Isabel Paunde Concordo com as opiniões k referem k não haveria condições a todos níveis para repetição das eleições, Aliás esta decisão cabia ao conselho constitucional se cumprisse o seu papel, como estamos a ver em cabo verde. Esta solução adoptada pela renamo resulta dos apelos k assistimos dos grandes opion makers. Num estado normal essa solução era natural, talvez antes de responsabilizar a solução actual da renamo, análise a responsabilidade do cc e da sociedade civil e ainda dA posição.
Like2 hrs
Wacate Momade Se as duas equipas reclamam e' pork o arbitro esta bom, se uma so equip reclama e' pork o arbitro nao esta bom, quer dszer nao apitou bem.
Like2 hrs
Humberto Domingos Sério The best minds have spoken...But, WHAT TO DO NEXT?!
Like2 hrs
Nelson Junior ......just to wait and die as a slave
Like1 hr
Humberto Domingos Sério :-X:-X:-X As we have been doing...but not forever. There are new winds blowing, can feel them in these posts!
Like1 hr
Carlos Edvandro Assis Concordo plenamente com meu caro Egidio Vaz. No entanto, alicerçar que no final das matematicas a FRELIMO é que pode ganhar tanto com a entrega dos governadores a RENAMO. Isso pra dizer que os governadores vao governar pessoas e nao animais nestas provincias, dai que se um governador sendo ele da Renamo a nao satisfazer as exigencias da população, podera ser esta mesmo população e pedir a demissao deste governador. Ademais, afinal de contas as pessoas da RENAMO, MDM, PIMO, PARTIDO ECOLOGISTA etc etc nao sao Mocambicanos e nao podem contribuir com o seu conhecimento no melhoramento das condicoes de vida dos Mocambicanos? Sera que é so na FRELIMO onde reside (existe) o "KNOW HOW"? Qual é a formula que a FRELIMO (com cerca de 5milhoes de membros) nem todos eles fies, usa pra ser a unica organizacao com "KNOW HOW" e o resto dos Mocambicanos nao tem este "KNOW HOW"?
Like11 hrEdited
Xavier Jorge Uamba Isso chama-se assessoria de borla.
Indo um pouco ao seu texto mano Egidio Vaz , o Mazanga no dia que estivemos no Hotel Polana por sinal E.V foi um dos painelista, alguém tera lavantado a seguinte questão para Mazanga pai:
Como é que houve houve roubo nas eleições tendo em conta que o sr. Mazanga faz parte da CNE?
Ele por sua vez responder nos seguintes moldes:
- Mesmo havendo guarda nos estabelecimentos, ou em casa o ladrão sempre entra. Entretanto eles da renamo reconhecem que ainda não tem capacidades suficientes para controlar suficientemente a questão das eleições.
Like1 hr
Carlos Edvandro Assis Nao é a RENAMO que tem que ter esta capacidade para controlar mas sim a vigilancia do potencial eleitor. Exemplo: Beira, Nampula, Quelimane e Gurue
Like11 hr
Monica Matavele A regra do jogo foi de jogar e ganhar o premio mais nada. Todos os intervenientes do jogo sabiam quais eram as regras. Se um perdeu e nao ficou satisfeito, nao tem como mudar as regras porque todos participaram a cumprir com as regras estipuladas. Quero dizer, votamos para eleicoes gerais e nao para 6 Provincias, portanto concordo com a ideia de descentralizacao mas desta maneira. Se formos a ver os tais nrs reclamados pela Renamo nao sao por maioria absoluta.
Like1 hr
Rafael Duarte Obrigado pela aula, espero a quem de direito leie isso.
Silvino Alberto Nhantumbo Mano esses tem acessores que pagam muito dinheiro mas na verdade nada fazem acessoria ta aki mahala
Silvio Silva Rematou Egidio Vaz

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook