sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Autora não acerta nas respostas de exame sobre os próprios poemas


Autora não acerta nas respostas de exame sobre os próprios poemas
janeiro 13
09:362017
Sara Holbrook é autora de dois poemas que são utilizados nos exames do ensino básico do estado do Texas, nos Estados Unidos. A autora publicou um artigo de opinião no Huffington Post onde se queixa de algo – deveras – curioso: não consegue responder acertadamente às perguntas sobre os seus próprios poemas.


A (também) professora explicou que não entende como é que é suposto os alunos saberem responder a perguntas como “qual é a razão mais provável para o poeta usar letra maiúscula no verso 6”, “que linha no texto melhor sugere que a situação do locutor é temporária” ou “porque é que o autor fez uma pausa”.
Estas questões, sublinhe-se, são apresentadas nos State of Texas Assessments of Academic Readiness (STAAR), exames desenvolvidos por instituições governamentais para aferir as capacidades dos alunos do ensino público primário e secundário do Texas.
“Estas perguntas do exame são simplesmente inventadas e – trágica e incompreensivelmente – o futuro dos miúdos e as avaliações dos seus professores vão ser baseados na sua capacidade de adivinhar aquilo que eles definem como resposta correta a perguntas inventadas”, escreveu a autora.
Sara Holbrook defende que este tipo de questões pertencem a discussões livres sobre os textos e não a perguntas de escolha múltipla nos exames. A autora nunca foi consultada sobre estas perguntas, embora receba um pagamento pelo uso dos textos.


“A minha reflexão final é esta: qualquer pergunta que questione as motivações do autor sem questionar o autor é uma treta pegada. Regra geral, quem redige os testes faz isto a autores que já morreram e não podem protestar. Mas eu não estou morta. Eu protesto”, rematou a docente.
Fonte;Noticias ao minuto

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.