sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Mulher do embaixador grego e o seu amante confessam homicídio

Brasil.

4
A mulher do embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, e o seu alegado amante confessaram ter morto o diplomata. O corpo foi encontrado carbonizado dentro de um carro.
AFP/Getty Images
Françoise Amiridis e o seu alegado amante, o polícia militar Sérgio Gomes Moreira Filho, confessaram, esta sexta-feira, ter assassinado o embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, avança o Globo.
O corpo do diplomata foi encontrado, esta quinta-feira, carbonizado dentro de um carro, debaixo de um viaduto, na cidade de Nova Iguaçu, no Brasil. Segundo a polícia, Kyriakos foi morto em casa e depois arrastado para o carro que tinha alugado. Sérgio contou que os dois lutaram e que usou a arma do diplomata para o matar, avança o jornal brasileiro O Povo.
Rio: Mulher do embaixador e amante PM são suspeitos de matar embaixador grego Kyriakos Amiridis. O corpo foi carbonizado. Foto: Reprodução
As autoridades já investigavam a hipótese do assassinato do embaixador ter-se tratado de um crime passional: o polícia e Françoise Amiridis já tinham sido detidos, juntamente com mais duas pessoas, por suspeitas de terem planeado e executado o homicídio do embaixador. A identificação do corpo foi confirmada — esta sexta-feira, pela polícia do Rio de Janeiro — depois da análise da arcada dentária do cadáver.
Kyriakos Amiridis, de 59 anos, desaparecido desde segunda-feira, estava a passar férias em Nova Iguaçu onde tinha casa. Foi a mulher que comunicou o seu desaparecimento às autoridades. O casal estava junto há 15 anos e tem uma filha de 10 anos.
O diplomata foi cônsul da Grécia no Rio de Janeiro, entre 2001 e 2004, e assumiu o cargo de embaixador em Brasília no início deste ano. Esperava-se que regressasse à embaixada a 9 de janeiro.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook