segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Mary Anne, a mãe imigrante de Donald Trump


1 / 5
Mostrar legenda
Mãe de Donald Trump emigrou para os Estados Unidos com 18 anos, onde casou com um filho de imigrantes
Mary Anne MacLeod tinha 18 anos quando embarcou no navio que a iria levar da Escócia para Nova Iorque, em 1930. A imigrante escocesa que viria a ser mãe do presidente Donald Trump partia de uma comunidade piscatória da ilha de Lewis, das Hébridas Exteriores, para a grande maçã, numa altura em que os Estados Unidos enfrentavam a grande depressão económica.
MacLeod foi para a América à procura de trabalho como empregada doméstica e seis anos depois casou-se com Frederick Christ Trump, um empresário filho de imigrantes alemães que viria a enriquecer no setor imobiliário.
Mary Anne nasceu em 1912, filha de Malcom, um lojista que também geria o posto de correios da cidade, segundo a BBC, que cita o genealogista Bill Lawson.
A escocesa "vinha de uma grande família e tinha nove irmãos", conta Lawson. "O movimento na altura era para fora da ilha. O que mais poderia ela fazer?", explicou.


O primeiro trabalho de Mary Anne em Nova Iorque foi como ama, mas logo a crise se fez sentir com a queda da bolsa de Wall Street e ela perdeu o emprego. Em 1934, Mary Anne voltou para a Escócia, onde passou apenas algum tempo.


Dois anos depois, em 1936, casou-se com Fred Trump, que tinha conhecido num baile, e mudou-se para o bairro de Queens, uma zona onde viviam pessoas com algum dinheiro. A escocesa tornou-se uma voz ativa nos trabalhos e eventos de solidariedade da cidade enquanto acompanhava o marido aos eventos sociais mais elitistas.
Fred Trump entrou para o mundo dos negócios cedo, criando uma empresa de construção enquanto ainda estava na escola secundária, segundo a The New Yorker.
Em 1942, Mary Anne conseguiu ter a nacionalidade norte-americana e quatro anos depois, em 1946, dava à luz ao atual presidente dos Estados Unidos, Donald John Trump, o quarto de cinco filhos.


Mary Anne morreu em 2000, um ano depois do marido e antes de poder ver o filho seguir a carreira política que o colocou no cargo mais importante do país.
Num livro intitulado "Trump: The Art of the Comeback" e publicado em 1997, Trump descreveu a mãe como "uma mulher muito esperta" e disse que comparava as mulheres da sua vida com a mãe. "Parte dos problemas que tive com mulheres foi por compará-las com a minha incrível mãe, Mary Trump", escreveu o presidente.
Em 2008, o milionário visitou com a irmã mais velha, Maryanne Trump Barry, a casa e a terra onde a mãe cresceu, a ilha de Lewis. Nessa altura, Trump confessou que já tinha ido àquele local quando tinha "três ou quatro anos" mas não se lembrava da viagem.
Donald Trump passou aproximadamente 97 segundos dentro da casa da mãe durante esta viagem, segundo o genealogista Lawson.
"Tenho estado muito ocupado - estou a criar empregos em todo o mundo e é muito muito difícil encontrar tempo para voltar", disse Trump, na altura. "Mas pareceu-me uma altura adequada porque eu tenho um avião. Estou muito feliz por ter vindo e vou regressar", continuou.


Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook