sábado, 14 de janeiro de 2017

USO ABUSIVO DE MEIOS DO ESTADO EM MANICA.



Muzungu Ndini adicionou 3 fotos novas — com Afonso Chicuare Chicuare e 8 outras pessoas.


A partir da província de Manica, concretamente do distrito de Gondola, chegam nos esta denúncia dando conta de que os funcionários que ocupam altos cargos na empresa Electricidade de Moçambique (EDM) são grandes vilões em usos abusivos dos bens daquela empresa do povo moçambicano, incluindo viaturas com combustível. Nas fotos temos imagens que ilustram a viatura da empresa EDM sendo usada hoje sábado (14),(menos de 30 minutos), no transporte de mercadoria para fins comerciais ( caixas de refrescos, bebidas alcoólicas e etc) num armazém denominado HANDLING para abastecer o "stock" um restaurante designado MACASSICA, localizado junto da EN6 pertencente a um quadro imbecil da empresa. É revoltante isso. O povo está pagar impostos com muito sacrifício para, no lugar de os bens servirem ao próprio povo, são usados para beneficiar a gentinhas de forma particular.Semana passada tivemos uma viatura do Estado destruída em Inhambane porque levaram para as bebideiras e hoje temos essa outra viatura do Estado sendo usada para as compras de um restaurante de um chefinho em Manica. E usam até o combustível do pobre povo. Sinceramente!.

Muzungu Ndini, zona sul de Moçambique.



A causa fundamental da pobreza em Moçambique

Negar factos, não ajuda a mudar o "status quo" de quem é pobre. Moçambique é um país pobre, onde a maioria das pessoas vive uma vida de má qualidade, mesmo não passando fome. A desnutrição, por exemplo, afecta pessoas mesmo onde há alimentos bastantes.
Qual é o problema?
"Educação", é a resposta! Mas educação orientada para um objectivo bem definido: o progresso nas dimensões científico-tecnológica, cultural, espiritual e material. O progresso material, sem as outras dimensões, é insustentável.

O argumento que sustenta este ponto de vista é seguinte.

Nesta semana que hoje (sábado) termina, estiveram a decorrer exames de admissão à Universidade, na UEM.
Cursos mais concorridos?
"Administração Pública, Direito, Contabilidade e Finanças, Gestão e Economia", é a resposta!
Agora vamos lá ser sinceros aqui. Estes cursos formam pessoas que depois vão engrossar o exército de desempregados, os quais já começaram a lutar abertamente contra o poder político instituído, com a ajuda dos "media" anti-regime.
Moçambique é um país abençoada com enormes reservas de uma vasta de recursos naturais que são usados como matérias-primas nas indústrias de alimentos, medicamentos, utensílios domésticos e industriais, incluindo agulhas, alfinetes, pregos, parafusos, electrodomésticos, mobiliário do todo tipo e maquinaria pesada, tudo isto que este país importa com a parca renda que obtém da exportação dos seus abundantes recursos naturais em bruto.
O que se passa aqui? Por que não mudar o paradigma de educação em Moçambique, instituindo um sistema de educação que privilegie a habilitação de pessoas para gerar soluções que promovam o progresso científico e tecnológico do país, contanto que que é o progresso científico e tecnológico que permite a geração de soluções que promovem o progresso material sustentável de uma Nação?
Visitando algumas as feiras de ciência, tecnologia e inovação—organizadas pelo agora Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Ensino Técnico-Profissional—, pude dar-me conta de que o espírito de inovação existe em Moçambique, mas não tem o estímulo e acompanhamento de que necessita para gerar o embrião da indústria transformadora moçambicana. Vi protótipos de máquinas engenhosas para cascar mandioca, ralar coco, pilar amendoim, ideadas por mentes moçambicanas conhecedoras dos hábitos alimentares do nosso mosaico cultural.
Quem abraçou esses inventores/inovadores? Qual é a atitude do empresariado, em colaboração com o Governo, gestor do Estado? Qual é a política nacional para a promoção da invenção e da inovação científica e tecnológica? Como está sendo implementada essa política? Quem avalia o seu sucesso ou insucesso? O que se faz com os resultados dessa avaliação, crendo que se faz?
Sabeis, compatriotas, a Arábia Saudita está no topo da lista dos países que produzem petróleo, presentemente a principal matéria-prima para a indústria de geração de energia cinética artificial do planeta Terra, e também para as indústrias petroquímica (para o fabrico de borracha sintética, espuma de borracha, e diversos tipos de plásticos) e de medicamentos. A riqueza material dos sauditas deriva a exploração e comercialização deste recurso natural (petróleo). Paradoxalmente, a Arábia Saudita é o país científica e tecnologicamente mais vulnerável do mundo! Dá para entender? É simples: os sauditas compram tudo com o petróleo, mas menos inteligência e habilidades para assegurar a replicação e sustentabilidade da sua riqueza material. Será que os moçambicanos querem ser como os sauditas…?
Outro exemplo, clássico, é o grego. Grécia é conhecida como o berço da ciência universal. Foi na Grécia onde se desenvolveu o primeiro sistema de instrução científica e tecnológica. Mas é a Grécia é hoje um país científica e tecnologicamente atrasado. O que aconteceu? Simples: a Grécia desenvolveu um sistema de educação que não privilegiava a experimentação e a invenção. Resultado: Grécia é ausente dos países de originários das invenções que transformaram o modo de vida dos seres humanos. A única invenção de relevo dos gregos é a "Democracia", que até nem se quer é bom sistema de organização da sociedade, sem que seja combinado com a noção de "República", esta inventada pelos romanos. Será que os moçambicanos querem ser como os gregos…?
Enfim, o meu ponto é que, para desenvolver Moçambique, os moçambicanos precisam de inventar um sistema de educação que promova a formação de pessoas que usam o conhecimento para *fazer* mais e *falar* pouco; um sistema de educação que promova o progresso científico e tecnológico de Moçambique, por forma a facilitar o progresso material sustentável. Temos que encontrar um esquema de educação que promova a produção de cientistas e engenheiros empreendedores. Temos que encontrar um esquema de educação que faça com que as nossas crianças gostem de Matemática, Física, Química, Biologia, Ciências Médicas e Veterinárias, Ciências Alimentares e Nutricionais, Geografia Física, Geologia, Geofísica e Engenharia. Estas é que são as áreas de formação que habilitam a invenção de soluções materiais para assegurar o desenvolvimento efectivamente sustentável de Moçambique. A causa fundamental da pobreza em Moçambique é a falta de visão desenvolvimento nos moldes propostos neste textículo (não testículo!).
Algum protesto? Havendo, então que venha com argumentos que não tenham nada com o que estou a imaginar…!
GostoMostrar mais reações
11 comentários
Comentários
Thom RudeBoy Chicomba Concordo plenamente contigo ilustre as suas ideias eu pensei antes ate cheguei a discutir com alguns amigos, na minha opniao pra tal sugiro pra que haja uma mudança de sonhos de nossas crianças quanto aquilo que eles queiram que sejam! Não estava na moda sonhar em ser enginheiro mecanico nos anos mas sim ser um economista, advogado algo assim do genero.
Gosto12 h
Edson Chichongue Boa tarde prof.

Aprecio muito esta sua análise sobre a causa da pobreza em Moçambique.


Quando as acções de uma universidade não tem impacto directo na sociedade, então ela não funciona. 

A forma como as nossas universidades funcionam não é de orientar os estudantes para a transformação ou geração de mudanças na sociedade, o exemplo disso é que há de encontrar uma instituição de ensino superior q introduziu o curso de Administração e Gestão de Negócios e que já formou mais de 500 pessoas mas nenhuma delas já gerou um pequeno negócio.

Parece que se está a formar pessoas para serem teóricos ou observadores.

Veja que no currículo actual foi introduzida a cadeira de Empreendedorismo no ensino secundário geral mas os leccionadores desta são indivíduos q em muitos casos nunca conseguiram abrir nem se quer uma baraca.
.
Nos outros países atualmente as universidades funcionam num modelo triade universidade—empresa—sociedade e vice—versa. 

Neste país falar de incubadoras até na UEM ainda é uma utopia.

Em fim, um dia voltarei a comentar sobre isto pois preocupa—me.
Gosto12 h
Tomo Valeriano Facto!
Caro professor, aquém devemos imputar a responsabilidade de mudar este paradigma?
Nalgum momento, acho que somos uma nação sem agenda (os tomadores de decisao) visto não saberem quais as prioridades do país nas áreas chave de formação? 

Precisamos de uma agenda mais séria neste país e so assim lutaremos contra a pobreza.
Gosto12 h
Mebanze Joao AGENDA ATÉ K TEMOS. Mas uma agendinha guiada por um imediatismo extremo.
Gosto1 h
Rosario Cumbane Muito profundo o texto é estou de acordo com o professor mas na minha opinião, esta ideia de se despertar o gosto pelas disciplinas que o Prof faz referência neste post deve ser acompanhado pela formação dos respectivos professores de qualidade de modo a servirem de referência para os seus alunos pós os que andam pôr aí nem resolver um problema de matemática simples para eles conseguem e concordo ainda que o cientistas para falarem muito são tantos só temos falta dos que produzem comida e ...
Gosto2 h
Hermes Sueia É preciso complementaridade.............
Gosto1 h
Hermes Sueia Nenhuma área de saber funciona totalmente isolada das outras......
Gosto1 h
Nayo Macamo Concordo plenamente Professor. É só olhar para as maiores economias do mundo em que áreas estão a apostar. Japão, Índia, China, Brasil estão a frente nas novas tecnologias e não é por acaso. Eles investem em educação e apostam em ciências. Por ca estamos preocupados em fazer letras sem Matemática acoplado a passagens automáticas. E depois reclamamos quando há recrutamento para projectos de gás e petróleo e são estrangeiros a ganhar salários chorudos.
Gosto1 h
Hermes Sueia E essas maiores economias do mundo só vivem de engenheiros?
Gosto1 h
Nayo Macamo Não. Mas o desenvolvimento não pode ser feito apenas com ciências sociais.
Gosto1 h
Harrison Ruben Bem falado prof. Seria bom começarmos a reflectir seriamente sobre o ensino das ciencias no nosso pais desde o nivel basico até o nivel superior.
Gosto1 h
João Carlos É sempre um imbroglio e controversa apurar porquê certos países ou nações se desenvolvem ou prosperam relativamente aos outros. Ou explicar o atraso de muitos relativamente aos outros.
A educação ou sistemas educativos é uma parte importante da justificativa, mas não é tudo. Outras variáveis preponderantes entram em cena nessa complexa equação. Fórmula resolvente? Ainda não apareceu!
Gosto1 hEditado
Nércia Sendela Bela visao
Gosto1 h
Antolinho André Excelente reflexão professor, esperamos que a mesma seja replicada no Ministério de Educação de modo que as Escolas Pré Universitárias incutam nos jovens. A escolha dos Cursos tem a ver com a interacção diária dos candidatos. Os professores tem uma tarefa importante nesse processo.
Gosto1 h
Comentários
Angelo Mualo Gente sem pena
GostoResponder15 h
Xamatimba Mutadiwa Nhaca Ja estamos habituados
GostoResponder15 h
Muzungu Ndini pocha pah
GostoResponder4 h
Bresneve Matezo Waaaaa Muzungu Ndini xiiii era pa caregar como ja voce to render
GostoResponder4 h
Armando Bate NB:A frelimo_e,q_faz_a,e_q"fez"
GostoResponder4 h
Joaquim Joao Correia Ontem vi um 4 x 4 com malandras a beber com essa viatura
GostoResponder14 h
Leonel Damião Miguel Eu conheço o dono do estabelecimento em causa. Trata se sim de abuso de poder mas Não se trata da Frelimo.
GostoResponder14 hEditado
Álvaro Xerinda Imagens claras
GostoResponder14 h
Muzungu Ndini Qual é o nome dele?. Nós ainda estamos a apurar o nome dele.
GostoResponder24 h
Herculano Gadaga Não psso dizer nome até ão fnal do dia vais ter não se precupe há informação sta andar
GostoResponder4 h
Muzungu Ndini chama-se Edson da Graça. Ja apuramos o nome dele
GostoResponder14 h
Herculano Gadaga É uma vergonha msmo se este colega sta faz e melhor dxar pk sta maxar há própria empresa mais eu já conheço não psso dzer o nme ora k conhece já sbe k e mais força aí Gondola boa tarde aí
GostoResponder14 h
Lucas Julio Guenzi fazer oquem ohoverno mombicano quer isso nao tem lei, nos outros paises que tem lei como mugabe nao se faz isso
GostoResponder14 h
Muzungu Ndini Chama-se Edson da Graça o imbecil.
GostoResponder4 h
Manuel Chitlamgo Isso mesmo esse é o nome dele ja tava ligar pa gondola pa apurarem o nome
GostoResponder4 h
Gimo Mabjaia E normal, ate existe mais k isso em moz.
GostoResponder4 h
Virgilio Rodrigo Elila Gilio Estes funcionarios publicos sao uns desmiolados, ja tou cansado de assistir estes inbecis a brincarem de donos dos bens do estado....malucos pah
GostoResponder14 h
Muzungu Ndini Este assunto vamos comunicar os altos dirigentes em Maputo
GostoResponder34 hEditado
Paulino Panguene Aque em Maputo da de mais .
GostoResponder4 h
Antonio Joao Joaquim Joaquim Em moz tudo é possível
GostoResponder3 h
Nire Ernesto Manhalo Isso ja é d mais
GostoResponder3 h
Mario Mapossa Mapossa JA É DEMAS
GostoResponder3 h
Mussa Abubacar Qem não vee é porq não qer ver, esses gajos abusam o poder.
GostoResponder3 h
GostoResponder3 h
Marques Canzamba Na africa tudo é possivel.
GostoResponder3 h
Ernesto Jose Manuel Aqui na Africa do Sul nao tem isso
GostoResponder2 h
Amilcar Antonio Esdor Sinceramente
GostoResponder3 h
Armando Pangane Moz xta mal
GostoResponder3 h
Abdul Razak Muariga Muariga Exes sao axim mesmo
GostoResponder3 h
Simon Junior Vilas Niku tundzu!
GostoResponder3 h
Rosa Alane Molesse Molesse Em maputo,é k vai fzer o kem? Pork sao os mesmo.
GostoResponder3 h
GostoResponder3 h
Bony Fernado Djombo Djombo mbuaya zawanthu?
GostoResponder3 h
Francisco Ramuses A frelimo e q faz e continue fzer bos trabalho pra opovo
GostoResponder3 h
Cristina Makamo Se for a ofender alguém desculpem me, eu não sou nenhum de vós porque já provaram que não servem, mas indo a realidade quem é que nunca teve o privilégio de usar uma viatura de uma instituição alocada a ele que não possa fazer o uso também em benefício próprio, o Sr. Muzungu Ndini só trás o que lhe interessa e não ao povo, em novembro Ou dezembro casou o enteado do seu simpatizante António Muchanga e carregou mercadoria e pessoas em benefício próprio ninguém teve interesse em divulgar porque é sua vida particular com o carro que recebeu na A.R. Se quiseres mais informações vai até ao fomento sial na Oficina dos Nhacas
GostoResponder2 h
Carlos Vasco Domingos Lambebotismo...atrazou o Paìs...freli so desfaz. ..
GostoResponder12 h
Armandinho Da Filipa Cambuma Kkkkkkkkkkkkkk gramei. Esse bruto que comentou em cima do seu comentário é descontente.
Cassam Gafur Os deputados têm viaturas atribuídas pessoalmente É EDM é carro da empresa que é Pública são duas coisas diferentes.
GostoResponder12 h
Cristina Makamo Pessoalmente depois de acabar o mandato enquanto ao serviço do povo não, porque é para deslocarem se para fazerem trabalhos que representem o povo, por isso justificação infundada
GostoResponder2 h
Cassam Gafur Quer dizer que a EDM está certa quando carrega mercadoria para a barraca do chefe? O deputado não estava a fazer chapa carregou familiares para casa dele com a viatura atribuída a ele não levou viatura de assembleia.
GostoResponder2 h
Felismino Elias Alfredo Alfredo pai d pandza tamos sem corente a dois dias aq n bairo cincu poq o poste ta podre e nem sobemo quanto sera a subistituicdo d poste nossas senas tao a podrece nos congeladores.
GostoResponder2 h
Cristina Makamo Aqui se nós derem uma viatura e combustível de borla ninguém não vai deixar usar em benefício próprio por isso vamos discutir o importante não viaturas
GostoResponder2 h
David D Alzirah Zandah Isso acontece em tudo quanto é lado em Moz mano... E não é só na EDM em vários empresas públicas e em estabelecimentos do Estado isso acontece
GostoResponder2 h
Jessica Alfredo Gostei desta denucia Muzungu é comu estes tipos de abusos na Provincia de Manica. O PCA confirmou-me k vai tomar medidas antes do dia 17/01/17.
GostoResponder2 h
Felismino Elias Alfredo Alfredo e e para piquet nao pessoal tas serto meu caro muzungundine mutema uno nessa maningui saque witakwa mabarmathoria ngo walungu.
GostoResponder2 h
Zacarias Bonicela Moz panza
GostoResponder2 h
Camional Assado Xtamx mal nx k somos povo ( capim)
GostoResponder2 h
Victor Primeiro Bens do povo para fins pessoais, meu Deus
GostoResponder2 h
Herculano Gadaga Realmente ki vergonha para essas caras de indivíduos que brincam com propriedades da empresa aproveitando cargos de chefia para abusar o povo, hoje viatura da edm vira transporte da cdm, uaau, sao esses ki presidente Samora excluía em menos de um dia, sabotadores, malandros , bandidos , preguissosos ter
GostoResponder11 h
Jorge Domingos Prosseco imediato
GostoResponder1 h
Jamu Razaque Estamos mal,em Moçambique cada um que seja chefe faz o que quer com sua chefia.
GostoResponder1 h
Isaias Chimbeza Kkkk Exa gramei
GostoResponder1 h
Elves Arnaldo Ninguem tomará nenhuma medida. Este país tem "donos" e "donos são todos", menos o povo.
GostoResponder1 h
Chicco Janeiro Moz sempre e asim nao tem controle no governo
GostoResponder1 h
Greatyman Majasse EDM E assim todo lado
GostoResponder1 h
Armandinho Da Filipa Cambuma Muzungu Ndini Essa foi a máxima. O seu passeio a centro e norte do país foi válido por 20/20. Mais notícias
GostoResponder1 h
Lindinho Alberto Mugabe Não vamos comparar viaturas da empresa pública e dos deputados, os deputados pagam as viaturas, são descontados nos salários e esses da empresa Edm não
GostoResponder11 h
Ofece Deniasse Chania Eu ja vi ambulancia carregando cxs d tomates, Tica-Beira.
Rofino Manuel Vilanculo isso è fazer oposiçao d verdade defender o povo
Muzungu Ndini kkkkkk... Ofece.
GostoResponder258 min
Ofece Deniasse Chania Serio mano M.N.
Armando Carlos N-Cate Neste caso,quero dizer que E.D.M e A.R. são duas coisas opostas.
Portanto é muito fácil entender quando se trata de uma gestão de essas,quiz simplificar neste sentido.
Pedro Camacho Foroma País d pandza , vive se bem prejudicando o outro
Fausto Quinhas Isto é a chamada forca da mudanca...que faz que fez
Sergio Jamal Isto nao é de hoje na administração publica ilustre Sr.Ndini porque já denunciamos casos do mesmo, como exemplos como: Ambulância dos Hospitais a fazer chapas, carros de patrulhas a fazer chapas, carros do Estado a carregar areias, pedras, chapas de casas, cimentos, mercadorias dos vendedores formais e informais, chapas de pessoais singulares e colectivas( familias, pessoas de igrejas). Tudo isto imposto do pobre cidadao pacato. Avante na denuncia Sr. Muzungu Ndini, lhe parabenizo lo pela sua coragem e vénia. Cabe a PRG no Gabinete Central de Combate a Corrupção averiguar minuciosamente os factos revelados como a entidade da acção penal na Republica de Mocambique. Não disse...........
GostoResponder7 min
Sergio Jamal Que roubaram gente!!!! Socorooooo. Assim o PCA o ilustre Eng. Magala deve imediatamente tomar as decisões concretas. Chega de criar comissões que nao trazem resultado ao publico ok. Ha um ano espero da Auditoria forense da Empresa EDM resultado -0000,0.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.