quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

A melhor qualidade de um político é ter muita lata


ANTÓNIO COSTA


1.974
98
Como é possível prometer milhões aos "lesados do BES" sem dizer quem paga? E sem responder a perguntas? Ou que a realidade não existe e só conta a "narrativa"? Para a pós-verdade é preciso muita lata.
Custa a crer. No principal salão da residência oficial do primeiro-ministro, com enorme pompa e circunstância, o anfitrião, os presidentes do Banco de Portugal e da CMVM, essa figura esquiva que dá pelo nome de Diogo Lacerda Machado e tem como principal atributo ser o “melhor amigo” do anfitrião, mais o representante dos “lesados do BES”, brindaram a um acordo que este último classificou como uma “bênção de Natal”. Quanto ao primeiro-ministro, este preferiu a metáfora – “não endireitámos a vara nem a sombra” – e a auto-congratulação – falando de “dever cumprido”. Não houve brindes com champanhe, mas podia ter havido. Também não houve direito a perguntas, nem podia ter havido: as respostas, se as houvesse e houvesse franqueza, seriam duras de ouvir.
No essencial o que António Costa anunciou é que um conjunto de pequenos e grandes (alguns mesmo muito grandes) aforradores do BES, daqueles que acreditaram poder beneficiar de taxas de juro mais elevadas quando outros aforradores, mais prudentes, colocavam o seu dinheiro em paragens mais recomendáveis (e recebendo juros mais baixos), vão ser ressarcidos do que perderam. Não de tudo, mas de uma fatia muito substancial. O suficiente para ser necessário mobilizar uma verba de 268 milhões de euros, que um fundo financiado não se sabe como “adiantará” aos ditos lesados. E aqui está o busílis da questão e a razão de não ter havido direito a perguntas: ninguém quer dizer de onde vem realmente o dinheiro, mas uma vez que ele não cai do céu nem é imaginável que os outros bancos sejam altruístas, o dinheiro vai acabar por vir do sítio do costume. Isto é, dos nossos bolsos, humildes contribuintes.
Apetece dizer: é preciso ter lata. Primeiro, por que motivo se convocam os jornalistas se não há intenção de os esclarecer? Depois, por que razão hão-de os contribuintes que não arriscaram nos produtos vendidos aos balcões do BES financiar com os seus impostos uma solução que vai beneficiar quem arriscou muitas centenas de milhares de euros? Sentem-se esses “lesados” enganados? É possível, e não duvido que muitos não sabiam o que estavam a comprar. Mas a verdade é que perderam porque arriscaram, e agora será com o nosso dinheiro que vão ser compensados.
Apetece repetir: é preciso ter lata, muita lata. O governo da “sensibilidade social”, a maioria que passa a vida a falar dos pobres, congemina agora uma solução que, até prova em contrário, desviará dinheiro de outras funções essenciais do Estado para recompensar quem tinha poupanças de centenas de milhares de euros. É o Robin dos Bosques ao contrário.
—————–
Mas lata – e esperteza saloia – é coisa que realmente não falta a esta maioria. Um outro exemplo disso é o Ministério da Educação ter colocado em discussão pública um longuíssimo documento de orientações relativas à “educação para a saúde” que, lá pelo meio, prevê que se deva discutir na sala de aula, com crianças de 10 e 11 anos (2º ciclo do Básico) a interrupção voluntária da gravidez. Não vou aqui debater essa proposta (até porque penso que a história que Laurinda Alves contou é bem ilustrativa de onde levam estes activismos “pedagógicos”), apenas a habilidade: o prazo para a discussão do documento termina nesta semana de Natal. Sim, leram bem: acaba nesta semana em que nas escolas não há aulas, os professores estão concentrados nas avaliações e as famílias a prepara a festa de 25 de Dezembro. Se isto não é actuar pela calada, contando com a indiferença geral para introduzir recomendações que podem ferir os princípios morais de boa parte da população, então eu não sei o que é fazê-las à socapa.
—————–
Mais lata ainda é necessária para insistir no discurso de que a anterior legislatura foram anos de absoluta catástrofe quando começam a multiplicar-se os documentos e os estudos, com a chancela de organizações internacionais, de que não foi isso que sucedeu. Ainda esta semana, por exemplo, o Observador revelou a existência de um estudo da OCDE que faz um balanço muito positivo das reformas laborais introduzidas no tempo da troika, considerando que a elas se deve em parte a recuperação do emprego a um ritmo que tem deixado todos surpreendidos. Mais: esse estudo foi entregue há seis meses ao actual Executivo, mas convenientemente esquecido numa gaveta. Agora que a sua existência e conteúdo foram tornados públicos, o Ministério veio falar de uma “versão preliminar” e prometer debater mais tarde as suas conclusões. Mais tarde? Mas mais tarde porquê se é agora que se está a negociar um acordo de concertação social que tudo tem a ver com o objecto daquele estudo? Naturalmente não houve nem haverá resposta, pois o discurso continuará a ser o que tudo o que foi feito entre 2011 e 2015 foram malfeitorias. Mesmo o que funcionou bem.
—————–
A mesma imensa lata marcou a forma como o primeiro-ministro, no debate quinzenal da semana passada, passou ao lado das questões que lhe foram colocadas pela oposição quando esta citou dois estudos internacionais sobre Educação – o PISA, onde os nossos alunos ficaram acima da média da OCDE pela primeira vez, e o TIMSS, onde ultrapassámos a Finlândia a Matemática – que comprovam que, afinal, a escola pública não só não foi destruída, como até foi capaz de ter melhores resultados. Uma lata só ultrapassada pelo desnorte absoluto do Bloco de Esquerda que, depois de ter sugerido que a amostra dos alunos levados a exame fora falsificada – o que obrigou o IAVE a desmentir as suas dirigentes –, conseguiu o prodígio de considerar, pela boca de Catarina Martins, que tudo na Educação ia pior (“os professores tiveram ataques com as carreiras e os salários desde o tempo de Maria de Lurdes Rodrigues até ao tempo de Nuno Crato, mais alunos, mais turmas”) sem compreender que foi exactamente nesse período que os resultados melhoraram. Faz sentido? Não faz. Mas como poucos escrutinam os dislates da doce Catarina, ela pode dar os pontapés na lógica que entender e ainda sair em ombros.
—————–
Por fim, verdadeira cereja em cima deste bolo em que o descaramento não parece ter limites, ouvimos este fim-de-semana António Costa criticar, em Castelo Branco, a “diabolização que se fez do investimento público”, prometendo “recuperar o tempo perdido”. Não sendo eu um defensor do investimento público como um bem em si mesmo, não deixa de ser extraordinário que o primeiro-ministro tenha vindo defender a sua necessidade quando, em 2016, o seu Governo cortou como nenhum outro nesse mesmo investimento público com o único objectivo de atingir o défice prometido sem prejudicar as diferentes clientelas a quem ia “devolvendo rendimentos”. Os números são elucidativos: em 2016 fecharemos o ano com um investimento público correspondente a apenas 1,8% do PIB. Menos do que em qualquer um dos anos da troika. Para terem uma ideia (e peço emprestado um magnifico gráfico a Jorge Costa) tratar-se-á do mais baixo esforço de investimento público em 65 anos. É preciso recuar até 1952, um tempo em que Salazar ainda era e seria o Presidente do Conselho, para encontrarmos um valor mais baixo.
65-anos
Custa a crer, mas a prova dos números é como a do algodão: não engana. O que nos engana e desarma é a facilidade com que se defende e se diz não importa o quê, fazendo de nós tolos. Mesmo no mundo da pós-verdade é realmente preciso ter uma imensa lata e uma extraordinária cara de pau para achar que tudo se desculpa, nada se pergunta e ainda menos se verifica.
—————–
Não devia ser assim. Mas talvez seja mesmo assim. Ter muita lata parece ter-se tornado na grande qualidade de um político. Na pós-verdade da pós-modernidade a realidade já não é o que é, é a “narrativa” que se criar dela. Até um dia em que tudo se esboroará, dia que só esperamos não surja tarde demais para o país, que já experimentou há bem pouco tempo para onde são capazes de nos levar os malabaristas das “narrativas”.

A melhor qualidade de um político é ter muita lata
Mais votados34
Todos98
Filipe Campos
5 m
Relativamente aos Lesados do Bes, discordo em parte de si. Acho que uma parte dos aforradores não merece que o processo se arraste durante infindáveis anos. Muitos deles ex-emigrantes que saíram de cá com uma mão à frente outra atrás, perderam todas as poupanças devido a vendedores de banha de cobra que estavam sentados em agências bancárias. Claro que e quanto a mim é o maior problema deste processo é a pouca transparência, porque quanto a mim os nomes destes aforradores deveria ser tornado público a fim de se escrutinarem possíveis situações de ajudas indevidas, porque se uns há que foram enganados outros certamente achavam-se simplesmente mais inteligentes que a "manada". 

Carlos Rodrigues
7 m
Concordo com tudo aquilo que o JMF escreve. Mas... é preciso muita lata,  e de facto se espremermos tudo mas mesmo tudo ás atitudes do Dr.Costa e companhia o que encontramos é descaramento,sorrisos e muita lata. PARECE aquela história que infelizmente tantas vezes acontece de alguém que encontra alguém muito simpatico, que ri muito,de sorriso facil , muito humilde sempre disponivel para ajudar e que as tantas esta de olho na nossa carteira. É preciso muita lata e também muitos afectos...


Joao Odiragram
31 m
Pela mão do Coca Cola Zero , um País falido, a caminho do social fascismo.....

Manuel Cesar
51 m
Uma vez mais, sr. JMF, parabéns por desmascarar esta politica ruinosa a que se vai assistindo com o conluio do PR "beijoqueiro". 
Francisco Pinto
1 h
A geringonça, naquilo em que está a transformar o país político, assemelha-se a uma reedição da União Nacional. O cheiro a mofo e a pestilência começa a dificultar a respiração. A prática governativa é feita de uma mistura de engano+mentira+propaganda+união-nacional-porreirista.
Paulo Correia
1 h
Temos um PM que mais parece um vendedor da banha da cobra. 
É o que temos...E, se calhar, é o que merecemos. 

Alberto Quadros
1 h
Será que o senhor presidente da republica lé ou sabe ou fica a saber isto e não comenta, ou responde que ainda não leu?
Anibal Duarte Corrécio
2 h
Mais lata porque a que há é pouca e mais é necessária:
A Carris registou um resultado líquido negativo de 19,2 milhões, mais 4,8 milhões (ou 34%) do que está orçamentado, enquanto na STCP os prejuízos de 20,2 milhões superam em 56% (7,2 milhões) o estimado. No caso da Metro do Porto, as perdas ultrapassam os 123,9 milhões, superando em 41,5 milhões (50%) o objectivo. E no Metropolitano de Lisboa, o prejuízo era em Junho de 47,4 milhões, superior em 92% ao previsto. 
( via blogue Insurgente)
Alexandre Guerra Sousa Pinto
2 h
Certo, certíssimo! Penso que até me vou tornar fan - e até se calhar eleitor -  do Sr. Costa que efectivamente é o único que tem lata para aldrabar o suficiente para domesticar a esquerda, da do PS ao PCP e BE, aproveitando-se da sua proverbial, assumida e resistente falta de informação. E faz isso com estilo, sempre sorridente,  com a expressão facial e a linguagem corporal da superioridade do brâmane que ele se sente,  a falar aos intocáveis que somos nós!
chegaparali chegaparali
2 h
O jornalista desenrasca-se com duas latas, uma com salário minimo????
Quais são as situações abordadas pelo JMF que não correspondam á realidade?
Fico agradecido pelo esclarecimento ... 
António Hermínio Quadros Silva
2 h
Como todos sabemos o paizinho do Sr. Costa era indiano e como  todos sabemos também, os indianos sâo encantadores de serpentes, põem-se a tocar um pífaro e as cobras- capêlo começam a dançar ao som da música, portanto é natural que o Sr. Costa ( a vida costa) tenha herdado esse dom do papai pois ele consegue adormecer os tugas com grande facilidade e adormece também  aquele senhor que anda a tentar bater o recorde do beijoqueiro brasileiro, mas parece que ainda não conseguiu pois continua a beijar quem lhe aparece á frente.  
Duarte Silva
3 h
Lata?! Isto está mais para o "bidão" ou até mesmo para o "contentor de 40 pés"!
Jorge GonçalvesDuarte Silva
1 h
DESCARAMENTO!  parece mais adequado.
Manuel Augusto
3 h
Venha mais uma dose de kompensan para o Fernandes e seus amigos troikistas. Convoque-se já uma grandiosa manifestação de repúdio por mais esta decisão anti-popular dos esquerdalhos. 
Quais são as situações abordadas pelo JMF que não correspondam á realidade?
Fico agradecido pelo esclarecimento ... 
Anibal Duarte Corrécio
3 h
Excelente, como é habitual a crónica de José Manuel Fernandes. 
Lúcida, acutilante, que nos obriga a descortinar esta realidade de muita ilusão, muita 'fartura', muito eleitoralismo.

PS À medida que o tempo passa, percebemos que era Passos Coelho que estava certo e tinha uma ideia de futuro para Portugal. Não é por acaso que ele é o politico mais odiado por parte dos comunistas portugueses (PCP/BE) e que a SIC-Notícias é o exemplo mais subtil e sofisticado na comunicação portuguesa de dar palco a fósseis/caviares. De facto continua a SER importante avançar com UMA IDEIA DE FUTURO para Portugal. Em síntese: que se defenda claramente o capitalismo e as privatizações, no quadro de um Estado regulador, e em que os sindicatos não sejam correias de transmissão do PCP, mas que se orientem para a defesa dos trabalhadores.
Victor Batista
3 h
Entrada a pes juntos do kosta sobre os contribuintes portugueses! 
Passaremos a ser conhecidos como os "lesionados "do BES. 
Maria OliveiraVictor Batista
3 h
Diria antes - lesados do Costa e da gerigonça.
A ocde sempre defendeu a liberalização do mercado de trabalho 
o governo de Passos usou a política recomendada pela ocde 
o governo de passos encomendou um estudo à ocde para saber se a política que a ocde recomendou e que passos  implementou foi a correcta 
a ocde respondeu que sim 
JMF tem muita lata 
Jose Corval Ferraz
3 h
Lata tem quem compara anos de Troika com anos de "retoma" tenha juízo e não diga disparates!!
JMF apesar de ser contra o investimento público como bom neo liberal insurge se contra a falta de investimento público por parte do governo
JMF Mostra um gráfico que mostra o investimento público  ao nível de 1952
o mesmo gráfico mostra que o investimento público no tempo de Passos está ao nível de 1956
JMF não sabe de onde vem o dinheiro para pagar aos lesados do BES . 
Jmf apesar de não saber diz que vem dos contribuintes
jmf tem muita lata

Manuela Rocha
4 h
JMF, estamos a viver um período que se afigura BURLESCO.....tudo é feito para ser dito com sorriso( mentira forte por detrás), o anterior Governo só fez barbaridade( o Teatro bate palmas) mas as explicações não aparecem....só sorrisos..... o investimento....., os lesados( vamos pagar todos nós)......
Mas que é que se pode esperar de dois partidos que não sendo democráticos, não pretendem a UNIÃO EUROPEIA, nem a NATO.........Andam a desgovernar .....Chegou a altura de nos unirmos fundando ALGO que NOS UNA antes que este bando de três nos continue a levar em impostos , em ideias pedagógicas para os nossos filhos e netos, em discursos inconsistentes e acções imperdoáveis.....não não somos de direita estrema, queríamos um CENTRO COM SENSATEZ E 


Carlos Alberto Teixeira Passos
4 h
Gostava imenso que o José Maria disse-se algo, sobre a pergunta que faço em baixo...
Pedro Simoes
4 h
O pior é que esta a abrir o espaço para a extrema direita trumpista em Portugal. Mas tendo em conta a amostra, nao é assim tao pior...
Joao Manuel
4 h
Mais grave do que a aldrabice que o Costa fez, passando por cima de tribunais, foi abrir uma caixa de pandora!
O contribuinte serve para tudo... como o estouro, quando der será como aconteceu com o pinóquio, o momento para ele saltar fora, não lhe acontecerá nada!
Já agora eu pergunto... o petróleo tem vindo a descer..,. esse manhoso já nem fala em mexer no imposto! Tipico de trapaceiros e mal-intencionados!
Luis Neves
4 h
Proponho desde ja a criacao de um movimento denominado de "Lesados dos lesados do BES". Sera composto unicamente por contribuintes, que tal?
J.C. MayaLuis Neves
5 m
Concordo.
Helder Vaz Pereira
4 h
Felizmente  ainda vamos tendo jornalistas isentos, independentes que remam contra o jornalismo de propaganda. É este o caso de JMF. Obrigado
Alberto QuadrosHelder Vaz Pereira
1 h
não sei se é independente, mas é corajoso.
Carlos Alberto Teixeira Passos
4 h
Com tanta despesa a aumentar, e a nossa economia estagnada,alguém me responda a esta pergunta que agora faço: Com o andar desta carruagem.. se os juros vierem a subir e o BCE cortar nos empréstimos que têm feito para sustentar a nossa dívida, o que nos acontecerá?
miséria... falta de serviços básicos de qualidade como saúde, educação etc
mais uma vaga de emigração em massa a imputar ao governo que vier resolver o fosso criado!
Burro tuga que ainda não entendeste... o pessoal que votou na comunada xuxa devia ser chamado a pagar por ter uma memória de anta!
Nada de problemático para a geringonça e, em particular, para as Catarinas e Jerónimos: apenas Portugal ficar mais pobre, menos civilizado e mais afastado dos restantes países europeus. Aliás, mais do que não problemático, é mesmo o que o PC ou o BE (e até o PS) bem desejam...
Pedro Reis
4 h
Quando temos malabaristas no governo o povo paga os malabarismos com lingua de palmo.

Clara Rosas
5 h
JMF realmente é preciso uma grande lata mas sem o apoio da comunicação social e do presidente dos afetos a lata virava manteiga!
O grande mal do nosso país não é a lata dos políticos é a grande maioria da comunicação social, salvo raras excepções, não ser capaz de publicar a verdade e martelar-nos diariamente com mentiras!
Alberto QuadrosClara Rosas
1 h
 faz muita falta a existência de pessoas lucidas, como a Clara Rosas
João Lopes
5 h
Neste governo social-comunista ninguém fere «os princípios morais de boa parte da população» porque não sabem o que isso é; como ensina o marxismo a verdade hoje poderá ser mentira amanhã, não olhar a meios para atingir os fins. Nessa lógica até se "compreende" que o Governo seja dirigido por um “malabarista” que traiu um irmão socialista: José Seguro.
MAJOV LEITAO
5 h
Dizer "lata" é quase brincar com o que é serio. Falta de vergonha de alguém que fez tudo para alcançar o poder não olhando a meios. Antonio Costa é um habilidoso sem escrúpulos. Sempre foi assim, quer no PS, quer na Câmara de Lisboa, quer agora no Governo. Demagogo e sempre a fugir às perguntas, na larga maioria porque não sabe responder. Antonio Costa quando vir que as coisas estão a correr para o torto vai culpar os seus parceiros pelo descalabro. Típico dele. 
Alberto QuadrosMAJOV LEITAO
1 h
E fia-ae porque não pode pagar pela irresponsabilidade.
Paulo Guerra
5 h
Muita lata, para não dizer outra coisa,  têm estes liberaizinhos todos de trazer por casa em ainda tentarem omitir qualquer opinião no estado a que o mundo chegou. 
Quais são as situações abordadas pelo JMF que não correspondam á realidade? 
Fico agradecido pelo esclarecimento ... 
Joaquim Moreira
5 h
José Manuel Fernandes, num Génio político não se chama "lata", é habilidade política, basta ouvir a inteligência nacional. Esta elite de jornalistas e comentadores ao serviço da Geringonça que está muito mais preocupada com a “má” liderança no PSD e com a sua Campanha Autárquica. Isto sim, são os problemas do país. Ah!, ia-me esquecendo, também temos o Diabo, que afinal não aparece e agora os Reis Magos, que virão depois desta Quadra Natalícia, mesmo a calhar para este anúncio sem perguntas nem respostas do Menino Jesus de São Bento.
Paulo Guerra
5 h
E qual é a melhor qualidade de um director de um jornal - durante mais de uma década -  que nunca saiu do vermelho nas contas? Um liberal de pacote preocupado com a resolução dos lesados do BES?! E respostas para os lesados dos outros bancos todos ou para o sistema financeiro em geral que mais uma vez conseguiu a grande proeza de pôr uma grande parte da população mundial de tanga? Uma grande fé na autoregulação dos mercados não? 
João Eduardo GataPaulo Guerra
4 h
Azia? Renny ! E não se preocupe com as contas do Observador. Preocupe-se com as suas !
Jean Pierre PrevotJoão Eduardo Gata
4 h
Ele não tem problemas: o partido paga.
Gato FujiPaulo Guerra
3 h
Todo e qualquer contribuinte deveria estar preocupado com a "solução" para os lesados do BES! O problema é que cada vez há mais gente a receber (de impostos) e menos a pagá-los (mas a pagá-los em excesso!)
João Eduardo Gata
6 h
Ó José Manuel Fernandes, não é preciso dizer quem paga ! Todos sabemos que são os contribuintes ! Como sempre ! Tadinho do Grupo Amorim, um dos lesados do banco BES, que também vai receber dinheiro dos contribuintes !!

E todos sabemos também que não sairá nem um cêntimo da receita da venda do Novo Banco, o "BES Bom" para pagar seja o que for aos lesados do BES.
Paulo Correia
6 h
A tralha socialista no seu melhor.
Cuca Neco
6 h
E perguntam vossas excelências, quem é que vai pagar aos ditos prejudicados do BES?

Pero es muy facile: vão ser os contribuintes portugueses.

Segundo o esquema anunciado pelo Observador, 1. será criado um fundo específico para pagar aos prejudicados. 2. o fundo arranja dinheiro pedindo empréstimos à banca.3. os empréstimos pedidos terão o aval do Estado.4. o fundo não tem outras fontes de receita excepto umas coisas miríficas e irrealizáveis.

Quando a banca pedir de volta os empréstimos e juros ao fundo, quem é que vai pagar? O fundo que não vai ter um tuste com que mandar cantar um cego? Claro que não. 

Quem vai pagar é o avalista, ou seja, o Estado, ou seja, os contribuintes.

Não vai ao deficit, dizem. Não vai ao defice deste ano, que está a acabar. Irá ao defice do ano em que o aval for pago, daqui a uns anitos, quando o governo for de uns desgraçados que estejam a tentar remediar o que este anda a fazer.
Victor Batista
7 h
Eu digo de outra maneira :
Antonio Costa nao e PM,ele tornou-se chefe de uma Mafia que nos vai extorquindo nos nossas impostos,sempre que precise deles nem que seja para situacoes ilicitas. 
Dito isto, chego a conclusao que o padrinho -mor 
Mora em sao Bento, e da pelo nome de Don Marcelo "Corleone "de Sousa, que tudo permite e aprova todos os "capos "para nos subjugar e extorquir! 
Este polvo esta a crescer com tentaculos gigantescos e tenebrosos, que comparando com socrates, ele nao passava de um "polvinho ".
Porque temos nos de financiar os lesados do BES? Quem os mandou jogar a roleta? 
De onde veio o dinheiro que eles perderam, ainda la ha muito mais!nao tenhamos pena quem quer mama, sugeita-se a ser "mamado ".


Luís Casanova
7 h
Esta história está perfeitamente contada. Basta ter sido administrador de condomínio para saber q quando uns não pagam, as cotas dos q pagam sobem, porque as despesas nunca descem. O dito Fundo compra as dívidas dos "lesados" com um empréstimo garantido pelo Estado. Como a probabilidade do Fundo recuperar as dívidas deve ser mínima, ou já teriam recuperado algumas no NB, quem daqui a uns anos vai pagar o empréstimo garantido pelo o Estado é ....  De qualquer forma, a oportunidade não tem nada a ver com os "lesados", mas sim com a venda do NB limpo de problemas; senão tb não vendiam. Santo Costa, dois em um. Nem o Pai Natal fazia melhor.
João Sousa
8 h
E sim senhor Fernandes. Os jornalistas já sabiam para o que iam? Mas continuam a ir. Continuam alegremente a dar cobertura a estas sessões de autocongratulacao. A maior cukp é vossa, porque está narrativa só cola por não ser desafiada. 
Joao ManuelJoão Sousa
5 h
convém que vão na mesma... até para as pessoas perceberem o modos-operandi desta "coisa"
Jean Pierre PrevotJoao Manuel
3 h
Tem razão, mas o João Sousa foca um ponto importante: nunca há perguntas incomodas dos jornalistas!
João Sousa
8 h
No fim do dia, os eleitores estão a comer com gosto está lata. Democracia é linda não é? 
Leonel SantosJoão Sousa
8 h
Caríssimo,  se há coisa que 2016 nos deixa (para além da alegria de termos descoberto o conceito é palavra pós-verdade) é a certeza de que "as sondagens valem o que valem". Doce ironia esta,  de citar um comunista para fazer valer a verdade...
Dizem eles,  os narradores,  que as sondagens sopram as velas dos seus ideais.
Não dizem eles,  os narradores,  que PSD e CDS valem ainda tanto como há 14 meses.
Não o dizem eles,  os narradores,  porque nos julgam tolos,  porque pensam que estão legitimados para colocar palavras na nossa boca.
Não estão nada! A verdade é que a maioria silenciosa existe,  é o legado de 2016.
Um santo e feliz natal! 
Rui Pedro Matos
9 h
Muito bem, muito bem. Este Governo da geringonça é um logro....e mais que poderei fazer! Espero, como diz o autor, que o descalabro não seja tarde e grande, para mal dos meus/nossos impostos!
Boas Festas.
Ana Silva
9 h
Mais um artigo de qualidade. JMF tem razão. Como diz o povo tem tanta razão que não serve para nada. As intenções de voto mostram-no à saciedade. Os portugueses têm o que querem e merecem.
Nuno Granja
10 h
Lata. muita lata.
Manuel Antunes
12 h
Portugal é único. Conseguiu, em poucos anos, nomear um primeiro ministro presumivelmente corrupto, cujo nome aparece em tudo quanto é vigarice  e outro, o atual, que ficará para a história como o aldrabão mor da política rasca. Quanto aos lesados (roubados) do BES, já sabemos quem vai pagar. Tenho uma vizinha idosa que sobrevive com uma reforma de cerca de trezentos euros por mês e, como ela, outros milhões de portugueses. Pois toda esta gente paga impostos. Pouco, mas paga. Pelo menos quando vão à mercearia comprar o pão, o leite, o arroz, o açúcar, etc. com que vão sobrevivendo. Este primeiro ministro e os seus apoiantes (vejam só, ditos de esquerda) não têm vergonha de utilizar  os impostos esmifrados a todos estes pobres para devolver a quem investiu milhões o dinheiro perdido? É isto um governo de esquerda? Um governo que rouba aos pobres para dar aos ricos? 
... Ler mais
Jesus Manuel
13 h
e s credibilidade dis pequenos aforrados... ?

e a penalização dos investidoreees ?

tufo sopesado e decidido em conformidade...sejamos sérios..
Jesus Manuel
13 h
Custa muito a eficiência... são 286 milhões a pagar em 3 anos... sendo que os valores arrestados á família se vendidos com calma e sentido público vão valer ....
nao serão feitas negociatas com grupetes..
e onde está a grande preocupação com a imagem internacional da banca em Portugal..?


josé mariaJesus Manuel
13 h
O Estado Português já injectou no BES 4.900 milhões de euros de dinheiro público, quer o capital proveniente do Orçamento, quer o capital do Fundo de Resolução, que também tem natureza pública. E foi exactamente essa injecção de capital público que fez elevar o défice de 2014 para 7,2% do PIB. Mas, quanto a isso, JMF, numa atitude de absoluta falsidade, teve o desplante de dizer,nesse ano, como mais abaixo já demonstrei, que os contribuintes não iriam ser penalizados, só os accionistas. Agora vem fazer um escarcéu por mais 286 milhões de euros, quando nada disse contra os 90 milhões de euros injectados por Pedro Coelho no banco Efisa do seu amigo Miguel Relvas.Por aí se vê o carácter de certa gente que, muito mais do que uma grande lata, não tem mesmo nenhuma vergonha na cara.
Gato Fujijosé maria
3 h
Tudo bem, tudo mal, pois há uma diferença substancial: os 3900 milhões foram EMPRESTADOS à banca. A banca, devagar, devagarinho (demasiado devagar, é certo) vai pagar o empréstimo... espero eu e espera o josé maria. 
Já, no caso da "solução" para os lesionados,  as garantias do Estado terão de ser accionadas pois o fundo não terá a mínima hipótese de conseguir um tusto dos RioFortes, e restantes empresas GES falidas e, por isso, há 100% de certeza que será o contribuinte a pagar os especuladores / lesionados do BES...
josé maria
14 h
José Manuel Fernandes e a sua grande lata....

1 - A mentira

Não era possível outra nacionalização. Não era possível comprometer irremediavelmente dinheiro público. Não era possível salvar os accionistas. Nada disso está a acontecer com esta solução para o BES.


2 - A verdade

A capitalização do Novo Banco fez o défice orçamental de 2014 subir para 7,2%% do PIB.De acordo com a segunda notificação do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE), enviada hoje pelo INE a Bruxelas, em 2014, as administrações públicas registaram um défice orçamental de 12.446,2 milhões de euros, o equivalente a 7,2% do Produto Interno Bruto (PIB).O valor agora reportado é uma revisão em alta face ao que tinha sido divulgado na primeira notificação do PDE, uma situação que o INE justifica com "a inclusão de 4,9 mil milhões de euros relativa à capitalização do Novo Banco como transferência de capital"








Victor Batistajosé maria
7 h
Nao brinques com coisas serias! Deixa-te de links e vai pastar! 
Joao Manueljosé maria
4 h
fica atento ao plenário, Galamba!! Já te disse...
Artur Costa
15 h
Não há lata, há apenas um político mediano que monta jornalistas baratos. Senhor Fernandes, o problema não é Costa, sois vós, os da imprensa lisboeta que adora os  croquetes. Tenha vergonha e vá plantar couves.
J.C. Maya
15 h
Mais uma vez, um excelente artigo. Acresce que, a lata que este António Costa tem, não será mais a de um burlão politico? Um dissimulado é de certeza. Um aldrabão é também com certeza e, por último é um irresponsável que sem qualquer dificuldade endivida o país sabendo de antemão que quando batermos na parede, saí, e depois não é nada com ele. Já nos aconteceu o mesmo em 2010. Os socialistas faliram o país e depois a culpa foi dos outros.
Proponho que:
Quando isso acontecer, dar-mos com os  "burrinhos na água", se faça uma manifestação ruidosa, durante todo um dia, em frente da casa onde habita, para que lhe seja exigido o pagamento do que nos andou a roubar e a endividar. 
José BarretoJ.C. Maya
14 h
O Artista já se precaveu, pois aprovou legislação a condizer, em que os governantes a todos os níveis, não são responsáveis por maus investimentos ...
Estamos numa autêntica república das bananas, em que ninguém é responsável por nada ...
Mentir, omitir são o lema ...
O disfarce a roupagem ...
A criação da ilusão a finalidade ...
A sorte do Costa e da manta de retalhos que o suporta é a UE ter que suportar países, como a Itália, que como os bancos grandes são demasiado grandes para cair ...
Cá estarão os mesmos de sempre, os pequenos, que esta manta de retalhos sempre aparenta apaparicar e que irão com língua de palmo e meio acabar por pagar as irresponsabilidades de um político, em que só ele e os seus comensais contam e, que o resto do país pagante, se lixe ...
Com os juros e outros mimos a subir na era Trump, a dívida que não pára de aumentar para alimentar a festa; o artista vai ter que ser muito mais imaginativo na sua representação teatral, para continuar a enganar tudo e todos ...
Até agora ao seu alcance ...
Vamos ver até onde a DBRS, a sua última muleta que dispõe, o vai continuar a apoiar e a permitir a continuação da ilusão criada, para que a festa continue ad eternum ...
Viva o Costa !!!
Jacinta Marques
15 h
Grande lata termos que pagar a campanha eleitoral do PS! António Costa é o político mais manhoso que Portugal já teve! 
Vasco AbreuJacinta Marques
15 h
Falando de políticos manhosos, não esqueça de juntar ao poucochinho o catavaneto!
Marco magalhaesJacinta Marques
3 h
Juntamente com o Sócras , Passos e Portas, estão os 4 bem uns para os outros!
arlcx .
15 h
"Com papas e bolos se enganam os tolos".
Este Ps e BE são exímios na arte populista de nos enganar.
Marco magalhaesarlcx .
3 h
Claro... valha nos o PSD e o CDS que é só gente séria!
João Magalhães
15 h
Nem mais.
martins bento
16 h
Como  foi salientado por Helena Matos ,este "peronismo" dos instalados,é do agrado dos eleitores,raramente alertados para as realidades ,que por aí virão .O jornalismo português impingiu aos portugueses a diabolização da politica da direita.Agora ,este governo-Valium não incomoda e tem a protecção do Presidente-rei.Aguardemos ,porque depois  todos vamos pagar a factura de uma nova passagem do PS pela governação 

Lata é o estudo encomendado pelo passos à ocde desmentir o INE que afirma que a criação de emprego se deve à baixa do IVA na restauração e ao aumento do turismo , bem como o crescimento do emorego na agricultura.
Victor Batista
7 h
Ao menos "mostra "as trombas! 
Carlos Quartel
16 h
A dúvida e a pergunta que se deverá fazer é : Não será isto o que merecemos ?? 
Como podem subir intenções de voto, depois de se ter posto a ética na gaveta, fazendo arranjos para formar governo, que deixa de fora o projecto mais votado ??Os eleitores não se sentiram ofendidos  pelo abuso de foi vítima o seu voto , tratado como se fosse um cheque em branco, disponível para todas as manobras ??



Imensa lata tém os noruegueses 1971 when the Department of Education and Church Affairs published the interim Model Curriculum for Elementary Schools (ages 7-16). In this Model Curriculum the contents of the subject "human reproduction" were broadened to include such concerns as sexual desire, masturbation, homosexuality, contraception, family planning, abortion, and venereal disease. 

JMF E a ideia que todos os portugueses são provincianos como ele.

João Cardoso
16 h
José Manuel Fernandes tem toda a razão no que diz. Mas sabendo com quem estamos a lidar essas perguntas não deviam ser feitas directamente ao Presidente da República? Ou ele não é o garante da República?
esse só se preocupa com a Cornucópia e com a sua  popularidade.
Carlos Monteiro
17 h
Costa sabe melhor que ninguém,que dizendo verdades, perde votos
Luis Faria
17 h
Não é nada... E palheto! Não é preciso grande coisa.... Basta ser de esquerda para todos se deitarem e passarem-lhes por cima. Fosse o outro a ter avarias destas e tínhamos um milhão nascerias a rasgar as vestes. Estes até podem fazer o pino que todos acham muito bem! Agora é como o outro com doença crônica que encontrou um médico que lhe resolveu o problema! O amigo perguntou: ficaste curado? Não, cá...go...-me na mesma, mas agora não me importo!
Jorge Silveira
17 h
Mas só uma pessoa com muita lata e aldrabice como o poucochinho Costa consegue uma proeza destas! Ele era o número 2 de Sócrates e aprendeu muito com ele! No entanto, o povo gosta é disto e vai cantando e rindo alegremente! Veremos o futuro!...
Alberto Ramalho
17 h
Essa do PASSOS COELHO ter deixado cair o BES tem que se lhe diga
Que inveja que eu tenho de não ter tomates para dizer a RICARDO SALGADO ,
NÃO !!! NÃO !!!! NÃO!!! 
Provavelmente se fosse António Costa as CARAVELAS continuavam ao vento ,BES,GES,BESA,amigos e muitas ,muitas comissões e vigarices,continuavam a sustentar-se no contribuinte.
E como é lógico o ZÉ CONTRIBUINTE a pagar
Mas é bom ainda existirem pessoas que defendem estes vendedores de verdades feitas e de sonhos impossíveis
É verdade que não se endireita a sombra de uma vara torta mas também nunca vi ninguém tirar dinheiro dum cofre vazio
Rui Areal Gonçalves
17 h
Ter muita lata quer dizer ser o mais aldrabão possível para que não restem dúvidas! São todos mentirosos e cuidam-se bem (remunerações e pensões)! ...../RuiM 
Vitor Reis
17 h
Pois é, inspirei-me na lata que é preciso ter (nas palavras do José Manuel Fernandes) e num outro assomo de lata decidi oferecer estes livros. Num ano em que finalmente o governo conseguiu virar a página da austeridade, entre muitas outras páginas viradas, também eu vi o meu rendimento mensal aumentar e bem. Não é ironia nem lata, é a realidade, pelo que devo deixar um agradecimento sincero ao nosso governo. Foi graças aos acordos à esquerda que Portugal deixou de ser um país pobre. Não interessa os autores. Só espero mesmo que os contemplados com as ofertas (alguns políticos com lata a mais) os leiam.  

MARCELO REBELO SOUSA – “A minha selfie é mais bonita que a tua”. 
ANTÓNIO COSTA – “Estava danadinho para ser Primeiro-Ministro, ponto final”. 
PASSOS COELHO – “Há raposas no galinheiro”. 
ASSUNÇÃO CRISTAS – “Não passo disto”. 
JERÓNIMO SOUSA – “Os índios também eram vermelhos e lixaram-se”. 
CATARINA MARTINS – “Sou tão fofinha, meu Deus”. 
TIAGO BRANDÃO RODRIGUES – “Quem sabe, sabe, e o Mário é que sabe”. 
MÁRIO CENTENO – “Não me comparem à Maria Luís, por favor”. 
CARLOS CÉSAR – “O Galamba é mesmo o protagonista”. 
HELOÍSA APOLÓNIA – “Dantes diziam que era mazinha”. 
MARIANA MORTÁGUA – “Sou amiga do IMI”. 
ANDRÉ SILVA – “Os animais também deviam votar”. 
JOÃO GALAMBA – “Pode ser que acabe no bloco”. 
ARMÉNIO CARLOS – “Só protesto à direita”. 
FERNANDO MEDINA – “De obra em obra até ao buraco final”. 
RUI RIO – “Hei-de lá chegar, nem que seja imposto”. 
MARQUES MENDES – “Gosto de brincar com coelhos”. 
ANTÓNIO DOMINGUES – “Não consegui dar uma para a caixa”. 
PAULO MACEDO – “Vou tratar da saúde a estes”. 
FERNANDO SANTOS – “Até à Edernidade”. 
BRUNO CARVALHO – “22 menos 18 dá 4”. 

Boas leituras e BOA LATA…
Luis FariaVitor Reis
17 h
Lata não lhe falta...bem haja e Feliz Natal! Humor refinado o seu!
Victor BatistaVitor Reis
7 h
Boa lata a sua! 
Parabens. 
Ze Europa
17 h
Isto do BES esta a ser mal gerido pelo actual governo....este governo faz tudo ao contrario....é fácil assumir as despesas com o dinheiro publico.....é mt fácil endividar mais uma vez Portugal.....Antonio Costa faz precisamente tudo ao contrario do que o bom senso manda fazer

Passos Coelho deixou cair o BES....nem quero imaginar se isto se tivesse passado actualmente com este brilhante Antonio Costa ao leme dos destinos de Portugal

Foi para isto que ele quis usurpar o cargo de primeiro ministro a qualquer preço???? é isto a visão de um homem??? ele já não ganhava o suficiente na Camara de Lisboa??? 

Antonio Costa vai ser sempre um falhado....um reles poliico....medíocre que a única coisa que sabe fazer é golpes palacianos em que a sua personalidade fica bem vincada......Antonio Seguro que o diga

Antonio Costa é mau demais....e isto do BES prova tudo  
Joao MA
17 h
Governar á Costa:

  • Comprar votos com o dinheiro dos outros;
  • Dar com uma mao e com o sorriso falso pela frente e tirar com 2 maos por trás;
  • Se a verdade é inconveniente conta-se uma mentira;
  • Se a realidade nao é boa inventa-se uma nova realidade com o auxilio da comunicacao social da causa;

Um governo e modus operandi com o alto patrocinio do artista da Cornucópia o Emplastro de Belem.

Arte RebeloJoao MA
17 h
Eles pensam que a comunicação social manda tudo. As redes sociais têm já mais influencia que a imprensa escrita e televisionada. 
Gostava de ver irem a eleições pensando que o Ps ganhava. Como nas sondagens de Julho 2015 que o PS estava perto da maioria absoluta. LOL E no final foi o PSD+CDS que por pouco conseguiam a maioria. 
Luis FariaArte Rebelo
16 h
Mas não conseguiram! Agora estamos todos a ser fecundados, mas a maioria alegremente acredita que se for de pé não fica gravido! Epah! Demasiado forte? 
Joao MAJoao MA
16 h
e faltou outra "tecnica" importante do governo á Costa:

  • resolver todos os problemas, comprando os intervenientes e passando a factura aos contribuintes.
José BarretoJoao MA
14 h
Os das amplas, que tanto criticaram e bem o lápis azul do tempo da outra senhora, agora que estamos praticamente na mesma, estão calados que nem ratos ...
O disfarce, a encenação e a omissão predominam ...
As moscas mudaram, mas a porcaria é a mesma ...
Como dizia Zeca Afonso "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, o tempo é composto de mudança ...
Quando se apanham no poleiro o altruísmo congela ...

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook