sábado, 4 de fevereiro de 2017

De Klerk acusa Presidente Zuma de acelerar a queda da África do Sul para uma crise económica e racial


PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - África
Escrito por Agências  em 03 Fevereiro 2017
Share/Save/Bookmark
Exactamente 27 anos depois de ele mudar o curso da história africana, o vencedor do Prémio Nobel da Paz, FW De Klerk, acusou o Presidente Jacob Zuma de estar determinado a acelerar a queda da África do Sul para uma crise económica e racial.
"O Presidente Zuma está determinado a acelerar a nossa descida para a via da captura do Estado, crise económica e confrontação racial", declarou De Klerk durante uma conferência de imprensa, quinta-feira na Cidade do Cabo, para marcar o seu anúncio dramático de 2 de Fevereiro de 1990, do levantamento da proibição do Congresso Nacional Africano (ANC) e a libertação de Nelson Mandela, o prisioneiro mais célebre do mundo.
Ele declarou que, apesar dos progressos extraordinários realizados pela África do Sul desde então, "nós funcionamos sem objectivo na via do declínio da sociedade" .
Ele diz-se preocupado com as divisões raciais que o Governo propagava e advertiu que a população branca será "praticamente eliminada".
Na quinta-feira, Sipho Pittyana, animador da organização Save South Africa, anunciou igualmente ao Clube da Imprensa da Cidade do Cabo que o tesouro nacional poderá ser destruído por Zuma.
"Se o ANC estatuir e permitir ao Presidente destruir o tesouro nacional, então o partido no poder terá vendido a África do Sul", declarou.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook