sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Pelo menos 21 pessoas morrem em Camarões após consumo de álcool adulterado



PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - África
Escrito por Agências  em 18 Novembro 2016
Share/Save/Bookmark
Pelo menos 21 pessoas morreram nos Camarões por consumir Odontol, uma bebida alcoólica adulterada de baixo custo que, embora proibida pelo Governo, é distribuída e consumida pela população, informou nesta quinta-feira à Agência Efe uma fonte do departamento do Alto Nyong, no leste camaronês.
Entre as vítimas, 14 morreram inclusive antes de serem levadas ao hospital e, segundo fontes médicas consultadas pela Efe, ainda há pessoas internadas na UTI em diferentes hospitais da cidade.
Após uma primeira investigação, as autoridades confirmaram que o envenenamento aconteceu pelo consumo de Odontol durante a colheita do cacau na cidade de Nkouak e seus arredores.
As autoridades governamentais apreenderam todas as reservas de Odontol e fizeram uma batida na zona para evitar qualquer tentativa de fabricação, circulação, venda ou consumo, segundo informaram em comunicado.
O Odontol é um licor tradicional feito em Camarões a partir de vinho de palma ou grão de milho, açúcar e a crosta de uma árvore, e ao qual popularmente é chamado "de uísque dos pobres" ou "genebra africano".
Esta bebida tem um custo muito baixo, o que explica sua popularidade entre a população de baixa renda, e pode produzir graves problemas de saúde.
O Ministério da Saúde Pública de Camarões proibiu a sua venda em Setembro de 2014 e deu 24 meses aos produtores locais para se desfazer das reservas, no entanto este último facto demonstra que continua a ser comercializado.

Numa semana igual a tantas outras, 24 pessoas morrem por acidentes de viação em Moçambique

PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vida e Lazer - Motores
Escrito por Emildo Sambo  em 18 Novembro 2016
Share/Save/Bookmark
Foto de Cidadão RepórterPelo menos 24 pessoas perderam a vida e outras 54 ficaram feridas, 20 das quais em estado grave, na semana finda, em consequência de 27 acidentes de viação ocorridos em Moçambique, e na sua maioria resultantes do excesso de velocidade, atropelamentos e má travessia de peões.
A desgraça compreende ao período de 05 a 11 de Novembro corrente. Em igual período do anos passado, 33 cidadãos morreram e 122 contraíram ferimentos, 42 das quais com gravidade, devido a 42 sinistros rodoviários, segundo o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).
Ainda na semana finda, em que as autoridades policiais detiveram 166 indivíduos acusados de prática de vários crimes, foram registados 12 casos de excesso de velocidade e oito atropelamentos, entre outras anomalias que atentam contra as regras elementares do trânsito impostos pelo Código da Estrada, para além de perigar a vida dos utentes da via pública, em particular dos próprios automobilistas.
Semanalmente, dezenas de pessoas morreram nas estradas moçambicanas por conta dos acidentes de viação, que, pese embora os apelos para uma condução cautelosa, ainda existe gente que se faz ao volante sem o cuidado necessário. De acordo com a PRM, outros 13 indivíduos foram presos por condução ilegal.
Na tentativa de contrariar a indisciplina rodoviária, a Polícia de Trânsito (PT) fiscalizou 47.815 viaturas, das quais 15 foram confiscadas por diversas irregularidades e 5.706 condutores autuados por violação das regras de trânsito.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook