sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Angola: pelo menos 17 mortos em jogo do campeonato de futebol



Adeptos terão forçado entrada no estádio do Uíge.
Alguns dos espectadores durante o jogo desta tarde, no Estádio Municipal 4 de Janeiro
Foto
Alguns dos espectadores durante o jogo desta tarde, no Estádio Municipal 4 de Janeiro DR
Pelo menos 17 pessoas morreram nesta sexta-feira na cidade angolana do Uíge, Norte do país, alegadamente ao forçarem a entrada no Estádio Municipal 4 de Janeiro, para assistirem à partida entre o Santa Rita de Cássia e o Recreativo do Libolo, relativo à jornada inaugural do Girabola de 2017 e que os forasteiros venceram por 1-0.

A informação foi prestada à Lusa por fonte da equipa da casa, o Santa Rita de Cássia, que se estreia esta época no principal campeonato angolano de futebol. A mesma fonte indicou que o incidente, que terá provocado ainda mais de 60 feridos, terá levado à morte, por asfixia, de vários adeptos, incluindo crianças.
Este cenário é confirmado igualmente pela imprensa local, que além dos 17 mortos refere que cinco dos feridos estão em estado grave, no hospital provincial do Uíge.
Já segundo o site de notícias Voz da América, o número de pessoas que tinham dado entrada no hospital local rondava os 100. O mesmo site falou com uma das pessoas no local do acidente. Castigo Olavo, que estava à porta do estádio, disse que “havia apenas dois polícias no local e as pessoas começaram a empurrar até que o portão cedeu”, fazendo com que dezenas de pessoas fossem pisadas entre a confusão.
Por enquanto, não há ainda informações oficiais sobre o acidente, nem o número exacto de vítimas.

O Estádio Municipal 4 de Janeiro, recinto escolhido pelo Santa Rita de Cássia para competir na condição de visitado, tinha recebido no passado domingo luz verde das autoridades para acolher jogos do Girabola. Segundo o Jornal de Angola, a equipa de inspectores da Federação Angolana de Futebol (FAF) que realizou a vistoria tinha deixado, porém, uma série de recomendações.
Em causa estava a necessidade de melhorar as casas de banho para os espectadores, alinhar o recinto de jogo, alterar a abertura dos portões principais e garantir a segurança através de efectivos da Polícia Nacional. Tudo isto para cumprir num prazo limite de três dias, meta que o gestor do estádio, Massuma Daniel, terá considerado facilmente alcançável.
A partida entre o Santa Rita de Cássia - que foi fundado apenas em 2015 e em menos de dois anos ascendeu ao principal escalão angolano - e o Recreativo do Libolo envolveu a estreia de dois treinadores portugueses, respectivamente Sérgio Traguil e Vaz Pinto.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook