quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Caça ao Coelho

PEDRO PASSOS COELHO


135
21
Nunca o Diabo esteve tão próximo. Na verdade, o grande defeito de Passos Coelho é, ao mesmo tempo, simples e difícil de superar: ninguém quer que ele tenha razão.
Foi em meados de Novembro de 2016 que tive a sensação de que tinha aberto a caça ao Coelho dentro do PSD. Na altura, tinha a Comissão Europeia acabado de aceitar o projecto de Orçamento do Estado português para 2017 e Carlos Moedas declarou, numa visita ao nosso país, que este, em incumprimento desde 2009, estava finalmente a “ver uma luz ao fundo do túnel”. Sendo Moedas um destacado membro do governo anterior, não consegui deixar de ver nestas declarações uma facada em Passos Coelho.
Claro que se pode argumentar que apenas estava a comunicar as conclusões da Comissão Europeia (CE). No entanto, se formos ler o documento que a CE disponibilizou nesse mesmo dia, percebemos que nada disso está lá escrito. Pelo contrário, na conclusão do documento, podemos ler que, de acordo com as projecções da CE, o Orçamento do Estado para 2017 “desviar-se-á significativamente do ajustamento exigido pelas metas de médio prazo do saldo estrutural e não cumprirá a meta de redução da dívida”. É verdade, porém, que se acrescenta: “apesar de tudo, o desvio previsto excede o limite do desvio significativo por muito pouco”. Peço perdão pelo português arrevesado da minha tradução, mas só assim é possível fazer justiça ao inglês técnico com que foi escrito o documento oficial. Mas troco por miúdos. De acordo com a CE, Portugal não vai cumprir as metas. Mais do que isso, Portugal excede a margem de erro que a CE tem para quem não cumpre as metas. Todavia, excede-a por pouco. É como se estivéssemos dentro da margem de erro da margem de erro. É como se a leitora fosse apanhada a conduzir a 155km/h e pedisse clemência por exceder apenas por 5km/h a tolerância de 30km/h que usualmente é dada nas auto-estradas. Independentemente de se concordar ou não com o relatório, a verdade é que Carlos Moedas com as suas declarações fez bem mais do que dar voz à CE. A sensação que tive de que se estava a posicionar para uma eventual candidatura à liderança do PSD tem sido reforçada pelos encontros que vai promovendo com os caciques locais do PSD sempre que visita Portugal.
Moedas não é o único nesta caça. Há muito que Rui Rio é protocandidato e, ainda no mês de Novembro, Morais Sarmento, em entrevista à Rádio Renascença, não colocou de parte a hipótese de se candidatar, sugerindo ainda que parássemos de olhar para a “liga regional” e olhássemos para a “primeira liga”, onde pontuam Pedro Santana Lopes e Marques Mendes. E, de há umas semanas para cá, já ninguém sequer se dá ao trabalho de disfarçar as movimentações dentro do PSD. Parece que a grande dúvida é sobre se se deve substituir Passos Coelho antes ou depois das eleições autárquicas.
Tudo isto me parece prematuro. A verdade é que à direita continua a vingar o discurso que Passos Coelho ganhou as últimas eleições legislativas. Como sabem, não concordo de todo com essa ideia, mas a minha opinião é irrelevante. O que conta é que toda a direita pensa que ganhou as eleições. Mesmo pessoas inteligentes e descomprometidas, como Pedro Mexia, insistem que Passos Coelho ganhou as eleições. E, se assim pensam, não há nenhum motivo para trocar a liderança. Passos Coelho ganhou as eleições em 2011 e foi primeiro-ministro até 2015. Liderou o governo num dos períodos mais difíceis da curta história da nossa democracia. Goste-se ou não, foi um primeiro-ministro decente, que não esqueceu o essencial: conseguiu reduzir substancialmente o nosso défice, conseguiu fazer algumas reformas importantes (como as do mercado laboral) e, em determinados momentos, soube estar do lado certo, como quando recusou a ajuda a Ricardo Salgado para salvar o BES. E, como se vê pela forma como o actual governo gere e capitaliza a situação com os lesados do BES, não era fácil fazer o que devia ser feito neste dossier.
Não quero apagar as minhas discordâncias com uma série de políticas seguidas por esse governo, desde a (tentativa de) desvalorização fiscal à custa da TSU à insistência em medidas inconstitucionais, em vez de procurar alternativas válidas que exigiam um reformismo mais laborioso. Nem quero minimizar o papel do Banco Central Europeu na saída limpa do resgate. Apenas estou a dizer que, apesar de erros pelo caminho, Coelho conseguiu, no meio da tempestade, levar Portugal a um porto aceitável, o que, em dados momentos, poucos considerariam provável. E, apesar de governar num período tão difícil, Coelho “ganhou” as últimas eleições.
Dir-me-ão que é o momento de virar a página no PSD. Que o anúncio do Diabo em 2016 correu mal. Mas, infelizmente, basta ver como as taxas de juro da dívida portuguesa têm evoluído nos últimos tempos (actualmente, nos 3,9%), como o BCE tem vindo, paulatinamente, a recuar na sua política monetária (que foi um autêntico balão de oxigénio para Portugal) e como se discute com cada vez mais insistência uma reestruturação da dívida para perceber que nunca o Diabo esteve tão próximo. Na verdade, o grande defeito de Passos Coelho é, ao mesmo tempo, simples e difícil de superar: ninguém quer que ele tenha razão.
Eduardo Lopes
20 m
Bom dia!
Coelho, já foi caçado, encontra-se enjaulado à espera de ser esfolado pelos seus amigos de partido, é só esperar mais uns dias.
Coelho não volta lá, mesmo que a geringonça avarie de vez, Coelho não volta, foi demasiado cruel para o povo, não fazendo tudo errado, armou-se em ( eu é que sei), na politica não dá.
Cruel é venderem-nos o país sob a forma de aumento da dívida pública para beneficiar a população que vive do estado, isso sim é cruel!
A partir do momento que reestruturarmos a dívida nunca mais teremos soberania...acabou-se. Todo o sangue derramado ao longo de centenas de anos foi para nada! E porquê, para essas sanguessungas que vivem do estado terem mais uns euros ao fim do mês?
Está claro que este país tem na sua maioria individualistas que votam por si em vez de votarem pela Pátria. Já somos poucos os Portugueses que de facto são patriotas! (Quem vê a selecção a jogar não conta!!)
David Estêvão Gouveia
1 h
ISTO É ERRADO, YIELD NÃO É INTEREST RATE
<<basta ver como as taxas de juro da dívida portuguesa têm evoluído nos últimos tempos (actualmente, nos 3,9%)>>
Para os propagandistas da espuma dos dias é tudo a mesma coisa. Tudo serve. 
Victor BatistaJosé Mendes
44 m
Para os propagandistas "do pos -verdade " esta tudo bem!
Vivemos num Mar de rosas. 
Paulo Correia
1 h
Ninguém quer que ele tenha razão. Só que, infelizmente, vai voltar a ter razão. 
É que este governo não percebe que o nível da despesa pública tem de ser sustentável. 
E rapidamente deixará de o ser com este crescimento tão medíocre, com a subida gradual do preço do petróleo, que esteve muito barato em 2016, e com a retirada gradual dos estímulos do BCE.
Por isso a voz de PPC é tão importante. Alerta-nos para a realidade escondida pela esquerda. 
Winter IsComing
1 h
A sucessão de Passos Coelho dar-se-á quando este se cansar e for tratar da sua vidinha.  
Ninguém se atreverá a tentar conquistar o lugar até ás autárquicas e até lá Portugal ficará definitivamente mais tóxico. O governo de Portugal será uma aventura apenas para loucos ou desesperados que mais nada têm que fazer. Tal como a administração da CGD, assumir o governo de Portugal será colocar o pescoço no cepo e gente corajosa e competente, capaz de fazer o que terá que ser feito, não abunda. O tempo não está para oportunistas à procura de vida fácil. 
Margarida Ribeiro
1 h
Muito bem observado...infelizmente para Portugal ele vai acabar por ser corrido dando lugar aos interesses instalados nos partidos...
No To Brainwashing
1 h
"Passos Coelho é, ao mesmo tempo, simples e difícil de superar"

meta uma coisa nessa cabeça tonta... ele nunca mais vai ser primeiro!!!!!!!!!!!!!!!!

e "vocês" são a ajuda que faltava...
Luís BrandãoNo To Brainwashing
52 m
Eh pá, que uso abusivo do artigo. Essa frase está descontextualizada e não reflecte - concorde-se ou não com a original - o que aí se quer passar. Tenha alguma decência, por favor. Usando da mesma técnica: "meta uma coisa nessa cabeça tonta": sensatez.
No To Brainwashing
1 h
"Nunca o Diabo esteve tão próximo"

mas ele não tinha chegado no ano passado?!?!?
Victor Batista
2 h
Excelente artigo de Luis Aguiar Conraria! 
Eu penso que toda essa movimentacao dentro e "fora "do PSD para afastar Passos, Esta a ser "urdida "Por personalidades proximas de Marcelo. Senao vejamos :Marcelo nao perde a oportunidade para "esfaquear "Passos cada vez que abre a boca! Basta recordar a ultima declaracao que fez, para perceber que assim è. Mesmo falando do "insuspeito "Pedro Mexia ",sabemos que o proprio concorda com esta tese, embora nao faca  entender,porque os "tachos " meu Caro Professor, tambem dao trabalho, e eu compreendo que as Pessoas os nao queiram perder! 
Falando dos opositores dentro do partido, basta dizer que sao autenticos pesos plumas, sem estofo, capacidade e resistencia ,para lutar contra esta"quadroika "que nos desgoverna! 
Mas tenho plena consciencia que Passos pode ser "apunhalado a qualquer momento, e quem ira perder sera o proprio pais, Pois quem vier a seguir, sera mais do mesmo, gente sem eles no sitio para lutar contra os DDT, e demais poderes obscuros instalados! Porque tomar medidas impupulares,para por o pais nos eixos, nao è para todos! Somente para Passos, e o pais  saira a perder. 
Tenha um bom Ano 2017.


José Mendes
2 h
O problema de Pasos Coelho é não ter cultura e experiência política, não ter conhecimentos de economia e finanças nem experiência nessas áreas, não tem conhecimento da cultura e identidade nacional portuguesa e, pior de tudo, acreditar que tem tudo isso que lhe falta. 
O passado de vida de Passos Coelho é desastroso. Andou a "apanhar bonés na expectativa de ficar rico à custa de expedientes mais ou menos censuráveis.
A experiência política que lhe trouxe notoriedade foi ter sido o capataz da Troika. Cumprir, e exagerar por excesso de zelo, as ordens de estrangeiros que não sabem nada da cultura do povo português. 
Ora esse problema é inultrapassável que "burro velho não aprende línguas".
Doctor FeelgoodJosé Mendes
2 h
Patética intervenção.
Pedro Miguel SemedoJosé Mendes
2 h
Direi mesmo mais. intervenção patética e pateta.
Victor BatistaJosé Mendes
2 h
OK! Deveriamos ter perpetuado Socrates no poder!
Conhecedor profundo de economia, financas, cultura e identidade portuguesas! 
Caso para dizer :volta socrates! Estas perdoado.
Ou entao outros "Baroes "tanto do PS, como do PSD, ou o tal arco da "desgovernacao "que levou o pais onde esta hoje. 
No To BrainwashingPedro Miguel Semedo
1 h
"Direi mesmo mais. intervenção patética e pateta."

disse mais... m****!!!!!
Estamos tão bem mais servidos que não me parece que o "engenheiro" tenha qualquer chance de retorno.

Temos clones, admiradores e "wannabees" plenos de profundos conhecimentos de economia e finanças e cientes de que dívida não se paga ...

E para reforçar a cultura e identidade portuguesa o Prof Marcelo e os amigos das cornucópias ...
Victor BatistaJB Dias
1 h
JB Dias tem toda a razao. 
Mas olhe que no caso do"engenheiro",eu nao tenho tantas certezas, com a falta de "gajos "espertos dentro dos partidos, depois de bem "lavado "e reciclado " ira disputar o Lugar dos "afetos "!a ver vamos. 




Victor BatistaJB Dias
1 h
Olhe meu Caro :
Fui vitima do lapis azul do observador, quando tentei responder ao seu comentario! 
Recuso-me a acreditar no que se esta a passar! 

Miguel LopesJosé Mendes
41 m
Quando diz cultura, quer dizer funcionários públicos e pensionistas abastados? 
Paulo CorreiaJosé Mendes
29 m
Disse tudo. É exactamente o que penso dele. Há uns anos tive o desprazer de ler "textos" (não quero especificar a natureza e o contexto) escritos pelo fulano. É inacreditável como é que um burro daqueles chega a PM. 

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook