segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Morreu o bispo Javier Echevarría, líder do Opus Dei

IGREJA CATÓLICA


ATUALIZADO
2
D. Javier Echevarría, o líder do Opus Dei, morreu esta segunda-feira devido a uma insuficiência respiratória. A prelatura deverá escolher o sucessor num prazo de três meses.
O líder do Opus Dei, o bispo espanhol Javier Echevarría, morreu esta segunda-feira aos 84 anos devido a uma insuficiência respiratória derivada de uma infeção pulmonar, na policlínica do Campus Biomédico de Roma, informou a instituição. O bispo Javier Echevarría foi o terceiro líder do Opus Dei depois do seu fundador, S. José Maria Escrivá de Balaguer, e de Álvaro Portillo.
Segundo um comunicado publicado na página oficial da prelatura, Echevarría morreu às 21h20 de Roma (20h20 em Lisboa), tendo recebido os últimos sacramentos do vigário auxiliar, o Monsenhor Fernando Ocáriz. O líder do Opus Dei já tinha sido hospitalizado a 5 de dezembro, também com sintomas de infeção pulmonar.
O governo da prelatura pessoal está agora nas mãos de Ocáriz, que deverá convocar, dentro de um mês, um congresso para eleger o sucessor de Echevarría. Esse congresso deve realizar-se no prazo de três meses, e o próximo prelado do Opus Dei deverá ser confirmado pelo próprio Papa Francisco após a eleição.
Please pray for the repose of the soul of Bishop Javier Echevarria, Prelate of Opus Dei, who died this evening on Rome.
Nascido em Madrid a 14 de junho de 1933, estudou comércio em San Sebastián e em 1948 entrou na Opus Dei, uma das principais organizações católicas, com 90 mil membros, a maior parte dos quais laicos. Javier Echevarría doutorou-se em 1953 em Direito Canónico na Universidade Angelocum, de Roma. Em 1954, terminou os estudos eclesiásticos no Colégio Romano Sanctae Crucis e em 1955 doutorou-se em Direito Civil na Universidade de Madrid.
No Opus Dei teve uma relação próxima com o fundador da organização, José Maria Escrivá de Balaguer, de quem chegou a ser secretário pessoal, e com ele viajou por toda a Europa para impulsionar o desenvolvimento da instituição.
Ordenado sacerdote a 7 de agosto de 1955, Echevarría passou, no ano seguinte, a fazer parte do Conselho Diretivo do Colégio Romano de Santa Cruz, posto que ocupou até 1961. Entre 1960 e 1964 foi professor de Teologia Moral nos colégios Romano da Santa Cruz e Romani de Santa Maria. Em 1962, foi nomeado comissário da Sagrada Congregação de Religiosos, em Roma, e em 1966 acedeu ao cargo de consultor do Conselho Geral da Opus Dei, no qual permaneceu até 1975.
Naquele ano, e depois da morte José Maria Escrivá de Balaguer, foi designado secretário-geral da Opus Dei, em substituição de Álvaro Portillo, que acedeu ao posto de presidente geral da instituição.
Em 1981, o Papa João Paulo II nomeou-o consultor da Congregação para as Causas dos Santos e, desde 1982, desempenhou o cargo de vigário geral da Prelatura Pessoal da Santa Cruz e da Opus Dei. Depois da morte de Álvaro del Portillo, a 23 de março de 1994, Echevarría assumiu a direção da Opus Deis, tendo sido eleito para a liderança da organização em abril do mesmo ano.
Em 21 de abril de 1994, João Paulo II nomeou Echevarría prelado da Prelatura Pessoal da Opus Dei e a 21 de novembro bispo. A 13 de novembro de 2013, Javier Echevarría manifestou a sua “incondicional reverência e obediência” ao Papa Francisco e expressou a sua “completa adesão” ao pontífice.
O Opus Dei tem sede em Roma e conta com universidades, escolas de negócios, escolas primárias e secundárias, escolas profissionais, residências universitárias, hospitais e residências para membros numerários, repartidas por mais de 60 países.
Leia aqui um artigo que o bispo Javier Echevarría escreveu no Observador em julho de 2016.
Texto de Agência Lusa e João Francisco Gomes.

Windows Live Messenger + Facebook