quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Apple junta-se a Hollywood para oferecer conteúdo original


O serviço de streaming de música, o Apple Music, poderá passar a oferecer séries numa tentativa de se diferenciar do concorrente direto, o Spotify. A empresa tem estado em conversas com Hollywood.
MONICA DAVEY/EPA
Pouco distingue o serviço Apple Music daquele que é oferecido pelo Spotify. Basicamente, ambos dão acesso a milhões de músicas, mas a Apple quer que a sua oferta tenha algo mais a dar por 10€/mês. A pensar na diferença, a empresa de Cupertino tem estado em conversas com vários veteranos de Hollywood a fim de comprar direitos sobre alguns programas televisivos, segundo avança o The Wall Street Journal.
Os programas que estão nos planos da empresa poderão ser comparados a grandes nomes da indústria, como Westworld da HBO ou Stranger Things da Netflix. No entanto, o facto de a Apple estar a ponderar adquirir apenas alguns direitos de programas e filmes, indica que a empresa não está a ponderar entrar em concorrência direta com serviços de streaming de vídeo (como a Netflix), algo que implica um investimento anual de milhares de milhões.
O objetivo principal da empresa é oferecer algo mais que o Spotify, acrescentando assim, na mesma subscrição do Apple Music, os programas televisivos e alguns filmes. Apesar de, atualmente, a empresa já oferecer alguns documentários exclusivos e já ter comprado os direitos para uma versão de meia hora do segmento Carpool Karaoke – exibido na CBS no programa The Late Show With James Corden – espera ainda lançar, no final do ano 2017, uma série quase biográfica sobre o Dr. Dre – rapper e executivo do Apple Music.
A Apple está ainda a considerar oferecer, aos subscritores do serviço de streaming de música, filmes originais, apesar de que esses são planos ainda em fase inicial que, segundo declarações prestadas ao The Wall Street Journal, só devem começar a surgir no final de 2017. Esta é também a razão pela qual as negociações para adquirir programas já produzidos ainda não estão finalizadas.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook