ACTUALIDADE

Loading...

sábado, 1 de Novembro de 2014

DAS CHANCELARIAS:

Os diplomatas estrangeiros em Moçambique estão muito mais activamente engajados em negociações, conversações e diálogo com dirigentes do Governo da Frelimo do que com líderes da oposição.
_____________________________
Já faz escola em Moçambique que um determinado sector da comunicação social e seus analistas falem muito da "ingerência das chancelarias" em assuntos da democracia interna.
Gostaria de à guisa de provocação tecer aqui alguns pontos
Primeiro, gostaria de recordar que nenhuma "chancelaria" está em Moçambique a força. Ou seja, todos eles estão sujeitos à acreditação. Por outras palavras, estão aqui porque o Governo de Moçambique assim o quer e acha que a sua presença é útil.
Segundo, gostaria também de informar que estas chancelarias estão e Moçambique mais para perseguir seus interesses que o nosso, o Moçambicano. Da mesma forma que nós como Estado pagamos mais de 70 embaixadores espalhados pelo Mundo, sustentamos as despesas destes escritórios no estrangeiro, temos um ministério dos negócios estrangeiros para, acima de tudo, perseguir o nosso interesse. Portanto, a cooperação só é possível quando os dois estados estão mutuamente de acordo em tirar contrapartidas, nem sempre simétricas. 
Terceiro, as chancelarias principalmente as ocidentais, são as que em última análise mais dinheiro introduzem nos cofres do Estado, garantindo assim a sustentabilidade deste Estado moçambicano. Se as chancelarias retirassem hoje o seu apoio financeiro e político ou não financiar o orçamento em 2015, provavelmente teríamos mais seis meses antes de o Estado começar a ter problemas de caixa. Que o diga a Guiné-Bissau.
Quarto, o dinheiro que vai a sociedade civil vindo dos governos ocidentais é infinitamente inferior àquele que entra nos cofres do Estado e suas agências.
Quinto, em teoria, as actividades dos diplomatas em Moçambique é regrada. E, quando é para lidar com partidos políticos, eles são cautelosos em ser equilibrados e o mais transparente possível. Nesta vertente, os ocidentais têm muito mais "medo" dos seus cidadãos do que de nós Moçambicanos justamente pelo escrutínio público a que estes estão votados. Uma notícia confirmada de que um diplomata anda a financiar ilegalmente a oposição pode valer-lhe a expulsão. Da mesma forma, se o Governo moçambicano conseguir provar que determinados diplomatas estão a financiar ilegalmente determinados grupos para promover sublevação, o nosso governo tem a prerrogativa de declarar este diplomata de "persona non grata". A implicação desta declaração é única: repatriamento imediato.
Ora, os rumores que por aqui circulam de que os ocidentais andam em conluio com a oposição para desestabilizar o país não passam de disparate.
Os diplomatas estrangeiros em Moçambique estão muito mais activamente engajados em negociações, conversações e diálogo com dirigentes do Governo da Frelimo do que com líderes da oposição. Isto acontece de forma natural, pelo facto de estes serem os dirigentes do país.
Assim, a promoção das "chancelarias" como entidades que andam a conspirar contra o governo não passa de uma alucinação já de si doentia de um sector de alienígenas que povoaram a comunicação social pública e nestas redes sociais. Eles só podem distrair os incautos. 
O que é muito mais estranho é que estes promotores são os que mais se beneficiam dos fundos dos ocidentais que ninguém. Alguns exemplos em forma de perguntas
a) Qual é o partido que tem controlo sobre o Estado Moçambicano e governa o país desde 1975?
b) De quem é o governo que negoceia dívidas, investimento estrangeiro e empréstimos bancários com o exterior?
c) Que órgãos de informação são os mais preferidos durante as viagens presidenciais ao exterior?
d) Em que tipo de hotéis e quanto estes jornalistas ganham por dia nestas viagens?
e) Que órgãos ou agências de informação moçambicanos têm representações em Londres, Lisboa ou Pretória?
f) De que partido são os membros que dirigem as agências e institutos e programas do Estado que vivem totalmente de donativos estrangeiros? 
Pois bem, são algumas das perguntas que quanto a mim pode ajudar a tirar o fantasma de algumas cabeças. Os chanceleres estão em Moçambique para ajudar o nosso estado a avançar e não a recuar, muito menos a promover divergência entre moçambicanos. É mentira. Se ou quando houver divergência, será por nossa própria culpa. Os chancelers são nossos hóspedes e, pelos vistos, bons hóspedes. Eles, também hospedam nossos embaixadores lá fora. E em alguns destes países são os Estados destes países que pagam as nossas contas.
Propaganda a parte, julgo ser a altura para reconciliar com a verdade.
  • 90 pessoas gostam disto.
  • Muhamad Yassine Ainda temos gente de barba rija que faz analises de garoto da escola primaria, temos programas de radio que mais parece Cena Aberta infantil
  • Altino Mandlaze Defendendo os patrões Hhhh gostei. O texto foi bem pensado
  • Cleto Goncalves Claramente de acordo Egidio Vaz
  • Egidio Vaz Altino Mandlaze, afinal os meus patroes sao agora os ocidentais? Até bem pouco tempo dizias que o meu patrao era Dhlakama e Renamo.. Quando é que mudei? Heheheh
  • Victor Joaquim Mbuya imwe musa lemba
  • Celso Cossa Em algum momento fiquei chocado com algumas mentiras contras os diplomatas.
  • Egas Nhantumbo Obrigado pela informação.
  • Altino Mandlaze Simples brincadeira Egidio Vaz para me patrão é quem manda é paga. Apenas amei o texto e estou sem comentários ilustre
  • Eusébio A. P. Gwembe Vaz, as maiores conspirações no mundo, as maiores desestabilizações, os maiores desentendimentos entre os Estados, foram obra de diplomatas. Dizer que estão aqui para nos ajudarem é falso e seria o mesmo que dizer que os tais mais de 70 nossos lá fora estão para ajudar aqueles estados. Estes aqui estão para defender os interesses de respectivos estados e até podem estar em Moçambique de forma estratégica, quando pretendem defender interesses dispersos noutros quadrantes. Os interesses determinam a acção diplomática. Quem substitui Gaddafi fora seu embaixador... Volto
  • Elidio Cuco Alguns sao docentes de cadeiras ligados ao direito internacional, nao sei como anda a falar essas coisas, confundir posicionamento com ingerencia.
    Ontem às 11:11 · Editado · Gosto · 3
  • Laximidas Jamine Escrita absorvente e questões pela qual os faço a bastante tempo. Ta ai, aplausos e espero que alguem se prontifique a responder.
  • Egidio Vaz O ilustre Eusébio A. P. Gwembe, leu selectivamente o meu texto. O que acabou de dizer eu fí-lo mais de duas vezes neste texto. Vai entender o ponto quando regressar.
  • Macutana Macuta Macuta É mais um caso de atacar para se defender e vitimatização.
  • Helder Shenga Muito bem dito embora que em algumas situações já conclui algum posicionamento deste estar imbuídos de interesses.
  • Altino Mandlaze Há que salientar que ninguém dá sem que espere receber. E esses embaixadores não são ovos de ouro.
  • Walter Sousa O doutor Jornalista Gustavo Mavie tem Facebook? Eish, está a perder. Alguem pode lhe "taggar"?
  • Macutana Macuta Macuta Egidio Vaz o Eusébio A. P. Gwembe fez mesmo uma leitura selectiva. Apenas repetiu contraditoriamente aquilo que claramente disseste no post.
  • Majaua Nhampa o senhor e um profeta.Vamos em frente tens um fa.
  • Elisio Matias Muahave Espero respero os de direito que se pronunciem desta vez.
  • Elidio Cuco Sem duvidas Helder Shenga, mas acho que para alguns Estados do ocidente lhes interessa a subrevivencia deste regime, essas analise de ingerencia, podem nao fazer sentido. concordo com Macutana Mucuta Mucuta quando fala da vitimatizacao.
    Ontem às 11:27 · Editado · Gosto · 2
  • Elisio Matias Muahave Espero que os de direito que se pronunciem desta vez.
  • Sonia Muchate Poucas vezes a propaganda se baseia em factos, principalmenmte quando se procura vilipendiar uma outra parte/partes. Nao convem de certeza reflector sobre essas certezas caso contrario nao haveria propaganda nenhuma. Apetece-me ler algo sobre conspiracao, cabala politica he he he...
  • Egidio Vaz Sonia Muchate, trata-se do Slash-and-burn politics.
  • Gulumba D. Mutemba O melhor que esses financiadores deviam fazer,seria parar de financiar o orçamento do estado. Com a dimensao da campanha da frelimo,ficou mais que claro que este país já tem dinheiro suficiente para auto-financiar.
    Ontem às 11:52 · Editado · Gosto · 3
  • Majaua Nhampa esto com saudades dos seus debates.Na televisao a guardo a quelquer momento.
  • Carlos Luis bem dito...
  • Sonia Muchate Thanks Egidio Vaz ! Google eh comigo, ja tenho leituras para o fim de semana hi hi...
  • Majaua Nhampa Este pais precisa de pessoas com estas capacidades,que vao contra mare nao a favor de mare.Vao a for de mare quando for necessario.Estas de parabens.
  • Cristiano Manejo Cumplicidade sim,pd ser.
  • Yussuf Adam A teoria da conspiracao e muito usada por analistas deste pais. Ja me canso de tamanha preguica . Mas algum objectivo deve haver em divulgar esse tipo de informacao . A mao externa .....
  • Manuel Julai Obrigado.
  • Rufino Sitoe Dizer que as "chancelarias" estão banhadas de boas intençöes não faz disso uma verdade. Os Estados em muitas ocasiöes usam os Corpos Diplomáticos para promover dois tipos de agenda, primeiro, uma agenda clara, à qual podem todos aceder pelos canais públicos, e segundo, uma agenda obscura, normalmente secreta e levada à cabo por agentes diplomaticos com funçöes de espionagem...Os Estados têm interesses, mas as vezes os indivíduos usam o Estado para camuflar seus interesses. Decerto que o caro Raposo não tem conhecimento pormenorizado destes interesses e nem das acçöes levadas a cabo para satisfazer os mesmos...Com isso não quero dizer que o Corpo Diplomático Ocidental esteja envolvido em tramas de desestabilização (não tenho evidências).
  • Filipe Primeiro bsm dito esteas analistas que tem estado a comenyar na tvm principalmente ontem da devulgacao de resultados eleitorais nao passam de la aios lambe botas prtavozes oou comissarios politicos do partido frelimo mas o pvo esta atento e leva lo emos a santuvira para melhor servirem o patrao deles a celimo tenho duvidas e duvidas se estudarao e se for o caso vala pena n ir a escola subornar professores pR serem analfabetos polticos se n sabem nda melhorr n irem a televisao paga por nossos impostos falar a asneiras pais de famillias coitados
    23 h · Gosto
  • Wadirica Ulendo Ndimodi pina longuemwe
    23 h · Gosto
  • Elsa Xerinda Epa é por causa deste tipo de coisas que burkina faso está a arder hoje...

    hoje...
    22 h · Gosto
  • Bento Jone Gabuda macane awa mbamalo.
    19 h · Gosto · 1
  • Eliseu Soares O vento sopra do norte o Presidente de Burkina Faso já demitiu se. O povo cansou se é Moçambicanos não estão distantes
    17 h · Gosto
  • Celso Mapsanganhe Em Moçambique, quando as representações diplomáticas ocidentais falam com o Governo/FRELIMO é cooperação bilateral. Mas quando as mesmas falam com a oposição é conspiração ou ingerência nos assuntos domésticos. Quando a União Europeia, pronunciou-se positivamente sobre as eleições deste ano, a TVM/RM/J.NOTÍCIAS, fiseram um SHOW de legitimidade sobre o assunto. Agora não sei qual é a fonte que a RM usou, veio falar de conspiração do Ocidente para as manifestações de contestação de resultado eleitorais. Um ladrão profissional faz um estudo sobre o impacto do seu roubo, e faz a sua execução, contando com a colaboração de um bode expiatório.
    16 h · Gosto · 4
  • Dany Marangaze Felix Sem comentários...
    15 h · Gosto · 1
  • Kembo Mazithemba É É É, imagem sem comentário. Egidio. O seu texto está bem claro, mas existem aqueles que não querem a todo custo não perceber. Mas eu estou siente que perceberam.
    1 h · Gosto

Windows Live Messenger + Facebook