segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Menor de 14 anos morre após esfaqueamento em Sofala

Menor de 14 anos morre após esfaqueamento em Sofala


Caso ocorreu na cidade da Beira
Uma discussão violenta entre duas raparigas terminou em tragédia, na cidade da Beira, em Sofala, com a morte de um menor de 14 anos de idade, após ser esfaqueado por uma das meninas envolvidas na briga. A indiciada está agora sob custódia policial.
O facto aconteceu na tarde de sábado, quando as duas meninas, ambas de 16 anos, residentes no bairro de Matacuane, se envolveram numa discussão. Uma delas é irmã do menor que perdeu a vida.

“Ela estava a acusar-me de algo que não fiz. Discutimos e lutámos. Algumas amigas separaram-nos, mas um dos sobrinhos da minha vizinha foi buscar uma faca e entregou-lhe. Ela tentou usar contra a minha pessoa, como não conseguiu, foi buscar um garfo, mas fui socorrida”, conta.

Entretanto, minutos depois, a outra menor envolvida na briga, quando se encontrava na sua residência, foi alegadamente atacada pelo irmão da menina com quem estava a lutar.

“Cheguei à casa e apercebi-me de que um grupo de pessoas lideradas pelos familiares da amiga com quem acabava de lutar vinham ao meu encontro. Decidi entrar e fechar a porta. Mas o menino Inocêncio (nome da vítima do esfaqueamento), a mando da mãe, arrombou a minha porta e tentou agredir-me. Eu estava a cortar cebola e, em defesa, usei a faca. Lembro-me de que o esfaqueei na região do abdómen. De seguida, ele saiu a correr. Não sei o que veio a acontecer depois até a polícia vir prender-me”, conta a indiciada.
Menina de 16 anos mata miúdo de 14 anos à faca no centro de Moçambique

PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 08 Novembro 2016
Share/Save/Bookmark
Um rapaz de 14 anos de idade morreu esfaqueado por uma adolescente de 16 anos, no último sábado (05), na cidade da Beira, província de Sofala, em consequência de uma briga entre a irmã da vítima e a acusada.
O caso aconteceu no bairro de Matacuane. A suposta homicida encontrava-se a cortar tomate e cebola e teria recorrido à mesma faca para aplicar um golpe no tórax da vítima, tendo atingido o coração, segundo as autoridades policiais.
Na reconstituição dos factos, a indiciada disse que uma outra rapariga vizinha, supostamente da sua idade, identificada pelo nome de Ana, encontrava-se a tirar água num poço e fez piadas desagradáveis, as quais originaram uma briga.
“Ana estava no poço a buscar água, eu espreitei e ela perguntou: “você é meu pesadelo ou minha sombra”. Respondi sou sua sombra”.
Diante dessa resposta, uma senhora aparentemente familiar do malogrado e que se encontrava por perto a acompanhar a troca de mimos entre as duas miúdas, ordenou à Ana para bater na outra.
“Ana atacou-me de trás e foi a partir dai que lutei com ela”, contou a menina, acrescentando que a senhora mencionada no caso mandou um miúdo, em jeito de reforço, “para bater bem em mim”.
“Eu estava a cortar cebola e tomate. Não sei o que aconteceu, piquei-o com a faca, mas foi uma falha”, disse a acusada.
A irmã o finado assume ter sido ela a iniciar a agressão física, mas alegada ter agido no sentido de se defender.
“A menina que esfaqueou o meu irmão gritou comigo e ofendeu-me, levantei da cadeira e bati nela. Quando o meu irmão se apercebeu de que eu estava a lutar veio a correr para saber o que se estava a passar. Depois disso sai e, de repente, ouvi pessoas a gritarem e o meu irmão estava no chão”.
A homicida está privada de liberdade na 3ª esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Beira.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook