terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Início do ano calmo no HCM mas acidentes de viação e agressões físicas causam agitação


PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Nacional
Escrito por Emildo Sambo  em 02 Janeiro 2017
Share/Save/Bookmark
A direcção dos Serviços de Urgência do Hospital Central de Maputo (HCM) considera que a transição do ano 2016 para 2017 foi calma. Houve uma acentuada diminuição de doentes, mas não foi possível evitar o corre-corre devido às vítimas de acidentes de viação e agressões físicas.
Na transição de 2015 para 2016, deram entrada naquela unidade sanitária 294 pacientes, contra 314 , de 2016 para 2017, mas, felizmente, sem registo de nenhum óbito.
De 01 a 02 de Janeiro em curso, os Serviços de Urgência destinados a adultos no maior hospital de Moçambique registaram 299 casos, o que corresponde a uma diminuição de 69 casos em relação a igual período do ano passado.
Contudo, segundo Raúl Cossa, director dos Serviços de Urgência do HCM, pese embora a redução do número de pacientes observados, houve aumento considerável de doentes padecendo de diferentes tipos de trauma, em particular os acidentes de viação e agressões físicas. “Infelizmente, duas pessoas morreram por doenças”.
Na época em análise, os acidentes de viação subiram de 15 para 26. Três pessoas continuam internadas devido a estes incidentes, sendo que uma delas está sob cuidados intensivos. As agressões físicas passaram de nove para 28.
Porém, os ferimentos por objectos pirotécnicos diminuíram de nove para quatro, disse Raúl Cossa, a jornalistas na manhã de segunda-feira (02).

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook