sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Os filhos do Presidente


Nyimpine era mais violento em público; Samito Machel discreto de gema; Mussumbuluko agarra-se ofegante nos negócios e Florindo um “bon vivant” antes do tempo. Cada um com a sua façanha. Mas há façanhas e façanhas. Umas maiores, que a sociedade aprova, e outras menores, que meio mundo reprova em segredo, com cochichos de taberna ou zumbidos nas orelhas. Porque, no nosso caso, é política e socialmente incorrecto falar da vida privada de algumas figuras políticas, mesmo que, por princípio, a democracia abra flancos para um maior escrutínio das suas vidas (e das vidas dos seus) na esfera pública.
Há uma marca que distingue os filhos de cada um dos presidentes entre si?
Ontem, aconteceu que sonhasse sobre estas coisas, sobre os estilos, os comportamentos, as atitudes públicas dos filhos dos nossos presidentes e sobre como seus pais marcam seus destinos. Se eles podem ser usados como modelos? Se eles são o indicador perfeito de uma família estável? Se seus pais se preocupam demasiado com o percurso de cada um, para ajudar-lhes a fintarem destinos erráticos?
A vida dos filhos dos Presidentes, em democracia, é monitorada até o tutano. Na sua última conferência de imprensa, anteontem, Barack Obama teve de responder a uma pergunta picante da jornalista Christi Parsons, do LA Times, sobre as filhas. No fim ele disse que vai se recolher para Chicago, “estar um pouco no silêncio, fazer alguma escrita e cuidar das minhas meninas”. Aliás, ele permanece por DC porque Sacha, a mais nova, está terminando o colégio.
Isto diz muito, não?
Os media procuram desvios de comportamento nos filhos dos Presidentes e, quando encontrados, eles impactam tremendamente na vida dos pais. No nosso caso, não é assim. Aqui, quando os há, esses desvios vem ter de bandeja há mesa de cada um. E agora com as redes sociais, a velocidade da partilha dos excessos é sonora. Há quem possa querer recomeçar velhos debates: afinal o que é excessivo? O que é comportamento desviante? Que limites entre o privado e o público? 
Eu não estou numa empreitada filosófica. Pretendo apenas captar traços de distinção.
Um dos filhos do actual Filipe Nyusi, Florindo, é famoso por suas excentricidades: carros, dinheiro, meninas e uma atitude de arrogância perante o que lhe rodeia. O banimento no ATCM foi público e notório. E quem não acompanhou seu espectáculo na travessia do batelão, a caminho da Ponta do Ouro no fim do ano, onde esteve a exibir uma vida faustosa em plena crise, e nas barbas do pai, que passava na Ponta Mamoli?
Samora Machel foi mais incisivo com os filhos. Ntewane, o mais rebelde (talvez o único rebelde) foi à tropa, sem regalias, como uma forma de reabilitação. Machel engoliria um Samito se exibindo em carreira de tiro privada? Ou isso só é possível com este afrouxamento moral encoberto na democracia liberal?
Os filhos podem ser um espelho dos pais? Mussumbuluko talvez seja mais parecido com o pai que Nyimpine? E Florindo reincarna fielmente as peugadas de Nyusi? E a quem se parece Olívia Machel, com seus negócios mal parados?
Quaisquer que sejam as parecenças, cada um têm sua postura mas, nalgum momento, cada pai foi instrumental para colocar freios nos excessos dos filhos quando aqueles eram mais visíveis. É o que se espera que aconteça a Florindo. Ele podia ser um modelo. Mas está na boca do povao por motivos menos nobres, arrastando a família.
Camarada Presidente Nyusi não pode mesmo tentar alter o percurso errático do Florindo (enviando-lhe para uma boarding school lá longe, por exemplo)?. 
A nação agradeceria. 
O Florindo também!
GostoMostrar mais reações
Comentar
35 comentários
Comentários
Luis Muianga
Luis Muianga Olha Mano Mosse, também eu faço esta pergunta qual é a vida que esses meninos levam lá em casa, não basta só levar a um qualquer boarding school enquanto na capoeira não conseguimos controlar melhor os nossos pintainhos se não estaremos a dar um tiro no escuro...!!!
Gosto · Responder · 19 · 8 h
Edio Matola
Edio Matola Muito forte!!!!
Gosto · Responder · 1 · 8 h
Nelsoncarlos Tamele
Nelsoncarlos Tamele A educacao tem o seu berco nas nossas casernas, o que significa que se falha la, nao sao os boarding 's school q vao emendar, embora nao se pode descartar a relatividade dos casos!
Gosto · Responder · 2 · 8 h · Editado
Lionel Magul
Lionel Magul Forte e verídico.
Quid júris sobre esse comportamento maléfico do Florindo?
Gosto · Responder · 1 · 8 h
Celso Guirrugo
Celso Guirrugo Se nao lhe puder para lá longe manda para ir exibir os seus carros nas bandas de Chamaculo. Ou la pra boquisso vamos lhe receber como um amigo de longa data. Nota: traga moedas para subir chapa.
Gosto · Responder · 1 · 8 h
Lucia Quitxuwe
Lucia Quitxuwe Também se os pais não tiveram uma educação com valores, como eles vão transmitir os filhos? Mas estamos num País onde tudo está permitido para alguns, a lei da imunidade é usada duma maneira abusiva. Enquanto estivermos a sonecar ou mesmo a dormir, isto vai continuar assim. Tudo depende de nós, da nossa capacidade de resistir.
Gosto · Responder · 3 · 8 h
Nito Ivo
Nito Ivo Para o povo que vota em Moçambique nada disso conta. É irrelevante. Se não levamos a mal o comportamento dos próprios presidentes que se envolvem em corrupção quanto mais a vida dos filhos. Nosso país não é normal.
Gosto · Responder · 4 · 8 h
Ana Baptista
Ana Baptista Bananeira só dá bananas, não esperemos laranjas nem "tomates ".
Gosto · Responder · 6 · 8 h
Benny Matchole Khossa
Benny Matchole Khossa Os americanos sempre questionam "como é que alguém que não consegue cuidar da sua casa quer ser Presidente da Casa Maior - a República". A pergunta é pertinente. Até que ponto alguém que não consegue impor respeito e ordem no seu lar, consegue ser Presidente efectivo?
Gosto · Responder · 14 · 8 h
Evaristo Cumbane
Evaristo Cumbane Marcelo Mosse...voce escreve muito bem sobre as nossas verdades...muito obrigado...Como é que um pai não consegue disciplinar os próprios filhos....ou seja governar os filhos....e como é que este nosso pai vai governar a nós os outros filhos dele?
Gosto · Responder · 2 · 7 h
Dias Carlos
Dias Carlos Da pra titulo de um livro.abrc
Gosto · Responder · 7 h
Raul Novinte
Raul Novinte Acredito que o comportamento desse menino Florindo resulta da educação que ele ganha em casa com seus país..... De maneira como ele é tratado e visto....
Gosto · Responder · 2 · 7 h · Editado
Mario Fernando Jamaldine Fumo
Mario Fernando Jamaldine Fumo Quando se planta bananeira só pode se esperar bananas se estivermos à espera que dê papaia
Gosto · Responder · 1 · 7 h
Luís Loforte
Luís Loforte Quem se lembra de um Florindo Abelha numa novela brasileira de que me não ocorre o nome?
Gosto · Responder · 2 · 6 h
Saria Algy
Saria Algy ROCK SANTEIRO
Gosto · Responder · 6 h
Fatima Cossa
Fatima Cossa Eu me lembro. Eh eh eh eh.bjs
Gosto · Responder · 1 · 4 h
Luís Loforte
Luís Loforte Fatima Cossa Pois, esse Florindo Abelha (atenção, esse, não este) gostava muito de: "u, u, upalalá, u, u,u, upalalá, u, u, upalalá!".
Gosto · Responder · 2 · 4 h
Sergio Aurelio Dimande
Sergio Aurelio Dimande Estamos numa democracia de base ditatorial e totalitária por isso até as intervenções que são feitos na mídia de qualquer sorte, são censuradas por forma a que não se diga a verdade mesmo quando não há como esconder
Gosto · Responder · 6 h
Fausto Quinhas
Fausto Quinhas Os filhos sao a sombra dos pais... Aquelas atitudes q os pais passam para os filhos... Ate pk por detraz adoram...e dizem sim este é o meu filho...
Gosto · Responder · 6 h
Nazira Amade
Nazira Amade Admiro a família Obama,quem nos dera se visse possível eleger um presidente estrangeiro pra salvar o povo moçambicano
Gosto · Responder · 1 · 6 h
Percia Magaia Magaia
Percia Magaia Magaia Falou e disse.....
Gosto · Responder · 6 h
Luís Loforte
Luís Loforte Era menino e moço ainda, lembro-me muito bem, quando impossibilitado por razões etárias de assistir a um filme para maiores de 18:anos, em Porto Amélia (Pemba), recorremos ao truque de convidar um amigo na mesma condição, mas confiantes de que pelo facto de ser filho do polícia de serviço, este iria fechar os olhos. Como nos enganámos: ele foi directamente ao filho e começou a aplicar "ximbomanas" para cima dele. E nós pensamos: fogo, se ao filho bate assim!!!!
Enfim, gente de outra estirpe..
Edmundo Galiza Matos, Joao Teodosio Tique, Joao Lopes, José Lourenço, Renato Zamith Carrilho, Cesario Macedo, Liberato Silva: vocês lembram-se do Leal, o polícia que costumava ser destacado para controlo etário à porta do cinema, na baixa da cidade? Pois, foi com ele a cena que acabo de contar. O PR bem poderia aplicar a mesma medida pedagógica para com o filho, que o deixa muito mal na fotografia.
Gosto · Responder · 6 · 6 h · Editado
Carlos E. Nazareth Ribeiro
Carlos E. Nazareth Ribeiro Luís Loforte e Marcelo Mosse, a frase "Ou isso só é possível com este afrouxamento moral encoberto na democracia liberal"... (do MM) diz tudo o que poderíamos dizer das proles dos nossos presidentes... A carapuça serve à medida!
Gosto · Responder · 1 · 6 h
José Lourenço
José Lourenço Luís Loforte, lembro bem do Leal,mais tarde abandonou a polícia e dedicou- se aos negócios ( lojas) no mato,tendo inclusive mandado ir dois sobrinhos,que no final dos anos 73,74 tinham um Talbot.
Gosto · Responder · 1 · 5 h
Luís Loforte
Luís Loforte José Lourenço Boa, às vezes pensamos que só nós conhecemos as pessoas. Vivendo nós (eu e os meus irmãos) em casa dos Tique, éramos vizinhos do Leal. Já agora, como se chamava o filho dele?
Gosto · Responder · 1 · 5 h
Eurico Simone
Eurico Simone Maxwell Diz " a verdadeira liderança começa na instituição mais pequena e ao mesmo tempo mais complexa-Familia" Se voce não consegue demonstrar sucesso na liderança da sua familia, como e' que voce vai liderar a sua vida, o seu departamento, sua equipe, a sua secção, a sua empresa, o seu monicipio, a sua provincia, e ainda mais , o seu País. Lamento, mas me distancio dos "crookes" dos nossos presidentes das suas miseraveis vidas... Na verdade não sei se ele tem a capacidade suficiente pa LIDERAR! O que tenho visto ate hoje sao improvios de governacoes, coberto de escandalos, e sujidade. Mas, sei que um dia ainda existira um cndidato a president que sera um exempo de liderança para este País, ai neste dia irie votar pela primeira vez! Porque por enquanto, melhor usar o dia de votação pra colocar pão na mesa.
Gosto · Responder · 1 · 6 h
Pedro Martins
Pedro Martins Até parece que todos País Moçambicanos estão a educar bem os seus filhos...é só ir a costa do Sol...ver o distúrbio...o país todo esta doente...e a cura esta em cada um...na sua casa com os seus
Gosto · Responder · 3 · 6 h
Armenio Naene
Armenio Naene " os pais fazem os filhos e não o juízo deles. " Mas se nascer um rapaz virás com os teus olhos a parte boa, extravagante ou péssima do modus vivendi do mesmo" palavras de um sábio
Gosto · Responder · 6 h
Luís Loforte
Luís Loforte Pior ainda quando nos faltam referências, e aqueles que deveriam se-lo nos desiludem!
Gosto · Responder · 2 · 5 h · Editado
Danilo Ventura
Danilo Ventura A família considera se o primeiro agente de socialização, é lá onde aprendemos as regras básicas de convivência social tais como o respeito pelo seu semelhante, a título meramente exemplificativo, a escola, a sociedade em suas variadas esferas complementam e consolidam o já assimilado. Junto me a se caríssimo Marcelo Mosse neste apelo a salvação do nome da família Nyussi por parte de sua Excelência presidente da República.
Gosto · Responder · 6 h
Nordito Pente
Nordito Pente A boarding school não é lixeira. Por isso, alto aí!
Gosto · Responder · 1 · 5 h
Alberto Nhamposse
Alberto Nhamposse Thanks pela abordagem Mosse
Gosto · Responder · 5 h
Lucas Arnaldo Mazive
Lucas Arnaldo Mazive Apoiado Marcelo Mosse
Gosto · Responder · 4 h
Carolina Da Conceiçao Machate
Carolina Da Conceiçao Machate alguns presidentes eram oferecidos filhos....
Gosto · Responder · 3 h
Nguila Nyangulane
Nguila Nyangulane Eu nao gostei nada, nada mesmo deste cartoon, digo, do CANALHA. Os miudos nao deviam ter acesso a estas coisas e loisas...
Gosto · Responder · 2 h
Carlos Bilak
Carlos Bilak Sinceramente, penso que a demora do presidente Guebuza em indicar o seu sucessor contribuiu um pouco para o que está a acontecer hoje com a "primeira família" moçambicana. Ela foi pegue de surpresa. Não estava socialmente preparada para um nivel tão alto. É como um camponês que ganha 250 milhões de dolares em lotaria para gastar em 5 anos. 
A família do presidente Nhysi precisava de uma preparação psicosocial para saber lidar com o seu novo status, e não teve tempo.
O presidente agora não pode ter tempo de correr para consertar tudo. É muita coisa: dívida pública, inflação, Dhlakama, os camaradas....
Gosto · Responder · 1 h

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook