quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Detido antigo secretário-geral da UGT em Espanha

ESPANHA
O antigo secretário-geral da União Geral de Trabalhadores (UGT) nas Astúrias, Justo Rodríguez Braga, foi detido por alegado envolvimento na gestão irregular de fundos para formação para o emprego.
A UGT já teria sido alvo de outros escândalos
O antigo secretário-geral da União Geral de Trabalhadores (UGT) nas Astúrias, Justo Rodríguez Braga, foi detido por alegado envolvimento na gestão irregular de fundos destinados à formação para o emprego, dá conta o ABC. Aparentemente, o sindicato teria inflacionado os custos dos cursos de formação financiados pelo governo das Astúrias, no qual preside Javier Fernández, do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol).
A UGT, porém, já foi alvo de outros escândalos. Manuel Pastrana, secretário-geral da UGT em Andaluzia até ao ano de 2013, também esteve envolto em diversas polémicas. Autorizou que o sindicato gastasse cerca de 230 mil euros, em 2010, para poder comprar uma residência em Sevilha. Já em 2009, veio a descobrir-se que foram gastos pelo menos 2 mil euros numa mariscada, como forma de pagar dívidas ao departamento de Emprego da Junta de Andaluzia, ligadas à concertação social.
Também o sucessor de Pastrana, Francisco Fernández Sevilla, não durou mais de sete meses à frente do cargo, depois de se ter vindo a descobrir que esteve envolvido num mediático caso de corrupção em Andaluzia e de ter financiado a UGT com fundos ilegais para a formação de emprego.
Relativamente à união sindical em Madrid, o secretário-geral José Ricardo Martínez, apresentou a sua demissão em outubro de 2014, depois de se conhecer que teria gasto 44.200 euros a partir da sua conta no banco Caja Madrid, através de um sistema de cartões de crédito cujos gastos se contabilizaram de forma encoberta para evitar controlos fiscais.
O último escândalo remeteu para Fernández Villa, conhecido por ser um histórico dirigente do sindicato dos trabalhadores. Villa ocultou ao fisco 1,4 milhões de euros, no âmbito de uma investigação anti-corrupção. Mais tarde, acabou por se concluir que se tratava de comissões derivadas da construção de uma residência para mineiros aposentados.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook