segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

SOBRE A ATRIBUIÇÃO DE ADJECTIVOS CRITICOS

PIMO - Bloco de Orientação Construtiva
5 h · 
ACOMPANHE UM DIÁLOGO CONSTRUTIVO ENTRE O ILUSTRE ANTÓNIO MATAVEL E YÁ-QUB SIBINDY SOBRE A ATRIBUIÇÃO DE ADJECTIVOS CRITICOS - FRELINEGÓCIOS OU CORRUPÇÃO AO PARTIDO FRELIMO
Meu caro Ilustre Antonio Matavel, caso tiver algum tempo disponível para fazer uma retrospetiva da intervenção dos partidos políticos na arena nacional, poderá distinguir que o comportamento cívico do PIMO foi sempre desde à sua fundação de lançar uma crítica didáctica e cívica para separar o erro em correção do respeito pela postura e dignidade humana que o sujeito errado merece!
Todavia, esse comportamento construtivo do PIMO, vinte anos depois, continua sendo distinguido pela Frelimo como se fosse uma dependência de sobrevivência estomacal e tentativa de mendigar cargos políticos!
Mesmo o apoio incondicional que temos declarado à Frelimo e os seus respectivos candidatos às eleições Presidenciais e legislativas, nos últimos pleitos eleitorais de 2009 e 2014, não são bem-vindos aos olhos do partido: -QUANDO À FRELIMO PROMETE, CUMPRE!
Como o nosso NOBRE objetivo de servir à pátria não é limitado às cores partidárias, nós não ficamos afectados com esse tratamento pejorativo de que somos sujeitos pela Direção da Frelimo!
Continuamos, assim como gostaríamos também de continuar neste ano, a apresentar ao governo da Frelimo, projectos financeiros e económicos que postos em prática o povo moçambicano jamais esqueceria o sabor de um papel patriótico, duma Frente de Libertação que se constituiu em nome do Povo para Libertar o Povo e servir melhor o mesmo povo, graças à UNIDADE NACIONAL!
Ficamos bastante envergonhados e humilhados quando um governo, chefiado por Cda Armando Guebuza, um Histórico e uma das figuras fundamentais do orgulho da nossa determinada aventura para Lutar contra o Colonialismo, dispensa deliberadamente às nossas propostas construtivas que visam oferecer ao país, uma nobre oportunidades de construir uma economia de carácter capitalista sociofamiliar, para juntos ficarmos ricos com o povo que nos ajudou a libertar este Moçambique e consenquentemente à ganhar eleições!
Guebuza e o seu regime, dispensou a cooperação multimilionária com Bancos árabes e com companhias petrolíferas que estavam disponíveis injetar um apoio económico e financeiro ao Estado moçambicano fornecendo por exemplo gasóleo à 17 meticais o litro e 21 meticais a gasolina por um período de 10 anos sem subcarregar o bolso do cidadão!
Não é utopia,Tanzânia, no tempo do Hassan Mwini, teria se beneficiado do mesmo tipo de ajuda, durante o regime de Saddam Hussein!
O PIMO, quando é surpreendido pela triste notícia escandalosa das dívidas secretas contraídas pelo regime do Cda Guebuza caiu de rabo, após a recuperação da consciência, acabou concluindo que estava a pregar um sermão sobre o projecto da nova Independência Económica de Moçambique, num deserto sem fiéis, pois a Frelimo já mudou sinicamente à sua agenda pública, passando a se comportar como uma Propriedade Privada, ligada exclusivamente a agendas estranhas para enriquecimento dos seus dirigentes e nada de olhar o povo como sempre foi o nosso slogan desde à luta de Libertação Nacional!
Perante esses factos que só mencionamos á título de exemplo que nome a Frelimo merece senão o nome da FRELINEGÓCIOS dirigido por um bando de traidores e corruptos incorrigíveis que decidiram deliberadamente concorrer democraticamente para o poder com objetivos malignos de delinquir o Estado e tomar o povo como novos escravos para pagar às suas dívidas ocultas?
É na base desta crítica pública que o PIMO, munido de documentos credíveis que foram forjados entre os governos da Frelimo e direcção do Partido PIMO desde 2002, à partir deste ano 2017, vai passar a apresentar ao público, como prova para denunciar a hipócrita política da Frelimo, sobre os constantes apelos falsos do partido no poder que sempre tem vindo à exigir aos moçambicanos, no lugar de fazer críticas desastabilizadoras, para passarem a comparticipar com ideias construtivas afim de constituir pacotes inclusivos no novo sistema de Governança Inclusiva da autoria da Frelimo!
Nós nunca condicionados à partilha do poder como contrapartida da entrega das multiplas soluções financeiras e económicas para o desenvolvimento de Moçambique, mas o que estranhamos é o sinismo dos Governos do Partido Frelimo que nem sequer aceitam sentar numa Mesa Redonda para juntos harmonizar os projectos que por sua natureza até já estão bem salvaguardados no Plano Quinquenal do Governo do Presidente Nyusi!
Exigimos ao Governo da Frelimo que à nova AGÊNCIA DE INVESTIMENTO E COMÉRCIO, criada pelo Governo, na base da fusão da CPI, GAZEDA e SIMPEX, seja orientada para trabalhar com o Grande Projecto NOVO MOÇAMBIQUE, SA, afim de provar ao público em geral que o PIMO não é um oportunista político que fala barato para denegrir, pois há cidadãos sérios que não esqueceram exigir neste post o paradeiro do Projecto da Linha Férrea de alta velocidade Norte Sul que iria ligar os três corredores, que está nas mãos da Frelimo desde os tempos do governo do Presidente Guebuza!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook