quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Comissão Europeia lança programa de voluntariado semelhante ao “Erasmus”

COMISSÃO EUROPEIA


1.964
Comissão Europeia lança esta quarta-feira um programa de voluntariado internacional para jovens entre os 18 e os 30 anos. Inscrições arrancam às 12h30 em Portugal.
Corpo Europeu de Solidariedade visa responder às necessidades de comunidades vulneráveis
A União Europeia vai ter um programa de voluntariado para jovens até aos 30 anos que se assemelha ao já conhecido “Erasmus”, para intercâmbio entre estudantes internacionais. O “Corpo Europeu de Solidariedade” é lançado esta quarta-feira, às 11h30, em Portugal pela Representação da Comissão Europeia no país, em parceria com a Fundação AMI.
A iniciativa visa promover oportunidades de solidariedade para jovens europeus entre os 18 e 30 anos, sob o formato de voluntariado, estágio ou trabalho. Quem quiser participar em atividades de solidariedade na Europa, deve ser um dos primeiros a inscrever-se no Portal do Corpo Europeu de Solidariedade. Registo dos jovens começa às 12h30.
O Corpo Europeu de Solidariedade é lançado esta quarta-feira nos 28 Estados-Membros. Em Bruxelas, é Kristalina Georgieva, vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pelo Orçamento e Recursos Humanos, quem fará o lançamento oficial.
O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse em setembro, no discurso do Estado da União, que “existem muitos jovens na Europa, com consciência social, dispostos a dar um contributo significativo à sociedade e a mostrar a sua solidariedade”.
Assumindo que a União Europeia lhes pode facultar “a oportunidade de concretizar esses projetos”, é vontade do presidente que “os jovens de toda a União Europeia possam “oferecer-se para ajudar onde for mais preciso”, dando “resposta a situações de crise”.
O Corpo Europeu de Solidariedade visa responder às necessidades de comunidades vulneráveis em temas como alimentação, limpeza de florestas ou integração de refugiados.
Nesta iniciativa, “os jovens interessados em participar numa atividade de solidariedade em toda a Europa, podem informar-se sobre o novo Corpo, trocar ideias e experiências e ser dos primeiros a inscreverem-se no Portal do Corpo Europeu de Solidariedade”, explica a Representação da Comissão Europeia em Portugal, em comunicado.
Nesse sentido, o Corpo Europeu de Solidariedade destina-se aos jovens entre os 17 e os 30 anos que queiram “ajudar as organizações não governamentais (ONG), autoridades locais ou empresas privadas ativas na resposta às situações de crise em toda a União Europeia”, tendo como meta a adesão de 100 mil jovens até 2020.
Os jovens poderão participar em ações e projetos de natureza abrangente, nas áreas de educação, cuidados de saúde, integração social e integração no mercado de trabalho, assistência na distribuição de alimentos, construção de abrigos, acolhimento e integração de migrantes e refugiados, proteção do ambiente e prevenção de catástrofes naturais”, lê-se no comunicado.
Terá a vertente de voluntariado, oferecendo aos jovens a oportunidade de fazer serviço voluntário a tempo inteiro por períodos de dois a doze meses, e a vertente profissional, que irá proporcionar oportunidades de emprego, formação ou estágio, por um período mínimo de quatro meses.
As organizações que participem neste Corpo Europeu terão que assinar uma Carta dos Princípios Fundamentais, a que têm de aderir, passando a poder recrutar participantes através do site do Corpo Europeu de Solidariedade.
O sistema de registo está aberto a todos os jovens interessados, sendo que a ficha de inscrição “estará em breve disponível à pesquisa que as organizações queiram empreender para encontrar candidatos adequados entre os jovens registados”. Depois do registo, os jovens podem especificar os países onde gostariam de participar, indicar se preferem fazer voluntariado ou ter uma experiência laboral, que atividades gostaria de fazer e que competência tem, sendo que o registo fica disponível nas 24 línguas oficiais da União Europeia.
Aos jovens que participem, o Corpo Europeu de Solidariedade disponibiliza alojamento, alimentação, as despesas de viagem, seguro e uma mesada. As despesas de deslocação e as ajudas de custo serão pagas aos formandos e estagiários, sendo que os estagiários terão sempre um contrato de trabalho e um salário.
Todos os participantes terão direito a um certificado especificando as atividades em que participaram neste contexto.
PARTILHE
COMENTE
+Seja o primeiro a comentar
SUGIRA
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observado

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook