sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Crime de incesto: existe no ordenamento jurídico moçambicano?

Ivan Maússe estava a sentir-se chocado em Khongolote.

Assistindo ao programa Balanço Geral de hoje (13), passa uma reportagem segundo a qual um senhor, por sinal, agente da PRM, terá mantido relações sexuais com a sua própria filha menor de 19 anos. Até aí, quanto ao desenvolvimento da reportagem, tudo bem.
1. Ora, segundo o porta-voz da PRM a nível da Província de Maputo, Emídio Mabunda, o senhor em questão terá cometido um CRIME DE INCESTO. Sim, isso mesmo: crime de incesto!
2. Bem, segundo as minhas humildes leituras ao Código Penal moçambicano, aprovado pela Lei 35/2014, de 31 de Dezembro, NÃO VEM PREVISTO o crime de incesto. Do artigo 1 ao artigo 567, em nenhuma parte temos a palavra incesto como um tipo legal de crime (TLC).
3. É unânime entre os doutrinários ligados so campo do Direito Criminal (ou Penal) que é crime (ou criminal) "todo o facto TÍPICO, ilícito e culposo".
4. Aqui, entende-se por típico - tipo legal de crime - toda a conduta ou acção que a lei EXPRESSAMENTE a declara como crime. Logo, quando tal conduta não dispõe de presunção legal, a mesma, não pode ser tida como criminosa.
5. Nisto, a ser verdade que o senhor em voga manteve relações sexuais com a sua filha menor de 19 anos, é pouco óbvio, ou melhor, é largamente erróneo acusa-lo de cometimento do crime de incesto.
6. Isso porque, apesar de moralmente, se condenar e com toda a veemência o envolvimento sexual entre pais e filhos ou entre membros da mesma família, o que perfaz o incesto, sucede que este, feliz ou infelizmente, à luz do Direito moçambicano não constitui um tipo legal de crime. Isto é, não é qualquer acto criminoso.
7. Deste modo, Emídio Mabunda, terá sido algo infeliz no seu discurso quando abordado pela equipa da TV Miramar. Terá havido, da parte deste, um equívoco, grosseiro ou não, isso depende de cada intérprete colocado face ao evento.
8. A detenção do senhor é, avaliadas as circunstâncias preliminares, algo injusta uma vez que, apesar de a vítima ser menor de 19 anos, não houve propriamente uma violação já que, conforme se pôde constatar da reportagem, o envolvimento sexual (a cópola) foi algo consentida pela menor.
8. Além do exposto no ponto anterior, só perfaz conduta criminosa se (i) se tratar envolvimento sexual com menor de 12 anos (artigo 219 do Código Penal) ou ainda (ii) se houver prática de qualquer act o de natureza sexual, com menor de 16 anos, com ou sem consentimento, que não implique cópola - penetracão vaginal. (artigo 220 do Código Penal).
9. Desta forma, uma vez que, da reportagem exibida pela TV Miramar pôde-se constatar que houve supostamente um envolvimento sexual e/ou pelo menos outros actos de natureza sexual entre pai e filha menor de 19 anos, e não tendo ocorrido fora da vontade da menor, então NÃO HOUVE e nem há qualquer crime preenchido.
10. Assim, com toda a humildade, acredito que o pai deve ser inocentado e liberto da custódia policia. Claro, havendo necessidade de mantê-lo preso, tal prisão apenas deverá ser de prisma preventivo (prisão preventiva) que, em termos processuais (ou do direito adjectivo) - concretamente do Direito Processual Penal - servirá para dar espaço para a averiguação dos elementos, circunstâncias e afins ligados ao facto.
11. Além disso, quanto às condições de procedibilidade, notamos, conforme o número 1 do artigo 223 que nos crimes contra a liberdade sexual SÓ HÁ LUGAR o procedimento criminal se houver PRÉVIA DENÚNCIA do ofendido", salvo as excepções previstas nas alíneas a), b) e c) do mesmo artigo, o que NÃO FOI O CASO: a jovem "ofendida" não instou, ela própria, uma denúncia às autoridades administrativas e afins para o processo criminal.
PS: nem toda a conduta social, cultural ou moralmente condenável, leve ou veementemente, também lhe-é conforme à luz do Direito Positivo.
O incesto não é crime, definitivamente e ao senhor pode-lhe ser devolvida a liberdade.
Atenciosamente,
Ivan Maússe
Região
54 413 pessoas visitaram este local
Mostrar mais reações
26 comentários
Comentários
Osh Macamo Interessante e esclarecedora a abordagem.
GostoResponder17 h
Mussa Chaleque Aprecio as suas análises. Força!
GostoResponder17 h
De Waan Candido acho eu um poste bem colocado na hora certa. até porque é uma oportunidade k tenho para colocar aos juristas e/ou estudantes de direito.

porquê limitarem conversas com pessoas doutros Campos científicos, com expressões :

- qual é a base legal?
- onde ta escrito isso?
- Leia o código X...
- É o seguinte
- depende; etc...

se cada ser no seu campo científico e nao so .... pode ter uma opinião e produzir - se a própria lei pelas entidades competentes... a qual com o tempo ; com nova realidade, novas análises pode sofrer alterações. 

este caso merece intervenções multidiscipinares e multissetoriais.
GostoResponder47 h
Ndlhelene Nyanga Cumbe Muito grato. Foi muito bom aprender aqui. li e se for necessario volto a ler... as nossas televisoes precisam de pessoas com esta capacidade para abordar e analisar os casos
GostoResponder15 h
José Langa Jurista em potência, grande análise gostaria de tê-lo como advogado no futuro
GostoResponder17 h
Ivan Maússe Grato, prezados Mussa Chaleque e Osh Macamo. Vamos ao debate. Há pormenores que podem ser discutidos, ainda.
GostoResponder27 h
Osh Macamo Eu não teria muito a dizer. 
Mas parece-me que haja aqui alguma insuficiência no nosso ordenamento jurídico. 

Penso que há normas sociais que devem ser acomodadas ali. A questão do incesto é uma das que mereceria especial atenção, pelos seus potenciais efeitos negativos.
GostoResponder7 h

Excepto no caso de tal prática ser com menores (cujo crime seria de pedofilia, apenas), não faz sentido criminalizar o incesto no caso de pessoas adultas. É imoral, mas não é anti-ético. 
O mesmo para a poligamia ou poliandria.
GostoResponder5 h
Ivan Maússe De Waan Candido, sem dúvidas. 

Aliás, a multidisciplinaridade é sempre útil, principalmente, quando estamos em face de análise sobre factos sociais - aqueles ligados ao homem enquanto um ser social.

Vamos ao debate!
GostoResponder27 h

Ivan Maússe Hehehe meu ilustre José Langa quanta exaltação para um humilde jovem como eu.

Estou em crer que os meus mazas como Fernando Striker, a título de exemplo, poderão trazer uma abordagem mais elaborada e, se calhar, que detone a minha. Hehehe
GostoResponder37 h

José Langa Eu acredito no seu potencial, nas suas abordagems lúcidas e não alienadas .força, vamos trabalhar
GostoResponder17 h
Bitone Viage Será que este não deveria ser o momento para se pensar na possibilidade de se criminalizar o Incesto?
GostoResponder57 h
Lullu Manze Mukambe Também penso que deveria pensar se na possibilidade de se criminalizar o incesto.
GostoResponder17 h
Lullu Manze Mukambe 👏👏👏👏 que abordagem interessante, Ivan Maússe!! 

GostoResponder27 h


Se calhar seja matéria que os nossos juristas mormente influentes na arena do Direito Penal podiam persuadir ao legislador a tomar consideração na próxima revisão do CP.
GostoResponder27 h

Ivan Maússe Facto, caro Bitone Viage.
GostoResponder17 h
Ivan Maússe Por isso, insisto que, se a causa da detenção do senhor em voga é por conta de um alegado crime de incesto, então ele (o senhor) é inocente. Da sua acção, não houve qualquer crime cometido.

Agora, ao se provar, ouvindo a própria moça de 19 anos, que o pai se envolveu sexualmente com ela empregando um dos meios previstos no artigo 218 do CP e tendo ela a vontade de denunciar seu pai, aí sim estaremos em face de um acto criminal.

Portanto, o senhor é, na minha opinião, até ao momento inocente.
GostoResponder57 h

Jose Maria Dr ivan responde ou nao a minha pergunta?
GostoResponder5 h
De Waan Candido Penso k da mesma forma k aplica - se o regime de comunhão de adquiridos em uma relação que termina sem casamento oficial mas sim União de facto 
(corrijam - me a linguagem se necessário ) 
pode - se aplicar a lei que proíbe a contrair matrimônio entre membros da mesma família para estes casos.
GostoResponder17 h
Nico Voabil Sobre o assunto tenho a dizer o seguinte: nas minhas buscas sobre relações entre o direito e a moral consta que mesmo nas áreas de coincidência do Dto. E da Moral, a tutela jurídica dos valores prosseguidos igualmente na ordem moral tem um fundamento autónomo. 
O Dto. Não protege os valores éticos por eles mesmos porém só na medida em que a sua violação introduza perturbações relevantes na ordem social de convivência.
Nesses casos o que esta em causa é o dano social e não valor ético tutelado pela moral.
De qualquer modo, se o Dto. Pode permitir aquilo que é moralmente proibido (quando não afecta interesses socialmente relevante), não é concebivel que o Dto. Imponha, em frontal contradição com os imperativos morais, aquilo que é moralmente proibido, já que tanto a ordem jurídica como a moral São produtos da mesma ordem social.
GostoResponder16 h
Jose Maria Obrigado ivan, os lideres na materia ignoram essa verdade tudo pork evidenciam a corupcao 

Uma pergunta so dr ivan, kuand im dia fores indicado juiz, procurador, esses artigos nao irao ibernar na gaveta ? Iras realmente por em marcha esses conhecimentos e vontade de fazer justica?
GostoResponder6 h

Fernando Banze Hehehe Ivan, num pequeno ensaio para defesa dos seus clientes.

Se bem que ainda não foi criminalizado o incesto, acho que é chegada hora de se rever a situação.
GostoResponder6 h

Elvino Dias Não existe.
GostoResponder6 h
Helder Waka Moiane Um pensar interessnte mausse!!! Agora, quanto ao incesto acho k pode ser um caso a se estudar minuciosamente, tendo em conta que ha minorias sociedades k estao vulneraveis a essa pratica, principalmente nas zonas rurais, o direito consuetudinario é mto usado para regrar esse fenomeno
GostoResponder16 hEditado
António Tesoura Saudações! Lendo o seu poster ilustre Ivan Maússe surgiu-me a curiosidade de ver se efectivamente o pai que mantém relações sexuais com a sua própria filha não é punível na ordem jurídica moçambicana. Percebi que toda a abordagem que nos colocaste tem o seu sustento na máxima segundo a qual o que não é proibido é permitido, salva má compreensão! 

Humildemente, na minha óptica esse pai não se sai impune. O nosso código penal Não apresenta, sim, nenhum tipo legal de crime com o nome de incesto, concordo. Todavia, nos termos do artigo 222, n. 1, al. a) cp infere-se que o pai que cometer o crime de violação, sem querer especificar os outros crimes, é punido com agravação especial. Logo, a contrário sensu, quer queiramos quer não, esse pai cometeu incesto. 

Portanto, não defendo que seja correcto o que disse o sr da PRM. Mas algo que me parece claro é que aquele pai está encrencado e vai passar mal porque à luz do aludido artigo a sua pena será substituída pela imediatamente superior. 

Nb: eu não quis discutir se houve ou não consentimento. Apenas pus o foco na existência ou não do crime de incesto! 
Aberto ao contraditório
GostoResponder16 h

Affonso Guerreiro Qual foi a violação?
GostoResponder5 h
Affonso Guerreiro Excelente. Partilhando...
GostoResponder5 h
Jorge Jone Obrigado por nos trazer esta brilhante análise. Aprendi um pouco mais sobre o direito. Para um leigo como eu parecia óbvia a situação de crime mas tudo leva a crer que surpreendentemente a justiça é impotente perante um pai abusador da sua própria filha.
GostoResponder3 hEditado
Arnaldo Tivana Gostei da abordagem, um dia vou usar estes argumentos nas alegações finais ou no pedido de liberdade provisória. Ja agora, menor de 19 anos é discutivel, uma vez que a C.R.M faz referencia em ultima analise que é maior aquele que faz 18 anos e no codigo civil diz que é maior aquele que tem 21 anos. Desde do tempo da faculdade que ando equivocado sobre a maioridade.
GostoResponder3 h
Eurico Nhassengo Dondzissa Mausse
GostoResponder1 h
Crespim Mabuluko Didactico...
Gusmão Peixoto Então:
Tornou-se chefe dos bandidos armados, terrorista e assassino do povo moçambicano só porque lhe "arrancaram" um Mercedes Benz saloon?
Foi por isso que andaram (ou andam) a aterrorizar os moçambicanos atacando viaturas nas estradas, roubando e queimando escolas, hospitais e centros de saúde, pilando crianças recém- nascidas, esfaqueando mulheres grávidas e idosos, provocando milhares de refugiados e desaparecidos, destruindo machambas, pontes, estradas e outras infraestruturas públicas e privadas, paralisando o escoamento da produção agrícola, comprometendo negócios, campanhas de vacinação de gado, colocando o país na miséria apesar de ter recursos naturais e humanos para se desenvolver?
POR CAUSA DE UM MERCEDES BENZ SALOON!?
Holden Macuapa Mas com o tal terror e bandidismo. Veio a democracia, multipartidarismo.. liberdade de expressão.. e muito mais..
Não sou apoiante da Renamo mas aceito que aquela guerra mudou algumas coisas em benefício de muitos... pode crer
Marcos Cipriano Maulate Quantos anos voce tinha no tempo da guerra dos 16 anos?
Holden Macuapa Uns poucos anos... isso me inibe de fazer a radiografia do antes é agora do sistema político do País? Acredite k vive muitas desgraças causadas pela guerra. Provocadas pelos dois (governo e a Resistência)mas k foi necessária a guerra, mantenho os meus dizeres
Gusmão Peixoto Seria injusto debater seja o que for com alguém que acha que uma guerra é benéfica e necessária para alguma coisa. 
Seria um debate desnivelado. 
Não quero me aproveitar da ingenuidade e ignorância de ninguém.
Afonso Chicuare Chicuare Palhaços e zarolhos
Gusmão Peixoto Uma abordagem muito inteligente a sua senhor Afonso Chicuare Chicuare, mostra muito bem a sua capacidade de raciocínio, argumentação e de síntese diante de um debate. 
Uma abordagem apenas superada por todos seres humanos e animais irracionais o que o coloca, senhor Afonso Chicuare Chicuare, abaixo mesmo de lesmas e minhocas.
Parabéns por ser um mentecapto e passe mal.
Calton Basilio Gusmao Peixoto, se nao vai ao bem vai ao mal. Ele nao disse que a guerra beneficia em algo mas sim, disse que valeu a pena a guerra porque foi com ela que conseguimos alguma coisa benefica.
Gusmão Peixoto Senhor Calton Basilio:
Se "conseguimos alguma coisa benéfica" com a guerra, tal como diz, significa que a guerra beneficia em alguma coisa.
Issufo Issufo A guerra por vezes é um mal necessario como pode constatar através da história de muitos países independentes incluindo Mocambique. Mas o Sr. Gusmão Peixoto parece ter sido embalado para dormir com histórias da carochinha contadas pelos lobos que continuam a pensar que Mocambique é uma capoeira com 24 milhões de patos.
GostoResponder112/1 às 1:56
Atumane Muenhe Muenhe Essa coisa de estar adefender afrelimo mesmo reconhecendo das suas maldades não vos ficam bem, que raio de pessoas pensam que vão com este tempo da verdade hem! Olha por mais que defendam a frelimo usando ate esquadroes da morte pioraram se sujar, está é a era da verdade!
Muchuquetane Guenjere A guerra diniciada em 1962 pela Frelimo beneficiou muita gente, porque ficamos independentes. A guerra iniciada pela Renamo beneficiou muita gente porque ja nao vao nos matar sem ser julgados, Liberdade de Expressao, entre outras coisas. Sera que essas guerras nao foram umk mal necessario? Estamos a viver no seculo XXI e nao no seculo XX, e temos capacidade de raciocinio. Nao pensem que somos bobos.
Be Focus Cusmao e mesmo um palhaco cego mental
Benerth Ralc Eterna saudade comandante Andre, a Frelimo ate hoje nao conseguio ganhar uma guerra, nao tem nunca teve capacidade de o fazer, a Frelimo tornou-se um antro de corruptos de toda especie, de toda familia, de toda classe, de toda a categoria. A Frelimo usa e abusa do povo, manipula eleicoes para continuar no puder e continuar roubar a usar e a abusar o povo de Mocambiqu, autointitulam-se de libertadores e o povo hoje se tornou mais escravo que no tempo colonial, hoje esta pior. Roubam ao estado e vem a publico dizer que se fosse possivel voltariam a fazer o mesmo. Roubam ao estado e criam empresas fantasmas para drenar o dinheiro. Hoje o roubo publico nao e vergonha, quem rouba e aplaudido. Frelimo perdeu todos aqueles conceitos que tinha logo apos a independencia, a frelimo tornou os mocambicanos endividados, divida que ninguem sabe para onde foi o dinheiro e o povo e obrigado a pagar. A Frelimo hoje tenta sem sucesso passar uma imagem de preocupada com o povo mas e a mesma Frelimo que nas diversas localidades usa as forcas armadas para matarem os seus opositores num grupo a que chamam de esquadroes da morte, as forcas armadas hoje ja nao defendem o povo, tornaram-se altamente nocivas aos mocambicanos, quando tentam aproximar as bases da Renamo sao mortos como baratas, e os sobreviventes fojem e na fuja ao passarem pelas localidades e vilarejos disparam indiscriminadamente para as pessoas, roubam tudo que encontram, queimam as casas dos aldeoes. E triste e lamentavel e repudiavel as atitudes do governo e das forcas da frelimo. Hoje a Frelimo obriga a que funcionarios publicos que nada tem a ver com politica e assuntos de partidos politicos sejam membros da propria Frelimo e se reunam dentro das instituicoes publicas. Hoje dinheiro colectados dos impostos dos mocambicanos sao drenados para o partido frelimo em esquemas montados para que ninguem descubra, esta e uma situacao que tem muitos anos. Hoje ha mortes encomendadas e o governo nunca se pronucia, nunca aceita e nunca nega, o governo criou coturnos e delfins para perseguirem e matarem membros da Renamo na esperanca de enfraquecer as fileiras da renamo e obrigar a este partido a ceder no dialogo para a Paz um truque muito ultrapassado e desajustado a que o governo e seus acolitos do mal uns do norte la de mueda e outros do sul estao afincadamente dedicados, esperam que um dia isto resulte. Aonde pensa a Frelimo que vai com tamanha desorientacao e descordenacao? Quem pensa a frelimo que esta a prejudicar? O Futuro cedo revelara.
Issufo Issufo Por vezes pelo caminho depois de passarmos por tantos embriagados encontramos alguém sobrio e lucido.
Benerth Ralc Obrigado Issufo.
Issufo Issufo Andre Matsangaisa também sonhava com o seu país Independente, Democratico, onde todos os moçambicanos independentemente da sua tribo, região, raça, opção politica, religiosa ou outras diferenças pudessem viver em harmonia e saborear a liberdade. (no caso dele ao volante do seu mercedes). Ao contrário disso deparou se com uma corja de comunistas(comodistas) que assaltaram tudo o que havia de bom , viviam em palacios, eram conduzidos em belas maquinas, faziam compras na loja franca onde havia tudo e era exclusivo aos dirigentes e aos estrangeiros, onde só o dollar era aceite, enquanto o povo vivia num clima de medo e terror criado pela snasp e a sua teias de milicias e bufos, eram fuzilado em praca publica ou enviados para os campos de reeducação e os que escapavam, para sobreviverem tinham de passar dias e noites em bichas para obter para um mes uns kilitos de arroz, xima, um litro de oleo, um repolho, para alimentarem as suas familias. Não será por isso que muitos optaram por voltar para o mato e pegar em armas? Infelizmente Mocambique não teve a sorte de ter um Mandela senão penso que estaria agora tão ou mais desenvolvido do que a Africa do Sul.
Quimunda Muzila Cá está o Issufo Duplo com sua retórica antipatriótica e maldosa habitual. Então ó Issufo Duplo dos Óculos Escuros tudo sucedeu por causa dos mafiosos do poder enquanto Matsangas sofriam no mato lutando pela democracia dos mortos e feridos tadinho deles e os regimes racistas à volta estavam apenas desejosos de ajudar, caridosos que eram, né ó Issufi Duplo dos Óculos Escuros? Mas que descaramento o seu, hem?
Issufo Issufo Pelo menos sabes o que eram as Lojas Francas onde os teus progenitores iam te buscar o leite e as fraldass ou os coitados tinham de passar uma semana na bicha para que tu não andasses sempre a chorar de fome e com o traseiro nauseabundo?
Jossias Malukele Pázinho, é o que dá usar óculos escuros, a noite esconde a história, brada muda já de lentes.
Djicaze Dzovo Dzovo Issufo Duplo dos Óculos Escuros...Bwakakakakakakaka
Djicaze Dzovo Dzovo 40 anos a vingar um Mercedes. Dá para filme. Bwakakakakaka.
Issufo Issufo Ai estão os desinformadores de serviço, os profetas e ferrenhos defensores da Cleptocracia e da mediocridade. Quimunda Muzila que ja mudou o nome do perfil, Jossias Malukele cujo mural nada tem para mostrar e o ilustre Djicaze Dzovo Dzovo. Eu uso óculos escuros para me proteger dos raios UV e da poluição politica que vocês defendem mas não escondo a minha identidade e continuo a protestar por um Moçambique livre, justo, democratico, para todos os moçambicanos.
Abilio Manjate É bom saber que em 1976 havia alguem que queria uma democracia plena e funcional. Isto vem a provar que realmente ,o objectivo da renamo era mesmo a democracia e a liberdade.a execusão dessas ideias e objectivos ,é que saiu turbulenta.em 76 a renamo era uma força democratica ou tinha essa ideia,a. Frelimo se nao me engano ,era marxista ,leninista etc,mas nao tinha a democracia em mente.essa verdede ficou clara p mi.
GostoResponder112/1 às 8:01Editado
Imtiaz Vala Nem lucido e nem embriagado alguem acredita nesta encomenda politico partidaria!O ano esta no inicio e muita bolada noticiosa vira!Neste Edicao nao bolou-se algo!Disperdicio de recurso!Ate a proxima bolada!
Jerson Juliety Bila Gusmao peixoto,nao vais dizer k foi ele k fez as dividas ocultas tambem?um dia vais acordar sem tusa e a tirares a culpa ao Grande Andre,coitado de voces
Nemane Selemane Quem tinha mercedes benz em 75? Tambem esta informacao foi tirada do historiador Guambe no seu murral do facebook. Tem de se ter cuidado, possivelmente ele tem outros elementos.
GostoResponder111/1 às 9:34
Holden Macuapa Haviam mercedez sim...sempre houveram os modelos e que são diferentes.. infomese
Abilio Manjate Quem tem os meios de comuniçao,quem controla a midia tem o poder da propoganda a seu favor.passamos anos a ouvir uma e unica versão ,ouvimos sempre um lado e ficamos formatados.hoje estamos tão formatados que nem sequer nos damos o temoo de perceber que existe ou existiram mais pessoas com ideias diferentes .agora tou atento em quem nao teve o poder de propoganda naquele tempo,quero ouvir o que ficou por ser dito.quero ouvir aqueles que disseram alguma coisa mas,nao se publicou ou nao veio ao publico por que eram ideias cntrarevolucionarias.quero saber porque foram chamados de reacionarios, o que fizeram,qual é a versao deles,.assim abrir e espandir o meu conhecimeto.
GostoResponder112/1 às 8:17
Marcos Cipriano Maulate Renamo é um movimento terrorrista e rebelde sem agenda politica para este país, os seguidores da renamo sempre manipularam a essencia da renamo, fingindo terem roubado, matado e atrazando a economia do país pela Democracia, os bem atentos como eu e tantos outros percebemos a muito tempo que tudo era falacia, pois a tal democracia nunca se fez sentir dentro do movimento terrorrista e rebelde renamo, assim que o Afonso é um bandido em chefe vitalicio.
Marques Xerinda Esse merece prisão perpétua.... Devia ter pedido demissão...Mas gatuno e banva
Same Domingos Taverna Esses Gatunos e nbavas de hoje você não consegue ver né? Otário
Jeronimo Jose Nhavotso Jerry Oooooo André, afinal trabalhaste na construção de Cahora bassa?
Matolinha Fernandes Quimunda Muzila , "perigoso" é o senhor que anda a falar mal de mim nas minhas costas. Deixe de ser COVARDE comigo e sempre que quiser dizer-me alguma coisa faça-o directamente, respondendo aos meus comentários. Eu nunca fiz isso consigo. 
Outra coisa; não me misture com ninguém. Eu sou eu, não tenho nada a ver com os outros. Eu só não defendo "Movimentos Armados" disfarçados de partidos que se aproveitam de um povo ingénuo para o enganar constantemente. 
Quem quiser fundar partidos, que o faça, quem quiser candidatar-se ao que quer que seja candidate-se, mas não pode, de forma alguma, fazê-lo baseado na força das armas. Nem a frelimo nem a renamo têm motivos para existir, Moçambique é um país independente e já não necessita de "frentes de libertação" nem de "resistências nacionais". Vão para o Museu que é onde deviam estar.
Moçambique é nosso, não é propriedade vossa. 
Estamos fartos de PARASITAS!

UM POVO QUE QUER A PAZ, NÃO VOTA EM "MOVIMENTOS ARMADOS" MASCARADOS DE PARTIDOS POLÍTICOS!
GostoResponder8 h

Amancio Chemane é Unay Cambuma?
GostoResponder111/1 às 9:06
Abdala Jacinto Quem é esse cara?
GostoResponder111/1 às 8:47
Matolinha Fernandes É aquele indivíduo que hasteou a bandeira nacional no dia 25 de Junho de 1975 chamava-se André Matsangaíssa.

Nota: A Bandeira Nacional, nessa altura, era outra. Depois disso, os "Donos do País" (a frelimo) decidiram trocá-la pela actual. Não fazia sentido uma bandeira que não fosse a dos "libertadores".

MOZENTRETENIMENTO.CO.MZ
GostoResponder11 h

G-neto Musico Baixem a nova musica dos G-milk com titulo: King Kong https://planeta-news7.blogspot.com/.../os-g-milk-feat...
Amade Jamal Jamal Que história mas triste para Moçambique.
Amade Jamal Jamal Só vejo problemas a penas.
NÓS NÃO APRENDEMOS, POR ISSO FOMOS VENCIDOS COMO UM POVO.
Não constitui novidade para ninguém que o que caracteriza Moçambique nos últimos anos 15 anos é um grupo de indivíduos que de forma recorrente chega ao poder por vias ilegítimas, pervertendo a vontade da maioria expressa nas urnas. É só lembrarmos as eleições de1999 e 2014.
Após serem consagrados vencedores pelos órgãos eleitorais, cujo controlo detém, fazem um discurso conciliador, de unidade, que apesar de todas diferenças somos moçambicanos, e a moçambicanidade deve estar acima de todos os interesses particulares, por isso não deve existir ódio entre irmãos, afinal, todos somos um Povo e defendemos uma só Nação, a moçambicana.
Nos primeiros dias após a tomada do posse, comem, dançam, choram com o Povo, instruem aos órgãos de comunicação social, que por sinal eles controlam para fingir imparcialidade em tudo o que dizem e fazem.
Nos meses subsequentes à tomada de posse, criam esquadrões de morte, perseguem e matam os seus adversários políticos, matam académicos de gabarito de Cistac, e instruem a PGR e PRM para dizer que está a investigar e até têm pistas dos criminosos. Volvidos dois meses, o Povo esquece, como sempre.
Privatizam os meios de comunicação públicos e instruem os seus 40 papagaios para desmentir ou banalizar as mortes daqueles cujas vidas foram por eles encurtadas.
Ainda no decurso da sua governação, simulam julgamentos, prendem por dois ou três meses, alguns que fazem parte dos seus, por terem supostamente roubado dinheiro do Povo, e os incautos aplaudem dizendo que afinal eles estão a trabalhar e estão do lado do Povo, mas no fim do dia, nada que tais indivíduos roubaram ao Povo reverte a favor deste. É só recordarem o caso aeroporto que indubitavelmente pode repetir -se no das as dívidas ocultas cuja auditoria está em curso.
Por se sentir desamparado perante aqueles que julgam deviam defender os seus direitos, alguns, com incidência os lúcidos, olham para os partidos na oposição ou comunidade internacional como solução para o sofrimento a que estão sujeitos, mas no final do dia conclui que tal oposição é como o MDM na AR que não é nada mais que mera continuidade daqueles que os oprimem, e os europeus também tem seus interesses ocultos, relegando para o segundo plano os interesses do povo sofredor. Quem estave em Mocambique aquando das eleições de 2014, pode testemunhar isso.
Desperadas, aspessoas confiam no Líder quem massivamente confiaram o seu voto, e aplaudem a violência, mas no fundo concluem que este também é um charlatão, que tal como seu antecessor não tem agenda clara do que pretende.
Termina o mandato, começa o recenseamento eleitoral, e, eles coercivamente recolhem BI's, delineam suas artimanhas e " ganham eleições " e nós assistimos como meros espetadores. Enfim, nós não aprendemos, por isso, eles nos venceram como um Povo.
Nb: caros amigos, com particularidade aos juristas, repristinando as palavras do nosso anterior Bastonário, estudar Direito e consentir ou calar perante as injustiças como como as que estamos vivendo, melhor ser Engenheiro.
Mostrar mais reações
Comentários
Kelvintino Massas E ser engenheiro é uma tarefa faraônica na UEM, cada um aonde está contribua com sua área, palavras fortes meu caro dr. Dias, bem haja os juristas com mentes abertas! Governar um povo atrasado e difícil, então os dois lados sentem o peso da mão da ignorância
GostoResponder321 minEditado
Jah Warrowarro Disse tudo. A uma necessidade de o povo levar o poder. Muitas foram as formas usadas para derrubar os ditadores e ladrões do poder. Estas formas o povo também pode usar. As circustancias exigem que eles sejam necessarias
GostoResponder1 h
Homer Wolf Náo estará o MDM a fazer a sua luta, à sua maneira?...
GostoResponder139 minEditado
Mangane Mangane Não acabei seu texto mas é interessante forca

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.