quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Macron diz que colonização francesa na Argélia foi "crime contra a humanidade"


O candidato independente à presidência, que as sondagens dão como o favorito, tocou num tema que divide a sociedade e os políticos. Está a ser crucificado. Até que ponto isto o irá afectar?
Macron está na Argélia em campanha e a promover a "reconciliação"
Foto
Macron está na Argélia em campanha e a promover a "reconciliação" EPA
Emmanuel Macron tropeçou no primeiro obstáculo do seu percurso como candidato à presidência francesa e não será fácil recuperar da queda. Foi ele próprio quem criou o problema ao qualificar, na Argélia, a colonização francesa como "um crime contra a humanidade".
Foi duramente criticado pelos adversários. François Fillon (centro-direita) disse que a posição de Macron sobre a presença francesa na Argélia é "indigna de um candidato à presidência da república". Pela France Nacional (extrema-direita), falou o director de campanha de Marine Le Pen, David Rachline: "Macron está a denegrir a França no estrangeiro. E aspira ele ser Presidente?".
Numa entrevista à televisão argelina Echorouk News em Argel, no início desta semana, Macron (centrista e independente) disse que as acções dos franceses no país que se tornou independente em 1962 foram "genuinamente bárbaras e constituem uma parte do passado que tem que ser confrontado com um pedido de desculpa".
"A colonização faz parte da História francesa. Faz parte desse passado que devemos olhar de frente oferecendo as nossas desculpas áqueles a quem fizémos certas coisas", disse Macron.
A colonização da Argélia e o comportamento das tropas francesas no período da guerra da independência (1954-62) é um tema muito polémico em França — houve torturas, execuções sumárias, massacres. Do lado argelino terá havido 1,5 milhões de mortos, segundo Argel. Do lado francês terão morrido 25.600 militares. 
A visita de três dias de Macron à Argélia, que incluiu uma paragem ao Memorial dos Mártires em Argel, foi justificada pelo candidato como um passo para promover a "reconciliação da memória entre os dois países". A colonização permanece uma fonte de tensão nas relações entre os dois países, com muitos políticos argelinos a exigirem que a França reconheça os crimes cometidos e peça perdão. Acusam a França de viver em negação sobre esse período violento da sua História.
Macron não comentou a polémica. Mas o seu director de campanha, Jérôme Grand d’Esnon, esclareceu que se tratou de um "erro de terminologia". Macron, explicou, não quis dar um "sentido jurídico" às suas palavras.
Alguns analistas defendem que Macron estava apenas a demarcar a sua visão sobre a colonização da dos seus adversários Fillon e Le Pen — "que não querem ouvir falar em arrependimento" (Europe 1). Macron segue a visão do actual Presidente, François Hollande, que em 2012, no Parlamento de Argel, reconheceu que "durante 132 anos, a Argélia foi submetida a um sistema profundamente injusto e brutal".
Mas a frase, tenha sido uma gafe ou intencional, terá consequências eleitorais, escreveram também os analistas franceses. Até onde irá a penalização dos eleitores, é o que não se sabe. Fillon explorou imediatamente o "caso Argélia", criticando o rival — de momento o mais bem posicionado para se qualificar na primeira volta das presidenciais, a 23 de Abril, e disputar o cargo com Marine Le Pen, que tem passagem garantida à segunda volta, a 7 de Maio — e apontando-lhe as incongruências de discurso.
"Ainda não há muito tempo — disse Fillon, num comício perante quatro mil pessoas —, Macron encontrava aspectos positivos na colonização. Significa isso que Emmanuel Macron não tem coluna vertebral? Que se limita a falar para agradar a quem o está a ouvir?".
Fillon — que perdeu a confiança do eleitorado ao saber-se que terá dado um emprego fictício à mulher, o caso está a ser investigado — falava num artigo assinado em Outubro por Macron no jornal Le Point. Nele, o antigo ministro da Economia considerava que durante a colonização da Argélia "houve tortura, mas também a emergência de um Estado, da riqueza, da classe média". "Houve elementos de civilização e elementos de barbárie", escreveu Macron.
Fillon, que tem tido dificuldade em conseguir apoios dentro do seu próprio partido, devido ao escândalo, viu um peso pesado dos Republicanos partir para o ataque a Macron. "Opor-se aos franceses, usar a História para dividir... vejo bem o eleitoralismo que está por detrás disto. Não é digno de um chefe de Estado agitar cicatrizes que são muito dolorosas", disse Jean-Pierre Raffarin.
Raffarin não defendeu Fillon, mas atacou o candidato que, até aqui, parecia inatacável. O caso deverá retirar votos a Emmanuel Macron, resta saber se os transfere para o caído em desgraça Fillon. Seja como for, o episódio argelino vai perseguir Macon até ao dia das eleições.

  1. ana cristina
      
    o macron não se referiu apenas à colonização francesa. referiu-se, e muito bem, aõ colonialismo em geral.
    1. Filipe Sousa
        
      Entao os franceses nao foram lá fazer um favor aos argelinos?
    2. ana cristina
        
      está a brincar?!!
  2. joao
      
    Perfeitamente genial. O tipo é esperto até mais não. Aliás, como já referi aqui, ele está a seguir todos os passos do Trump... e a sua receita de sucesso.
  3. Javali
      
    Estão a fazer um concurso de quem se enterra mais?
    1. ana cristina
        
      neste caso não se enterra coisa nenhuma. ele tem razão e a maioria dos franceses sabe que ele tem razão. o colonialismo foi um crime contra a humanidade. as potências coloniais roubaram, escravizaram e massacraram alegremente durante séculos milhões de pessoas em toda a áfrica e oriente. quantas fortunas de hoje, quantas avenidas e palacetes foram construídos sugando os africanos, os indianos, os iranianos, os afegãos, etc, etc...o tempo passa mas a realidade da história é essa, com vestígios atuais muito visíveis.
  4. Pelayo
      
    Macron representa o frouxismo, a capitulação perante o fascismo islâmico. França sairá muito prejudicada se o escolher como Presidente da República.
    1. Sum Legend
        
      Macron aprendeu depressa: diz-lhes o politicamente correcto. O resto que se lixe.
    2. Filipe Sousa
        
      Se a hipocrisia pagasse taxa, estes dois sujeitos passavam fome. Isto se nao tivessem já sucumbido 'a mesma.
    3. Sum Legend
        
      Ao Filipe so lhe falta a bolinha vermelha no nariz. De resto, ja la esta tudo.



Manuel Pedro Marmelo
 Todos os países foram invadidos e colonisados. Os Francos eram um povo Germânico bárbaro que invadiu e colonisou o território dos Gauleses. Portugal foi colonisado por quantos povos? Isso foi crime contra a humanidade? NAO! Nós somo o resultado disso mesmo. Vai-te curar populista de esquerda de meia tigela.
Gosto · Responder · 1 · 17 min
Mário Silva
Mário Silva Bravo! Subiu na minha consideração. Como se diz na minha terra, "quem diz a verdade não merece castigo".
Gosto · Responder · 12 · 2 h
João Chaves
João Chaves Subiu e qual é o passo seguinte? Meter o povo a pagar reparações por erros de outras pessoas? Tem vergonha porco traidor.
Alexandre Cordeiro
Alexandre Cordeiro Crime contra a humnidade foi todo o processo de descolonização gerido pelos regimes pós 2 guerra mundial. Descolonização essa que jamais deveria ter lugar.
Gosto · Responder · 2 · 37 min · Editado
Ricardo Moreira
Ricardo Moreira (cromo)
Ivan Bastos Silva
Ivan Bastos Silva Já estava na hora, os Alemães já reconheceram seus erros.
Gosto · Responder · 2 · 1 h
João Chaves
João Chaves Os alemães que cometeram erros já morreram, estás a falar de quem palhaço?
Marco Dos Santos
Marco Dos Santos tá tramada, a azia do joãozinho....
Gosto · Responder · 6 min
José Ribeiro
José Ribeiro E é como candidatos que tocam em assuntos destes? Boa estratégia para não ter de pedir desculpa. Perde as eleições.
Gosto · Responder · 1 min
Nuno Caetano
Nuno Caetano Ok, com o escândalo do outro e este a denegrir a imagem do país onde quer ser eleito... Vamos ter a Le Pen é? Agora é que o "bicho vai pegar"....
Gosto · Responder · 2 · 2 h
André Gonçalves
André Gonçalves Deixa lá que estão repetir o mesmo, mas no sentido inverso, a colonização muçulmana em França
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Marco Dos Santos
Marco Dos Santos chega a vez de todos...aguenta e não chora!!
Pedro Veiga Faria
Pedro Veiga Faria Porque será que os países colonizados pela franca são os mais pobres és do mundo?? Algo tem de vir do problema do colonizador
Gosto · Responder · 1 h
José Antunes
José Antunes Tal como foram todas as colonizações incluindo as portuguesas...
Complétement d'accord avec vous Mr Macron
Carlos Gustavo Neto
Carlos Gustavo Neto Ah ah, está a ser crucificado, tadinho do Gold Men Sex! Mas o Trump, não, esse mercece, seus jornaleiros...
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Fernando Nunes Valentim
Fernando Nunes Valentim o jornal Público è que tropeça frequentemente na mesma pedra, nao existe nenhuma queda so a vossa
Gosto · Responder · 1 h
Ludgero Edgren
Ludgero Edgren Quando Macron,foi Ministro- da Economia,nunca ele criticou a Franca, desde então agora ele quer"transformar a França".
Gosto · Responder · 1 h
Edson Mesquita de Carvalho
Edson Mesquita de Carvalho A colonização francesa foi crime contra a humanidade não só na Argélia, como em todas as suas ex-colónias.
Gosto · Responder · 1 · 15 min
Catarina Mestre
Catarina Mestre Todas foram!
Gosto · Responder · 1 · 1 h
Marcelo Figueiredo
Marcelo Figueiredo Demagogo de Esquerda.... Vai querer reparação histórica? Safado.
Gosto · Responder · 2 · 1 h
João Chaves
João Chaves Exactamente, estes traidores querem meter o povo trabalhador a pagar, por acções duma altura em que ainda não eram vivos.
Marco Dos Santos
Marco Dos Santos é lavar as mãos como pilatos...e mamar a bucha pelas responsabilidades passadas, aguenta e não chora!!!
João Chaves
João Chaves Defendo a prisão deste traidor e assassino Emmanuel Macron
Gosto · Responder · 7 min
José Ribeiro
José Ribeiro Mais um idiota a "apelar" ao voto na Le Pen.
Gosto · Responder · 3 min
Miguel Araujo
Miguel Araujo eeeeee LIBIA??? outro macaco vendio!!!!
Gosto · Responder · 2 h
Maria Cunha
Maria Cunha Já se calou? Fixe
Gosto · Responder · 1 h
Martines Fernando
Martines Fernando Uma tempestade politica aproxima-se ...
Gosto · Responder · 2 h
Rodrigo Barata Pires
Rodrigo Barata Pires ...e agora levam com eles aos magotes...foderm-se
Gosto · Responder · 1 h
Tonny Silva
Tonny Silva Que se espera de traidores de esquerda
Marco Dos Santos
Marco Dos Santos que se espera de neandertais de extrema-direita...
Nuno R. Magalhães

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook